Um desfile de despesismo para favorecer empresas amigas e lesar o interesse nacional.



Este video é um verdadeiro desfile de despesismo. Compila os vários escândalos sobre o que se fez na parque escolar... incluindo o escandaloso segredo (poucos sabem e muitos não querem saber) de que Sócrates colocou as escolas a pagar rendas à empresa PE, e Três quartos das escolas secundárias vão sair do património do Estado!!!???
Deixou também as escolas com despesas que não conseguem pagar. Mais uma brilhante manobra do genial Sócrates. Uma sangria que o governo actual também não detém.



QUE RAIO DE PAÍS ESTE QUE ESTÁ CHEIO DE FÃS DO SÓCRATES? OU DO COELHO? DIVULGUEM ESTE ESCÂNDALO PARA VER SE O POVO ACORDA... SÓCRATES COLOCOU AS ESCOLAS A PAGAR RENDAS... JÁ ANTES TINHA COLOCADO OS HOSPITAIS. 
@- "Três quartos das escolas secundárias vão sair do património do Estado  Empresa pública será proprietária de inúmeros terrenos que poderão ser alienados de forma mais fácil a partir do momento em que saírem do património do Estado. Todas as escolas que estiveram, estão ou virão a estar em obras, no âmbito do programa de modernização dos seus edifícios tutelado pela Parque Escolar, vão deixar de integrar o património do Estado para passar a ser propriedade daquela entidade pública empresarial, indicou ao PÚBLICO o seu presidente, João Sintra Nunes."
(clique na imagem para ampliar)
Quem não gostava de ter um Lexus?
Relatório de contas da PE
@- NO VIDEO Denuncia-se favoritismo de empresas de engenheiros e arquitectos,
contornaram e ignoraram as leis dos concursos de adjudicação de obras, assim como o Tribunal de contas.
Luxos que ofendem os portugueses, por ex. escolas com ar condicionado apenas usados em hotéis de 5 estrelas, barracos de 85 m2 que custaram 300 mil euros, e onde já chove. Demoliram edifícios ainda em bom estado, deitaram ao lixo material melhor do que o usado nas outras escolas... etc etc
SÓ VISTO PORQUE CONTADO NINGUÉM ACREDITA... FOI UMA FESTA, garantiu a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues... e que grande festa!!
MAIS UM BURACO que ajudou a afundar Portugal, e serviu para oferecer luxos desmedidos a algumas poucas escolas, enquanto muitas nem o básico possuem...
Uma verdadeira ofensa À DEMOCRACIA E À IGUALDADE.
Uma verdadeira ofensa aos pais que pagam tudo isto e vêem os seus filhos a ir para escolas degradadas, sem wc, sem ginásio, sem tecto, sem janelas, enfim , todos conhecemos casos assim. ARTIGO COMPLETO 
@- Multa de 7 mil euros por prejuízos de 545 milhões de euros, dos portugueses. Justiça?!!?? Artigo completo.
@- "Parque Escolar tem evitado aplicar as normas de transparência previstas na lei  Vinte por cento dos projectos de arquitectura já adjudicados estão concentrados em 12 gabinetes. Presidente da empresa reconhece injustiças no programa. Através do recurso a três decretos-leis que contêm disposições contrárias, a empresa pública Parque Escolar tem restringido a aplicação das normas que, naqueles diplomas, visam acautelar a transparência e as regras da livre concorrência na contratação pública feita por ajuste directo." 
@- Paulo Morais explica o abuso o "erro" colossal! Terá sido erro? Claro que esta gente não erra.
"Parque Esfolar

Com equipamentos desativados por falta de verbas, os edifícios tornam-se impróprios à prática do ensino.
A criação em 2007 da empresa Parque Escolar (PE), cuja missão seria modernizar a rede escolar pública, foi um erro colossal de José Sócrates. E não se entende porque, ao fim de mais de dois anos de governo, Passos Coelho ainda não extinguiu este organismo caro e inútil.
A ideia era, à partida, excelente: quem não quer melhorar as condições de ensino dos nossos filhos?
Mas cedo se transformou num pesadelo. Na reabilitação das escolas incluídas no programa da PE, os investimentos foram inflacionados, privilegiou-se a criatividade artística, o luxo asiático, em detrimento da funcionalidade. Na maior parte das obras, nem sequer se consideraram espaços para gabinetes de professores. As intervenções ficaram caríssimas.
Por outro lado, a eficiência térmica dos edifícios raramente foi equacionada, nem tão-pouco foram previstos os custos de manutenção e conservação. Há escolas que dispõem hoje dos mais avançados sistemas de ar condicionado, mas não têm orçamento para o seu funcionamento. Os candeeiros são de autor, mas a substituição das lâmpadas não é possível, pois os custos são incomportáveis.
Com equipamentos desativados por falta de verbas, os edifícios tornam-se desconfortáveis e impróprios à prática do ensino.
Acresce que o modelo geral de financiamento das obras foi em regime de parceria público-privada, ou seja, ruinoso.
A celebração de contratos com privados para a execução dos projetos acarreta agora o pagamento de rendas incomportáveis. Os construtores do regime, bafejados com estas intervenções da PE, estão no paraíso, usufruindo, sem qualquer risco, de elevadas rentabilidades face ao capital investido.
Afortunadas são também as sociedades de advogados que a PE contrata, tantos são os litígios decorrentes da sua incompetência. Só em 2013, em serviços jurídicos, já houve adjudicações de quase um milhão de euros. Os escritórios dos ex-ministros Rui Pena, José Luís Arnaut e Nobre Guedes são os principais contemplados.
O inferno, esse, está reservado a alunos e professores, ora instalados em obras megalómanas com manutenção deficiente. E árdua deve ser a vida dos diretores das escolas que têm de gerir verdadeiros palácios com orçamentos próprios de barracas. fonte

