30 junho, 2014

Fundos de pensões: mais uma "swapada" tuga sem responsáveis. Governos jogaram com o dinheiro das pensões.


TRANSFERÊNCIA DAS PENSÕES DA  BANCA, PARA O ESTADO?
MAIS UMA VEZ O GOVERNO NÃO ACAUTELOU NEM PROTEGEU O INTERESSE PÚBLICO. MAIS UMA VEZ O GOVERNO NÃO DEFENDEU O ESTADO. MAIS UMA VEZ FAVORECEU O PRIVADO.



Fundos de pensões: mais uma "swapada" tuga sem responsáveis.
A segurança social tem jogado - e perdido - mais de 3 mil milhões de euros em produtos tóxicos em paraísos fiscais. Depois dizem que não há dinheiro para as pensões...!
Quando agora se pretende tirar aos reformados uma percentagem das suas pensões e reformas, rendimentos esses legitimamente expectáveis porque descontados durante uma vida inteira de trabalho, é preciso perguntar o que aconteceu aos fundos da banca e dos CTT-TLP, mais tarde PT, e também onde foram investidos os fundos das pensões ao longo dos últimos anos.

Porque bem sabemos que, pelas últimas contas que vieram a público, já se tinha perdido qualquer coisa como 3 mil milhões de euros em produtos tóxicos de investimento de alto risco.
Quer dizer: o estado tem sucessivamente "jogado" e perdido, nos mega casinos dos paraísos fiscais, o dinheiro dos fundos de pensões, dos quais já desapareceu um terço do montante existente actualmente e que é de cerca de 11 mil milhões de euros.
E eu, pessoalmente, não acredito que exista realmente nem sequer um décimo disso.
Portanto há que apurar quem jogou - e não devia ter jogado - com o dinheiro dos contribuintes portugueses, em mais uma "swapada" tuga pela qual, como sempre, não há responsáveis. Visão

29 junho, 2014

O ‘projeto’ UE e a democracia de plástico. Um futuro sem esperança.

Convido-os a ler o artigo que se segue. Um assunto  pertinente, que nos força a vislumbrar a urgência de os cidadãos se unirem e pensarem estratégias e medidas para travar ou mesmo, erradicar a ditadura do poder financeiro que se alastra e consolida na Europa. Uma força devastadora que destrói vidas, sociedades, economias, países e esperanças.
As ditaduras são disfarçadas de democracias, a chacina do holocausto é disfarçada de união e entreajuda... mas cada vez é mais visível o lado negro da farsa. Nada democrática e pelos resultados devastadores que todos conhecemos, devemos temer que poderão vir a destruir mais que o holocausto e de forma irreversível.

Sobre o artigo, apenas colocarei, aqui no blog, o ponto 1 e o ponto 4, no final podem optar por ler o artigo completo, basta seguir o link.
Mais uma vez, não posso deixar de elogiar o valioso serviço voluntário de investigação e de cidadania, do cidadão Vítor Lima, a quem ajudo na divulgação.

"Os resultados das eleições para o Parlamento Europeu demonstram apenas um exercício de legitimação do poder do capital financeiro e da austeridade.
                                                                           
1 - A UE, versão para adultos
2 - A romaria europeia de maio
3 – Avaliação histórica das romarias em terras lusitanas
3.1 – Avaliação global
          3.2 – Distribuição pelas cadeiras de Estrasburgo
           3.3 – As votações partidárias
4 – À guisa de conclusão

1 - A UE, versão para adultos
Não é uma união mas uma prisão. Não é europeia mas do capital financeiro global. Uma burla desastrosa e genocida.
Entende-se como evidente a existência de grandes desigualdades na UE, à qual impropriamente se designa por Europa, como se os outros estados tivessem perdido a sua localização geográfica, por estarem fora da UE. E, como vamos assistindo, parece que a Ucrânia, sendo geograficamente Europa não o será ainda totalmente enquanto não tiver a sua estrela plantada na bandeira azul. Essa abusiva designação disfarça mal o pendor hegemónico do grande capital, desejoso de dominar a bacia mediterrânica e as margens do mar Negro.

28 junho, 2014

Ex-dirigente do Ministério da Justiça, julgado por favorecer cunhada, alegando que os 316 juristas da Câmara de Lisboa, não chegam!

FARTOS DE TRABALHAR PARA SUSTENTAR LADRÕES?
Ex-dirigente do Ministério da Justiça em julgamento.
O ex-presidente do Instituto de Gestão Financeira da Justiça e antigo diretor Municipal da Cultura da autarquia lisboeta começa a ser julgado por participação económica em negócio e falsificação de documentos, por alegadamente beneficiar uma advogada, irmã da sua companheira.
O caso ocorreu no período 2008/2009, quando Rui Mateus Pereira, então diretor Municipal da Cultura da CML, atribuiu, por ajuste direto, à sociedade que tinha como sócia aquela advogada, um contrato de prestação de serviços, de 55 mil euros, incluindo um parecer jurídico, avaliado em 27 mil euros, sobre os direitos de autor do espólio de Fernando Pessoa, estudo que nunca apareceu na autarquia, embora o arguido o conteste.
Rui Mateus Pereira foi notificado da acusação do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, em outubro de 2013, quando presidia ao Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, tendo sido imediatamente suspenso de funções, por despacho da ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz.  FONTE

(...)Segundo a Acusação, a que o CM teve acesso, o então diretor municipal de Cultura da Câmara de Lisboa beneficiou “indevida e patrimonialmente a irmã da sua companheira e tia da sua filha, assim como uma colaboradora sua” De acordo com o Ministério Público, Rui Mateus Pereira, que viu ser recusada a sua proposta para prorrogar o contrato de prestação de serviços da sociedade de advogados – que terminava em dezembro de 2008 outorgou ele próprio um contrato, numa altura em que também já estava em gestão corrente. “Face à impossibilidade de prorrogar os contratos de prestação de serviços, o arguido acordou com as mesmas a atribuição, em 2009, de montantes destinados a compensar a perda de rendimentos”, lê-se ainda na acusação, que visa também as advogadas Inês Amaral (cunhada) e Adelaide Silva.
-ESTUDO POR ENTREGAR - Segundo a acusação, Rui Mateus Pereira pediu um estudo sobre o espólio documental de Fernando Pessoa, que “não foi entregue”.
-SÓ METADE FOI PAGO - Do valor total de 55 mil euros, só metade, 27835 euros, foi pago, em Janeiro de 2009, às duas advogadas.
-CONTRATO CANCELADO - A 2 de Dezembro de 2009, a Câmara, por despacho da então vereadora da Cultura, revogou o contrato. Correio Manhã, Novembro 2013

"Rui Pereira justificou que havia muita «pressão política» para resolver questões jurídicas ligadas ao espólio e à marca Fernando Pessoa e que a «falta de juristas» na CML o levaram a contratar a sociedade de advogados de Inês Amaral." fonte
RESULTADO FINAL: O estudo nunca apareceu mas foram todos absolvidos. Tribunal absolve três ex-funcionários da Câmara de Lisboa no caso do estudo desaparecido
Estudo custou 27,8 mil euros e não foi visto por qualquer pessoa além dos arguidos.

27 junho, 2014

Cavaco Silva, o mistério do 10 de Junho, desvendado? O macabro cenário que querem esconder.

