20 junho, 2011

Poderosa mãe de Sócrates e o seu poderoso filho compram casas das mais caras de Lisboa.

heron castilo socrates prescreveu
“Infeliz o país onde os idiotas conduzem os cegos”. (W.Shakespeare)"

A mãe do primeiro-ministro Sócrates, Maria Adelaide Carvalho Monteiro, comprou o apartamento onde reside na Rua Braamcamp, no centro de Lisboa, a uma sociedade “offshore” com sede nas ilhas Virgens Britânicas, e pagou-o a pronto num ano em que declarou menos de 250 euros de rendimentos, noticia hoje o jornal diário “Correio da Manhã”, que investigou o património da família do primeiro-ministro. DINHEIRO PORTUGUÊS Desde 2002 que o dinheiro português duplicou em paraísos fiscais. O destino eleito é, de longe, as Ilhas Caimão, onde os portugueses tinham, no final de 2007, mais de 18 mil milhões de dólares. Recorde-se que, em 2005, constava do processo Freeport uma lista com cerca de 15 suspeitos. O nome da mãe de José Sócrates estava entre estes." fonte

Mas Sócrates não se fica atrás.....
Comprou uma casa senhorial no coração de Lisboa. São cinco assoalhadas dum 3º andar no edifício Heron Castilho. Tem 150 metros quadrados, avaliados em 800.000 euros, que custaram em 1996, 240.000 euros.Antes vivia num modesto apartamento T2 na calçada Eng. Miguel Pais, em São Bento. Na garagem tem um Mercedes C230. Longe vão os tempos em que conduzia um modesto Rover 111.
Além disto frequenta restaurantes caros e usa fatos de marca. Tem o nome escrito na mais sofisticada loja de roupa da América, onde apenas vão os artistas milionários. Como pode Sócrates viver como um homem rico, com 82 mil euros brutos (57 mil líquidos) que declarou ao Tribunal Constitucional ganhar por ano?
Diz não ter rendimentos de quaisquer empresas, acções ou planos de poupança. O único património que diz ter é o carro, a casa e ordenado.

Entre 2011 e 2012, Santos Silva, amigo de longa data de José Sócrates, comprou três apartamentos a Maria Adelaide Carvalho Monteiro.
Especifica o diário que a venda mais lucrativa foi a do apartamento na Rua Braamcamp, em Lisboa, no mesmo edifício do filho, o Heron Castilho, por 600 mil euros - o imóvel está avaliado pelas Finanças em 259 950 euros. 
Processo relativo à casa de Sócrates prescreveu em 2008
A ter havido crime fiscal, já não pode ser investigado. PJ tinha os documentos desde 2004
As suspeitas de fraude fiscal na compra do apartamento de José Sócrates, num dos mais luxuosos edifícios de Lisboa, não foram investigadas.
Em 1998, José Sócrates formalizou a compra de um apartamento no edifício Heron Castilho, um dos mais luxuosos e caros de Lisboa. Na escritura, pode ler-se que pagou 47 mil contos (235 mil euros). A verdade é que, dois anos antes, um emigrante adquirira um andar em tudo idêntico no mesmo edifício, situado na rua Braamcamp e pelo qual pagou 70 200 contos (351 mil euros), ou seja mais 50% do que o valor declarado pelo primeiro-ministro.

Toda a documentação relativa ao negócio das casas de José Sócrates e da sua mãe, Maria Adelaide Monteiro, foi remetida à PJ de Setúbal no início da investigação ao caso Freeport, em 2004. Mas, de acordo com o «Correio da Manhã», a coordenadora da Judiciária guardou os documentos num cofre por entender que os factos eram anteriores ao licenciamento do outlet de Alcochete. Os crimes acabariam por prescrever quatro anos depois, em 2008
Poderia estar em causa crimes de fraude fiscal, que chegaram a ser denunciados no 2º Bairro Fiscal de Lisboa, já que diversas fracções no mesmo edifício foram escrituradas por valores muito inferiores aos de mercado, mas o Fisco arquivou todas as denúncias por falta de provas. 
A TVI sabe que a documentação na posse da PJ de Setúbal relativa à casa de Sócrates nunca chegou a transitar para o DCIAP. Em finais de 2008, quando o inquérito ao licenciamento do outlet passou para o Departamento Central de Investigação e Acção Penal, os procuradores Vítor Magalhães e Paes Faria tomaram conhecimento da sua existência, mas foram unânimes no entendimento de que a aquisição das casas nada tinham a ver com o processo Freeport.  FONTE

