13 junho, 2011

Promoção pelo mérito de estar 8 anos sem aparecer no emprego.

Vítor Bento no Banco de Portugal cunhas

O dinheiro dos portugueses é sempre bem investido e muito generosamente distribuído, por quem merece...
BE questiona promoção de Vítor Bento no Banco de Portugal, há 8 anos de licença sem vencimento. 
Qual é a dúvida? Se o homem não esteve no banco, significa que não cometeu erros, ... logo tem o mérito de não ter feito asneiras durante 8 anos, logo, uma promoção por mérito!
O homem pede licença sem vencimento para poder assim ganhar anos de serviço sem fazer nada, e ganhar um aumento de escalão que lhe dará mais de 700 euros mensais, quando voltar ao banco e uma melhor reforma quando se reformar? Que sacanas sem lei, sustentamos nós?

"2008 Lusa"O Bloco de Esquerda pediu hoje esclarecimentos do Banco de Portugal sobre os critérios que ditaram a promoção "por mérito" de Vítor Bento, o presidente da Sedes, a Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, e da SIBS, sociedade interbancária de Serviços, que há oito anos está com uma licença sem vencimento."Como se pode promover por mérito alguém cujo mérito é não estar no banco", questionou o deputado bloquista Francisco Louçã, em declarações aos
jornalistas para justificar o requerimento entregue hoje na Assembleia da República. O pedido do BE surge depois de a Comissão de Trabalhadores do Banco de Portugal ter solicitado explicações ao governador sobre a situação de Vítor Bento, que desde 2000 "se encontra em situação de licença sem retribuição", de acordo com o próprio banco. Na resposta, em documentos distribuídos pelo BE, o próprio Banco de Portugal fundamentou a decisão de promover Vítor Bento a partir de 1 de Janeiro de 2008 por "critérios de gestão e equidade interna", de director de escalão "18A" a director "18B". "Na sequência dos esclarecimentos insatisfatórios que deu aos trabalhadores do banco", o deputado Francisco Louçã questionou "por que razão os critérios de promoção não são os critérios da verificação da actividade das pessoas no banco". A Comissão de Trabalhadores questionou que Vítor Bento se "o trabalhador não esteve ao serviço efectivo do banco", dúvidas partilhadas pelo deputado e coordenador da comissão permanente do Bloco: "Como pode haver uma promoção salarial por mérito absoluto se a pessoa não desempenha funções?"" fonte
 "Segundo documentos a que o CM teve acesso, a justificação dada pelos serviços do banco central para a promoção de um quadro que não se encontra no banco há oito anos foi a de que 'o dr. Vítor Bento se encontra em situação de licença sem retribuição [...] ao abrigo de acordo celebrado nos termos da cláusula 91ª do Acordo Colectivo de Trabalho (ACT) para o sector bancário'.  Mas essa mesma cláusula estipula no seu nº 5 que a licença sem retribuição vale 'até ao máximo de três anos'. Também o normativo interno do banco central prevê a hipótese de licenças sem vencimento por um ano, até ao máximo de três anos, seguida ou interpoladamente. "
Vítor Bento, que é quadro do banco central, encontra-se em regime de licença sem vencimento desde 8 de Junho de 2000, altura em que foi nomeado presidente da SIBS/Unicre. A promoção, que vale mais 720 euros mensais (quando o economista regressar ao banco)
Um director do banco central com o nível 18 tem um vencimento mensal da ordem dos 11 mil euros, onde se integra o ordenado contratualizado ao abrigo do ACT, as diuturnidades e o complemento remuneratório da isenção de horário equivalente a mais 47 por cento do salário-base.  artigo completo



6 comentários :

  1. Ainda por cima é feio, parece um maluco do júlio de matos.

    ResponderEliminar
  2. eu acho que é uma especie de subsisidio que se dá a um idiota socialista nazi careca por ser idiota e ser homologicamente assexuado numa fantasia suicida.
    é o resultado da desmineralização da nova ordem mundial, um produto de balsemão

    ResponderEliminar
  3. Sobre quem ?? Sobre BENTO ?? parece um alienígena - ah esteve sempre de licença sem vencimento ?? e como vivia para trabalhar - esteve a estudar para ministro ?? E como ganha tanto se não ESTAVA LÀ ?? no sitio onde parece que deveria estar ?? O gajo até tem má Pinta - só me lembro dele de passagem de raspão por aqueles programas de TV que dão direito depois a serem ministeriáveis -Ontem vi mais uma vez reportagem sobre Madock (é assim que se escreve ?') e os seus dois filhos - um suicidou-se ao saber o que o pai tinha feito - o outro segui-lhe as peugadas - foi condenado a 100 anos - mas trabalha na prisão ?? - o que é importante é que a Alemanha é pela 4ª vez campeã do mundo - há que treinar mais - E se Merkel vai para o lugar de Bank-Y-moon - como consta - Durão lixado - Lá vou aturar Marcello em PR que fala muito mas não significa NADA

    ResponderEliminar
  4. Vivemos num País da utopia ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só os votos válidos em partidos entram nas contagens por isso o que penaliza um partido, não é a abstenção ou votos brancos/nulos, é votar noutro partido
      Dado que só votos em partidos entram nas contagens, o que penaliza um partido, não é a abstenção ou votos brancos/nulos, é votar noutro partido - porque se não votarmos, não estamos a negar o voto a ninguém. Estamos apenas a deixar que as decisões se concentrem num conjunto mais restrito do eleitorado, uma minoria - que inclui sempre as clientelas dos partidos e os clubistas acríticos.
      Temos também de esquecer o hábito da idolatria onde os maiores partidos são instituições que muitos acreditam que se devem preservar ao longo do tempo, independentemente do seu desempenho: com as regras actuais, temos sim de mostrar aos partidos que são descartáveis e têm de se esforçar para obter o apoio do eleitorado, caso contrário serão descartados.

      Num sistema que impõe o monopólio político dos partidos, é essencial que ocorra a renovação do espectro partidário para que a democracia se mantenha minimamente "fresca".
      A oportunidade de mostrar algum poder do eleitor, é não abdicar nunca do voto válido, o único que transmite uma mensagem positiva ou/e negativa.
      Convém compreender que, quanto mais fraca é a influência/vigilância do eleitorado sobre os deputados e governantes, mais forte é a influência de outras "forças" . Nunca há vazios de poder. O escrutínio dos portugueses foi sendo neutralizado devido ao aumento constante da abstenção, ao que temos que somar os votos brancos e nulos, é uma falha muito grave dos eleitores, na vigilância dos partidos que culmina no aumento da corrupção. Como os partidos não temem a critica nem a censura da maioria dos eleitores, porque esses não usam o voto válido, são os grupos de interesse que estão representados no parlamento, não os eleitores.

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/so-votos-em-partidos-entram-nas.html#ixzz3qcTBMVKl

      Eliminar