23 setembro, 2013

Os cordeiros correm em massa para o covil do lobo. 20 mil militantes novos, para o PS?

Ainda há pessoas que não possuem vergonha de mostrar que apoiam a corrupção e os partidos que nos destroem há mais de 3 décadas. 
Será por cegueira? Burrice? Ou falta de emprego e moral? Quem procura emprego está inscrito no centro de desemprego, quem procura vida fácil, parasitismo e tachos, está inscrito nos partidos?
 "Num momento em que tanto se fala do divórcio entre eleitos e eleitores, os partidos apresentam números que parecem contrariar a leitura. Nomeadamente o PS
. (...)
Em 2 anos, o número de militantes daquele partido aumentou significativamente com a entrada de 20.627 novos militantes.
Em 2011 tinham aderido 16.144 pessoas. Um número bem acima dos 4483 que entraram em 2012. De acordo com a publicação do PS, mais de 15 mil entraram após as eleições legislativas de 2011 que colocaram o PSD e o CDS no poder.

Foi também em 2011 que o PSD registou um número elevado de adesões.
Segundo dados cedidos pela direcção social-democrata, o PSD registou 9464 novas adesões em 2011, tendo no ano seguinte ficado pelas 5390. No final de 2012, os militantes sociais-democratas eram 112.009.
Também o CDS aumentou o seu número de militantes em 2011. Os centristas somavam mais 4260 militantes no final desse ano. Mas em 2012 entraram apenas mais 1914 novos militantes. No final do ano passado, o CDS contava com um total de 29.655 militantes. 
Quanto ao PCP,(...) entre 2009 e 2012 os comunistas recrutaram mais de 5800 novos militantes. Que, somados aos militantes mais antigos, faziam o PCP contar com 60.484 membros à data daquele congresso.
O Bloco de Esquerda contava aquando da sua última convenção, no final do ano de 2012, com 9600 militantes. Um acréscimo de 600 novos membros em relação à anterior actualização, feita em Abril de 2011, na altura da convenção do BE.
Os números do PS estão longe, ainda assim, de outros momentos da história do partido. De acordo com alguns dados compilados pelo PÚBLICO, em 2000, o PS contabilizava 124.611 militantes. O ano em que aquele partido registou maior número foi em 1982, quando chegou aos 125.648 membros.
O partido com o recorde de número de militantes é, contudo, o PCP. Em 1983, contabilizava 200.753 membros, tendo, desde aí, registado uma tendência decrescente que o levou até aos 58.928 em 2008. Mas tanto o PS como o PSD têm registado ao longo dos anos significativas variações no número de militantes. Em 1996, por exemplo, o PSD contava com 183.630 militantes. Em 1999, já contabilizava 77.055 membros. E, em 2008, enumerava 153.000 inscritos, embora apenas 71 mil tivessem quotas pagas.
Os quatro maiores partidos anunciam aumento de militância. Contudo, o número com quotas em dia revela retrato diferente.
No Largo do Rato, por exemplo, em 2005, cinco anos após ter chegado aos 124.611 militantes, o PS já só contava com 90.629 membros.
(...)Dos mais de 83 mil inscritos, apenas 48.905 tinham as contas saldadas com o partido. O PSD assumia os mais de 112 mil membros como "activos". fonte

O jogo está feito para que os interesses dos partidos, se sobreponham sempre, aos do país e do povo.
Mas nós tardamos a entender que através do voto, não conseguimos mudar nada.
Nenhum partido, para além dos do costume PSD, CDS e PS consegue chegar ao poder, porque mais nenhum possui a capacidade de competir com o numeroso rebanho de militantes que estes partidos angariaram, ao longo de muitas décadas, a espalhar a palavra do senhor. Foram muitos anos de lavagem cerebral realizada por verdadeiros missionários, angariadores de votos, que se apoderam de freguesias, câmaras, igrejas, escolas, reformados, etc, para espalharem a sua palavra, a sua demagogia, as suas mentiras, as suas promessas, os seus favores, tachos e boys, e assim ganharem votos e devotos. Possuem um verdadeiro exército de missionários estrategicamente bem espalhados e bem pagos.
Para isso serve o poder local, e por isso os governos se recusam a tocar ou a contrariar esse ninho de vespas despesista e corrupto, um dos maiores responsáveis pela divida que afunda o país, mesmo contrariando uma das exigências da troika, que era reduzir o nº de autarquias.
São eles os angariadores de votos mais eficazes, ao utilizarem o dinheiro público para favorecer o partido que representam, ao utilizarem as instituições públicas sob o seu poder, para propagandearem o partido que quiserem. 
E tal como afirma Paulo Morais, a partir do minuto 5 deste video, são estes senhores todos poderosos, que decidem quem tem direito a emprego e quem passa fome, quem tem negócio e quem vai à falência, já que os maiores empregadores destas terras são as câmaras, as santas casas da misericórdia, e quem mais contrata serviços a empresas, são também as câmaras. Por isso quem quer sobreviver, tem de se submeter. 
Ao minuto 3 deste video, Medina critica a falta de força do governo para acabar com o despesismo do poder local. "Não teve força para contrariar os compadres dos municípios e não cortou nos municípios."
Conseguem votos gastando muitos milhões de impostos em campanhas, em obras inúteis, a oferecer excursões aos idosos, etc.
Aparentemente jamais será pelo voto que se derrubarão os corruptos de sempre. O poder deles está bem assegurado.

