196 mil em disco party nos Açores. Governo apaga dados do site de despesa?


Foi realizada uma festa, nos Açores, pela empresa New Seven Wonders que recebeu 196 mil euros do estado para animar 700 pessoas numa discoteca. A informação foi apagada, depois de ter estado publicada no site do governo destinado à publicação das despesas. http://www.base.gov.pt/, contudo ainda ficou registado num video passado na SIC. Vídeo onde mostra a noticia de quanto foi gasto numa festa.
Ao que parece apagaram os links para o video e para a despesa. Mas tudo tem uma explicação... " 
Dados de contratos públicos apagados do site oficial do Governo"
Os casos detectados até agora têm todos a ver com o Governo regional dos Açores. A entidade que gere o site onde os contratos são públicos diz que foram detectados erros e que estão a ser corrigidos. Os casos apontados foram revelados pela comunicação social.
Desapareceram todos os dados de vários contratos públicos existentes no Base (http://www.base.gov.pt), um sítio da Internet do Governo onde obrigatoriamente são divulgados todos os contratos públicos realizados no país pelos diversos graus da administração, ao abrigo da transparência perante os cidadãos.


A denúncia foi feita hoje pelo jornal Diário dos Açores e já confirma pelo PÚBLICO dá conta do desaparecimento do contrato de uma festa realizada pela Associação do Turismo no âmbito da última BTL, e que custou cerca de 196 mil euros; de um contratado feito pela Associação do Turismo para um sítio na Internet que terá custado quase 200 mil euros e de um outro relacionado com a iniciativa das 7 Maravilhas em que a Associação de Turismo do Açores pagou à New Seven Wonders Portugal, SA de 1,55 milhões de euros para “organização e promoção da realização do evento “As 7 Maravilhas Naturais de Portugal” nos Açores”.
Este último contrato foi revelado por vários órgãos de comunicação social tendo como fonte o Base e chegou a ser discutido na Assembleia Legislativa dos Açores. O registo destes contratos existe, mas o seu conteúdo foi apagado.

Alexandra Ribeiro, directora de Iniciativas Estratégicas do Instituto da Construção e do Imobiliário (InCI), que gere o Base, explicou ao PÚBLICO que quem coloca os dados de forma electrónica são entidades adjudicantes. Quando essas entidades detectam erros, pedem uma alteração ao InCI, que, depois de analisado o pedido, o autoriza ou não. Se for dada autorização, as entidades têm dez dias para fazer a alteração. Se não a fizerem, voltam os dados anteriores.
Alexandra Ribeiro disse ainda que os casos detectados aguardam alterações. Este serviço electrónico de correcção de erros, revelou a directora de Iniciativas Estratégicas, “tem poucos dias”.
A denúncia está a ter grande destaque nas redes sociais e o blogue 31 da Sarrafada (http://31dasarrafada.blogs.sapo.pt/) publicou mesmo já um vídeo que mostra um contrato que existia no Base e entretanto foi apagado. 
De acordo com o Código dos Contratos Públicos a informação de todos os contratos públicos realizados no país pelos diversos graus da administração é obrigatória e foi mesmo criado um o sítio na Internet, o Base, cuja gestão é assegurada conjuntamente pelo Instituto da Construção e do Imobiliário (InCI) e pela Agência Nacional de Compras Públicas (ANCP).fonte

Suspeito ainda é o facto de esta empresa, mais uma vez, ter sido escolhida pelo Governo... será que faz preços de saldo?
"O Turismo dos Açores pagou à sociedade anónima New Seven Wonders mais de 1,5 milhões de euros para organizar a cerimónia das 7 Maravilhas Naturais de Portugal." Fonte

Aparentemente esta empresa de eventos deve fazer uns preços muito em conta pois o governo dos Açores mostra alguma predilecção pelos seus dispendiosos serviços.
É um verdadeiro escândalo a forma como dispõem do dinheiro do estado sem o mínimo de contenção e de critérios de prioridade.
E impunemente, sem que ninguém possa fazer juízos éticos ou judiciais, prossegue o abuso ou o roubo.
Pactuar com crime é criminoso, votar sempre neles é pedir "mais, bis, continuem...


1 comentário:

  1. UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA
    O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
    Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
    (…)
    Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
    Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
    Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
    ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

    ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

    ResponderEliminar