18 março, 2014

Cura de Cancro na Fundação Champalimaud, falso alarme. Desmentido.


Circula na Internet, o boato de que existe uma cura para o cancro, na Fundação Champalimaud, é uma noticia distorcida e está a ser difundida sem parar, causando falsas esperanças a doentes de cancro, o que é muito cruel e de mau gosto, por isso me senti impelida a repor a verdade.
O tratamento existe mas não cura o cancro, apenas elimina o tumor, tal como uma cirurgia ou a radioterapia vulgar. Mas como se sabe, isso não é o mesmo que curar o cancro.
Tem vantagens claro, não se pode negar, é menos dolorosa que uma cirurgia, exige menos sessões de radioterapia, menos danos colaterais na remoção de tumores, mas não cura o cancro. 
Juntamente com esta ideia de que o cancro já tem cura, ainda agravaram a situação ao afirmarem que esta pseudo salvação estava vedada à maioria das pessoas, pois era muito cara e não havia no SNS.
Não é justo falsear a verdade quando há pessoas a sofrer muito e a ansiar por salvação, e perdem tempo com noticias distorcidas. Se receber por email, ou tropeçar neste boato, não a divulgue, os doentes de cancro agradecem.

Os alarmistas criaram este texto que circula na Internet e está a criar falsas esperanças nos doentes de cancro. 
Sinto que esta é uma daquelas informações que não se pode deitar ao lixo sem passar a TODOS amigos e conhecidos. 
É possível evitar muito sofrimento
Curar o cancro com 1 só sessão, em Portugal. Fundação Champalimaud. Tratamento disponível desde 2012 Março.
Convém estarmos todos informados.Vejam e divulguem
Curar o cancro com uma só sessão, em Portugal. Fundação Champalimaud. Radioterapia que elimina tumor numa só sessão chega a Portugal.
Pode eliminar o cancro numa única sessão, mesmo com o tumor já espalhado. É indolor e tem menos custos que a radioterapia convencional.
Por agora, a Fundação só recebe doentes particulares, tendo já acordos com oito instituições com seguros de saúde. O custo para o sistema de saúde é muito mais baixo. 
Não basta reclamar solidariedade do sistema. É preciso nós sermos solidários com nós próprios, para podermos ser com os que nos rodeiam. Quem não sabe receber, nunca aprenderá a dar(texto parcial)

Para esclarecimento, uma compilação de artigos sobre o tema... 
"Esta tecnologia de localização ajustável foi desenvolvida pelos investigadores da Fundação Champalimaud. “Depois do tratamento o doente pode ir logo para casa, apenas sentirá algum cansaço nos dias seguintes, mas faz parte do processo natural de cicatrização interna. Ao fim de três ou quatro meses não haverá vestígios do tumor”, explica Nuno Pimentel, médico rádio-oncologista que acompanha o processo. O especialista sublinha que a técnica, para já, só está a ser aplicada em casos de cancro do pulmão em estádios iniciais, quando o tumor está muito bem localizado e não tem muito mais do que 1cm de diâmetro. “Mesmo assim, ainda há doentes que preferem a cirurgia convencional, que continua válida para este género de situações. Mas agora os médicos têm mais esta opção, que pode ser aplicada em casos onde a operação tem inconvenientes”, sublinha Zvi Fuks."
Fonte:   Revista Sábado (Cancro - Os tratamentos revolucionários em Portugal)

"Tratamento mais barato do que a radioterapia convencional. 
Vamos abrir as portas a todos, recebendo doentes de hospitais portugueses e também de qualquer país da Europa ou do mundo. Por agora, a Fundação só recebe doentes particulares, tendo já acordos com 8 instituições com seguros de saúde. O custo para o sistema de saúde é muito mais baixo.
O diretor da Fundação lembra que a administração tem estado a trabalhar com o Governo português e que as negociações futuras serão feitas com cada um dos hospitais que manifestem interesse." FONTE

