31 março, 2013

Em África a corrupção é combatida de forma eficaz. Clínica para corruptos


Um video que mostra como tratar os corruptos.
Portugal já enviou candidatos para formação, em breve, este método infalível  será implementado em terras Lusas. Os tratamentos alternativos, podem representar a solução para resolver todos os problemas de Portugal, já que como sabemos a corrupção é a raiz de todos os nossos males.
Imaginem os nossos corruptos de estimação a serem sujeitos a tamanha tortura... certamente irão ser mais honestos.





Carta a Passos Coelho, de uma mãe preocupada.

"A culpa da banca ... 
Deu-lhes jeito os empréstimos que "deram" para compra de tudo e mais alguma coisa, uma vez que eram esses mesmos bancos que muitas vezes aliciavam as pessoas à compra de carro ou mobilias, quando os clientes adquiriam o seu imóvel. 
Ora esta politica financeira mostrou-se desastrosa, quer para os bancos que agora ficaram com crédito mal-parado, ora para o clientes, que andaram a pagar os seus créditos (imobiliário) todos estes anos, e no fim ficam sem as suas casas e sem o investimento que fizeram.
Acresce aqui um facto muito importante, enquanto os bancos gozavam lucros astronómicos, nada foi feito pelos anteriores governos a fim de os colectar da mesma forma que o fazem as restantes empresas, neste momento que os seus lucros decresceram, pedem ajuda ao estado. É tudo isto que revolta qualquer um.
Para não falar nos roubos e desvios efectuados à cara podre, por membros de anteriores governos, por funcionários camáririos, etc, etc. que o senhor ministro muito bem conhece, sem que haja uma responsabilização para estes crimes. Creio que se os mesmos fossem responsabilizados, e devolvessem o que andaram a desviar, o povo não precisava de fazer tantos sacrificios. E quando falo povo, falo das pessoas que não têm como fugir aos impostos, pois que os mais ricos, gozam de todos os estratagemas para o fazerem, ficando cada vez mais ricos e impunes.
Sem dúvida que a riqueza deve ser colectada com impostos maiores sobre compras de bens de luxo. Não se pode colocar um pacote de leite com chocolate ou um sumo ao IVA de 23% e um iate ou carro de luxo ao mesmo IVA. Será justo?

30 março, 2013

A CORRUPÇÃO CRESCENTE, SÓ É POSSÍVEL PORQUE A OPOSIÇÃO PACTUA.


PORTUGAL EM 10 ANOS, FOI O PAÍS DO MUNDO QUE MAIS DESCEU NO RANK DA CORRUPÇÃO... TERÁ SIDO O PS OU O PSD O CULPADO? GRANDE QUESTÃO... EU ACHO QUE FOI O ZÉ POVINHO.


Um governo corrupto não o conseguiria ser, se os partidos, com poder e na oposição não o permitissem. Um governo corrupto de um partido corrupto, jamais conseguiria voltar ao poder, se o partido que o sucede, fosse contra a corrupção e desejasse trava-la. Todas as falcatruas seriam desvendadas e expostas em praça pública, e nos tribunais... e os cidadãos jamais votariam neles de novo.
Um governo corrupto que corrompe e lesa o país, jamais ficaria impune se o governo que o sucede fosse contra a corrupção e não a quisesse perpetuar, para beneficio de todos eles. Pois se um governo que sucede outro, encontra documentos que provam onde o anterior lesou o estado e o povo, porque não prende, julga e desmascara os traidores? Talvez porque também quer beneficiar do jogo e jamais revela-lo?
A corrupção a rapinagem e as incompetências não começam nem acabam , nem perduram apenas os 2 ou 4 anos de mandato do PS ou do PSD... a corrupção a rapinagem e a incompetência perduram em todos os mandatos há 3 décadas, ininterruptamente.
Só pessoas que beneficiam deste estado caótico, pessoas que não querem saber a verdade, pessoas que optaram por seguir cegamente seitas partidárias, que perderam o rumo e a lealdade ao país, é que ainda podem acreditar nisso.

Eis mais um exemplo, onde um politico se viu forçado a soltar algumas pontas, discretamente. À semelhança de Rui Rio... Isto dava um escândalo em qualquer país civilizado. Em Portugal, nada... 
"Os contratos das parcerias público-privadas (PPP) assinados pelo Governo Sócrates permanecem um enorme mistério.
Há poucas semanas, o Presidente do Tribunal de Contas anunciava que os contratos teriam cláusulas secretas e que alguns documentos tinham sido sonegados àquele Tribunal. Agora, há dias, veio o ex-secretário de Estado das Obras Públicas, Paulo Campos, assegurar que todos os documentos foram afinal visados pelo mesmo Tribunal de Contas.
Tudo isto é muito contraditório e obscuro. O único aspecto que fica claro é que alguém está a mentir.
Mas Paulo Campos não se ficou por aí. Veio ainda afirmar, em voz bem alta, que os contratos não foram despachados apenas por si, nas Obras Públicas, mas também pelo Ministério das Finanças de Teixeira dos Santos. Além de que passaram ainda pelo crivo do Conselho de Ministros e até pelo do Presidente da República.
O que Paulo Campos nos quis dizer foi que, se ele próprio roubou nas PPP, não roubou sozinho. Veio lembrar, como diz o ditado, que “é tão ladrão quem vai à horta como quem fica à porta”. Fonte

"Grécia vai investigar fuga ao fisco denunciada por relatório de jornalistas
O governo grego decidiu avançar com uma investigação sobre as contas de empresas 'offshore' de fonte
uma centena de serviços fiscais desconhecidos, cuja existência foi revelada por relatório elaborado por um grupo de jornalistas a nível mundial."

"Hollande declara guerra a paraísos fiscais e obriga ministros a revelar património. Os bancos franceses vão ter de revelar, todos os anos, uma lista com todas as subsidiárias estrangeiras. Lei de moralização da vida política, hoje anunciada, incluiu ainda a divulgação do património dos ministros. Património dos ministros será público
 Esta medida faz parte da lei da moralização da vida política, hoje apresentada por Hollande e discutida em conselho de ministros a 24 de Abril. A lei é, segundo o “Le Fígaro”, baseada em três eixos centrais: além da erradicação dos paraísos fiscais, Hollande incluiu a luta contra a fraude fiscal e a corrupção e a transparência sobre o património dos representantes políticos eleitos.  " fonte

Em Portugal continua tudo na mesma... a corrupção, a fraude e fuga ao fisco, são actividades protegidas e incentivadas pelos governos.
Grécia, Islândia e Chipre estão a apurar as responsabilidade dos politicos e banqueiros nas crises, e alguns já foram julgados e condenados. Na Alemanha e na Grécia, os envolvidos no caso dos submarinos, já foram condenados.

Outros assuntos interessantes... 
  1. A crise tem solução... Tinha...
  2. Quem é corrupto afinal?
  3. As PPP continuam em regabofe?
  4. Quem ganhou com a renegociação?
  5. Paulo Morais, convida os corruptos a ter vergonha.
  6. Sócrates muda a lei, para agilizar a coisa?
  7. A omissão
  8. A inércia



Poema dedicado aos que continuam a "tombar perante" a crise


A banca rouba. Ganha milhões emprestando dinheiro que nem existe. 



29 março, 2013

Sócrates, mentiu, manipulou e distorceu. Nada de novo nos nossos políticos sem ética.





As mentiras de Sócrates, neste video, expostas por José Gomes Ferreira. A prova de que, os nossos adorados políticos  INSISTEM EM TRATAR OS PORTUGUESES COMO ATRASADOS MENTAIS. 
1ª MENTIRA- Afirmou que Portugal podia ter feito como Espanha e Itália e evitar a troika... Mas todos sabemos que Teixeira dos Santos, o seu ministro, disse-lhe que já só havia dinheiro para um mês de salários. Está dito escrito e documentado. (apesar de ser outra mentira, pois agora todos sabemos para quem foi o resgate)
2ª MENTIRA - Sócrates diz que a divida pública sobe 30% de 2010 para 2012, insinuando que foi o PSD o culpado pela divida.
Esta é a maior mentira que se pode dizer a um povo, pois esse aumento resultou de a troika ter chegado e ter exposto o verdadeiro deficit do estado que estava escondido. É uma vergonha esta mentira.
3ª MENTIRA - Sócrates afirma que os encargos líquidos das PPP que ele deixou, era de 23 mil milhões de euros, mas citando o estudo de uma consultora que ajudou a criar estas parcerias, e contribuiu para o descalabro, conclui que, os encargos líquidos das PPP todas, incluindo as 8 de Sócrates, são de 32 mil milhões de euros. Encargos brutos, 45 mil milhões.
4ª MENTIRA - Cavaco Silva não foi a oposição, foi sim conivente, mais uma vez ficou calado, enquanto o governo Sócrates se metia neste descalabro de endividamento das Estradas de Portugal. E o presidente foi avisado.