Sócrates é rico por herança!?
As declarações de rendimentos da mãe de José Sócrates às Finanças desmentem as afirmações do ex-líder do PS sobre a fortuna que terá herdado. A herança, disse, incluiria "muitos prédios, andares, que ainda hoje ela não sabe o que fazer com eles".
Para além de já ter vendido a maioria dos poucos prédios que eram de dona, Maria Adelaide de Carvalho Monteiro, mãe de José Sócrates, declarou, entre 1998 e 2011, rendimentos em pensões que não chegam aos 3500 euros anuais.
Na entrevista ao ‘Expresso', o ex-primeiro-ministro afirma: "A minha mãe era filha de um tipo rico na altura, uma fortuna no volfrâmio. Quando o meu avô morreu, a minha mãe herdou uma fortuna", com muitos imóveis, "que ainda hoje ela não sabe o que fazer com eles, quem tratava disso era o meu irmão".
Porém, nas declarações das Finanças e nos documentos das conservatórias do Registo Predial, a que o CM teve acesso, verificam-se sempre baixos rendimentos declarados - entre 217,50 contos em 1998 e 2709,96 euros em 2011. Isto para além das vendas sucessivas de prédios rurais e urbanos. "Cabeça de casal da Herança Indivisa" do avô de Sócrates, Maria Adelaide aparece em 1999 como administradora da empresa MECASO, e, em 2001 como sócia da Fictícia, uma empresa de confeções. Na informação cadastral como contribuinte, são referidas declarações do IVA em falta, "frequentemente em atraso".
Adelaide Monteiro foi, aliás, processada pela neta mais nova, Constança Pinto de Sousa, de 8 anos, por ter levantado indevidamente dinheiro das contas do seu pai, António José Pinto de Sousa, o irmão de José Sócrates que morreu em 2011. A queixa da menor foi apresentada na altura pela mãe.
Na queixa-crime, diz-se que estavam em causa cerca de 70 mil euros depositados em duas contas bancárias. Ainda segundo a acusação, apesar de apenas ter direito a metade do valor, Maria Adelaide terá esvaziado as duas contas entre outubro e novembro de 2011 - e a família das netas só deu conta em março de 2012. Acrescenta-se que a mãe de José Sócrates entrou na residência do filho e se apoderou da "carteira, de relógios, botões de prata e ouro". fonte

Entretanto a corrupção recorre ao velho esquema de fazer desaparecer os documentos que podem expor a falta de vergonha dos corruptos.
Documentos da escritura estão desaparecidos. Que conveniente!!
Já no famoso caso do Face Oculta recorreram a um estratagema interessante. O próprio juiz, Pinto Monteiro, cortou as provas à tesourada. Permitindo depois à defesa exigir a anulação do julgamento e a impunidade de todos os envolvidos. São uma equipa invencível. Casos que escaparam à justiça.
Governo Sócrates e as engenharias financeiras, para enganar incautos
  1. Fortuna recente da família Sócrates, investigada
  2. Documentos das offshores da família 
  3. Deixa buraco de 3,5 mil milhões no SNSNo SNS
  4. No património nacional 
  5. Na Segurança Social
  6. E...
  7. Sócrates e a EDP
  8. Sócrates investe 
  9. Sócrates regressa 
  10. Os milhões de Sócrates. 
  11. As luvas de Sócrates
  12. O aeroporto de Sócrates
  13. A Sovenco de Sócrates 
  14. A manipulação de Sócrates 
  15. O resgate de Sócrates
  16. O BPN do Sócrates
  17. O inglês de Sócrates 
  18. A má gestão 
  19. As SCUT´s de Sócrates 
  20. Sócrates e as Swap
  21. Mais uma PPP corrupta de Socrates
  22. Os números não mentem
  23. Mais sobre o tema da casa de Socrates

1 comentário :

  1. Aos putos de Setúbal a policia manda-lhes a porta abaixo com um mandato emitido por um tribunal, para justificar como compraram um civic de 4000 euros. LOL. este país com letra pequenina é uma vergonha.

    ResponderEliminar