9 comentários :

  1. Muito nojento. Gente dessa merece infelizmente as sacanices que os patifes do topo andam a preparar. Carne para canhão, neste caso e nesta época, servem para serem usados e abusados, cilindrados, etc. São os porcos feios e maus que pensam que assim se safam. Idiotas, o dia deles chegará.

    ResponderEliminar
  2. O que é que se pode esperar de um povo totalmente inculto?Que vote com responsabilidade? Acho que não.......!

    ResponderEliminar
  3. Acabei de enviar um comentário para o "Aventar" sobre o acto de votar.
    Não vou aqui repetir o dito, nem alongar-me nesta matéria.
    Diz-se - e eu estou de acordo - que o voto e' a arma do povo. Infelizmente e' uma "arma" que só fazemos uso dela de x em x anos, enquanto o nosso inimigo (políticos) utiliza todos os dias e a seu belo prazer um enorme arsenal bélico.
    Este governo ou os anteriores tem a coragem de mexer nas PPP, fundações, observatórios, Câmaras, Juntas de Freguesia, pensões milionárias e outros grandes ninhos de corrupção e gatunagem? NÃO! Com certeza que não nem nunca!
    Eu sou "povo". Melhor dizendo faço parte do povo.
    Será que sou tão masoquista, imbecil ou influenciável que vou entregar a "minha" arma (voto) ao meu inimigo? Chamem-me o que quiserem. Respondo pelos meus actos cívicos.
    Eu vejo e analiso os partidos políticos com acento na AR da seguinte forma:
    Psd + Cds + Ps são aquilo que a maioria do povo sabe.
    Pcp + Be ao permanecerem na Assembleia da Republica a debitar palavras que o "povo" gosta de ouvir, estão a "DAR" o aval a' canalhice dos restantes partidos que puseram Portugal na lama.
    Parafraseando um ditado popular, tão gatuno e' o que rouba como o que fica a' porta.
    They're all the same bullshit.

    ResponderEliminar
  4. REVOLTA POPULAR, HOMENS NÃO FALTAM MEIOS É QUE NÃO, DE TRETA JÁ NÃO VAMOS LÁ, COM TODOS OS QUE FALO, ALGUNS DESESPERADOS, ANTES QUEREM CAIR COM UMA ARMA NA MÃO DO QUE DE FOME. OBS: depois dos m/comentários o computador porta-se estranhamente, não andará por aí o sis ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que chama treta é na realidade o que serve para acordar muitos adormecidos. Informar muitos que ignoram, indignar muitos que aceitam. Formar o batalhão que pode mudar o país.

      Eliminar
  5. Cara Zita, apesar de estar de acordo consigo diga-me, acha que aqueles que passam fome para que os filhos tenham condições mínimas de sobrevivência possam esperar ? Os que vendem tudo (aneis fios até alianças de casamento) podem esperar? Os que não tem medicamentos, os que estão em risco de irem para a rua por não pagarem a renda ? Cara amiga eu lido diariamente com gente, ainda á poucos meses um amigo meu se suicidou, amiga esta gente não pode esperar.

    ResponderEliminar
  6. Cara Zita, creio que estamos a navegar em aguas com profundidades diferentes ou não entendeu o alcance do meu comentário. Ou - o mais certo - não me soube expressar e confundi quem me leu.
    Eu quero votar. Mas quero ser eu a escolher em quem.
    Ja la vai o tempo em que eu tinha de comer a sopa que minha mãe cozinhava.
    Não será partido algum a obrigar-me a votar em quem os políticos - depois de cozinhados os menus - quer .
    Utilizando a sua expressão, eu não quero eleger nenhum carrasco. Quero eleger gente seria, honesta e patriota. Se a Zita conhecer alguém no actual quadro politico que reúna estas elementares condições, por favor diga-me.
    E' este o uso que faço do meu voto (arma).



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. FINLANDIA QUARTA: Não existem presidentes de Câmara.
      O governo dos municípios na Finlândia encontra-se nas mãos de "gestores da cidade", ou seja, funcionários públicos com experiência na administração de tais entidades. Assim, o público pode distinguir claramente o responsável e que até podem ser despedidos ou substituídos, pela Câmara Municipal ( órgão eleito nas urnas pelo povo e que possui a representatividade da soberania popular). Helsínquia é a excepção a este modelo.

      QUINTO: Ausência de cargos de designação politica:
      Na Finlândia, os secretários de estado fazem carreir

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2011/06/finlandia-como-lutou-contra-corrupcao.html#ixzz2fnbaNBe7

      Eliminar
  7. Chamo a atençao para o negativo lido nas palavras de que somos uns pobres nas mãos dos partidos já instalados. Recuso porque acho que somos inefientes quando não avançamos para formas concretas de militancia e reduzimos o nivel de lamurias e mal dizer.Um bom exemplo que Zita apenas aflora é novas formas de gestão publica mais eficientes que devem ser mostradas e discutidas de norte a sul; mas não tenham ilusoes - os instalados não vão dar o ouro ao bandido ajudando-nos a divulgar o que nos interessa. Se usarmos a novas formas de comunicação podemos/queremos? organizar nucleos de divulgação(pode ser um) com informação/formação para termos melhores candidatos a cargos locais ou nacionais e melhores eleitores. Alem de ser informação solida não é necessario inventar nada peloque vejo aqui no blog+transparenia+medina+gomes ferreira+prodata ja temos sem demagogias materia para que os cidadaos exigam mais transparencia na sua freguesia/concelho e venha a votar menos zarolho. Mas vamos a isso sem lamurias e culpar a amerkl/painatla/"eles" somos nós que temos que fazer e mudar nao eles. Eles já lá estão e bem.

    ResponderEliminar