A censura feita ao momento alto do discurso, no dia de Portugal, impediu os portugueses de perceberem o que, na realidade se passou com o Presidente da República. Terá desmaiado? Terá apenas vacilado? Terá tido uma “ocorrência vagal”? Sintoma de Alzheimer?
Os que o ladeavam, durante o discurso, retirara-no em braços, não porque desmaiou ou caiu, mas porque ficou sem saber quem era e onde estava?
Querem-nos ocultar que temos como presidente, alguém que já não possui todas as suas faculdades mentais? Porque censuraram aquele momento? Um momento tão relevante como aquele e todas as câmaras se desviaram? Estavam avisadas/ prevenidas?
É tudo muito estranho isso é certo.
Deixo-os com a explicação e os vídeos, de alguém entendido no assunto e que conheceu Cavaco Silva no auge da sua arrogância. 

“Creio que poucos são os cidadãos portugueses que se interrogam sobre o que se passou ontem com o PR durante as comemorações do 10 de Junho.
Até porque a maioria apenas viu imagens tratadas pelas 3 cadeias de televisão, onde foram cortados os momentos em que supostamente o PR Cavaco Silva teria tido a tal “ocorrência vagal” indicada pelo médico oficial da Presidência.
Isso é propositado para que o povo português não perceba o que se está a passar e a gravidade da situação.
Mas, felizmente há cidadãos atentos que gravam em vídeo estes eventos e sem manipulações nem mentiras, partilham essas imagens para que não restem dúvidas e para que existam provas para memória futura.

Se há já 5 anos eu tive uma suspeita do que estava a acontecer à saúde do actual Presidente da República, ontem eu tive a certeza.
Refiro-me a uma ocorrência a que todos assistimos aquando do discurso do PR quanto ao novo Estatuto dos Açores há 5 anos.



Aníbal Cavaco Silva, nesse dia entra hesitante na sala de imprensa e mantém-se durante quase 2 minutos num silêncio confrangedor, mastigando em seco e quase apático até que alguém lhe dá sinal para iniciar o discurso.

Se repararem bem, a expressão do rosto e o vazio total do olhar como quem não percebe onde está nem em que situação se encontra é evidente.
Ora se na altura muitos associaram esta ocorrência ao clima de tensão que se vivia então com as alegadas escutas e vigilâncias à Presidência, ontem houve quem tentasse associar o suposto desmaio às manifestações que ocorriam durante as cerimónias do 10 de Junho.

26 junho, 2014

CPLP e a Guiné Equatorial -A história do ditador tirano que branqueia a imagem, subornando organizações mundiais?

A adesão da Guiné Equatorial à CPLP, é a mais recente exibição do poder corrupto do capital e de como os portugueses que se vendem a ele.
A desumanidade que grassa naquele país é uma afronta aos direitos humanos e à democracia, mas alguns portugueses poderosos e famintos de dinheiro sujo, não hesitam em o inserir na organização, mesmo violando os seus princípios. Apoiam um país que à vista do mundo inteiro, desrespeita o ser humano e a democracia, de forma cruel e reiterada.
A Guiné Equatorial não deveria ter lugar, numa organização que supostamente deve acolher apenas “nações irmanadas por uma herança histórica, pelo idioma comum e por uma visão compartilhada do desenvolvimento e da democracia” e que é regida pelos seguintes princípios: primado da paz, da democracia, do Estado de Direito, do bom governo, dos direitos humanos e da justiça social”.
A adesão da Guiné Equatorial é, inequivocamente uma descarada violação dos princípios da CPLP. O que poderá justificar ou pagar a violação dos princípios?

1 - A promiscuidade de interesses.  
Presidente do Banif “encontra-se numa situação de flagrante conflito de interesses”.
Transparência e Integridade, representante portuguesa da rede global anti-corrupção Transparency International, apelou hoje ao Governo de Timor-Leste para que anule a anunciada nomeação de Luís Amado, presidente do Banif, para vice-presidente da Comissão Preparatória da próxima cimeira da CPLP. Fonte
Luís Amado foi determinante para a adesão do país à CPLP.
No caso do Banif, prevê a entrada de um investimento que pode ir até 133,5 milhões de euros.
Amado fez a aproximação da Guiné Equatorial ao Banif, deu-se depois de anos de estreitamento das relações com Portugal, a nível diplomático e comercial. Luís Amado, hoje presidente do Conselho de Administração do Banif, teve um papel determinante na entrada da Guiné Equatorial na CPLP.
Enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros dos governos de Sócrates, Amado presidiu ao Conselho de Ministros da CPLP, numa altura em que a entrada do país na organização passou à agenda diplomática. Fez uma visita oficial ao país com uma comitiva de empresários e recebeu em Portugal o seu homólogo da Guiné Equatorial.
Além do Banif, a Guiné Equatorial está interessada em ter uma posição no BCP. Está em estudo uma parceria com angolanos para a entrada no banco controlado pela Sonangol, através de um fundo de investimento.fonte

2 - Guiné Equatorial traz milhões para o Banif e BCP?
A CPLP passou a ser uma organização de petro-Estados?
"Dá-me ideia que a entrada da Guiné Equatorial no capital do Banif (...) é capaz de constituir a jóia de entrada na CPLP", disse Paulo Morais.
Em reação a essa decisão, Paulo Morais considerou "lamentável que uma organização como a CPLP, "que nasceu sem meios, (...) genuinamente juntando um antigo colonizador com países que foram ganhando a sua liberdade", venha a acolher "um regime ditatorial onde o desrespeito pelos direitos humanos é permanente e onde se cometem atrocidades".
Para o responsável da associação anticorrupção, "não há qualquer razão decente" para a adesão da Guine Equatorial à CPLP. "Não há razões culturais, não há razões linguísticas, não há relações económicas, e muito menos ao nível daquelas que devem ser as primeiras razões da existência deste tipo de organizações, que é a defesa do desenvolvimento, a qualidade de vida das populações, os direitos humanos", afirmou. O único motivo para esta adesão, argumentou, é "fazer da CPLP um centro de negócios para [o presidente angolano], José Eduardo dos Santos".

25 junho, 2014

Mota-Engil e Grupo Mello aliados da DGCI, contra o cidadão?

Multas nas portagens de 1000%? DGCI faz a cobrança? PSP ajuda ao saque? É isto um estado de direito?
Quando o utente "infringe", mesmo que sem culpa, tem a DGCI para defender os interesses da Brisa, a PSP para apreender viaturas, o fisco para congelar o IRS, penhorar casas e salários!
Mas quando a Brisa infringe? A DGCI também ajuda as vitimas das suas infracções? A PSP também lhe apreende viaturas?
Este é sem dúvida cada vez mais o país dos ricos e dos fortes... a justiça não é para todos, emigrem antes de perderem o pouco que nos sobra, é esta a mensagem que recebemos todos os dias.
O estado e as elites aliados contra o povo. Veja este video perceba o perigo que é ser cidadão em Portugal.



Fisco acusado de cobranças abusivas a favor de entidades privadas. O fisco está a instaurar processos a condutores multados por terem passado nas portagens das auto-estradas sem pagar. Estas situações podem levar, facilmente, à penhora de bens, como a casa própria. Foi o que aconteceu a um cliente da Via Verde com um dívida de 80 euros, que, neste momento, já vai em 25 mil.
Não esquecer que muitas destas empresas pertencem ao Grupo BES.
Voltámos à Idade Média quando qualquer conde ou marquês cobrava pela passagem nas suas terras. O capitalismo inicialmente combateu essas barreiras mas ao tornar-se absolutamente parasitário tornou-se rentista. E o estado garante e financia o parasitismo.