A história repete-se há décadas, foi desta forma que o PSD ganhou ao PS...  e o PS irá ganhar ao PSD, mas Portugal e os portugueses, são os que perdem sempre, por pura burrice e ingenuidade.
Os abutres, oportunistas, aparecem quando alguém está moribundo. (Quando um governo está em crise, aproveita-se para se meter outro mau governo)
Os cobardes ganham força, quando o inimigo está caído.(foi o que fez Passos Coelho a Sócrates e está a fazer Sócrates ao Coelho, e o povinho não percebe, algo tão óbvio?)
Os incompetentes, chegam a parecer competentes, quando reina o caos.
Os corruptos parecem santos, quando o diabo está à solta.
As crises provocadas por todos eles, servem de arma para os colocar de novo no poleiro. A responsabilidade pelas desgraças provocadas por todos, são facilmente empurradas, para quem está no poleiro.

E é assim que ao longo de mais de 3 décadas se elegem criminosos e incompetentes...
Os eleitores, encurralados que nem carneiros mansos, vitimas de uma realidade óbvia e secular - "Depois de mim virá, quem bom de mim fará." - continuaram a alternar entre os mesmos do costume. Os manipuladores da verdade, engenheiros da finança, malabaristas dos números... Mentirosos compulsivos, desonestos, incompetentes reconhecidos. Ambiciosos desmedidos, que tudo fazem para conquistar o poder e o dinheiro público.
E Portugal será de novo o sacrificado...
de cofres mais vazios.
mais serviços sociais, extintos.
mais injusto para os pobres, e um paraíso para os ricos,
mais despido de portugueses.
mais povoado de pobres.
mais atrasado nos padrões de desenvolvimento.
mais saqueado à descarada.
mais despojado de justiça, um verdadeiro far-west. 
E com uma classe politica e amigos, cada vez mais poderosa e rica. 
Os portugueses dividem-se, não entre escolher o correcto ou o errado para o seu próprio bem ou de Portugal, mas escolher entre o meu partido e o dos outros, ou simplesmente, seguindo a armadilha, já tão óbvia, sem alternativa "Depois de mim virá, quem bom de mim fará.", sem a mínima capacidade de se questionar ou avaliar.

Exigimos uma estátua ao funcionário desconhecido.

Precisamos homenagear a (in)competência do nosso serviço público. Precisamos exibir o rosto da vergonha que nos desgoverna e afunda. Recordar ao povo que voto, não tem custo mas tem consequência.
Se a estátua do Soldado Desconhecido é um monumento que foi erguido em homenagem aos combatentes da Grande Guerra (1914-1918). Façamos da estátua do Funcionário Desconhecido uma homenagem aos combatentes da grande corrupção (1970- 2015), uma das batalhas mais duras, injustas e desiguais que os portugueses conheceram, em toda a sua história.
Parece anedota mas não é... 
  
"Durante 20 anos, as teias da burocracia permitiram que um funcionário do Ministério da Agricultura tenha recebido um salário mensal sem nunca ter estado no seu local de trabalho. A certa altura já tinha a alcunha do "funcionário desconhecido".
Sabia-se que existia, mas ninguém sabia do seu paradeiro. A entidade patronal (o Ministério da Agricultura) nunca o incomodou e ele - o "funcionário desconhecido" - nunca se incomodou com isso. Certo é que o salário lá estava todos os meses.

Nunca falhava. Num universo que chegou a ultrapassar os 12 mil funcionários, o peso da burocracia permitiu que esta situação ridícula se tivesse perpetuado por duas décadas.
O dito funcionário, que trabalhava no Instituto Nacional de Investigação Agrária, em Coruche (localidade onde também residia), um dia recebeu instruções de que iria ser transferido para a coudelaria de Alter.
O tempo passou e, 20 anos depois, em resultado de uma auditoria, concluiu-se que o dito senhor nunca tinha chegado a ocupar o seu novo posto de trabalho.
Quando interrogado sobre o assunto, respondeu que "o carro que ficou de me vir buscar nunca chegou a aparecer". Sim senhor... está explicado." Fonte

O caso já está resolvido, mas é mais um exemplo do regabofe em que se vive, semelhante aos que se seguem
  1. Hospital de São João tem 30 cirurgiões que nunca foram ao bloco operatório.
  2. Cargo vitalício para funcionária desconhecida?
  3. Funcionária com horário desconhecido?
  4. Muitos funcionários desconhecidos? 
  5. Horas de serviço desconhecidas?
  6. Vender hospitais e pagar rendas?
  7. Compras desconhecidas?
  8. Vergonha que desconhecias?





28 março, 2013

Eles não param de despedir, esbanjando em indemnizações, para colocar boys.




Partilhem, porque é preciso que estas agressões explícitas ao direito à própria vida se tornem públicas.
É para pagar coisas assim que temos mais de 500.000 desempregados que não tem o que comer ou dar aos filhos...

Publicação em DR. dia 20.03.2013 - Como português, e exercendo o meu dever de cidadania, não posso deixar de enviar semelhantes Despachos publicados hoje mesmo em DR.
Sou técnico superior no Ministério das Finanças em funções públicas há mais de 30 anos, e fico sem palavras ao ver estes despachos.
Despachos de 2 técnicos de 21 e 22 anos que são nomeados exercer as funções de acompanhamento da execução de medidas do memorando conjunto com a União Europeia, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu, na ESAME.) da TROIKA.

Gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, o tal Carlos Moedas
Dados pessoais, habilitações académicas e formação profissional
Tiago Miguel Moreira Ramalho, 21 anos, concluiu em 2012 a Licenciatura…(…designo como técnico especialista o licenciado João Miguel Agra Vasconcelos Leal para exercer as funções de acompanhamento da execução de medidas do memorando conjunto com a União Europeia, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu, na ESAME.) 
Nota curricular …na Universidade Católica Portuguesa, mais concretamente na Católica -Lisbon School of Business and Economics, em inglês, é mais “in”... 
E fez o secundário em 2008...
Experiência Profissional (do dito cujo)
Entre junho e agosto de 2011, João Miguel Leal realizou um estágio de verão no Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia e Emprego.
Anteriormente, em junho de 2009, já havia efetuado um estágio de verão no departamento de Marketing e Vendas da Empresa José Maria da Fonseca. Despacho n.º 4109/2013

A dívida portuguesa total – canibalização de um povo


"Pretende-se com este primeiro texto - entre vários que irão ser divulgados em breve - proceder a uma abordagem abrangente da dívida e outras responsabilidades que impendem sobre os residentes em Portugal e que, no fundo, oneram e irão onerar durante gerações, a multidão de trabalhadores e ex-trabalhadores, tomados pelo poder do capital, os receptáculos últimos e os naturais pagadores das faturas apresentadas pelo capitalismo global[i].
Quem se resignar a esta situação está do lado da continuidade da exploração capitalista, por ignorância, por conveniência ou… é masoquista.

Não tem, evidentemente, de ser assim e isso, só pode ser evitado numa concertação de povos[ii] contra os capitalistas e a sua extirpação, numa luta que custará – não tenhamos ilusões - sangue, suor e lágrimas. Aliás, esses fluidos escorrem já hoje, abundantemente nos quatro cantos da Terra, por ação ou inação criminosas do capitalismo, dos seus mandarins, polícias e exércitos.

Ontem já era tarde para reagir. E para reagir é necessário conhecer o inimigo, o terreno do combate, as armas de que detém e como as utiliza. Este texto é um modesto contributo para o efeito, no seguimento de muitos outros já publicados sobre a dívida[iii] e não só.