"O SNS já está a utilizar no Hospital do Barreiro o tratamento de radioterapia anunciado como inovador pela Fundação Champalimaud. Uma única sessão pode tratar doentes com cancro. O responsável sublinhou que a máquina pode ser nova, mas a técnica de tratamento apresentada pela Fundação Champalimaud não apresenta novidades." fonte

"O acelerador linear do Hospital do Barreiro terá custado cerca de dois milhões de euros e é do mesmo fabricante americano (Varian Medical) que forneceu o aparelho que a Fundação Champalimaud vai apresentar.
Carlo Greco, director da área do cancro na Fundação, garantiu à agência Lusa que o equipamento em causa é o "mais avançado do Mundo" e "absolutamente único em Portugal", tendo-o testado na Universidade de Pisa (Itália). O equipamento testado é da americana Varian, chama-se TrueBeam STx e faz parte da nova linha de super aceleradores da marca. Spencer Sias, do departamento de comunicação da Varian, explicou ao CM que este acelerador custa cerca de 2,5 milhões de euros e que na Europa apenas está disponível em Itália, Inglaterra e na Suécia." fonte

"Hospital do Barreiro trata cancro numa sessão de radioterapia (acelerador linear)
No hospital do Barreiro existe um equipamento que permite o tratamento do cancro numa única sessão de radioterapia. É utilizado desde Maio e em cinco meses pelo menos 12 doentes beneficiaram desta terapia." com video 
O tratamento de radioterapia em dose única anunciado ontem pelo director da área do cancro da Fundação Champalimaud, Carlo Greco, não é o mesmo que é administrado no serviço de radioterapia do Centro Hospitalar do Barreiro/Montijo (CHBM) há meio ano, ao contrário do que afirmou ontem à Rádio Renascença o director daquele serviço, Paulo Costa. fonte

"Alguns doentes do IPO de Lisboa estão a fazer radioterapia na Fundação Champalimaud. 
IPO de Lisboa é a primeira - e por enquanto única - entidade pública a ter um acordo, ainda que limitado, com a Fundação Champalimaud.
“Já há um grupo de doentes do Serviço Nacional de Saúde que por contratação a partir do IPO de Lisboa já vêm fazer radioterapia a estas instalações." fonte

A autoridade médica para a Radioterapia, também publicou um desmentido.
"A propósito da “Radioterapia numa só sessão”
Posição do Colégio de Radioterapia da Ordem dos Médicos
A notícia apresentada pela agência Lusa em 9 de Novembro de 2011, intitulada "Radioterapia para eliminar tumor numa só sessão" tal como muitas outras notícias que visam promover novas estruturas, novas parcerias, novos equipamentos, medicamentos ou técnicas cirúrgicas, não se reveste do indispensável rigor cientifico nem é isenta de conflitos de interesses.
Notícias como esta geram a polémica estéril e histérica entre os profissionais, quantas vezes responsáveis por outras notícias igualmente sensacionalistas que acompanharam inaugurações ou aquisições passadas, mas mais importante que isso, geram indesejáveis e falsas expectativas aos doentes e familiares que lutam por obter os melhores cuidados de saúde.
A radioterapia participa isoladamente ou em associação com outras modalidades no tratamento do cancro, com indicação em mais de 50-60% dos doentes oncológicos. Pode ter objectivos curativos, visando o controlo da doença ou, paliativos para alívio de sintomas.
Sublinho que apesar dos equipamentos e as novas tecnologias terem vindo a permitir maior segurança e precisão no planeamento e execução dos tratamentos, não há equipamentos que transformem em curativos os tratamentos paliativos, nem desenvolvimentos que excluam em absoluto os riscos de potenciais efeito tardios indesejáveis.  Ângelo Paiva Oliveira 
Artigo completo, neste link: Presidente do Colégio de Especialidade de Radioterapia da Ordem dos Médicos

Com este esclarecimento, não se pretende ocultar as evidentes falhas do SNS.
As desigualdades agravam-se a cada dia, o retrocesso na qualidade e variedade de tratamentos regride, por isso debrucemo-nos sobre as reais calamidades que atormentam os doentes de cancro, as reais bastam, não inventemos mais.