Esta lei teve a sua origem em 2006 e tem sido alterada várias vezes, mantendo a "perseguição" ao utente... 
CAPÍTULO III -Regime contra-ordenacional / Lei n.º 25/2006, de 30 de Junho, Artigo 15.º
Competência para o processo
1 - O serviço de finanças da área do domicílio fiscal do agente de contra-ordenação é competente para a instauração e instrução dos processos de contra-ordenação a que se refere a presente lei, bem como para aplicação das respectivas coimas. FONTE

Fisco assume despesa e serviço da cobrança de dívidas de empresas privadas? (PPP). (Lei de 2006)
O Instituto de Infra-estruturas Rodoviárias pediu ajuda à Direção-Geral dos Impostos para cobrar as dívidas dos utentes que não pagam as portagens.
A partir de hoje ( julho de 2011), a DGCI vai andar, também, atrás dos devedores de portagens. Através de um acordo com o Instituto de Infraestruturas Rodoviárias (InIR), o fisco vai passar a cobrar coercivamente as dívidas dos utentes que usufruem das rodovias sem pagarem as taxas de portagem.
Continua a caber ao InIR instaurar o processo de execução da dívida, mas agora a cobrança dos valores em dívida (taxa de portagem, coimas e custos administrativos) passa a ser feita pela DGCI. Estas infrações também vão dar origem a penhoras eletrónica de bens, nomeadamente dos veículos automóveis. Mal seja feito o registo da penhora, o processo passa de imediato para a fase de apreensão e venda do veículo. Expresso

PSP ajuda à festa... todos a bater no zé povinho?
No caso de os condutores terem dívidas fiscais podem ver o seu carro apreendido por elementos das Finanças. A DGCI está a desenvolver uma parceria com a PSP para conseguir, durante estas operações de estrada, identificar os condutores com dívidas fiscais e, se for caso disso, proceder à apreensão do veículo na hora, avança hoje o "i".
A parceria terá tido início nos últimos meses de 2011 e no futuro o objectivo é manter estas operações envolvendo as duas entidades.(...) fonte

24 junho, 2014

A destruição do SNS. Mais despesa, mais PPP´s, menos hospitais... mais vitimas.

Já é habitual... em Portugal os serviços públicos tornam-se insustentáveis e degradados, devido à má gestão, agiotagem, compadrio, nepotismo e à submissão aos grandes grupos económicos... mas os governos, as entidades reguladoras e a justiça em vez de tomarem as medidas justas e que lhes competem, - julgarem os criminosos, fiscalizarem os prevaricadores e enfrentarem os grandes grupos económicos, - pura e simplesmente decidem acabar com os serviços públicos... É mais fácil, e dá-lhes milhões, assim ganham os grandes grupos económicos, os prevaricadores e os criminosos e lesam-se mais uma vez os utentes inocentes. É a justiça à portuguesa.
UMA MÉDICA,  EXPÕE AQUILO QUE POUCOS SABEM. OS HOSPITAIS ESTÃO A SER DESMANTELADOS, O SNS ESTÁ A TORNAR-SE AINDA MAIS CARO E INSUSTENTÁVEL, EDIFÍCIOS E MÁQUINAS ESTÃO AO ABANDONO, TUDO PARA FAVORECER INTERESSES PRIVADOS...

"O Hos­pi­tal Pulido Valente, onde sou médica pneu­mol­o­gista, está inte­grado no Cen­tro Hos­pi­ta­lar Lis­boa Norte (des­ig­nação recente do con­junto dos Hos­pi­tais de Santa Maria e Pulido Valente).
Neste Hos­pi­tal, desde há cerca de dois anos, esta­mos a assi­s­tir ao encer­ra­mento de edifí­cios. O edifí­cio da Fac­ul­dade de Med­i­c­ina, agora total­mente aban­don­ado, foi desati­vado. Alguns serviços foram já trans­feri­dos para o Hos­pi­tal de Santa Maria e as respeti­vas insta­lações, que tin­ham rece­bido impor­tantes e dis­pendiosos mel­ho­ra­men­tos, ficaram ao aban­dono.
Há edifícios con­struí­dos de raiz que nunca chegaram a fun­cionar e out­ros recen­te­mente recon­struí­dos na sua quase total­i­dade e com equipa­men­tos de ponta insta­l­a­dos (bloco oper­atório com várias salas, pronto a fun­cionar) que foram deix­a­dos ao aban­dono, há mais de um ano, sem qual­quer expli­cação. Aqui não se pode falar de falta de espaço, nem das más condições das insta­lações do Hospital.
Tudo isto teve cus­tos muito ele­va­dos emb­ora, tam­bém neste caso, a falta de transparên­cia dos gas­tos públi­cos não per­mita quan­tificar o seu valor real, o que infe­liz­mente é habit­ual em Portugal.

A dívida 300 mil­hões de euros parece ser o motivo para jus­ti­ficar o encer­ra­mento do Hos­pi­tal. O encer­ra­mento paga as dívi­das? Como?
Não se vai anal­isar a gestão nem se respon­s­abi­lizam os Con­sel­hos de Admin­is­tração que levaram a esta situ­ação e a dívida ainda serve de jus­ti­fi­cação para o encer­ra­mento do Hospital!
O argu­mento de que o Hos­pi­tal Pulido Valente não é necessário e que encerrá-lo é uma forma de poupar recur­sos esconde outra real­i­dade total­mente diferente.
Ao mesmo tempo que se aban­donam edifí­cios recentes, onde já foram gas­tos muitos mil­hões de euros, num espaço den­tro da cidade, com um Par­que Arbóreo raro (tem um plá­tano com mais de 400 anos, clas­si­fi­cado de inter­esse público em 1945) aprova-se a con­strução do Hos­pi­tal de Todos os San­tos, tam­bém na mesma cidade de Lis­boa. Tudo isto num País em bancarrota.

23 junho, 2014

O sufoco do despesismo que consome os impostos. Conheça algumas despesas.

As viagens da Sec.Geral do Min. das finanças
clique na imagem para ampliar
Ministério das Finanças gasta mais de 100 mil euros em carros e passeios.
A Secretaria-Geral do Ministério das Finanças assumiu, na última semana, despesas de quase meio milhão de euros (444 mil euros sem IVA), avança o jornal i. Cerca de 275 mil euros são relativos a serviços de comunicações fixas e móveis mas o que sobressai são os 79,8 mil euros (98 mil com IVA) gastos na aquisição de três carros e 8,6 mil euros para um “passeio turístico”.

Estas informações estão publicadas no portal Base dos contratos públicos e referem que os carros que foram adquiridos em regime de aluguer operacional de viaturas são para os gabinetes da ministra das Finanças, do secretário de Estado da Administração Pública e para a Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (Cresap).
No que toca ao “passeio turístico”, este será garantido com um contrato com a Escalatur – Viagens e Turismo e irá custar com IVA 10,6 mil euros. O contrato foi estabelecido para servir a reunião do Comité Económico e Financeiro da União Europeia, a realizar-se nos dias 12 e 13 de junho, em Lisboa.
Dentro deste contrato estão negociados, no dia 12, o “transporte em três autocarros de 55 lugares, do hotel para jantar em Lisboa”, no dia 13 o “passeio turístico em autocarro de 30 lugares, para 30 pessoas, durante a manhã, por Lisboa, com acompanhamento de guia turístico, entradas em monumentos, almoço e regresso ao hotel”, no dia 14 “passeio turístico em três autocarros de 55 lugares, para 140 pessoas, a Sintra, com almoço e entradas em monumentos”. fonte
Na imagem em cima, retirada do portal Base dos contratos públicos, site de despesas do governo, podem consultar a lista de mais algumas viagens da Secretaria-Geral do Ministério das Finanças. 


22 junho, 2014

António Costa gasta 92 mil euros em homenagem a colega. É a crise... de valores.