Sumário:
1 - O endividamento da economia portuguesa
2 - Endividamento das empresas não financeiras
3 - Endividamento das sociedades financeiras
4 - Endividamento das administrações públicas
5 - Endividamento dos particulares
6 – Os direitos de crédito do exterior sobre a sociedade portuguesa
7 – Resumo da evolução dos vários tipos de passivos em cada agregado económico
8 - Tipos de responsabilidades por agregado económico

1 - O endividamento da economia portuguesa
A dívida do Estado, do sistema financeiro, das empresas e das famílias é, constituída, parcialmente dentro do país, numa matriz de relações interna, entre as entidades ou agregados atrás considerados e parcialmente, de modo direto, junto de entidades sediadas no exterior. Por outro lado, mesmo quando o mútuo envolve apenas entidades residentes em Portugal, muitas vezes o credor municiou-se previamente no exterior enquanto a situação inversa é muito menos relevante.

O Banco de Portugal publica regularmente as contas financeiras de Portugal. Como em qualquer contabilidade procede-se a uma avaliação do ativo e do passivo, consolidando os haveres, direitos e obrigações de empresas não financeiras, do sistema financeiro, das administrações públicas e dos particulares; designa-se por consolidado por não relevar as relações internas no âmbito de cada agregado. Como contas financeiras não contabilizam o património físico existente em Portugal, como o edificado habitacional ou instalações industriais, comerciais ou de serviços, os recursos naturais, os bens materiais dos particulares ou das empresas. Consideram-se, sumariamente, para além do ouro monetário (não o privado retido para adorno ou entesouramento), o dinheiro e os depósitos, os títulos, e os empréstimos obtidos ou concedidos."

(...)conclusão
Sendo o setor financeiro o elemento dominante na generalidade das economias, é aquele que controla os aparelhos de Estado e os gangs de mandarins, tornando-se o mais habilitado para a determinação e gestão das políticas fiscal e orçamental, da produção legislativa e da decisão política[vi]. Por outro lado, a maior desmaterialização dos seus capitais, a procura desenfreada de altos níveis de liquidez, permite ao sistema financeiro global, como aos seus saguões nacionais, margens de lucro elevadas, tornando-se por isso particularmente procurados pelos capitais, mesmo os mais especulativos dos “investidores”. Daí que haja uma tendência para o aumento do valor atribuído às empresas do setor financeiro, apesar das suas fragilidades[vii], superadas pelo desmedido e dedicado apoio do BCE e dos estados nacionais.
Por outro lado, nas empresas não financeiras, as que operam na chamada economia real, a crise financeira actual gera dificuldades de obtenção de crédito, encerramentos, redução de atividade, numa gigantesca destruição ou subaproveitamento de capital que carateriza os dias de hoje. Esses elementos contribuirão para a redução do peso das sociedades não financeiras entre as partes sociais que representam os direitos dos capitalistas detentores das empresas e o desaparecimento de largos estratos de capitalistas pequenos e médios e dos seus sonhos de passarem a grandes[viii].

Para continuar a ler e analisar em profundidade o tema, aceda a este link, onde terá acesso a todos os 8 pontos que compõem o artigo, e os respectivos gráficos e quadros.

27 março, 2013

MARINHO PINTO DESMASCARA OS CORRUPTOS E NADA SERÁ COMO DANTES?



Após ver este video... Perante as graves revelações e factos
Portugal deveria estremecer.
O povo deveria incendiar-se de raiva, contra os que permitem
MARINHO PINTO DESMASCARA OS CORRUPTOS E NADA SERÁ COMO DANTES?
AS LEIS FISCAIS SÃO FEITAS PARA PROTEGER OS RICOS E PERSEGUIR OS QUE NÃO TÊM DINHEIRO PARA ESTAREM REPRESENTADOS NOS TRIBUNAIS ARBITRAIS - OS CIDADÃOS COMUNS, CLARO.
Se neste país de políticos indecentes
Habitassem portugueses e cidadãos, decentes.
OS PARTIDOS MAIS CORRUPTOS DE PORTUGAL NUNCA MAIS CHEGAVAM AO PODER, PORQUE O POVO IRIA ÁS URNAS VOTAR CONTRA OS LADRÕES QUE ARRUÍNAM PORTUGAL HÁ 40 ANOS

Em 2011, 25% da riqueza produzida em Portugal, não pagou impostos.
- Num só ano, excedeu mais de metade do valor do empréstimo pedido à Troika. 43,5 mil milhões de rendimentos não tributados.

Resumo do video.
Toda a crise teria solução, se os nossos políticos, e partidos políticos   não fossem corruptos, há décadas  Mas os portugueses continuam a defende-los e a atacar quem os denuncia... 
"Pedro Santos Guerreiro, diretor do Jornal de Negócios, foi categórico: os canais de evasão para paraísos fiscais foram e continuam a ser protegidos pelas elites portuguesas e europeias." fonte
1- o caos que nos arruína.  
- Em 2011, 25% da riqueza produzida em Portugal, não pagou impostos.
- Num só ano, excedeu mais de metade do valor do empréstimo pedido à Troika. 43,5 mil milhões de rendimentos não tributados.

26 março, 2013

Silva Carvalho avança na maçonaria e no governo


Ainda há pouco tempo se fazia referência ao regresso do
 O polvo cresce, firme e seguro
 Mais um tentáculo!! 
maçon, Silva Carvalho, à actividade maçonica, terá sido por isso que o governo o nomeou para um cargo mais próximo e com mais poder, no governo? 
Silva Carvalho já regressou às sessões maçónicas.
Silva Carvalho promovido, hoje, pela Presidência do Conselho de Ministros, onde assumirá as funções de técnico superior, para o governo?

Diário da República
"Gabinetes do Primeiro-Ministro e do Ministro de Estado e das Finanças
Despacho n.º 4369/2013
Nos termos do disposto no n.º 1 do artigo 50.º da Lei n.º 9/2007, de 19 de fevereiro, o colaborador do Serviço de Informações de Segurança, Jorge Manuel Jacob da Silva Carvalho preencheu os pressupostos de aquisição de vínculo definitivo ao Estado.

ESTALEIROS VIANA, UMA PRIVATIZAÇÃO AO ESTILO BPN?



VIDEO - “É desumano e vexatório manter 630 trabalhadores quase paralisados há mais de dois anos!”
A situação a que o Governo está a conduzir os Estaleiros Navais de Viana do Castelo é absolutamente intolerável.
Começa mesmo a entrar no campo de inconfessadas intenções de alguns dos responsáveis parecerem estar mais apostados numa estratégia de autêntica sabotagem económica visando a falência e o encerramento da empresa que em encontrar uma qualquer solução para sustentar o seu futuro e dos seus 630 trabalhadores. 

A democracia sem liberdade. Algo está terrivelmente mal...



Um video viral, com uma narração, profunda e desperta, que chama por todos nós, pois é em nós, povo, e apenas em nós, que reside a última esperança de nos libertarmos. 
O video mostra ainda como está a democracia em Espanha, onde até as manifestações, já são proibidas. 
Com a desculpa de que havia demasiadas manifestações, criaram regras que agora acabaram com o direito a manifestar-se. 
"Cifuentes aboga por cambiar la ley para "modular" el derecho de manifestación" fonte

Tradução do video...
Não sou dos que pedem milagres 
Sei que ninguém dá nada a ninguém
Que a maldita injustiça faz parte do ser humano
E que a sociedade perfeita. não existe e nem se espera que exista.
Eu isso tenho-o bem claro

25 março, 2013

MERKEL ACHA QUE OS CONTRIBUINTES NÃO DEVEM SALVAR OS BANCOS?


  ÚLTIMA HORA  
Vejam neste video, Chipre evita o resgate do FMI (escapa ás garras da divida) pois e como afirma a Merkel, sempre defendeu que não devem SER OS CONTRIBUINTES a salvar os bancos???
Então em que ficamos? Será que o governo disse à MERKEL QUE O BPN ERA UM HOSPITAL? OU UMA LAR DE IDOSOS, DEMENTES? OU SERÁ QUE, ANDAM A FAZER DE NÓS OTÁRIOS? 


