25 março, 2014

4 mil milhões ilegais. Ex secretário de estado da energia, denuncia o saque da EDP.


henrique gomes demissão a verdade edp
O anterior Sec. de estado da energia, Henrique Gomes, que se demitiu porque foi impedido por Passos Coelho, de denunciar e reduzir as rendas ilegais da EDP, enfrentando o poderoso lobby, continua a tentar alertar os portugueses, para o descalabro.
Apesar de perder o cargo recusa-se a ficar calado sobre tamanho desplante da EDP e do próprio governo, a quem acusa de apoiar a EDP e não apoiar o Ministério da Economia neste confronto com o gigantesco loby .
O seu atrevimento, acabou por o levar ao pedido de demissão, no dia em que Passos Coelho o proibiu de falar das rendas da EDP. Escândalo que culminou na posterior demissão do Ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, que tal como Henrique Gomes, tentou defender o interesse nacional, reduzindo as rendas/saque da EDP.
No entanto cedo perceberam quem manda em Portugal... não são os Ministros, nem o Primeiro Ministro, e muito menos os Secretários de estado.

O povo, como sempre sereno, ignora o que deveria saber.
Ignora o poder da EDP.
Ignora a incapacidade do PM, e do Ministro das Finanças para defender o país.
Ignora as acções do Ministro da Economia e do seu secretário de estado.

E da mesma forma que o povo é injusto para os que nos lesam, ignorando os factos e não os punindo... também é injusto para quem nos defende... ignorando os factos e não os apoiando.
Exigimos justiça mas, nós próprios,  nem a mais básica sabemos exercer?
Para se ser justo é necessário informar-se do que se passa, mas o futebol ocupa muito tempo, na vida dos cidadãos.
Henrique Gomes deixou-nos preciosas informações, (veja no final os vídeos onde ele denuncia vários escândalos da EDP) um alerta... ainda na esperança que o povo português, um dia, se liberte da ignorância que o cega, e saiba reconhecer e valorizar aqueles que lutaram contra a maré, e enfrentar aqueles que os empurram para a onda de empobrecimento e exploração.
Existem algumas pessoas que tentam ajudar o país, mas os governantes depressa se livram delas, e o povo, nunca intercede por elas. É o paraíso dos que nos querem roubar.

"A propaganda e o lobby dos grandes operadores e o silêncio do Governo, igualmente ensurdecedor, têm assegurado os privilégios do sector eléctrico.
Esses privilégios traduzem-se em rendas e tarifas excessivas, financeiramente insustentáveis, económica e socialmente ilegítimas e, no caso das rendas, ilegais. Politicamente, são um desastre.
A complexidade e dureza da crise em que mergulhámos potenciam a nossa desorientação e o alastrar da cegueira. Sem lideranças que não nos guiam e sem confiança, ficámos cegos e encadeados pela Luz branca manipulada pelos vários poderes organizados.
Sem referências, submersos por informação que não compreendemos, deixámos temporariamente de poder ver, mas pressentimos e sempre poderemos enxergar.

A Luz e a Bengala
 clique na imagem para ampliar 
Para procurarmos pistas do que está a acontecer no sector, pegámos na bengala branca para tactear o caminho dos Relatórios e Contas 2012 do operador dominante do sector: o Grupo EDP e da sua sub-holding EDPR (renováveis).
EDPR (na imagem)
No caso da EDPR (essencialmente energia eólica), o mercado português é de longe o mais rentável, assegurando 40% do Resultado Líquido atribuível a accionistas (RL) e apresenta uma rentabilidade dos capitais próprios (RL/CP) de 46%.
O mercado dos EUA, representando 38% do volume de negócios (V) da EDPR, tem uma rentabilidade (RL/CP) quase nula de 0,6%. O mercado espanhol tem 34% e 2,9%, respectivamente.
Para além de Portugal e Espanha, os mercados do resto da Europa têm, em conjunto, uma margem das vendas (RL/V) metade da de Portugal.
Os capitais próprios afectos às actividades fora de Portugal elevam-se a 5.634 milhões de euros e apresentam uma rentabilidade (RL/CP) de 1,3%.
EDP
Ao nível mais geral do grupo, verificamos que os negócios de menor risco, (concessões reguladas, contratos de Longo Prazo e Eólicas com feed-in tariff) estão, quase exclusivamente, concentrados em Portugal e asseguram cerca de 71% dos RL do grupo, apesar de só realizarem 45% da margem operacional (EBITDA) e representarem cerca de 40% do Volume de Negócios.
O EBITDA fora de Portugal não ultrapassará os 55%.
As Actividades Liberalizadas, com um volume de negócios de cerca 8,3 mil milhões de euros (representando cerca de 50% de todo o grupo), têm um RL negativo.

Enxergar a realidade
Se adoptarmos os rácios Resultado Líquido sobre Volume de Negócios (RL/VN) ou Resultado Líquido sobre EBITDA (RL/EBITDA) do conjunto das actividades fora do perímetro ‘Produção Contratada + Redes Reguladas e Renováveis’ em Portugal, verifica-se que os portugueses suportam, com estas actividades de menor risco, um lucro excessivo (acima do normal, justo) da ordem dos 300 e 250 milhões de euros face ao conjunto de todas as outras.
De facto, não só a EDP vive à custa dos portugueses e "…acima das nossas possibilidades", como todos os restantes que aproveitam o festim.
O que os portugueses pagam demais é drenado para fora da nossa economia.