Os blocos de cimento que custaram 92 mil euros?
Em tempo de crise António Costa lembrou-se de gastar perto de 100 mil euros da CML para homenagear Maria José Nogueira Pinto pela “sua obra política e social”, quando a única coisa realmente célebre desta militante do CDS-PP foi a defesa de um projecto de lei que defendia o “reconhecimento pelo Estado da entidade jurídica do embrião” e procurava dar fundamentação à criminalização do aborto. O retrato que a própria CML faz de si própria em reportagem é edificante.






Uma escultura do artista Rui Sanches encomendada pela autarquia de Lisboa homenageia Maria José Nogueira Pinto, que morreu em Junho de 2011. É com uma escultura em forma de uma casa cortada ao meio, onde o céu é o tecto, que a Câmara de Lisboa homenageia a antiga vereadora com o pelouro da Habitação Social. 
À Renascença, o escultor Rui Sanches explica que a obra assenta em factos como "a acção que Maria José Nogueira Pinto teve pela cidade relacionada, sobretudo, com a zona da Baixa-Chiado e a sua recuperação, ou seja, essa ideia de uma pessoa que está associada à construção de uma obra no sentido lato". 
O autor da escultura indica, também, que outro dos traços da personalidade da antiga militante do CDS-PP que o inspiraram foram o seu sentido profundamente católico e conservador, "de alguém que acredita que há algo que rege de alguma forma a organização das coisas no mundo".
Escultura com gente dentro
O memorial, encomendado pela autarquia de Lisboa, tem no seu interior dois bancos e um imensa janela com vista para o Rio Tejo. Rui Sanches explica que esta ideia de uma escultura poder ter gente dentro reflecte a sua vontade de que, "no meio da confusão da cidade, as pessoas possam ter ali um sítio onde possam ter algum recolhimento e calma para se sentarem e olharem para o rio".
A escultura, na qual a Câmara de Lisboa investiu 92 mil euros, tem quatro metros quadrados e cerca de 4,5 metros de altura. Lá dentro, além de um frase de Maria José Nogueira Pinto, está também uma escultura do rosto da jurista. 
O monumento erguido na Ribeira das Naus, perto do arsenal da Marinha, entre o Cais do Sodré e o Terreiro do Paço, será inaugurado pelo autarca António Costa  inscreve-se no plano de requalificação da zona ribeirinha de Lisboa. fonte
  1. António Costa destrói tudo por onde passa
  2. Ribeira das Naus, o desperdício de 2 milhões, por birra?
  3. Habitação Social, 3000 casas oferecidas por cunha?
  4. Costa aprova 3 milhões de impostos para construir uma mesquita
  5. O contrato público da escultura, segundo os jornalistas da RR, foram gastos 92 mil euros no total do evento.
  6. As prioridades de António Costa, isenta Rock&Rio de 3 milhões de impostos?António Costa a grande ilusão, que serve a rede de clientes/parasitas do estado.
  7. Património oculto de António Costa
  8. AS CÂMARAS MUNICIPAIS E OS BOYS DE LISBOA
  9. Director do SEF, suspeito dos vistos gold, foi nomeado por António Costa no governo Sócrates.
  10. António Costa é um email que traz consigo um insustentável anexo chamado "déjà vu".
  11. A mãe de António Costa também tem tacho?
  12. Os amigos e os favores, que o povo paga.
  13. Fazer que faz, mas desfaz... 
  14. PPP que não conseguiu travar
  15. Ribeira das Naus, o desperdício de 2 milhões, por birra?


21 junho, 2014

Mais uma brilhante lei de Sócrates, que obriga o estado a dar tacho a um suspeito de crimes contra o estado.


Decidi partilhar mais este escândalo, que reflecte um país sem solução. Onde tudo parece errado. Onde tudo parece o oposto do razoável. Onde já nada nos espanta. 
Um espião, maçon, suspeito de lesar o interesse nacional e a ser julgado por isso mesmo, tem direito a tacho de luxo e de confiança, na presidência do Conselho de Ministros, porque alguém se lembrou de fazer uma estranha lei anti-democrática.

"O espião reintegrado e o triunfo dos porcos
Há coisas que me têm de explicar muito devagarinho, a ver se eu entendo. Parece que há uma lei de 2007 (de Sócrates, o magnífico) que diz que um espião com mais de seis anos de casa tem emprego assegurado o resto da vida. Faça o que fizer? Perguntar-se-á - parece que sim.
Em função dessa lei, o espião Jorge Silva Carvalho foi reintegrado na presidência do Conselho de Ministros, com direito a assinatura de Passos Coelho e Vítor Gaspar e com o salário base que auferia quando era diretor do SIS. Para fazer o quê? Ah! Bom isso não sabemos, porque ainda ninguém sabe o que pode lá fazer o espião (embora ideias não me faltem).
Pronto a notícia está arrumada. A Lei é lei que se há de fazer? Etc. e tal.
Mas espera aí! Não foi este Governo que anunciou que vão uma série de funcionários para a rua?
Mas espera aí: Não é este o funcionário exemplar que está acusado de abuso de poder, violação de segredo de Estado e acesso indevido a dados pessoais? O tal que espiou um jornalista, deu informações privilegiadas a uma empresa e chegou a mandar espiar a ex-mulher de um amigo?
Mas espera aí! Não foi este mesmo Jorge Silva Carvalho que se demitiu das secretas em Novembro de 2010, nas vésperas de uma cimeira da NATO em Portugal, por discordar do corte de verbas?
Mas espera aí! Não foi este o espião que depois arranjou emprego no Conselho de Administração de uma, então prospérrima empresa privada que ia comprar meio mundo (e ao serviço da qual, suspeita-se, colocou os seus dotes de espião)?

Não deve ser. Deve ser outro Jorge Silva Carvalho. Porque se fosse o mesmo - e estando o Governo a meter funcionários na rua - começaria por este. Que já se demitiu! Que quis mudar de vida. Que passou do Estado para a privada por vontade própria! Que é arguido por ter prejudicado o próprio Estado.
Deve ser outro, porque o Governo não é assim tão escrupuloso na lei, quando se trata de pensionistas, reformados, assalariados, desempregados, pessoas - digamos - normais.
Deve ser outro, porque este era amigo do dr. Relvas e o dr. Passos Coelho, como se sabe, não beneficia os amigos nem os amigos dos amigos, nem sequer os amigos dos amigos dos amigos.
Mas nem vale a pena fazer comentários. George Orwell, no seu magnífico livro 'O Triunfo dos Porcos' (em inglês Animal's Farm) escreve a célebre frase: "Todos somos iguais, mas alguns são mais iguais do que outros". Parece que os porcos não triunfaram só na quinta imaginada por Orwell." Expresso

Após pesquisa percebi que entretanto algumas partes do artigo em cima, ficaram desactualizadas, mas valeu a pena pelo humor que retrata o ridículo da justiça e das leis que nos afrontam.
Entretanto soube-se que afinal Passos Coelho era obrigado, por lei, a dar o tacho ao espião: 
"O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, foi condenado pelo Supremo Tribunal Administrativo a readmitir o antigo dirigente das secretas Jorge Silva Carvalho.
Logo depois de o ex-dirigente das secretas ter processado o primeiro-ministro e o ministro das Finanças por não o deixarem voltar ao activo o Governo chegou a admitir, num despacho datado do ano passado, que a sua integração dos quadros da Presidência do Conselho de Ministros decorria da lei em vigor, O problema é que, apesar de esse facto ter sido reconhecido, o regresso de Silva Carvalho ao trabalho nunca foi permitido. “Na sequência desse despacho ele perguntou onde e quando se podia apresentar. Nunca obteve resposta”, conta o seu advogado, João Medeiros." Público 
"Passos recorre pela última vez para não pagar salários a ex-espião
O primeiro-ministro, a Presidência do Conselho de Ministros e o Ministério das Finanças recusam-se pagar os salários a Jorge Silva Carvalho. Decisão final será conhecida em Junho." fonte
Leia ainda, Jorge Silva Carvalho de regresso à maçonaria
Ou então esta, Sócrates muda a lei para enganar o estado, nas PPP.