BPN??? Não foi um resgate? Afinal quem anda a enganar quem? A Merkel não sabe que os contribuintes portugueses foram forçados a resgatar o BPN? E que ainda continuamos a resgatar os bancos de parasitas que nos afundam? 
BANIF??
BPP??
12 MIL MILHÕES PARA A BANCA??
- "Bancos pediram 56 mil milhões de euros a 1% de juros para emprestar ao estado (OTÁRIO?) a 6% e a 5%, em Março 2012. cmjornal
Porque é que a Grécia teve uma negociação de divida mais suave e justa, que nós? Mas que raio de políticos temos nós que descaradamente não nos defendem? Está a passar os limites do descaramento. A traição não dava guilhotina? 
Condições para a Grécia, segundo o video.
    PONTO 1 - A  Grécia conseguiu uma redução dos juros de 1% (6 pontos base)com a desculpa que o seu empréstimo é bilateral (Alemanha e França) 

    SNS e utentes incapazes de seduzir médicos, o lucro, fala mais alto.


    Mais uma vez os privados a possuírem o poder e a liberdade de transformarem um serviço público, em algo mais dispendioso e menos humano. E mais uma vez, com o aval dos que nos desgovernam.
    Empresas privadas contratam médicos, (mesmo os que trabalham no SNS), para prestarem serviço, em hospitais, (por vezes no hospital onde trabalham) pagando muito mais, aos médicos que o que recebem através do SNS/estado, mas.... claro, nem podia deixar de ser, a empresa privada, cobra ao estado, muito mais do que o que cobram os médicos.
    Basta consultar em baixo, os valores que se pagam aos médicos, e somar a percentagem que a empresa, deve guardar para si, para percebermos o quanto mais caro nos sai este esquema... Um esquema lucrativo, recheado de esquemas, que fintam a legislação, para prosseguir o esquema. Lesando o interesse e o dinheiro público.
    Ou seja um negócio paralelo. Não há médicos suficientes nos hospitais, mas estas empresas privadas, encontram-nos sempre... !!

    Talvez se explique, assim, o absentismo no SNS denunciado há tempos. Quanto mais faltarem mais tempo têm para trabalhar para estas empresas que pagam melhor, e quanto mais faltarem, mais o estado tem necessidade de recorrer a estas empresas que lhes pagam melhor!???
    E mais uma vez os governantes mantém a sua inércia, perante este tipo de negócios paralelos como acontece já com os colégios, com os lares de idosos, com os bombeiros, etc etc etc
    Portanto... ser mau profissional e contribuir para um mau serviço, significa ganhar mais dinheiro, lesando o estado, mas os governos apoiam.

    Os esquemas... 
    "Há médicos que ganham 2500 euros numa urgência de 24 horas num hospital público, quando contratados por empresas privadas. Alguns pertencem ao quadro da unidade de saúde, onde fazem o “banco” através da empresa.
    Anestesiologia, obstetrícia ou pediatria são especialidades em que há falta de profissionais. A solução tem passado pelo recurso a empresas privadas de médicos que cobram valores muito superiores aos pagos por hora extraordinária aos profissionais dos quadros dos hospitais.
    As empresas privadas recrutam os médicos nas urgências hospitalares, a quem convidam para realizar “bancos” em determinados hospitais.(...)

    Alfredo da Costa recorreu com frequência em Agosto
    Quando aceitam, os médicos assinam um contrato com a empresa e é com esta que têm um vínculo.
    A Lusa teve acesso a um contrato que define as normas de acordo para a prestação de serviços na Maternidade Alfredo da Costa (MAC). (...)
    De acordo com o contrato, o médico recebe por hora entre 45 euros (interno) e 55 euros (especialista chefe de equipa). Um valor mais do que três vezes superior ao que é pago, por exemplo, à coordenadora das urgências na MAC, Clara Soares, que recebe 16 euros por hora, disse a própria à Lusa.
    Na MAC tem sido frequente o recurso a empresas que, em Agosto, forneceram obstetras para 74 turnos de 12 horas, o que representou uma despesa de cerca de 50 mil euros só para aquela especialidade.
    Para conseguir obstetras suficientes nas urgências, a MAC precisa ainda de recorrer aos próprios médicos do quadro da Maternidade, que realizam mais horas extraordinárias pagas pela empresa privada, que depois cobra ao hospital, como contou à Lusa Clara Soares. 

    24 março, 2013

    A dívida à Segurança Social - o longo conluio entre empresários manhosos e o Estado

    Este artigo deixa à vista de quem quer ver, que os fenómenos que lesam os contribuintes e que preocupam todos os portugueses, não têm como causador especifico um determinado partido ou mandato. São fenómenos iniciados por uns partidos, continuados por outros e perpetuados por todos.
    As pessoas insistem em continuar a enganar-se e a fingir que conseguem identificar um partido culpado e um inocente. E nunca mais chegam à conclusão óbvia, que os culpados são e foram todos os governos, e os inocentes, são todos os portugueses que constantemente são lesados por eles e chamados a pagar as asneiras e desfalques, deles.


    "Por cada minuto que passa, a Segurança Social e o conjunto dos trabalhadores e aposentados são lesados em € 1903, a favor dos capitalistas mais inúteis.
    O acréscimo da dívida entre 2010 e 2011 daria para aumentar em € 10.9 por cada cem euros, as pensões de velhice.

    Sumário
    0 – Resumo das conclusões
    1 - Uma questão elementar e urgente de política e ética
    2 - A história da gestão ruinosa do PS/PSD e do apêndice CDS
         O final do cavaquismo (1988/95)
         Os tempos da “tralha guterrista” (1996/2001)
         O dealbar do século XXI e a operação titularização (2002/2005)
         O saque a céu aberto (2006/…)

    3 - Cálculos emblemáticos do roubo sistémico através da dívida

    0 – Resumo das conclusões
    Uma questão elementar e urgente de política e ética
    A Segurança Social é um fundo coletivo dos trabalhadores para a garantia de rendimentos de substituição em casos de aposentação, doença ou desemprego. Nada tem a ver com a máquina do Estado;
    As contribuições pagas para a Segurança Social têm uma aplicação consignada a fins específicos da vida laboral das pessoas. O dinheiro arrecadado não pode ser utilizado pelos governos, para reduzir o deficit do Estado;
    Nas mãos do partido-estado - o PS/PSD - os trabalhadores perdem muito do seu dinheiro descontado para a Segurança Social, em favor de empresários vigaristas. E ao mesmo tempo vêem reduzir-se as prestações sociais e os seus direitos;
    Não é por culpa dos trabalhadores que os capitalistas são, em regra incapazes como gestores, curtos de conhecimentos mas ávidos predadores do Estado e do que pertence aos trabalhadores;
    Há uma política do partido-estado que procura descapitalizar e descredibilizar a Segurança Social para favorecer o sistema financeiro em geral e as seguradoras em particular;
    A Segurança Social é um elemento de solidariedade e de coesão dos trabalhadores que evidencia o caráter global da produção, que exclui capitalistas e patrões, como entes desnecessários ao processo produtivo; a sua apropriação e desvirtuação por capitalistas e governos é um modo de destruir essa coesão solidária e substitui-la por um individualismo que enfraquece todos os trabalhadores;
    A melhoria do sistema de Segurança Social passa pela reafetação do valor produzido de que os capitalistas se apossam – com o constante apoio do Estado – sacando em proveito próprio o aumento da riqueza resultante dos aumentos da produtividade do trabalho;
    Faz todo o sentido, num quadro de reivindicações populares no seio de um regime de democracia de mercado, colocar como urgente a separação da Segurança Social do perímetro de consolidação das contas públicas.