O Défice tarifário
Se os custos da energia contabilizados pelos operadores e reconhecidos pelo Estado em representação dos consumidores, tivessem sido imediata e totalmente repercutidos nos preços, na baixa tensão (famílias e PME), teríamos preços cerca de 30% mais elevados desde 2012.
O Governo, não conseguindo eliminar os excessos e não tendo condições políticas para repercutir todos os custos que aceita, tem o défice tarifário descontrolado. 
Quando acabarem as condições de financiamento, aquele será integrado nas Contas Públicas. O filme já é nosso conhecido. 
(traduzindo - O governo não conseguiu eliminar as rendas excessivas, e quem o tentou fazer, foi parar à rua, e teve que aceitar os custos, o deficit tarifário rondará os 4 mil milhões, valor que irá ser pago pelos portugueses)
Tal como Abebe Selassie, os Portugueses têm razões para estar preocupados. Já enxergamos: a realidade é assustadora e oprime-nos! " *Cidadão e ex-Secretário de Estado da Energia

OS VIDEO QUE CORROBORAM O SAQUE
  1. - Henrique Gomes, explica o escândalo em entrevista de José Gomes Ferreira
  2. - PS criou as rendas excessiva da EDP
  3. - Privatização da EDP, lesa portugueses em 117 milhões
  4. - Como eliminar pessoas que se opõem aos lobies
  5. - Como aumentar o poder dos lobies?
  6. - A equipa maravilha de ex políticos da EDP
  7. - PS aumentou 500% os subsídios que se pagam à EDP
  8. - 16 mil milhões para as barragens?
  9. - Da politica para a EDP.
  10. - Sócrates justifica investimento nas barragens, com mentiras?
  11. - EDP coloca os portugueses a pagar energia aos espanhóis?
  12. - Quanto pagamos de saque?
  13. - Histórias do Mexia que explicam muitas coisas
  14. - PS ajuda a EDP
  15. - EDP e o Moedas
  16. - O esbanjamento
  17. - Mais influencias... 
  18. - As amizades que já vêm de longe
  19. - A poderosa EDP, ganha terrenos
  20. - Não perdem uma oportunidade para ir ao bolso
  21. - Subsídios encapotados




8 comentários :

  1. Deixe de dizer Méééééé!25 março, 2014 16:48

    Até quando você vai deixar que o tratem como um "carneiro"? Não acha 40 anos de "conversa fiada" muito tempo? Veja onde isso nos levou! Um desemprego brutal, uma dívida colossal e uma emigração massiva com a consequente desagregação e erosão de muitas famílias. Você vai continuar a deixar-se manipular pela oligarquia que tomou conta dos aparelhos partidários? Só não vê quem não quer. Basta olhar para a mediocridade desses imberbes políticos de carreira, estilo "prêt-à-porter", que mais não são que agentes ao serviço desses intere$$es obscuros não escrutinados. E isso só acontece porque temos o sistema eleitoral mais anti-democrático da Europa Ocidental. Abra os olhos! Deixe de dizer Méééééé e passe a fazer Grrrrrrr

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos o povo manso... e os lobos adoram cordeiros mansos

      Eliminar
    2. Pois o povo tem muita culpa, ver http://apodrecetuga.blogspot.pt/2013/05/se-votas-reclamas-de-que-es-tu-que.html
      A imprensa e principalmente as televisões também fazem parte dos que mandam no país, pois divertem o povo com estupidez e censuram as verdadeiras noticias. A estupidez e a diversão servem para anestesiar o povo e este povo gosta muito de circo.

      Eliminar
  2. E que tal falarem sobre a empresa de cobranças difíceis que o governo pôs ao serviço da Ascendi capitais da mota engil... roubando o povo à descarada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se deixar links sobre o assunto ou pistas mais concretas talvez consiga perceber do que se trata.

      Eliminar
    2. já encontrei Mota-Engil e Grupo Mello aliados da DGCI, contra o cidadão? Multas nas portagens de 500% e 1000%? DGCI faz a cobrança? PSP ajuda ao saque? É isto um estado de direito?

      Quando o utente "infringe", mesmo que sem culpa, tem a DGCI para defender a Brisa, a PSP para perseguir o utente e apreender viaturas, o fisco que congela o IRS, penhora casas e salários.
      E se a Brisa infringir? A DGCI também ajuda as vitimas das suas infracções? A PSP também intervém?
      Este é sem dúvida cada vez mais o país dos ricos e dos fortes... a justiça não é para todos, emigrem antes de perderem o pouco que nos sobra, é esta a mensagem que recebemos todos os dias.
      O estado e as elites aliados contra o povo. Veja este video perceba o perigo que é ser cidadão em Portugal.

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2014/06/mota-engil-e-grupo-mello-conquistam.html#ixzz35r9FEXJU

      Eliminar
  3. Continuem a votar nesta lama de partidos PS/PSD/CDS e tudo fica na mesma. Reconheço que é uma tarefa muito grande mudar mais de 75% dos votos de um povo; e são esses 75% os que contam para qualquer mudança, visto que esses partidos são incapazes de se refundir.

    ResponderEliminar
  4. Para o bem do Pais a EDP deveria ser nacionalizada. Portugal está atolado de corruptos este pais só se endireita com a nacionalização dos bancos, dos seguros, das empresas publicas, baixar os impostos a quem trabalha e aumentar os impostas as grandes empresas privadas....

    ResponderEliminar