20 junho, 2014

Vamos despertar o PS que está em nós? As Guerras e farsas manhosas, dos partidos.





Coimbra, 07 jul (Lusa) - O sociólogo Boaventura de Sousa Santos afirmou hoje que o sistema político português "não cria cidadãos, cria súbditos" e defendeu uma renovação política de Portugal e da Europa, atendendo às alternativas e soluções que se encontram no "Sul global".
O sociólogo defende que seria necessário reformar o Estado e encontrar "novas democracias", de forma a sair de "uma cultura de submissão", que se insere num "contexto europeu de que não há alternativa".
Em Portugal, "quer-se gente que se submete, mas que não se revolte", observou, sublinhando que os direitos sociais conquistados com o 25 de Abril "não entraram no imaginário dos portugueses como algo que lhes pertence, mas como dádivas". 

As pessoas ainda não perceberam que grande parte dos movimentos e guerras dos partidos, são apenas manipulações e farsas que visam 2 objectivos vitais para a sobrevivência dos mesmos: - ganhar votos e dinheiro.
As guerras dentro dos partidos, como agora as do PS, surgem porque eles percebem que mesmo os seus apoiantes habituais, começam a dar sinais de cansaço e desinteresse, e perdem a vontade de apoiar o PS e brinda-lo com os milhões de euros ganhos com os votos. Por isso os estrategas de manipulação, pagos para enganar tolos, sabem que é urgente criar situações que causem um abalo dentro do PS para espicaçar os adeptos e a comunicação social.
A estratégia de dividir para reinar também funciona dentro dos partidos. Quem é que resiste a uma disputa, e ao apelo de socorro que ela implica, para que todos acorram em defesa dos seus favoritos? Mesmo que não se goste de nenhum há sempre um favorito.

ET VOILÁ, foi fácil, o rebanho acudiu....
(16 de julho 2014) "Três mil simpatizantes já se inscreveram no PS. Jorge Coelho não quis comprometer-se com o que consideraria uma boa afluência aos cadernos eleitorais do PS por parte dos simpatizantes que queiram juntar-se aos 94 mil militantes socialistas para votarem nas eleições primárias do PS."
(13 Setembro 2014) Jorge Coelho: Universo eleitoral de 240 mil nas primárias do PS superou as melhores expectativas

Esta é uma forma de despertar o adormecido espírito de seita da malta dos partidos.
Os fãs estão cansados de votar e confiar no PS e de afinal descobrirem que o regabofe continua a devastar o país, há décadas sem nenhum partido o deter ou mostrar vontade de o fazer.
Os eleitores começam a perceber que mesmo o partido deles, por desonestidade ou por incapacidade, não defende o interesse nacional nem protege os cidadãos.
E a calamitosa abstenção que marcou as Europeias, foi o sinal óbvio que os colocou em alerta. As pessoas reconhecem que afinal o voto não muda nada, não torna reais as intenções e sonhos de quem coloca a cruz, apenas torna reais as ambições pessoais de quem implora pela cruz.

19 junho, 2014

António Costa, o demolidor, destrói obras de milhões, vende património nacional em saldo e esconde contas?

António Costa é tipo o personagem, Bob, mas o demolidor. Causa imensos estragos por onde impera, mas o povo parece que adora o espectáculo de destruição e pagar os seus buracos de gestão.

@ -Demoliu parte de uma obra que em 2002, nos custou 2 milhões de euros, para construir a Ribeira das Naus, a polémica obra que um dia após ser inaugurada, já precisava de ser pavimentada de novo.

@ -Não se fica por aqui, vai demolir um mercado que custou 22,8 milhões. Nada o detém, ainda se lembrou de causar mais estragos ao património nacional, decidiu vender o mercado 31 de Janeiro, que foi construído por 22,8 milhões há 17 anos, e vai ser vendido à PT por 12 milhões, para ser demolido. Como se não bastasse o abuso, autorizou a PT a fazer nessa mesma zona, (Picoas) uma torre de 27 pisos.

@ - Andou anos a ocultar as contas da CML? Para alguns, expor as contas públicas, ao escrutínio público é sinónimo de transparência e honestidade. Para quem tem algo a esconder é perda de autonomia, diz ele? António Costa recusou mostrar as contas da CML, e andou durante 3 anos em tribunais a recorrer e a ganhar tempo, até que o tribunal deu razão ao queixoso e ele foi obrigado a mostrar as contas.
7/2014 -O revisor oficial de contas (ROC) da câmara de Lisboa levantou um conjunto de reservas sobre as contas de 2013 da autarquia, num montante superior a mil milhões de euros. Em causa estão as verbas registadas essencialmente em quatro rubricas, das quais se destacam as dúvidas em relação aos 841,5 milhões de euros de "bens valorizados desconhecidos".  artigo completo
Os favores aos amigos? A Câmara de Lisboa mais do que triplicou a sua despesa com a adjudicação de empreitadas e a aquisição de bens e serviços entre 2012 e 2013, conclusões que se retiram do relatório anual da Comissão para a Promoção das Boas Práticas (CPBP).
O município despendeu no ano passado, "um valor total de 127.725.661 euros com adjudicação de empreitadas e aquisição de bens e serviços". A ser assim, os gastos camarários subiram 235% de 2012 para 2013, ano de eleições. Aparentemente ninguém sabe ao certo, incluindo este executivo liderado por António Costa, quanto dinheiro dos munícipes é gasto pela Câmara de Lisboa.

@ -   "Lisboa isenta Rock in Rio de três milhões de euros em taxas. Próxima edição do festival não vai pagar imposto, tal como não pagaram as anteriores. António Costa diz que é um incentivo e queria estender isenção até 2014" Há que ajudar quem precisa? O povo que pague e aguente, porque os lucros de milhões da empresa privada de concertos, servem para quem gosta de viver bem sem pagar impostos, portanto ás custas dos impostos que todos pagaremos por eles  Leia mais aqui.

@ - A má gestão 
Segundo o MAPA DE PESSOAL do site da Câmara Municipal de Lisboa, o município alberga, no total 2678 técnicos superiores!!! Um exército que perfaz, na totalidade, 9445 funcionários, o dobro de Madrid ou Barcelona!
Entre outros técnicos superiores, destaco os que estão em maioria:
349 arquitectos
101 assistentes sociais
Desterro
175 gestores
79 psicólogos
32 designers
114 sociólogos
149 licenciados em marketing
268 engenheiros civis
161 historiadores
54 geógrafos 
** 316 juristas, cujo serviço se supõe que deve ser dar parecer sobre os pareceres que a CML encomenda a gabinetes de advocacia privados. artigo completo.