    A história da gestão ruinosa do PS/PSD e do apêndice CDS
    No estertor do consulado cavaquista, surge um plano Catroga para recuperar dívidas de empresários relapsos, com  fracos resultados. Para tapar o buraco (com uma peneira) Cavaco inventou uma compra de € 349 M de dívida à Segurança Social por parte do Estado;
    Entretanto, Cavaco em 1984/1995 havia descapitalizado a Segurança Social em € 6017 M, o equivalente às contribuições cobradas em 1995, para cobrir o deficit do Estado. Este tema nunca mereceu relevância devida por parte dos partidos e dos sindicatos;

    O governo Guterres decidiu através do plano Mateus minorar a relevância da dívida e, simultaneamente, promover uma reconfiguração do tecido industrial, com a entrada de novos capitais e uma intervenção decisiva dos bancos. Se a primeira componente teve algum sucesso temporário, a segunda falharam totalmente;
    Com o novo século surge no léxico diário a questão do deficit público acompanhado com a estagnação económica e o desemprego. E isso não impede a subreptícia transferência de fundos para empresários vigaristas;

    O crescimento acelerado da dívida coexiste com a redução da informação pública sobre a sua composição, precisamente quando as capacidades para o seu fornecimento melhoram substancialmente. A cacofonia dos consultores informáticos e a incompetência dos dirigentes da Segurança Social provenientes da área CDS fazem parte substancial do processo;

    Em 2002 entra em cena o PSD com Durão, sendo Manuela Ferreira Leite, a dona da área financeira do governo que decidiu atacar o deficit – a mando da UE - com a titularização de dívida fiscal e da Segurança Social. No que se refere a esta última, foram cedidos ao Citigroup, inicialmente, € 1995 M de dívidas por € 306.9 M;
    No contexto da titularização consideraram-se prescritos ou foram substituídos por insusceptíveis de cobrança, créditos no valor de € 1359.5 M, verba que corresponde, na íntegra, a perdas da Segurança Social a favor de empresários vigaristas;
    A partir de 2004 a dívida cresce mais de 20% em cada ano que passa ou 662% em todo o período; em contrapartida, o PIB e o volume das contribuições estagnam desde 2008. Uma dívida que não preocupa a troika…

    Os processos executivos têm cada vez menos valores unitários e nada se  sabe de prescrições  ou anulações de dívidas; dívidas menores, mesmo quando provenientes de pequenas empresas são, em regra, insusceptíveis de total cobrança, uma vez que o devedor cai na falência. Por seu turno, as dívidas de maior vulto têm coeficientes de recuperação baixos e a cobrança é claramente inferior à observada na década anterior;
    Continuam os planos especiais de ocasiões únicas dadas aos devedores para a regularização das suas dívidas – 2002, 2005 e 2007. E prosseguem as formas tradicionais de desvio de rendimentos da Segurança Social para os bolsos de empresários, como é o caso da omissão de trabalhadores nas declarações de remuneração ou o desvio de de verbas descontadas pelos trabalhadores para alívio da tesouraria das empresas ou conforto da vida privada dos empresários;

    Nos balanços da Segurança Social é clara, pelos níveis das provisões acumuladas, a assunção de que mais de 90% da dívida com mais de um ano não será recuperada e a inexistência de dados sobre as garantias retidas pela Segurança Social prenunciam que pouco garantem da dívida constituída. Mesmo na dívida com menos de um ano, o nível das provisões mostra que mais de metade está perdida;
    A concentração de esforços e a propaganda no sentido da recuperação de prestações sociais pagas indevidamente – dívidas de pouco valor resultantes de deficiências administrativas – deve-se, não só à sanha anti-social do PS/PSD, como também à maior probabilidade de recuperação;

    Cálculos emblemáticos do roubo sistémico através da dívida
    Medida em meses de cobrança, a dívida deixou para trás os níveis “estruturais” de 3 a 4 meses, para se situar em 6.2 em 2011;
    Se a comparação se fizer entre a dívida e o volume de pensões de velhice, o peso da dívida atinge os oito meses de pensões em 2010/2011, o que não sucedia desde 1994;
    Se a dívida tivesse estagnado em 2011, cada pensionista por velhice teria recebido mais € 10.8 por cada cem euros de pensão; esse valor ficou nos bolsos de um qualquer empresário vigarista, a coberto da proteção do partido-estado;
    Finalmente, refira-se o papel que a esquerda do sistema tem assumido nesta questão, ignorando-a e aceitando, fiel a uma ideologia de capitalismo de estado, a integração do fundo de coletivo dos trabalhadores no aparelho do Estado português, na engrenagem do partido-estado, PS/PSD. Tentam entreter a plebe anunciando uma vasta “auditoria cidadã” como condição para exigir a renegociação da dívida junto do capital financeiro internacional; como a primeira é inexequível, a renegociação far-se-á entre o governo e a troika, mostrando-se os ilustres “auditores” como papagaios de uma mera obra de propaganda.

    1 - Uma questão elementar e urgente de política e ética
    Essa situação não é de hoje mas, agrava-se atualmente dada a situação de recessão e recuo civilizacional; a Segurança Social tem sido um amortecedor das crises e das dificuldades do chamado empresariato.

    Pretende-se com este texto, ilustrar essa situação e apontar para uma meta essencial de teor democrático e de prevenção do roubo legalizado de que somos vítimas.

    A dívida - sobretudo das empresas - à Segurança Social, constitui um verdadeiro sorvedouro de dinheiro, legitimamente pertencente aos trabalhadores e que escorre continuamente para os bolsos de empresários incapazes ou verdadeiros vigaristas. O funcionamento desse fluxo é relativamente desconhecido porque o próprio aparelho da Segurança Social, incrustado nesse gigantesco aspirador de dinheiro que é o Estado, oculta a situação.
    No entanto, ele é mensurável. Em média esse roubo é de € 1000 M por ano, € 2.7 M por dia ou, € 114155 por hora. Em cada minuto que o leitor se debruçar sobre este texto, a Segurança Social e o conjunto dos trabalhadores e aposentados são lesados em € 1903.

    Detenhamo-nos sobre uma questão estratégica de ordem política e ética.
    Não é somente através da não cobrança de contribuições devidas, que o Estado e o partido-estado que o detém procedem a uma enorme transferência de fundos, dos trabalhadores e dos pensionistas, para empresários relapsos ou para o “mercado”. Cita-se, em seguida - e longe de pretensões de exaustão - um elenco de vias para esse objetivo: " (...) "Continuar, para o artigo completo.

    Este estudo, foi-me enviado, para eu publicar, contudo para os leitores que pretendam ir mais fundo na questão, aconselho a consulta do documento em baixo, ou a visitarem o site do autor original, com suporte de gráficos e quadros, aceda neste link.

    Mais... Rui Rio, afirma conhecer procedimentos de conspiração gravíssimos que atentaram contra o interesse nacional, no que respeita aos milhões que confiamos à Segurança Social.


    23 março, 2013

    Cândida Almeida, de volta, para cegar a justiça?


    Cândida almeida justiça impunidade
    Pensávamos nós que o longo reinado de Cândida Almeida tinha terminado. Finalmente a senhora que nos últimos doze anos esteve à frente do DCIAP, saiu sem produzir resultados, sem fazer justiça. Mas já está de volta. A sua eficiência e os seus métodos de (não) fazer justiça, fazem dela um elemento indispensável na justiça, para determinadas pessoas.
    Foram muitos anos à frente de um departamento que geriu os grandes processos, que envolvem o poder político e financeiro. Inquéritos como o Freeport, Furacão, Submarinos, Monte Branco e contratos da energia e das Parcerias Público-Privadas estiveram, estão ainda, a seu cargo.

    Não é preciso fazer um desenho, basta observarmos alguns dos resultados destes inquéritos, a condução dos mesmo e, mais grave, os desfechos, para percebermos a inutilidade de Cândida Almeida. Estamos a falar de alguém que teve a distinta lata de dizer que "o nosso país não é um país corrupto, os nossos políticos não são políticos corruptos, os nossos dirigentes não são dirigentes corruptos. Portugal não é um país corrupto."
    No fundo, a senhora procuradora era paga para combater uma coisa que na cabeça dela nem sequer existia. Como já aqui disse, aos olhos da senhora procuradora a corrupção vinda de Espanha chega ali a Badajoz e dá meia volta, com medo.
    Mais, para que precisa a justiça portuguesa de uma pessoa como Cândida Almeida? É fácil: para nada. Mas este "nada" deve dar imenso jeito a quem é corrupto, pois foi e continua a ser invisível.  Adaptado do artigo

    22 março, 2013

    Macário Correia satisfeito com o seu percurso lucrativo.Nada o detém?



