01 março, 2014

As mentiras de Sócrates continuam a exibir o seu carácter e fome de poder. Enganar tolos?


A falácia do aumento da dívida pública
Fonte: Pordata, Banco de Portugal Evolução da dívida pública
(mil milhões de Euros) e em % do PIB (%)
Uma das 3 pessoas que faz o sacrifício de ouvir o comentário de Sócrates aos Domingos na RTP, tratou de informar as redes sociais que o antigo primeiro-ministro se queixou ontem do aumento da dívida pública nos anos do governo PSD-CDS. Os números, de facto, não enganam, como podem ver no gráfico.
Evolução da dívida pública (mil milhões de Euros) e em % do PIB (%)

A tendência desde o último ano completo de governação Sócrates é de facto assustadora: subiu 53 mil milhões de euros, qualquer coisa como 35% do PIB em apenas 3 anos. Excepcionalmente, Sócrates diz a verdade. Se quisesse levar a retórica mais longe, até poderia dizer que se acumulou tanta dívida pública desde que ele deixou o governo como no total dos seus mandatos.

Claro que é de esperar que a dívida suba enquanto existirem défices públicos.
Comentadores como Sócrates que defendem metas mais fléxiveis para o défice dificilmente se poderão queixar que a dívida pública aumenta. Não podem defender ao mesmo tempo que haja défices mais altos e depois criticar que a dívida pública resultante desses défices aumente. A dívida pública é isso mesmo: o resultado da acumulação de défices.
Mas será mesmo assim? Para analisar a veracidade desta relação económica, podemos observar abaixo a evolução do défice das contas pública e o crescimento da dívida pública.

Evolução do défice das contas públicas e crescimento da  dívida
pública (mil milhões de Euros) 
Fonte: Pordata, Banco de Portugal
A relação efectivamente mantém-se. Na maior parte dos anos a dívida pública aumenta no mesmo montante do défice público com umas pequenas diferenças, os chamados ajustamentos défice-dívida. Estes ajustamento são quase sempre bastante pequenos, mas há uma notável excepção: os anos imediatamente a seguir à saída de Sócrates. Nesses anos, a dívida pública aumentou bastante mais do que o défice das contas pública, levaria a pensar.

Isto deveu-se a 3 factores:
- O salvamento dos bancos, algo que qualquer governo no actual panorama partidário teria feito. A alternativa a esta medida seria os depositantes de alguns bancos menos sólidos (BCP, BANIF,…) terem ficado sem parte dos seus depósitos, como em Chipre.
- A variação nas reservas de segurança do estado. Parte da dívida contraída refere-se a um aumento de
reservas do Estado, ou seja dinheiro não alocado a despesa que fica em depósitos garantindo uma almofada caso falhe crédito. Foi esta a almofada que faltou em Maio de 2011 e que empurrou Sócrates para o pedido de ajuda antes das eleições, sob o risco de o país falhar o pagamento de salários e pensões nos meses seguintes.
- Finalmente, o pagamento das dívidas a fornecedores. Como a dívida a fornecedores não entra para os cálculo de dívida pública, uma forma fácil de um governo esconder a dívida pública é faltando ou atrasando o pagamento aos seus fornecedores. Esta dívida era bastante elevada quando Sócrates deixou o governo, particularmente na saúde. O pagamento dessa dívida pelo actual governo também contribuiu para um aumento da dívida pública.

Ou seja, grande parte da dívida pública foi para salvar um sistema bancário deixado de rastos pelas políticas económicas, para repôr as reservas de dinheiro que o governo Sócrates depletou até não haver suficiente para pagar salários e reformas, e para pagar os calotes deixados por esse mesmo governo, nomeadamente no sector da saúde.

Podemos ainda apontar o facto de que, mesmo uma parte do défice actual, se deve aos pagamentos das PPPs assinadas por Sócrates, outra forma de disfarçar dívida e défices passados. Antes das PPPs, um governo que construísse uma auto-estrada teria que contar com essa despesa no orçamento do ano em que a auto-estrada fosse construída, aumentando o défice. Utilizando uma PPP, um governo pode construir uma auto-estrada sem qualquer impacto no défice, empurrando esse custo e respectivos juros para os governos seguintes.

