27 maio, 2011

Roubar a segurança social? Arriscar dinheiro público, Sócrates o jogador?

Roubar a segurança social
Correu  nas noticias que o Governo investiu "ás escondidas" , o dinheiro da segurança social, para comprar a divida de Portugal, aquela que ninguém quer comprar por estar condenada.
Espantoso a liberdade e a impunidade de que os nossos políticos desfrutam, para poderem mexer no futuro de um povo, sem se preocuparem com as consequências.
Assim, ser politico criminoso, em Portugal, é fácil, não há melhor emprego para se ser criminoso, incompetente e péssimo gestor, que o politico. 
O cargo politico está TOTALMENTE DESGOVERNADO, ISENTO DE CULPA, ISENTO DE RESPONSABILIDADE, ISENTO DE CONTROLE, ISENTO DE VIGILÂNCIA, E É UM PARQUE DE DIVERSÕES PARA OS POLÍTICOS E TODA A MASSA QUE ELES PARA LÁ ARRASTAM - ( família e amigos).
Estará na hora de mudar o rumo do país, de votar contra aqueles que querem fazer de Portugal o seu paraíso privado e o nosso inferno público.
Quando os bons se calam os maus avançam, quando não há punição, não há medo... 
Quando não há medo, roubam-nos tudo, até a capacidade de nos defendermos.
Votem contra, não deixem de participar e fazer justiça nas urnas. Só com o julgamento e a punição se eliminam os criminosos/ maus políticos e se apoiam os bons. Chegamos a um ponto em que os bons já nem se atrevem a disputar as eleições, porque perceberam que a injustiça e inércia do povo, não os compensa na luta, não os avalia nem julga correctamente.

Aqui fica a noticia e o despacho que confirmam, apesar de Sócrates ter tentado negar .
"Para começo de conversa, convém dizer que esta é mais uma mentira de Sócrates e do governo. Em Março, vários órgãos de comunicação social afirmaram que o Fundo de Estabilização da Segurança Social estava a comprar dívida pública portuguesa - quando já ninguém queria participar nesse teatrinho de Sócrates. O governo, claro, desmentiu. Agora, é publicado o despacho que confirma este facto. O governo mentiu (não é novidade). O governo mexeu de forma irresponsável nas nossas reformas (a novidade).
Sócrates e Teixeira dos Santos sabiam que comprar dívida portuguesa (ou grega, ou irlandesa) é um acto de altíssimo risco, mas, mesmo assim, não hesitaram em colocar em risco as reformas futuras. Se a dívida portuguesa entrar em reestruturação, nós, portugueses, vamos perder muito dinheiro. Reestruturar a dívida significa não pagar parte da dívida aos credores (20%? 50%?). Ou seja, os credores ficam a arder. Ora, neste cenário, quem fica a arder olimpicamente são os portugueses, são as pensões de reformas dos portugueses. Se isto não é trair o povo, então o que é trair o povo? Para manter o seu teatrinho suicida ("ai, ai, Portugal não precisa de ajuda, eu não coloquei Portugal na bancarrota"), Sócrates arrombou as nossas futuras reformas. Numa irresponsável fuga para a frente, o primeiro-ministro usou o dinheiro da nossa segurança social para financiar uma estratégia sem sentido, que visava apenas salvar a sua face. Isto é a destruição objectiva do tal Estado Social." Fonte

Mais...
  1. Segurança Social perdeu 1500 milhões de euros na bolsa. O Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social perdeu, no ano passado, 1500 milhões de euros na bolsa.
  2. Rui Rio denuncia abusos com o dinheiro da SS. Fonte
  3. "Governo confirma que pôs Segurança Social ao serviço da dívida pública"


Sem comentários :

Enviar um comentário