    Macário Correia reforma condenado
    O sector imobiliário é um dos maiores palcos de corrupção e saque, dos detentores do poder politico, em Portugal.
    Mas as reformas e subvenções, são outro palco de saque, uma verdadeira tragédia que todos os portugueses tão bem conhecem e repudiam. Mas o que importa é que os políticos gostam, e jamais lhe colocarão um travão.
    Macário Correia é apenas mais um, dos que conseguiu sair a ganhar muito, com ambos os casos.
    Faria todo o sentido que alguém fosse preso pelos actos de corrupção urbanística, mas em Portugal, para além da impunidade, ainda se premeiam e permite que estes senhores, recebam reformas, mais subvenções e ainda mais uns trocos, pelo belo serviço que prestaram ao país. E já agora uns tachos em empresas públicas? Nada os impede de abusar daqueles que roubam e enganam.

    Aos 55 anos, já tem uma choruda reforma, para receber ao longo de muitos anos e agora mais um tacho. 

    As reformas 
    "Quando Macário Correia deixar o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Faro tem garantida a reforma antecipada, a seu pedido, num valor superior a 2300 euros.
    Macário Correia foi condenado, em junho de 2012, pelo Supremo Tribunal Administrativo, a perda de mandato por violação dos regulamentos de urbanismo e ordenamento do território quando era presidente da Câmara de Tavira."  fonte

    "No futuro receberei três frações, uma subvenção da Assembleia da República, uma da Caixa Geral de Aposentações e as despesas de representação e os subsídios de alimentação, que é um valor reduzido", explicou ao Expresso." fonte 

    A incompetência e a impunidade
    "Lamenta-se ainda, Macário Correia por alguém reclamar de construções em Reserva Ecológica. Pois bem, Macário Correia só não está a contas com outras situações, porque o IGAL fechou os olhos a outras situações, cujos elevados interesses não podiam ser questionados, como os Resorts na península de Cabanas de Tavira.
    A 14 do corrente, Frias Marques, presidente da Associação Nacional de Proprietarios, dizia ao CM que "Quem tiver casa a menos de cinquenta metros do mar ou de um rio vai ser obrigado a provar em tribunal, através de uma acção contra o Estado, que o imóvel pertence a antepassados ou está nas mãos de privados desde uma data anterior a 1864. Quem não o fizer até 1 de Janeiro de 2016 arrisca-se a perder o direito sobre o imóvel. Fica impedido de vender ou realizar obras".
    Como é que alguém pode confirmar ou provar a propriedade ou a posse dos terrenos da península de Cabanas de Tavira? E, se Macário Correia sabia disto como autorizou aquelas construções em terrenos que em principio são do Domínio Publico Marítimo.
    Neste contexto, Macário Correia comporta-se como um autentico piegas, a quem foi tirada a impunidade de que gozava. Faltam agora todos os outros espalhados por esse País fora, que os há em quase todos os municípios. Malandragem!" fonte

    Os casos provados

    21 março, 2013

    PS/PSD QUAL É CORRUPTO AFINAL? META-OS NUM SACO, BATA COM UM PAU, E VERÁ QUE ACERTA SEMPRE NO CERTO.


    NOS 10 ANOS REFERIDOS NO VIDEO, QUAL FOI O PARTIDO QUE GOVERNOU OU VOTOU LEIS NA AR, QUE NÃO FOI CORRUPTO? DESCUBRAM ...


    Para os que insistem em distorcer a verdade tentando concentrar as culpas num só partido, dividindo o povo e valorizando um dos partidos do arco da governação, em detrimento de outro, vejamos a falta de lógica deste tipo de conclusões manipuladas.

    Pergunto... 
    Se o PSD levou a cabo, sozinho, o saque BPN, porque razão o PS, não fez nada para os deter?
    PSD/PS corrupção mais
    clique na imagem para ampliar
    Porque não denunciou ninguém?
    Porque não condenou ninguém?
    Porque ofereceu o banco saqueado ao povo, decidindo nacionaliza-lo?
    Porque decidiu, ao nacionalizar, deixar os lucros do BPN na empresa privada dos saqueadores, a SLN agora Galilei, e todos os prejuízos ficaram no BPN para o povo?
    Porque não se opôs quando estava na oposição, e não os prendeu quando chegou ao poder?

    Alguém em Portugal tem consciência do ridículo que é tentar achar que o PSD é corrupto e o PS não é, ou vice versa?
    Alguém consegue perceber que os crimes de corrupção precisam de continuidade no apoio do poder, são crescentes, aperfeiçoados e perpetuados por todos os governos, há décadas? Tem que existir o apoio de vários partidos, para garantir a impunidade a todos?
    Ou ainda há quem acredite que quando está o PS no governo acaba a corrupção, prendem-se os corruptos do PSD e o país torna-se num paraíso?
    Mas quando chega o PSD ao governo,  volta a mudar as leis para facilitar a corrupção, volta a distribuir impunidade, começa de novo a corromper, a roubar, a destruir, ...
    Mas eis que chega o PS, de novo,  e volta a por tudo no sitio, a justiça a funcionar, a impunidade acaba, prendem-se de novo os larápios do PSD, mudam-se de novo as leis, acabam-se com as PPP, os contratos ruinosos com amigos, acabam-se com os boys, os tachos, o despesismo.... ?
    Mas eis que vem de novo o PSD...
    Eu já me cansei deste jogo, vocês ainda não?
    Se realmente, algum fosse honesto, integro, competente e justo, garanto que todos os portugueses já se tinham apercebido dessa qualidade e não o deixariam sair do poder... nunca mais.
    Mas se o povo está sempre a alternar entre um e outro é porque ambos ganham as eleições falando mal, superficialmente, nunca denunciando os verdadeiros crimes, denunciam apenas pequenas coisas do que lá está e o povo acredita que quem não está, é que vai resolver tudo, já que o que lá está, destrói sempre tudo. Que raciocínio tão limitado. Depois de mim virá quem bom de mim fará?
    Claro que é sempre fácil falar mal de quem está no poder. Mas isso não quer dizer que o que está fora e a falar mal, quer fazer melhor, apenas quer ir para o poder, valendo-se do facto de ser fácil parecer bem quando se critica o que os outros fazem.
    Ou seja... Com corrupção e incompetências do PS, elege-se o PSD, com corrupção e incompetências do PSD, elege-se o PS... Nunca se elegem pela positiva, mas pela negativa.

    Mas eles, os partidos, ali andam contentes, alternando, ora agora mamas tu e depois mamo eu. The show must go on... 
    Se um dos partidos que fazem sempre parte dos governos (e já não falo dos outros partidos que nunca estiveram no poder) não fosse corrupto, era simples, resolver esta dúvida, chegava ao poder e virava o jogo.
    Mudava a legislação que dá impunidade aos corruptos. 
    Agilizava as leis que condenariam os corruptos. 
    Denunciavam os actos corruptos dos anteriores, na TV e na AR, para que todos soubessem a vergonha. 
    Mudavam a constituição que afasta o povo do poder e o torna uma nulidade. 
    Mudava as leis que ninguém entende e cheias de buracos para ajudar os que as entendem. 
    Mudava os rendimentos que se dão aos abusadores.
    Acabava com os privilégios da banca, como fizeram na Islândia.

    Etc etc etc etc

    E não venham dizer que não podem, porque a oposição não deixa... eles, OS QUE NÃO SÃO CORRUPTOS, que se coloquem ao lado do povo, contra os corruptos e que tombem, desmascarando o tal partido, que é o corrupto. Na Islândia, um homem sozinho conseguiu fazê lo e o PS, (ou o tal partido que não é corrupto, que eu desconheço-o), não o consegue fazer, porquê? Porque não quer claro!!!!  
    Mas isto jamais acontecerá, jamais um partido tomará a posição de se opor aos corruptos e defender o país e o povo. E sabem porquê? Porque o jogo tem funcionado ás mil maravilhas... eles estão cada vez mais ricos, mais poderosos, mais impunes e mais seguros. O dinheiro chega para os 3 e vai dando para viver a mais uns 3 ou 4 que ajudam a manter a farsa.
    Acorda povo escravo e cego, que escravizas os teus filhos e netos, que entregas nas mãos dos corruptos um país inteiro e muitos inocentes.

    PS/Açores diz que fome não afeta sucesso escolar


    Domingos Cunha, médico, deputado do PS/Açores e antigo secretário regional da Saúde, afirmou que o facto das crianças passarem fome não tem influência no seu aproveitamento escolar. 