@ -Despesismo- A capital: população de 547 631 pessoas (últimos dados do INE), embora abrigue diariamente quase 3 milhões, distribuídos por 24 freguesias. A frota municipal é composta por 791 veículos ligeiros e pesados, mais 118 motociclos e máquinas (incluindo as viaturas da Polícia Municipal). O gabinete de comunicação diz que tem sido feito um esforço para diminuir a frota, que desde 2007 foi reduzida cerca de 25,4% (ligeiros e pesados), 61,4% só em ligeiros de passageiros (de 428 para 165). Mas nem por isso respondeu sobre quem tem carro do município, com ou sem motorista, e que custo representa para a câmara. Além dos veículos referidos, existem ainda 14 equipamentos eléctricos afectos à PM (3 GEM e 11 Segway). Ficámos também a saber que, no caso dos ligeiros de passageiros, o município recorre essencialmente à prestação de serviços de aluguer operacional de veículos (AOV). Quanto a motoristas, existem cerca de 440, com ordenados base mensais de 485,00€ acrescidos de subsídios diversos

18 junho, 2014

Milhões de impostos em derrapagens, as ilegalidades consentidas. O TC detecta, mas ninguém faz nada?

Muitas das obras públicas, em países corruptos como Portugal, servem para camuflar avultados desvios de dinheiro público, já para não falar nos casos das obras públicas inúteis que só por si, já são um desvio de dinheiro público.

Oriente/ Aeroporto - As empreitadas do Metro de Lisboa relativas ao troço entre Oriente/Aeroporto da Linha Vermelha apresentam um desvio financeiro de 18 milhões de euros.
Esta auditoria, relativa ao período entre 2006 e 2012, surge na sequência de uma denúncia anónima remetida ao Tribunal de Contas dando conta de eventuais ilegalidades cometidas pelo Metropolitano de Lisboa (ML). Foram denunciadas várias situações que, alegadamente, configuravam a violação da lei vigente em matéria de contratação pública e de empreitadas de obras públicas e reflectiam irregularidades graves na gestão dos dinheiros públicos, segundo revela a auditoria.
Segundo dados de facturação disponibilizados pela empresa Metro de Lisboa ao Tribunal de Contas, o valor contratual inicial para a linha vermelha era de 118,105 milhões de euros sendo que o valor final pago foi de 136,183 milhões de euros, correspondentes a um desvio de 15,3%. O desvio financeiro é detectável quer no contrato de elaboração do projecto, quer na prestação de serviços de revisão de projecto e na execução da empreitada.

17 junho, 2014

O medo que os políticos têm, que os eleitores indignados, comecem a votar...

Há quem apele à abstenção tentando convencer os eleitores que os políticos têm muito medo da abstenção porque se esta for elevada, pode derrubar o regime. Uma espécie de golpe de estado de "sofá"! Que cómodo...  
No entanto essa teoria cai por terra quando percebemos que são os próprios políticos que mantêm deliberadamente 1,25 milhões de eleitores fantasma, portanto, só da parte dos políticos, estão garantidos 1,25 milhões de abstencionistas...
Tal é o medo que eles têm da abstenção, que apesar de muitas criticas, para que haja em Portugal uma actualização dos cadernos eleitorais, eles, os que dominam o poder, insistem em manter este exército de falecidos e emigrados, registados como eleitores.
E sabem porque não temem, os corruptos, a abstenção? Porque criaram uma lei que faz da abstenção uma nulidade, não existe um numero de votos mínimos para validar a conversão de votos em mandatos. Mesmo que votem 2 mil pessoas apenas, é suficiente para legitimar mandatos. 

Por isso pensem por vós mesmos e olhem para os factos: a quem a abstenção tem garantido poder e governação nestes anos de abstenção elevada? Não se deixem enganar... não permitam que vos conduzam para a nulidade, que vos impeçam de usar o voto contra eles.
Pensem... se é a abstenção elevada que os mantém lá, então só quando todos os revoltados e indignados forem votar contra eles, é que eles sairão de lá. Já basta de governos PS e PSD, os que são contra eles, que votem. E veremos se Portugal não começa a mudar. Mais uma vez fica claro que os que apelam à abstenção servem a perpetuação da corrupção.
Comece a votar em partidos pequenos e com propostas mais democráticas, veja neste link os partidos que propõem democracia directa e que querem mudar a lei eleitoral. 

 "Número de eleitores em Portugal não bate certo, existem cerca de 1,25 milhões eleitores-fantasma... mais uma artimanha que permite aos partidos, albergar mais boys e alargar o seu poderio, através do poder local. 
A listagem total das freguesias aponta para 9,62 milhões de portugueses registados nos cadernos eleitorais, mas as contas feitas pelo jornal «CM» revelam que há 1,25 milhões eleitores-fantasma em Portugal. O jornal «i» também fez as contas com base em números oficiais e dá conta de 800 mil eleitores-mistério. E se há divergência em relação aos números, o mesmo não se verifica em relação à justificação. Emigrantes, mortos e duplicação de registos são explicação consensual para a diferença entre a base de dados eleitoral e a população portuguesa.
O «CM» avança que entre os cerca de 1,25 milhões de eleitores-fantasma no país estão pessoas que já faleceram e ainda não foram eliminadas nas listas das freguesias. Aos falecidos somam-se emigrantes que mantêm o local de voto em Portugal apesar de se encontrarem no estrangeiro.
As contas do «CM», com base no Instituto Nacional de Estatística (INE), foram feitas por Jorge de Sá, director da Aximage. O responsável explica que, se aos 10,6 milhões de cidadãos residentes, dos dados do INE, se retirarem os menores de 18 anos, que não podem votar, e dois terços dos estrangeiros em Portugal, que não têm direito de voto (290 mil), chega-se a um total de 8,37 milhões de eleitores. A listagem total das freguesias aponta para 9,62 milhões. A diferença revela que há 1,25 milhões de eleitores-fantasma no país. fonte
cadernos eleitorais farsa
Fonte: Visão

NA VISÃO: Portugal tem mais de um milhão de eleitores-fantasma
Dois politólogos atualizaram um estudo sobre o sistema eleitoral. Conclusão: há mais de um milhão
de "fantasmas", nos cadernos, e quase 513 mil votos... ignorados. CDS, PCP e BE são prejudicados. Alguém pediu uma democracia assombrada?
As estimativas de Luís Teixeira e José Bourdain assustam: há mais de um milhão de eleitores-fantasma nos cadernos, cerca de 513 mil votos ignorados e uma desigualdade gritante, nos 22 círculos de eleição. Um susto, portanto.
(...) à época das Legislativas de 2011, haveria 1 004 437 de  "fantasmas", ou seja, mais de 10% do universo eleitoral. Visão

Sobre a validade, conversão em mandatos e subvenção dos votos brancos e nulos
Sempre que se aproxima um acto eleitoral, aparecem uma série de informações erradas que desincentivam o exercício da cidadania.

16 junho, 2014

A austeridade tem destas coisas, uns pagam, outros recebem. Despesismo e desgoverno.

apodrecetuga corrupção estado
(clique nas imagens para ampliar) Fonte: site de despesas do Governo
O jornal SOL, fez uma pequena compilação das estranhas despesas da câmara de Almada. Por exemplo para Almada os salários não chegam para pagar o trabalho dos funcionários da câmara, pois eles ainda recebem prémio, por terem tido durante 25 anos, um salário e emprego seguro. A câmara gasta assim milhares de euros em relógios. Os contribuintes pagam, claro, pagam o salário e o prémio.