Todas as escolas reabilitadas pela Parque Escolar mais do que triplicaram os consumos energéticos. Em declarações ao Biosfera, muitas revelaram temer não ter dinheiro para manter os sistemas de ar condicionado e ventilação mecânica a funcionar. Se tal vier a acontecer, a qualidade do ar interior pode ficar pior do que estava antes das obras. Tudo por culpa de um conceito de escola em função dos sistemas mecânicos e de leis desajustadas à realidade. 

@- Três quartos das escolas secundárias vão sair do património do Estado  Empresa pública será proprietária de inúmeros terrenos que poderão ser alienados de forma mais fácil a partir do momento em que saírem do património do Estado. Todas as escolas que estiveram, estão ou virão a estar em obras, no âmbito do programa de modernização dos seus edifícios tutelado pela Parque Escolar, vão deixar de integrar o património do Estado para passar a ser propriedade daquela entidade pública empresarial, indicou ao PÚBLICO o seu presidente, João Sintra Nunes.  
@- "A soma de contratos realizados entre a Mota-Engil e a Parque Escolar na Fase 0, Fase 1 e Fase 2 (ainda incompleta) totaliza o valor de 117.015.842,65 €" .
Nos últimos meses, a Parque Escolar adjudicou as obras em três escolas da Zona Centro a um consórcio constituído por duas empresas de construção civil de Braga. Uma das parceiras, a Britalar, foi durante seis anos dirigida por um dos administradores da empresa pública. O valor global dos contratos ascende a 35 milhões de euros. Gerardo Saraiva Menezes é vogal do conselho de administração da Parque Escolar desde Maio do ano passado e tem funções atribuídas na área das obras. Este engenheiro civil foi director-geral da construtora bracarense até 2007." 
@- "Governo permite à Parque Escolar fazer ajustes directos durante mais um ano.
A Parque Escolar vai poder continuar a fazer ajustes directos, durante mais um ano, nos contratos de modernização das escolas. O Decreto-Lei que prorroga o prazo até 31 de Dezembro deste ano foi hoje publicado em Diário da República."  

@- "Contratos de mais de 269 milhões de euros escaparam ao crivo do Tribunal de Contas  Foi com base num parecer jurídico defendendo que a sujeição ao visto prévio "é incompatível com a iniciativa pública empresarial" que a Parque Escolar se furtou a esse procedimento. Mais de três dezenas de contratos celebrados pela Parque Escolar em 2007 e 2008, num montante global superior a 269 milhões de euros, não foram submetidos à fiscalização prévia do Tribunal de Contas (TC) ".
@- "Parque Escolar entrega projectos a colegas de administradora-
A empresa Parque Escolar adjudicou, sem concurso, projectos de arquitectura para a remodelação de 13 escolas secundárias a sete colaboradores de um dos membros do seu conselho de administração. O alerta consta da documentação entregue recentemente na Assembleia da República por um grupo de arquitectos que, este ano, lançou uma petição contra a prática de contratação seguida por aquela empresa pública. Todos os projectos de arquitectura para as mais de 200 escolas abrangidas, para já, pelo programa de modernização do parque escolar, lançado em 2007, foram contratados por ajuste directo" .

Esquerda. net, 01.05.2010 - Parque Escolar: Projectos para colegas de administradora
Público, 01.05.2010 - A empresa Parque Escolar adjudicou, sem concurso, projectos de arquitectura para a remodelação de 13 escolas secundárias a sete colaboradores de um dos membros do seu conselho de administração.
O Polvo, 16.02.2010 - Teresa Valsassina Heitor (vogal) é arquitecta e professora do Instituto Superior Técnico.  Este nome, Teresa Frederica Tojal de Valsassina Heitor, não é estranho, faz mesmo lembrar este senhor Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Manuel Frederico Tojal de Valsassina Heitor 
5dias, 20.01.2010 - 2. Na lista de projectistas pode-se constatar uma enorme presença de empresas de arquitectos com actividade docente, destacando-se a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (que não me surpreende) e o Departamento de Arquitectura do Instituto Superior Técnico (absolutamente surpreendente);
Outras fontes 
Tretasorg
Esquerdanet
Imagem (P:E) Pg 106



Sem comentários:

Publicar um comentário