    (Quem souber fazer cópias deste video, agradece-se, pois tal como aconteceu com o video do secretário de estado adjunto da saúde e o da Helena Roseta, que pouco tempo depois de ser divulgado na SIC, foi apagado na SIC, por sorte já estava espalhado no youtube, também este vai sumir em breve, da RTP.... ) 




    20 março, 2013

    Se os políticos portugueses quisessem... e os portugueses exigissem.


    Todos sabemos que é possível um Portugal melhor. Basta haver vontade politica e a vigilância dos cidadãos, atentos e informados. Votar por si só não é exercer cidadania ou democracia.
    Todos sabemos que se pode governar um país a favor de uns ou de outros, mas também sabemos que é possível governar-se a favor de todos. 
    O exemplo da Noruega, com quem deveríamos aprender. 
    Um país que funciona, para todos.



    A noruega faz bem from Paula Cristina Cunha (clique nas setinhas para ver os slides)


    1. A corrupção é a nossa escolha, veja a de outros países.
    2. Era fácil acabar com a corrupção.
    3. Os que tentam são silenciados. 
    4. Os que são contra são escorraçados
    5. Os que lutam são desprezados
    6. Os que denunciam são ameaçados
    7. Os corruptos são incentivados 
    8. Etc, etc, basta consultar a coluna aqui ao lado.... 
    É urgente deitar por terra a ideia inabalável e implantada, de que os políticos só porque são políticos são senhores de mérito, de confiança, respeitáveis e respeitadores...
    É URGENTE FAZER RUIR A CREDIBILIDADE DESTES SENHORES, DIVULGAR AS SUAS VERDADEIRAS INTENÇÕES E ACÇÕES... SÓ ASSIM CONSEGUIREMOS O INICIO DO FIM DELES ... POIS JÁ BASTA ...É urgente mudar a mentalidade dos portugueses, que acreditam que votar é o único acto de cidadania, que lhes é exigido, para contribuir para a vida politica.
    A intervenção dos cidadãos na politica tem que ir mais além que o voto.
    Têm que estar atentos, vigilantes, serem críticos e exigirem transparência, competência e profissionalismo, na politica.

    Democracia conquistada em 1974, roubada em 1976... 
    Como e quando afastaram o povo do poder, alterando a constituição, e afastando o povo das decisões?
    O Grande Golpe terá estado nos números 1 dos artigos 285 e 286, a seguir transcritos: que colocaram todo o poder na mão dos políticos e afastaram o povo, para sempre desde 1976.
    Artigo 285.º

    19 março, 2013

    As nomeações do governo estão cada vez mais secretas e promiscuas.

    PORTUGAL E ANGOLA CADA VEZ MAIS
    UNIDOS NA MISÉRIA, NA MÁFIA, SÓ FALTA
    A DITADURA DESCARADA.

    Depois do Franquelim, a saga continua... mais uns nomeados que desfilam em cargos de confiança, com alguma desconfiança.... 
    É preciso ter cadastro ou currículo para se ser nomeado pelos governos? 
    Que país este onde a vergonha é cada vez menor, e é já à descarada que os vemos desfilar, impunes e cada vez mais poderosos. 
    A democracia da bandalheira!!?

    Paulo Morais ironiza, denunciando o caso, que devia ofender-nos a todos e envergonhar os protagonistas...
    A promiscuidade entre a politica e outros interesses, menos claros, é cada vez mais evidente. 


    "O Parlamento português decidiu nomear o deputado Mota Pinto para o Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República.
    Acontece que Mota Pinto é administrador da Zon, empresa cujo acionista de referência é Isabel dos Santos, filha do presidente angolano. Assim, iremos ter doravante, um homem de confiança do regime angolano, a superintender a actividade das secretas portuguesas.

    Esta nomeação é infeliz e perigosa, mas já nem sequer surpreende. 
    Foi afinal a Assembleia da República que também nomeou Ricardo Rodrigues, o deputado que ficou famoso por roubar gravadores a jornalistas, para o Conselho Geral do Centro de Estudos Judiciários, a escola que forma magistrados. 

    Foi também o Parlamento que indicou para porta-voz da Comissão Nacional de Eleições, o garante da credibilidade dos processos eleitorais, Nuno Godinho de Matos, o advogado de Armando Vara no processo Face Oculta. 
    Com esta lógica de nomeações, ainda veremos, não tarda muito, o Parlamento a eleger Isaltino Morais como juiz do Tribunal Constitucional." Fonte 

    18 março, 2013

    "Toda a dívida contraída através do Memorando é ilegítima".


    A única forma de sairmos desta espiral de dividas ruinosas, seria criar uma Comissão de Auditoria à Dívida. Mas tal como aconteceu na Grécia, os donos do poder, nem querem colocar a hipótese na mesa, pois sabem que isso significaria descobrir as carecas dos que arruinaram Portugal. Expor, à vista de todos os portugueses, quem e como se endividou Portugal. Torna-se mais claro ainda de que tudo isto só pode ser uma estratégia nociva e premeditada, quando já conhecemos os resultados em outros países e as alternativas.
    Por  isso não se trata de incompetência ou burrice do governo, trata-se sim de traição e conluio, com interesses estrangeiros.
    Já antes tinha divulgado uma entrevista a Eric Toussaint., que esteve em Portgual, e falou sobre este tema. Mas recentemente um Grego, decidiu pedir ajuda a Eric Toussaint, e estas foram algumas das questões:
    • COMO OUTROS PAÍSES SE VIRAM LIVRES DO FMI?
    • QUAIS AS VANTAGENS E DESVANTAGENS?
    • PORQUE É QUE PORTUGAL E GRÉCIA NÃO O FAZEM?
    • BASTARIA PEDIR UMA AUDITORIA À DIVIDA? (etc)
    "O vosso país é um laboratório onde uma nova terapia de choque está a ser aplicada".
    Entrevista com Despina Papageorgiou
    O Equador elegeu um novo Presidente, em Novembro de 2006, que, por decreto presidencial, criou uma Comissão de Auditoria à Dívida, em Julho de 2007, para analisar a dívida no período entre 1976 e 2006. Seleccionou dezoito especialistas, doze do Equador e seis do exterior. O politólogo e historiador belga Eric Toussaint era um deles. Eric Toussaint fala hoje à revista "Crash" e descreve como o mito de David e Golias se materializou, mais uma vez, no Equador, apesar das dificuldades encontradas. Após 14 meses de trabalho árduo, o Comité de Auditoria à Dívida produziu os primeiros resultados, declarando que uma grande parte da dívida era ilegítima. Na sequência, o governo cancelou essa parte, pagando aos credores apenas 35 cêntimos por cada dólar. Washington teve um ataque...

    Uma década antes, o Equador era caracterizado como uma "democracia banana". Agora, segundo o jornal britânico "Guardian", é "o lugar mais radical e entusiasmante para se viver". Há mais benefícios sociais, os pobres recebem subsídios e os cuidados de saúde são totalmente gratuito. Os gastos públicos também aumentaram. A percentagem de pessoas que vive abaixo do limiar de pobreza caiu de 37,6% (2006) para 28,6% (2011).

    Eric Toussaint (..), fundador e presidente do Comité para a Abolição da Dívida do Terceiro Mundo (...)Possui conhecimento e experiência para assegurar que há um caminho alternativo. Desde que haja vontade política.
    Eric Toussaint afirma categoricamente que(...) a dívida criada pelo Memorandum é definitivamente ilegítima e/ou odiosa. Declara também publicamente, à nossa revista, que a sua organização e ele próprio apoiarão todos os esforços da Comissão de Auditoria à Dívida na Grécia. "É mais fácil vocês analisarem a vossa dívida do que foi no Equador”, afirma. "Então façam isso!".
    (...) ex-primeiro-ministro grego pediu conselhos a Rafael Correa – (...) "Olhe", disse Correa, "há algo que não deve fazer e algo que, em definitivo, deve fazer, para não pagar.
    Não deve pedir ajuda ao FMI. E deve criar um Comité de Auditoria à Dívida. "Depois Papandreou fez exactamente o contrário"...