CORTES NO PESSOAL
"Não obstante a inequívoca qualidade e diferenciação do serviço de oncologia do Hospital do Barreiro, este debate-se com sérias dificuldades causadas por falta de médicos, que, neste momento, pode mesmo fazer perigar a continuidade deste serviço.
Há seis meses, eram cinco os oncologistas que trabalhavam neste serviço do Hospital do Barreiro; agora, são apenas três. Em março de 2012, um oncologista saiu e, em junho passado, a administração do CHBM autorizou a cedência de um outro clínico ao Hospital Garcia da Orta, evocando o regime de interesse público." fonte

FALTA DE VERBA PARA ACTUALIZAR OS TRATAMENTOS. VERGONHA.
"Doentes pedem empréstimo a bancos para tratarem cancro
Médicos confirmam que doentes deixam hospitais públicos para procurarem melhor solução para o seu caso, já que estes não autorizam alguns medicamentos inovadores. Marta e Isabel pediram dinheiro para tratar a mãe.
O objetivo é apenas um: permitir que a mãe, com 68 anos, possa receber num hospital privado um medicamento inovador que lhe foi negado no público, para tratar um melanoma - o tipo mais grave de cancro da pele." FONTE

O TESTEMUNHO DO DESESPERO
Como um rico, com cancro, morre melhor do que um pobre.
(...) "Levantámos uma tempestade, todos os órgãos de comunicação social se interessaram. O hospital voltou atrás. Foi ao IPO – Porto onde tinha que ficar todo o dia porque só havia um transporte para os doentes. Caso quisesse vir mais cedo, porque não aguentava estar lá, teria que pagar. Ficava lá.
Houve meses em que não tomou toda a medicação. Não tinha dinheiro e era demasiado orgulhoso. Não pedia. Era preciso descobrir e estar atento ao que faltava.
Liguei para a Fundação Champalimaud mal soube da máquina que apenas com uma sessão de radioterapia diminuía o tumor de forma significativa. Responderam-me que precisava de uma consulta de avaliação e a sessão de radio seria 5 000 euros. Perguntei se no público haveria máquina idêntica. Disseram-me que não. Agradeci e desliguei.
Descobri que havia uma máquina parecida no Hospital do Barreiro. E que o médico, por querer que todos pudessem aceder aos tratamentos teria sido afastado. ARTIGO COMPLETO:

"Insuficiência de equipamentos impede radioterapia. 
Entre 3 mil e 4 mil doentes de cancro por ano não fazem tratamento de radioterapia devido à insuficiência deste tipo de equipamentos no País. O nosso país tem uma taxa de 4,6 aparelhos de radioterapia por milhão de habitantes, um número abaixo da média europeia, que é de 5,3. Isto significa que 19 por cento dos tratamentos oncológicos não são realizados. ARTIGO COMPLETO

O IPO comprou material no valor de 4 milhões de euros em 2004, para secção de radioterapia, agora descobre-se que, em 2010, por incompetência dos administradores apenas uma máquina estava a ser usada. Para reforçar a incompetência, o hospital estava a enviar os doentes de radioterapia para hospitais privados pagando com os nossos impostos, o que deviam fazer com as máquinas abandonadas e também pagas com os nossos impostos...
Mais... Como se não bastasse o esbanjamento e a incompetência, descobriu-se que estavam a pagar, a esses privados, muito mais do que pré negociado!! ARTIGO COMPLETO: 

NESTE VIDEO EXPLICAM O CAOS NA ONCOLOGIA, E NÃO SÓ


Os cortes cegos e injustos do governo. As rendas das PPP, da EDP, e afins, prosseguem a desfalcar os direitos dos portugueses.
- Educação: "Governo corta o triplo do que a troika mandou. "
- SNS: "A ‘troika’ mandou cortar 550 milhões e o Governo cortou mais 650 milhões e este ano vai cortar mais”, sublinhou.
- Camas - Passos Coelho pretende reduzir o numero de camas, no SNS.

