Os cães ladram e a caravana passa... o povo cão, que ladra mas não morde.


Neste video, Marinho Pinto coloca o dedo na ferida, denuncia a promiscuidade dos deputados e explica o caso BPN, sem papas na língua, mas é atacado com argumentos, próprios de quem não tem argumentos. As pessoas integras são assim mesmo, não vergam... Um exemplo de coragem num deserto de justiça.



Para perceber o que revolta Marinho Pinto, e deveria revoltar milhões de portugueses, nada como uma leitura do livro "Os Privilegiados", que vem denunciar o abuso e o regabofe dos deputados.

O jornalista Gustavo Sampaio traz-nos um livro revelador, onde depois de uma exaustiva e rigorosa pesquisa, apresenta-nos as zonas cinzentas entre o interesse público e privado, e faz as ligações que nos permitem perceber como políticas e ex-políticos gerem interesses, movem influências e beneficiam de direitos adquiridos.
Mais de metade dos deputados têm outros cargos no sector privado e 16 das 20 empresas do principal índice bolsista têm ex-políticos na administração. Estes são alguns exemplos referidos no livro.

Dos 230 deputados à Assembleia da República, 117 estão em regime de part-time, acumulando as funções parlamentares com outras atividades profissionais no setor privado. Advogados, juristas, médicos, engenheiros, consultores, empresários, etc.
Em diversos casos, prestando serviços remunerados a empresas que operam em setores de atividade fiscalizados por comissões parlamentares que os mesmos deputados integram.
Ao que se acrescem as ligações a empresas (cargos de administração, participações acionistas, serviços de consultoria, etc.) que beneficiam de iniciativas legislativas, subsídios públicos ou contratos adjudicados por entidades públicas visando a execução de obras, o fornecimento de produtos ou a prestação de serviços.

Conflitos de interesses?
Dezenas de exemplos concretos são apresentados neste livro.
Dos corredores do poder político para as salas de reunião dos conselhos de administração, e demais órgãos sociais, das maiores empresas portuguesas, com ou sem período de nojo.
Um fluxo recorrente entre cargos públicos e privados.
Das 20 empresas cotadas no índice PSI 20, por exemplo, 16 contam com ex-políticos em cargos de administração.
Por vezes são ex-governantes que decidiram sobre matérias que implicam as empresas para as quais vão depois trabalhar, ou até administrar.
Sabia que as subvenções vitalícias dos políticos foram criadas numa altura em que Portugal estava sob assistência financeira do FMI?
Que foram alvo de um veto presidencial?
Que duplicam de valor quando o beneficiário alcança os 60 anos de idade?
Que apesar de terem sido revogadas há 8 anos, o número de beneficiários continua a aumentar?
Que a identidade dos beneficiários passou a ser secreta?
Ou que há políticos que a requereram com idade inferior a 50 anos? 

Pedro Passos Coelho prometeu que iria fazer nomeações com base no mérito e não nas ligações partidárias. Apesar da maior transparência, as 142 nomeações com ligações partidárias para altos cargos dirigentes na Administração Pública, identificadas neste livro, demonstram que os boys continuam a ser favorecidoscerca de 140 militantes do PSD e do CDS em cargos de direcção da administração pública.
Os conflitos de interesses entre a política e os negócios começam logo na casa da democracia. Em 230 deputados, 117 acumulam outros cargos, dezenas são remunerados por empresas que beneficiam de iniciativas legislativas, subsídios ou contratos adjudicados por empresas públicas. Há ainda quem trabalhe para empresas fiscalizadas por comissões parlamentares onde participam, explica Gustavo Sampaio.

“São cerca de 50 cargos ocupados por ex-políticos”, refere. Entre eles há cinco ex-governantes em bancos, empresas do sector da energia, comunicações e multimédia.
O livro termina com um olhar para outros países europeus. O autor cita deputados suecos, dinamarqueses e britânicos, que dizem não ter tempo para acumular cargos, porque a política ocupa-lhes toda a agenda. fonte

