08 junho, 2011

Rui Pedro Soares, o inocente ...ou não.

Rui Pedro Soares, o inocente
Paulo Portas criticou que Rui Pedro Soares estivesse a ganhar entre um e dois milhões de euros na PT, num lugar em que representava o Estado e sem ter currículo que justificasse esse salário.
Politica, gestores públicos, suspeitos, crimes, corrupção, manipulação e finalmente... silencio da justiça... o quadro típico do crime politico em Portugal. Rui Pedro Soares, que renunciou à administração da Portugal Telecom em Fevereiro de 2010, recebeu de remuneração da operadora nessa função um total de 1,212 milhões de euros, sendo 648,7 milhões a título de indemnização.

UMA HISTÓRIA LONGA E COM MUITAS MALHAS. Para os mais minuciosos entenderem como se faz um "boy for the jobs".

"Rui Pedro Soares entrou, discretamente, na Portugal Telecom, mas hoje faz manchete nas notícias por estar envolvido nas alegadas escutas do caso "Face Oculta" publicadas pelo jornal "Sol", a quem moveu uma providência cautelar para impedir a divulgação de mais escutas que o citassem.
A nomeação para a PT foi, logo, interpretada como sendo uma escolha ligada ao Governo. Afinal, Rui Pedro Soares era do PS.
Em 2008, quando houve reorganização na estrutura administrativa da PT e Zeinal Bava assumiu a presidência executiva, Rui Pedro Soares saiu reforçado. Além de manter o imobiliário, a segurança, as relações com autarquias e os patrocínios institucionais, ficou com algumas outras áreas - participações financeiras como a CTM (macau), Timor Telecom e Archway (vendida nesta ocasião), ambiente e eficiência energética.
Já em 2009, acumula a estes pelouros (excepto a gestão da participação da CTM), a PT ACS.
Foi na JS que conheceu Paulo Penedos, o advogado que acabou por ser seu assessor jurídico na PT. E com quem manteve as conversas telefónicas, alvo de escutas e que motivaram todo este mediatismo.
Rui Pedro Soares e Paulo Penedos foram "apanhados", segundo as escutas do "Sol", a falarem sobre a compra da TVI pela PT, para alegadamente servir o propósito de controlar a comunicação social. Segundo o "Sol", é também na JS que conhece Marcos Perestrello (hoje secretário de Estado), que o leva para o grupo de apoio a José Sócrates. Trabalha no "site" da candidatura de Sócrates a secretário-geral do PS. fonte
O outro administrador que pediu a renúncia da administração da PT, no seguimento da divulgação das escutas telefónicas no âmbito do processo "Face Oculta", Soares Carneiro, recebeu um total de 1,8 milhões de euros, sendo 201 mil euros de remuneração fixa, 459,4 mil euros de prémuio anual pelo exercício de 2009. E de indemnização tudo o resto: 973 mil euros por ter cessado funções antes do fim do mandato e 175 mil euros como cláusula de não concorrência.
Soares Carneiro, entretanto, está a colaborar com a Ongoing.
Rui Pedro Soares, que renunciou à administração da Portugal Telecom em Fevereiro de 2010, recebeu de remuneração da operadora nessa função um total de 1,212 milhões de euros, sendo 648,7 milhões a título de indemnização.
Além desses 648,7 milhões, Rui Pedro Soares ainda recebeu 104,2 mil euros como remuneração fixa e 459,4 mil euros como prémio anual, referente ao exercício de 2009.
Rui Pedro Soares não recebeu esta última indemnização, pois manteve-se quadro da Portugal Telecom.
SALTO Á VARA
A sua ascensão acaba por se assemelhar à de Armando Vara, outro socialista de quem se fala no processo Face Oculta, e que passou de administrativo a administrador da Caixa-Geral de Depósitos e, mais tarde, do BCP. Ambos estavam na empresa e, graças aos contactos partidários, "consolidaram" a sua posição.
A LIGAÇÃO A PENEDOS
De facto, em dois anos, Rui Pedro foi promovido inúmeras vezes. De "consultor do conselho de administração" passou a "administrador executivo da PT Compras", em 2005, depois, a "presidente do conselho de administração da PT Imobiliária", em 2006 e, por fim, a membro executivo do conselho de administração da empresa. É ele que vai buscar o seu velho amigo Paulo Penedos, da JS, para assessor jurídico do seu gabinete. E é através das escutas montadas a Penedos que é "apanhado" na suspeita de "atentado ao Estado de Direito" que sobre si recai, depois de divulgados, pelo semanário Sol, os despachos do magistrado do Ministério Público de Aveiro, mandados arquivar pelo procurador-geral da República, por ausência de indícios criminais.
Maio de 2009. A PJ tem os telemóveis dos socialistas Armando Vara e Paulo Penedos sob escuta, por causa das suas supostas ligações ao sucateiro Manuel Godinho, no âmbito do processo Face Oculta.
Mas das conversas entre o administrador do BCP e o consultor da PT ressalta para os investigadores a existência de um suposto esquema para controlar a TVI e tirar do ecrã Manuela Moura Guedes e as notícias sobre o Freeport. A 26 desse mês, dá-se o primeiro contacto entre Penedos e o seu correligionário Rui Pedro Soares, administrador da PT e que, alegadamente, se torna o pivô da compra da estação televisiva pela Portugal Telecom.
As escutas trazidas à estampa pelo jornal Sol referem diversas idas de Rui Pedro a Madrid a fim de acertar com a direcção da Prisa - dona da TVI - os detalhes do negócio. Que não veria a luz do dia, após a polémica instalada pela divulgação da operação na imprensa, tendo o primeiro-ministro assegurado que, se a PT insistisse na compra, o Estado usaria a sua golden share para vetar o negócio. Sócrates garantiu sempre nunca ter sabido da intenção da PT de adquirir a TVI, mas, nas escutas, há referência a um jantar entre Rui Pedro Soares e o chefe de Governo e é insinuado em outras conversas o conhecimento que este último teria de todo o alegado esquema para controlar a TVI. Foi o que achou quer o procurador de Aveiro quer o juiz de instrução titular do caso Face Oculta.
Só que enquanto o magistrado judicial afirmava existirem indícios muito fortes da existência de um plano, no qual Sócrates estaria envolvido, visando o controlo da estação, o procurador-geral da República, a quem foram remetidas as certidões para validação, desvalorizou esses elementos, tendo Pinto Monteiro decidido não avançar com um inquérito, alegando a falta de "indícios probatórios" da prática do crime de atentado ao Estado de Direito. fonte


1 comentário :

  1. Impecável. Não se esqueça do empenho que cavaco Silva pôs na deriva do tal Novo Aeroporto para Alcochete. E de como o Ministro das Obras Pública de Sócrates foi liminarmente enxovalhado neste vergonhoso "banquete"... de ladrões.

    ResponderEliminar