24 novembro, 2012

Governo rejeita cortes aos políticos. Carreira política precisa de incentivos.

cortes politicos regeitados
Sempre pronto a ajudar o
próximo e a lixar o povo

Sacrifícios? Nós? Jamais, isso é coisa da plebe. Nós estamos acima da crise.
E claro, não podemos deixar os comparsas que  nos angariam os votos, zangados. Sem a ajuda deles, quem é que organizava os autocarros cheios de pessoal, encaminhado até ás urnas, com bandeirinhas do partido em que TÊM QUE VOTAR?
Esta é a interpretação mais plausível que se poderá fazer da noticia que se segue.
Mais uma vez o incrível abuso. Mais uma vez os políticos a protegerem-se a eles e aos seus interesses, penalizando o povo que representam, mesmo quando já não há dinheiro para comer. Sem dó nem piedade decidem cortar onde mais lhe convém... e ponto final.

"Iniciativa do BE para cortar 50% no financiamento do Estado às campanhas eleitorais foi chumbada há duas semanas, com votos do PSD, PS e CDS. Dias depois o CDS propôs o mesmo.
CDS queria cortar para metade o financiamento do Estado na campanha eleitoral das autárquicas, mas o PSD vetou essa ideia. A ser aprovada, essa medida significaria uma poupança de 24 milhões de euros na propaganda das eleições locais do próximo ano. 
Mas, há menos de duas semanas, o CDS juntou-se ao PSD e ao PS para chumbar uma medida parecida.
"Razões que a razão desconhece", diz o BE
"Os factos falam por si", diz ao Expresso Luís Fazenda, líder parlamentar do BE. "Apresentámos uma proposta de corte de 50% do financiamento público e dos gastos das campanhas eleitorais, sendo que o nosso corte seria permanente, e não temporário. E o CDS, que aparentemente veio depois apresentar essa ideia ao PSD, votou contra." FONTE

Ambos queriam aumentar os benefícios deles, a diferença é que uns queriam para 2005, outros para 2003... 

""PUBLICO 24/04/2003
A proposta do PSD/CDS-PP remete o aumento do financiamento público para 2005 e deixa a porta aberta aos donativos privados, identificados, com um limite definido para cada doador, mas sem um tecto máximo para as receitas globais. O PS pretendia, desde já, um aumento substancial das subvenções estatais."

Cortar nas despesas dos políticos e amigos? Nunca!!


Etc..............




2 comentários :

  1. Enquanto votarmos nos jotas, Barroso, Santana, Sócrates, Passos Coelho, Seguro, Costa... estes expoentes da ociosidade social particularmente, da gazeta laboral e académica, apenas teremos defensores exaustivos dos aparelhos que os alimentaram, e bem, até hoje.

    Com eles, os políticos corruptos, medíocres e arrogantes estarão sempre por cima bem como os bancos, as construtoras e, claro, os seus familiares e amigos.

    ResponderEliminar
  2. Agora eu pergunto-me...

    Porque é que eu como cidadão que paga impostos não posso ter uma palavra a dizer?

    Quero saber como é que a minha voz pode ser ouvida. Não aceito que a mim me cortem no salário ano após ano e me veja muitas vezes em situações de incumprimento com as minhas obrigações e posteriores ameaças ao Banco de Portugal, enquanto que estes senhores, ganham à grande e à francesa e fazem um PÉSSIMO trabalho!

    Votar em quem quer que seja não resolve nada! Quem se mete na política em Portugal é porque deixou de ser sério! Isto só vai lá quando o Povo e os seus intelectuais se juntarem num só para corrigir todos os males de base deste País, sendo o principal de todos a mais que evidente corrupção na justiça!

    ResponderEliminar