MAIS CASOS QUE ASSUSTAM OS QUE PRECISAM DO SNS
  1. Cirurgiões fantasmas?
  2. Médico espanhol arrasa, listas de espera do SNS. 
  3. Médicos preferem o privado, paga mais?
  4. Médico de Alberto João Jardim, em esquemas?
  5. Pico de mortes, jornal "The Guardian", denuncia misérias de Portugal.
  6. Médicos sem fronteiras... No salário!
  7. As anedotas do SNS
  8. O SNS, o antes e o depois de estar no poleiro
  9. As conquistas de Passos Coelho pagam-se com sangue, dor e a vida
  10. Morrer de cancro por não ter dinheiro para se tratar?
  11. Passos Coelho poupa nas reformas e no SNS, genial?
  12. Abortos de luxo.
  13. Péssima gestão de stocks.
  14. Tachos.
  15. Ordenados de luxo e festas.
  16. Veja neste video a péssima gestão.
  17. Mudar de marca, um serviço público?
  18. Hospitais fantasma.... tenham medo!
  19. ADSE é sustentável?



5 comentários :

  1. Veja no YouTube "Afinal existe Cura para o Cancro?"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso nada tem a ver com o artigo... Todos sabem que há tratamentos mais avançados para o cancro, tais como os que muito se divulgam e já em uso, o da Alemanha e das células estaminais... Muito procurado por portugueses e não só.
      O que aqui se denuncia é a forma como distorceram uma noticia e que tem gerado muita polémica. Quanto ás curas há milhares de videos sobre isso, e milhões de teorias. Mas acho que percebeu que não estou aqui a falar desse tema, que daria pano para mangas.

      Eliminar
  2. Bem dito que se deve ser sério em tudo mas neste caso ainda mais porque é um assunto bem grave para quem tem, impenetravel para quem mesmo sendo medico não acompanha as terapeuticas de perto: Para quem viu oprograma feito na F.Champaulimaud ouviu a Dra L :Beleza que os tratamentos que ali fazem tambem são feitos pelo SNS. A unica abordagem diferente é que se prioritiza e centra tudo no doente ali o que nem sempre acontece no SNS(psicologia não medicamentos).
    Portugal apesar de pobre, com corruptos a mais, imbecis que não procuram infromar-se profundamente antes de votarem a mais ou despejar postas de pescada sem estudar os assuntos bem, está na linha da frente do que melhor se faz nos tratamentos do cancro. Como cada dia de tratamento pode custar 6 mil euros-pagos por todos nós, devemos e exigimos que quem decide o faça com muito rigor pesando bem o custo benificio, já que como bem sofremos na pele o que gastarmos vamos ter que pagar agora ou mais tarde. Quem julgava que a Merkl ia pagar as loucuras dos gaste-se que não é para pagar deve arrefecer os impetos porque não vai nunca acontecer. Amigos amigos contas a parte.
    Quem se atreve a pedir contas aos criminosos que decidiram fazer tres hospitais a 40 km uns dos outros(TNova/Tomar/Abrantes) para agora sópor vergonha é que não se vendem dois para quem precise deles? Sabe é que somos todos nós que os estamos a pagar bem como as tres autoestradas para o Porto. - pode nãoparecer mas estamos todos os meses a ser expoliados de alguns euros para cobrir as imbecilidades destas ou dos ignorantes que decidiram multiplicar muncipios que agora estão falidos e nos custam caro. Já imaginaram quanto nos custa a má governação do rei das bananas?

    ResponderEliminar
  3. Acredito que só a distância entre os diferentes hospitais não é motivo para desclassificar o mérito ou não dos mesmos. É preciso avaliar diferentes fatores para saber se é ou não viável. Talvez a dimensão dos hospitais possa ser questionada? Talvez não? Para responder a essas questões são necessárias mais informações do que a quilometragem.

    ResponderEliminar
  4. eu sou doente oncologica e ando ha dois meses a procura deun hospital que me



    possa tratar o i p o ja me recusou o hospital de cascais tambem o sns deixa os doentes assim au abandono e uma vergonha nationao o que se passa com a saude

    ResponderEliminar