"Pode a austeridade custar a felicidade?
Na Câmara de Almada, pelo menos, os funcionários não têm razões de queixa.
Só este ano (2011), o Executivo de Maria Emília de Sousa gastou 31.915,64 euros na compra de 32 relógios em ouro oferecidos aos trabalhadores que completaram 25 anos de casa.
Entre Maio de 2009 e Maio do ano seguinte, a autarquia gastou 94.174,72 euros com este pequeno luxo. «É uma prática de há anos, com grande significado para os trabalhadores», admitiu ao SOL fonte do gabinete de imprensa da Câmara.
apodrecetuga corrupção estado
GASTOU MAIS EM RELÓGIOS QUE NAS REFEIÇÕES ESCOLARES
DE UM ANO INTEIRO? (CLIQUE PARA AMPLIAR)
Este ano, 32 funcionários levaram para casa um relógio da marca Longines, personalizado e com o aro em ouro – cada um custou cerca de mil euros. O gesto serviu para «reconhecer o seu desempenho» ao longo de duas décadas e meia de trabalho.
O presente foi entregue no dia 24 de Junho, durante a cerimónia do Dia da Cidade – a que assistiram todos os trabalhadores da autarquia e também os vereadores da CDU, PS e PSD, além dos representantes das estruturas sindicais e da comissão de trabalhadores.
Este ano foram 98 relógios, por mais de 63 mil euros, o ano passado foram 67 mil euros.
(As despesas com relógios desde 2010)
Gasta mais em relógios que em refeições de um ano escolar, como pode ver na imagem acima.

15 junho, 2014

É por volta da altura em que se atinge este volume de impostos que se costuma oferecer ao trabalhador: umas grilhetas e um chicote.

"A algibeira é redonda
Passos Coelho e Vítor Gaspar descobriram que o limite da algibeira dos portugueses é como a linha
do horizonte
Quando, em 1917, a Mãe de Deus, Todo-Poderoso, Senhor do Universo, decidiu visitar o concelho de Ourém, toda a gente percebeu que o futuro de Portugal estava no turismo.
Se a zona centro, menos favorecida do que outras na beleza da paisagem, era capaz de atrair viajantes pertencentes àquele importante segmento do mercado turístico, que sucesso poderia ter, por exemplo, o Algarve?
Para o Governo, contudo, o turismo será uma fonte de rendimento interessante, mas não a principal.
O futuro de Portugal passa sobretudo pelos impostos, e é neles que o Governo tem aplicado toda a sua criatividade e iniciativa.
José Sócrates impôs três programas de estabilidade e crescimento, e Passos Coelho avançou com outros tantos pacotes de medidas de austeridade adicionais.
De todas as vezes que as medidas foram apresentadas, houve sempre alguém - fosse uma pessoa com influência e prestígio na sociedade portuguesa, fosse o Presidente da República - que tomou a palavra para dizer: cuidado, há um limite para os sacrifícios do povo português. E, no entanto, semanas depois, novos aumentos. E as mesmas vozes voltavam a avisar: atenção, os sacrifícios têm um limite.

14 junho, 2014

As novas barragens não vão produzir energia, mas vão custar 16 mil milhões aos contribuintes?

É preciso reconhecer que se não fossem os ódios de estimação de Mira Amaral o desastre das políticas energéticas do Sócrates e do governo actual, seria ainda menos conhecido do que é. Fui repescar, uma vez mais, um dos seus artigos vitriólicos de onde respigo alguns trechos esclarecedores para a compreensão da formação dos preços da electricidade e da génese do infame défice tarifário que segundo algumas estimativas poderá atingir 8 mil milhões em 2020 ou 1.400 euros em média por alojamento. 
Henrique Neto afirmou que Eduardo Catroga foi integrado na EDP porque ele era um dos maiores opositores das rendas excessivas da EDP. Este é um dos esquemas usados pelas grandes empresas para calar alguns, pois assim Catroga calou-se com o chorudo salário de 45 mil euros/mês...
Desconheço se são estas também as motivações de Mira Amaral, falar até que o calem por bom preço, entretanto devemos aproveitar a informação que ele revela, nesta guerra das quais desconhecemos a causa. Este video, serve para que todos saibamos porque a EDP continua a albergar ex políticos, continua a ter lucros estonteantes e continua a desobedecer à troika, ao governo e ao interesse nacional.




Mira Amaral... «As eólicas e a biomassa», 
«Sempre que escrevo sobre energia, o lóbi eólico, a EDP e ajudantes multiplicam-se imediatamente em artigos e entrevistas! Agora disseram que o preço das eólicas era €70/Mwh, mas a ERSE diz-nos que era em 2013 de €102/Mwh! Também escamoteiam sempre a intermitência do vento que leva a que as novas centrais tenham que ter sempre duas muletas, a bombagem de noite e as térmicas de reserva de dia. Obviamente que tais muletas têm de ser imputadas às eólicas e por isso temos que somar ao seu preço nominal os €62/Mwh calculados no IST pelo prof. Clemente Nunes e chegamos aos €164/Mwh!

13 junho, 2014

Governo cria mais um albergue de boys dourados e inúteis, para todos pagarmos.


QUE IMORALIDADE CHOCANTE​, NUM PAÍS ONDE HÁ FOME​!!!
Devem andar a gozar com os nossos impostos.
Estão a tentar acabar com os “Institutos” mas já arranjaram outros organismos para continuar a saga de tachos e boys, de saque ao orçamento. Começaram a criar “Instituições”. São os grandes malabaristas do parasitismo. Com muita ginástica mental, há sempre lugar para mais uns.
Que interesse há na criação desta instituição? Para que serve? Já existem dezenas de organismos, que todos pagamos, que servem para fazer a mesma coisa, uma e outra vez.
Isto serve para criar mais uns bons tachos dourados para os “amiguinhos”. Quem põe cobro a esta pouca vergonha? Basta ler o primeiro paragrafo para percebermos que vem fazer o que deveria ser feito pelo IEFP, ou o ministério do emprego, ou o observatório do emprego e as fundações de emprego.
Mas ao ler o Diário da Republica percebemos que agora são diferentes, estes são inteligentes... deve ser por aí.
Vão aperfeiçoar, melhorar, bla bla bla... é sempre a mesma conversa vazia. Medidas reais para acabar com o desemprego? bla bla bla bla

Diário da República, 2.ª série - N.º 57 - 21 de março de 2014
A Resolução do Conselho de Ministros n.º 73/2013, de 14 de novembro, determinou o processo de criação da Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD), que tem como objetivos contribuir para a concretização das políticas públicas de promoção do crescimento e emprego, visando o desenvolvimento inteligente, sustentável e inclusivo, melhorar as condições de financiamento da economia, e aperfeiçoar a arquitetura institucional dos instrumentos financeiros, através do aumento de eficácia dos instrumentos de financiamento da economia e da realização plena dos princípios da boa governação.
(...)Nos termos da 2.ª parte do n.º 9 do artigo 28.º do Estatuto do Gestor Público, os gestores podem optar por valor de remuneração que tem como limite a remuneração média dos últimos três anos auferida do lugar de origem, aplicado o coeficiente de atualização das correspondentes taxas de variação média anual do índice de preços no consumidor. (...)
a) O Presidente da comissão instaladora, Paulo Azevedo Pereira da Silva, com limite de 13.500,00 € mensais;
b) A Vogal, Carla Maria de Castro Chousal, que fica a auferir uma remuneração mensal no valor de 12.515,44€;
c) O Vogal, Nuno Miguel de Ferreira Soares, que fica a auferir uma remuneração mensal no valor de 8.034,98€.
2 – Não são devidas despesas de representação aos membros da comissão instaladora su identificados.

11 junho, 2014

NADA TRAVA UMA DAS PRINCIPAIS CAUSAS DA FALÊNCIA DE PORTUGAL. A BANCA GOSTA...


GOVERNO QUER AVANÇAR COM NOVAS PPP, MAS COM CUIDADO E MODERAÇÃO.
MAS AS PPP SÃO COMO O VENENO POIS MESMO CONSUMIDO COM MODERAÇÃO E CUIDADO, FAZ SEMPRE MAL.