    A minha conversa com Eric Toussaint começou com a questão das eleições gregas. Comentei que a proposta para a constituição de uma Comissão de Auditoria à Dívida grega voltou a surgir durante o período eleitoral. "É sintomático, apesar de", disse eu, "a proposta ter sido rejeitada pelos dois partidos que governaram a Grécia durante décadas. Porque razão acha que eles não querem analisar a dívida e porque razão eles minam os esforços para o cancelamento da dívida?
    «É claro que o PASOK e a Nova Democracia não estão interessados ​​em apoiar uma auditoria, porque uma auditoria irá mostrar a responsabilidade deles na dívida do país. Eles têm uma enorme parcela de responsabilidade pela dívida contraída entre 1990 e 2000 e pela nova dívida que surgiu com o Memorando. Para mim, essa é uma dívida ilegítima».
    Convém mencionar que a dívida ilegítima é uma dívida 
    - a) que foi decidida sem o consentimento da nação, 
    - b) o dinheiro gasto vai contra os interesses da nação e 
    - c) o credor tinha conhecimento desses factos . 

    17 março, 2013

    Orçamento 2013, um ultimato ao povo, conheça os traidores.

    "É aflitivo continuarmos a assistir a um projeto politico que assenta num conjunto de medidas e decisões que contrariam o racional, o lógico, o percetivel, o esperável.
    Entretanto tudo se vai passando com a complacência ou o conluio dos poderes mediáticos instalados.
    Dá-se voz, de vez em quando, a um Medina Carreira, a um Paulo Morais ou a um Tiago Guerreiro, nos canais de menor audiência e a horas tardias.
    Estamos a ser enganados e não conseguimos sair deste tremendo embuste enquanto não conseguirmos limpar este País.
    Vejamos o comentário saído no jornal Sol e inserido certamente por um "homem do Norte":

    'Caral**** temos um povo que santo deus ...contra aquilo que devia protestar não protesta, protesta sim contra aquilo que não deve, como por exemplo, criticam a troika, dizem não pagamos e outras asneiras.
    ABRAM OS OLHOS PORRAAAAAA PROTESTEM CONTRA OS CHULOS DOS DEPUTADOS QUE TÊM UMA EMENTA DIGNA DE MARAJÀS EM QUE EXIGEM 12 MARCAS DE VINHO TINTO ALENTEJANO 12 MARCAS DE VINHO DO DOURO e 12 MARCAS DE VINHO VERDE, A CARNE DE PORCO TEM QUE SER DE PORCO PRETO MANTIDO A BOLOTAS, tudo isto desde a entrada de queijos e sobremesa, tudo por apenas 10 euros.
    APETECE-me dizer; abram os olhos otários é por isso que temos impostos injustos para manter estes CHULOS DO CDS AO BE PASSANDO POR PCP,PS e PSD. Todos votam a favor...
    SABIAM QUE OS SR DEPUTADOS CHULOS SE AUTO AUMENTARAM EM 80 EUROS???
    POIS A GRANDE MAIORIA NÃO SABE !!!SABIAM QUE OS 80 EUROS DE AUMENTO para os chulos dos deputados FORAM VOTADOS POR UNANIMIDADE ???? APRENDAM ÓTARIOS! Já nem falo nas outras mordomias obscenas!!!!
    JÁ VIRAM OS CHULOS ALDRABÕES DO PCP E DO BE PROTESTAR CONTRA ISSO? Não viram ? Nem eu, mas vejo manifestações estúpidas contra empresários, troika, pagamento das dividas e o raio que os parta, enquanto os chulos do pcp e de BE os incitam contra as medidas necessárias, enquanto isto, com a populaça distraída, vão-nos CHULANDO IMPUNEMENTE. E o povo Nescio todo contente a fazer greves e a dizer besteira como NÃO PAGAMOS , se calhar querem comer MERDHA, povinho burro que só tem o que merece e continua a dar ouvido a embusteiros CHULOS que os exploram ate ao tutano."

    Posto isto leia-se o artigo de Pedro Marques Lopes
    «Os deputados aprovaram o Orçamento do Estado para 2013. Aprovaram uma lei sem o mínimo de racionalidade económica, sem a mais remota possibilidade de atingir os objectivos a que se propõe e com evidentes desconformidades constitucionais. Aprovaram a obra dum pequeno grupo de aprendizes de feiticeiro que pensam que o truque é só fazer desaparecer o coelho sem que seja preciso fazer nada para que ele volte a aparecer. O problema é que aqui não há coelhos, mas sim pessoas.

    Os deputados são assim responsáveis pela aprovação dum documento que, a ser implementado, arrasará o tecido económico do País, destruirá centenas de milhares de postos de trabalho sem que construa um que seja, conduzirá à fuga em massa de jovens portugueses para o estrangeiro, agravará enormemente o nosso problema de desigualdade, provocará o desaparecimento da classe média e fará com que as instituições, entre outras os tribunais e repartições de finanças, deixem de funcionar regularmente.
    Sim, nessa altura vai ser precisa uma refundação. Não uma refundação do acordo com a troika, não uma refundação das funções do Estado, não uma refundação constitucional, mas muito provavelmente uma refundação do próprio país.
    Não restarão senão escombros dum trabalho de quarenta anos de democracia. É bem verdade, o que se fez em Portugal desde o derrube da ditadura não foi brilhante, longe disso. Podia ter-se feito muito melhor, sem dúvida. Mas não ver os enormes avanços, esquecer as mudanças fundamentais, negar que nunca como nestas quase quatro décadas se fez tanto por tantos é cegueira. É crime. E aquilo a que estamos a assistir é a um plano para arrasar todo o trabalho desses anos.
    Claro que seria preciso, seria importante, repensar as funções do Estado.
    Mas como será possível ter esse debate alcançar consensos, pensar soluções, numa altura em as pessoas vão estar nas ruas a gritar que têm fome, que não têm emprego, que os seus filhos emigraram? 
    Sejamos honestos: a refundação é uma conversa oca. É uma conversa de quem já percebeu que a receita em que tanto acreditou falhou, que cada vez que se percebia que a coisa não estava a resultar achava que era melhor aumentar a dose. De quem está desesperado sem nada para nos dizer ou propor.
    Como será possível gente que todos os minutos prova não ser capaz de governar um país refundar o que quer que seja? 
    Como querem que acreditemos que pessoas que não são capazes de explicar aos nossos credores que um país destruído não pode gerar receitas para pagar dívidas sejam capazes de fundar o que quer que seja ?
    Esta é a parte que diz respeito ao Governo. Mas voltemos aos deputados, aos homens e mulheres que aprovaram esse crime lesa-pátria chamado Orçamento para 2013. Alguns, contra todas as evidências, pensarão que este é um bom orçamento. São os únicos que, apesar de estarem a contribuir para todas as desgraças que se avizinham, merecem respeito. Não se refugiam hipocritamente, como alguns, por detrás do inqualificável argumento de que ter um orçamento é melhor do que não ter nenhum. Ou, outros, que dizem até lhes custa muito aprovar mas não há alternativa. Como se a morte certa fosse alternativa, como se a loucura fosse um caminho. Também não nos tentam enganar sempre a falar do passado, como se erros passados justificassem crimes presentes.
    Acreditam no que estão a fazer mas tentam proteger-se do que possa vir a acontecer.
    Enganam-se.
    Desta vez os portugueses não se esquecerão: a devastação social, económica e política será tão imensa que não irá existir português que não lembrará quem foram os representantes do povo que autorizaram o que vamos viver.
    Os deputados a quem não podemos mesmo perdoar são os que sabem exactamente o que estão a fazer. Sabem que este orçamento vai destruir o País e sabem as consequências dos seus actos. Que dirão quando as suas convicções se materializarem, ou seja, quando o caos se instalar? Sorrirão e dirão para os seus amigos que já sabiam?
    É verdade, o nosso sistema parlamentar, o nosso sistema eleitoral, não está baseado na liberdade de voto dos deputados. Mas há uma liberdade que todos temos: é a de dizer que não. E nunca foi tão importante dizer que não. Talvez arriscando a carreira, talvez correndo riscos pessoais. Mas um homem ou mulher que não está disposto a correr esses riscos, um homem ou mulher que não está disposto a sacrificar-se em função da sua consciência e do mandato que o povo lhe deu, não serve para político, não serve para representante do povo.
    Estes traíram o seu mandato. Pior, traíram-se a si próprios. E logo quando mais precisávamos deles.»   http://forcemergente.blogspot.pt/2012/11/falta-de-visao.html