CELESTE CARDONA TENTA CALAR A VERDADE
MAS... perde processo contra livro "Os Privilegiados"
A Esfera dos Livros e o autor Gustavo Sampaio foram processados por Celeste Cardona, por causa do livro Os Privilegiados. A sentença hoje conhecida absolveu a editora e o autor.
Na ação, Celeste Cardona pedia que «fossem retirados todos os livros que se encontrassem no mercado e que a Esfera dos Livros e o autor fossem impedidos de continuar a comercializá-los, reproduzi-los ou apenas exibi-los, com a capa em questão e proibidos para a finalidade visada na obra ou qualquer outro fim, de utilizar qualquer fotografia da autora, ficando sujeitos a uma sanção pecuniária compulsória de euro 5000,00 por cada dia de atraso no cumprimento da decisão», segundo a assessoria da Esfera dos Livros.
A sentença lida hoje, segundo uma informação divulgada pela editora, «decidiu que não assiste razão à Dra. Celeste Cardona. A sentença absolveu a Esfera dos Livros e o seu autor Gustavo Sampaio, por a Dra. Celeste Cardona ser uma figura pública, salvaguardando a liberdade de expressão e de informação». fonte



Não perca, também o video deste artigo, de Paulo Morais, onde tudo se fica a saber. Eis um Homem... Divulguem, partilhem, ajudem a acabar com a ignorância que afunda Portugal.
Afirmações chave do video...
1 - O parlamento é uma grande central de negócios. Todos os deputados, que tem poder e domínio na politica e economia estão no parlamento a fazer negócios.
As comissões parlamentares que deveriam defender os interesses dos portugueses defendem os seus negócios próprios.
O caso de Miguel Frasquilho que é deputado e acompanha a assistência financeira que está a ser dada a Portugal pela Troika, e ao mesmo tempo pertence a um grupo financeiro. O grupo Espírito santo.
Ou o caso do deputado Adolfo Mesquita Nunes, de manhã estão nos seus escritórios de advogados a fazer negócios e à tarde vão para o parlamento fiscalizar os seus próprios negócios. Está a tratar das privatizações e é ele que também as fiscaliza. Isto jamais pode ser sério.
Não é nada normal que um empresário seja deputado e esteja a fiscalizar a sua própria actividade.
Paulo Morais já falou com o presidente da comissão de ética, com a presidente do parlamento, mas todos se preocupam e ninguém faz nada.
2 - O presidente da República é que devia intervir, pois é ele o responsável pelo regular funcionamento das instituições.... mas nada faz. É o único que tem esse direito, esse poder e esse dever. ARTIGO COMPLETO

Outro exemplo referido por Paulo Morais. O presidente da comissão parlamentar que controla o ministério do trabalho e a SS, deputado José Manuel Canavarro, é também esse mesmo senhor, que exerce o cargo de consultor do Montepio Geral, um banco que tem actividades na área da Segurança Social. Ou seja como deputado é ele que fiscaliza a legalidade e a quantidade da atribuição de subsídios e benesses, que atribui a ele mesmo, como consultor do Montepio. Isto é o que se passa com muitos deputados, e muitos sectores económicos e sociais. A sua função é claramente corrupção, mais que qualquer outra.
Paulo Morais diz que não percebe como é que estas pessoas não têm vergonha. ARTIGO COMPLETO:

Mais temas sobre deputados que ofendem o contribuinte
  1. Deputados que negoceiam com a Troika, defendem a banca.?
  2. Com Direitos acima da lei?
  3. Com cantinas de luxo
  4. Com despesismo inútil
  5. Com direito a Assistentes pessoais?
  6. Regalias e mais regalias aos deputados
  7. Em Incompetência / irresponsabilidade
  8. Golf subsidiado, é essencial
  9. Majestoso menu de luxo, da AR
  10. Em video, mais luxos
  11. Os carros de luxo... ou bólides
  12. O orçamento da AR de 2013, engorda?
  13. Deputados defendem o povo?
  14. Água mineral, por favor.
  15. Video de Paulo Morais- deputados que não representam quem os elege, mas quem os suborna.
NOTA: O titulo deste artigo, que demonstra o desprezo dos privilegiados, pelos não privilegiados, foi inspirado nos comentários que os privilegiados dos Banco de Portugal, arrogantes, deixaram neste artigo... Um artigo onde se denuncia o abuso e o regabofe do banco de Portugal. Um dos mais recentes comentários, foi precisamente esse... Os cães ladram e a caravana passa.É assim que os privilegiados se sentem perante os que são vitimas dos seus privilégios?

Sem comentários:

Publicar um comentário