Sócrates tem razão quando diz que a dívida subiu bastante imediatamente após a sua saída do governo. Mas não deve esquecer que esta é, maioritariamente, a sua dívida.
A dívida que Sócrates escondeu através das PPPs, dos calotes a fornecedores, do esvaziamento das reservas de segurança do estado que quase deixaram o país sem capacidade de pagar salários e pensões, e do caos em que as políticas do seu governo deixaram o sistema bancário.
Carlos Guimarães Pinto desmonta comentário de Sócrates na RTP sobre Aumento da Dívida:

NOTA: Como sabem, este blog é apartidário porque para expor a verdade, é preciso ser-se. Este artigo é sobre as mentiras de Sócrates, mas há centenas de artigos, no blog, sobre as mentiras de outros políticos. Isto para evitar desde já comentários de seitas partidárias, que apenas conseguem ver no máximo até a um raio de 2cm.

Mas...
A questão é porque a dívida cresce mais do que o deficit; e porque nos fazem pagar a dívida se o seu crescimento, em grande parte, não se deve aos deficits.
Com a crise dos subprimes e suas sequelas, o crédito para habitação parou, para além do incumprimento que continua a ser dramático; as empresas entraram em colapso e há muito crédito malparado nos bancos, por isso muitas transformaram dívidas de curto prazo em dividas com prazos superiores

Assim, a banca viu estancar-se o fluxo de entradas mas tinha, e tem, dívidas a outros bancos e a quem tinha de pagar e esse era o grande problema que o BCE parcialmente resolveu emprestando aos bancos. E que fizeram os bancos com esse dinheiro (o dinheiro num banco não pode ficar em pousio)?
Transformaram-no em dívida pública enquanto o Estado ficava com uma boa almofada financeira. Os Estados e os governos cumprem em primeiro lugar o que interessa ao sistema financeiro
De facto uns 6000M do fornecido pela troika foram emprestados a 3 bancos com taxas de juro bastante elevadas e que até são vantajosas em termos financeiros para o Estado

A dívida irá subir bastante em setembro - para uns 242000 M dada a inclusão das dividas das empresas públicas de transportes... que depois serão privatizadas, limpinhas... e sobretudo a Parpublica em cujo universo repousa o buraco do BPN- A Parpublica tem uma dívida de 5100 M
Os cortes visam não só alimentar esta situação mas também gerar pressões para o rebaixamento de salários, direitos, desemprego, menos custos e privatizações nas áreas da saúde e educação, concessões a privados, etc. 
E ainda manter uma população amedrontada e passiva à espera de melhores dias.

NESTE VIDEO UM PROFESSOR DO IST, DESMENTE MAIS UMA MENTIRA DO SR ENGENHEIRO DE TOLOS.


Mais alguns dos grandes feitos do grande Sócrates.
  1. Deixa buraco de 3,5 mil milhões no SNS
  2. No SNS
  3. No património nacional 
  4. Na Segurança Social
  5. Sócrates e a EDP
  6. Sócrates investe 
  7. Sócrates regressa 
  8. Os milhões de Sócrates. 
  9. As luvas de Sócrates
  10. O aeroporto de Sócrates
  11. A Sovenco de Sócrates 
  12. A manipulação de Sócrates 
  13. O resgate de Sócrates
  14. O BPN do Sócrates
  15. O inglês de Sócrates 
  16. A má gestão 
  17. A poderosa mãe de Sócrates 
  18. As SCUT´s de Sócrates 
  19. Sócrates e as Swap
  20. Os comes e bebes de luxo

9 comentários :

  1. ATENÇÃO!!OS BURGUESES COMUNISTAS FUNCIONARIOS PUBLICOS DA NAV E CONTROLADORES AEREOS QUE GANHAM EM MEDIA 11 MIL EUROS POR MÊS ESTÃO EM GREVE,QUEREM GANHAR MAIS DINHEiRO QUE O QUE GANHAM NÃO DÁ PARA COMER DIZEM ELES!O POVO TEM QUE SE UNIR E LUTAR CONTRA ESTA BURGUESIA COMUNISTA NESTA MANIFESTAÇÃO JÁ,NÃO VAMOS PERDER MAIS TEMPO!É TEMPO DO POVO SE REVOLTAR CONTRA A COMUNADA BURGUESA QUE NOS TEM ROUBADO TUDO NOS ULTIMOS 39ANOS!!!

    ResponderEliminar
  2. Enquanto não perceberem quem são os verdadeiros inimigos, enquanto tiverem invejazinhas medíocres, enquanto acharem que há esquerda e direita (verdadeira), comunas e fascistas, etc. Não vão mudar nada, corrigir nada. O problema é sempre o mesmo ao longo da história da humanidade, só mudam os cenários e actores. A falta de ética, civismo, cultura básica de quem somos e como precisamos uns dos outros, etc. É que tem de ser rápidamente equacionada e combatida, sob pena da raça humana na sua fúria predadora doentia acabar por ser responsável pela sua auto-extinção. A propósito do anterior comentário, nem por 30 mil euros ou mais eu quereria ter a responsabilidade que os co troladores aéreos têm, acho bem que ganhem de acordo com a responsabilidade e stress que têm. Se forem maus no que fazem, então que sejam despedidos e façam outra coisa. Mesmo que me cause transtorno as greves destes srs. Se as fazem é porque são necessárias. Respeito quem luta por aquilo que acha correcto.

    ResponderEliminar
  3. Deves pensar que vou votar no PSD ?
    Enganas-te
    Deves pensar que vou votar no PS ?
    Enganas-te
    Deves pensar que vou votar no CDS ?
    É era um anedota se o fizesse .
    Há e tal deves ser comunista , achas ?
    enganas-te
    Achas que iria votar no BE o partido da minoria revolucionário gay e lésbica ?
    É que só se estivesse bêbado é que votava neste partido .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. certo! um direito, mas quem não luta e aceita a "democracia" deles é igual aos que neles votam!? então o que fazer? resignar ou antes resiliência?

      Eliminar
  4. Mas quem é que ainda cai na aldrabice e vigarice das eleições? Votar neste momento é legalizar vigaristas, é pactuar com criminosos, etc. Eu não voto, enquanto este sistema viciado e aldrabão não mudar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. certo! um direito, mas quem não luta e aceita a "democracia" deles é igual aos que neles votam!? então o que fazer? resignar ou antes resiliência?

      Eliminar
  5. Não se deve ignorar a importancia de ouvir/ler opiniões diversas e contraditórias não deixando a responsabilidade a decisão final para os eoutros, experts ou super-experts. A decisão real tem que ser só nossa. Por isso um blog como este que foca com opinioes diversas deve ser bem valorizado e divulgado. Umas vezes irritam os jotinhas, outras os holandinhos, outras irritam-me a mim, outras os submarinos ou pai,filho e espiritosanto mas procura ser objectivo. Não se deixe enquandrar em rebanhos se não pensa ser tosquiado como as ovelhas ano após ano. Olhando para o resultado das eleiçoes, e a promiscuidade exagerada entre gestão profissional e gestão politica leva-me a desconfiar de que há ovelhas a mais neste rebanho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo Antonio, a ideia é essa reunir algumas opiniões e factos para que cada um chegue ás suas conclusões.

      Eliminar
  6. Quer um País melhor?02 março, 2014 16:42

    Conhece a famosa citação de John F. Kennedy “Não pergunte o que o seu País pode fazer por si mas sim o que você pode fazer pelo seu País”? Pois bem, se não está satisfeito com a sua vida, o que fez entretanto para mudar essa condição? Que metas ou objectivos estabeleceu para si? Em que prazos? Com que resultados? Lembre-se que o simples facto de você se tornar uma pessoa melhor, social e profissionalmente, é o 1º passo para fazer de Portugal um País melhor. Por isso, exija de si próprio antes de o fazer aos outros.

    ResponderEliminar