Novas PPP´s foram adjudicadas em 2009 e vão agora avançar.70 mil milhões de euros que todos nós vamos pagar a uns chicos espertos que gostam de viver à grande e à francesa, só a receber rendas.
Neste artigo será efectuada uma descrição e análise de um documento oficial da Direcção Geral do Tesouro e Finanças, de 2010, sobre as várias Parcerias Público Privadas (PPP) e Concessões em infra-estruturas correspondente a 120 projectos, num valor superior a 70 mil milhões de Euros considerando o investimento inicial e prazos de concessão, que pode ser consultado no sítio: www.dgtf.pt

A maioria dos políticos, economistas e a grande parte da imprensa quando se refere às novas PPP só mencionam a construção do novo troço ferroviário Poceirão-Caia e raramente referem que a maior parte do investimento vai ser dirigido para novas auto-estradas, águas, saneamento, resíduos ou novas barragens. Esta é talvez a maior surpresa quando se analisa com maior atenção o documento do Governo.
A repartição do investimento total é, como se lê no gráfico 2.1 da página 6 do referido documento, é a seguinte:
corrupção apodrecetuga rodoviárias ppp
clique nas imagens para ampliar
41% para Rodovia (novas auto-estradas e vias rápidas);
19% para Ambiente (Águas, Saneamento e Resíduos)
12% para Produção de energia eléctrica (Novas Barragens);
10% Distribuição de energia eléctrica;
9% Produção e distribuição de Gás Natural;
4% Ferrovia;
4% Portos
e 1% Saúde e Segurança.

10 junho, 2014

Surpreenda-se com este gráfico, que denuncia o poder dos políticos no sector privado, e não só.


Promiscuidade: os currículos dos governantes portugueses
Foram disponibilizados na internet, os currículos empresariais e políticos de 776 membros de governos portugueses desde o 25 de Abril.
Fácil de consultar (osburgueses.net/consulta), a informação completa dos percursos políticos e empresariais de todos os membros de governos portugueses dos últimos quarenta anos. O peso político das PPP, do PSI20, dos grandes grupos.
Um estudo baseado no livro "Os Burgueses", onde são estudadas as ligações entre a política e os negócios, analisando a informação pública relevante e construindo uma base de dados dos governantes, incluindo todos os membros dos Governos Constitucionais até final de 2013, para identificar as suas carreiras e registar as suas principais ligações empresariais diretas.

Assim, são estudados os protagonistas destas ligações, a sua formação universitária e antecedentes profissionais, a sua história política e empresarial, a forma como se integram nas redes de acumulação, destacando ainda a sua vinculação às maiores empresas e aos grandes grupos económicos, às parcerias público-privado e aos escritórios de advogados.

Esse inventário completo nunca foi feito e é um instrumento indispensável para compreender a
sociedade portuguesa e, em particular, os processos de ascensão social, de representação e de cooptação pelas empresas.
fonte:  1 “Os Burgueses” é um livro da autoria de Francisco Louçã, João Teixeira Lopes e Jorge Costa, com a colaboração de Adriano Campos e Nuno Moniz.

Já antes tinha divulgado aqui no blog, um outro estudo, que fez grande sucesso. Também este é um gráfico interactivo, que deixa perceber quantos tachos, em empresas privadas, ocuparam os nossos políticos públicos.
Estes são alguns dos gráficos fornecidos e muito elucidativos.



09 junho, 2014

Os terroristas vão a eleições e até ganham. Artigo que está a incendiar Espanha.


Um texto que está a incendiar Espanha.
O seguinte texto foi publicado recentemente no El País, tendo-se tornado absolutamente viral em Espanha. Reflecte sobre o terrorismo financeiro e a captura económica. Chama as coisas pelos seus nomes e faz uma análise sobre o capitalismo actual que está a incendiar não só Espanha como todo o mundo. O título é "Um canhão pelo cu", e é escrito por Juan José Millas.(a linguagem pode chocar algumas almas sensíveis...)

Um canhão pelo cu
Se bem entendemos - e não é fácil, porque somos um bocado tontos -, a economia financeira é a economia real do senhor feudal sobre o servo, do amo sobre o escravo, da metrópole sobre a colónia, do capitalista manchesteriano sobre o trabalhador explorado. A economia financeira é o inimigo de classe da economia real, com a qual brinca como um porco ocidental com corpo de criança num bordel asiático.
Esse porco filho da p*** pode, por exemplo, fazer com que a tua produção de trigo se valorize ou desvalorize dois anos antes de sequer ser semeada. Na verdade, pode comprar-te, sem que tu saibas da operação, uma colheita inexistente e vendê-la a um terceiro, que a venderá a um quarto e este a um quinto, e pode conseguir, de acordo com os seus interesses, que durante esse processo delirante o preço desse trigo quimérico dispare ou se afunde sem que ganhes mais, caso suba, apesar de te deixar na merda se descer.
Se o preço baixar demasiado, talvez não te compense semear, mas ficarás endividado sem ter que comer ou beber para o resto da tua vida e podes até ser preso ou condenado à forca por isso, dependendo da região geográfica em que estejas - e não há nenhuma segura. É disso que trata a economia financeira.

Para exemplificar, estamos a falar da colheita de um indivíduo, mas o que o porco filho da p*** compra geralmente é um país inteiro e ao preço da chuva, um país com todos os cidadãos dentro, digamos que com gente real que se levanta realmente às seis da manhã e se deita à meia-noite. Um país que, da perspetiva do terrorista financeiro, não é mais do que um jogo de tabuleiro no qual um conjunto de bonecos Playmobil andam de um lado para o outro como se movem os peões no Jogo da Glória.
A primeira operação do terrorista financeiro sobre a sua vítima é a do terrorista convencional: o tiro na nuca. Ou seja, retira-lhe todo o caráter de pessoa, coisifica-a. Uma vez convertida em coisa, pouco importa se tem filhos ou pais, se acordou com febre, se está a divorciar-se ou se não dormiu porque está a preparar-se para uma competição. Nada disso conta para a economia financeira ou para o terrorista económico que acaba de pôr o dedo sobre o mapa, sobre um país - este, por acaso -, e diz "compro" ou "vendo" com a impunidade com que se joga Monopólio e se compra ou vende propriedades imobiliárias a fingir.

Quando o terrorista financeiro compra ou vende, converte em irreal o trabalho genuíno dos milhares ou milhões de pessoas que antes de irem trabalhar deixaram na creche pública - onde estas ainda existem - os filhos, também eles produto de consumo desse exército de cabrões protegidos pelos governos de meio mundo mas sobreprotegidos, desde logo, por essa coisa a que chamamos Europa ou União Europeia ou, mais simplesmente, Alemanha, para cujos cofres estão a ser desviados neste preciso momento, enquanto lê estas linhas, milhares de milhões de euros que estavam nos nossos cofres. E não são desviados num movimento racional, justo ou legítimo, são-no num movimento especulativo promovido por Merkel com a cumplicidade de todos os governos da chamada zona euro.
Tu e eu, com a nossa febre, os nossos filhos sem creche ou sem trabalho, o nosso pai doente e sem ajudas, com os nossos sofrimentos morais ou as nossas alegrias sentimentais, tu e eu já fomos coisificados por Draghi, por Lagarde, por Merkel, já não temos as qualidades humanas que nos tornam dignos da empatia dos nossos semelhantes. Somos simples mercadoria que pode ser expulsa do lar de idosos, do hospital, da escola pública, tornámo-nos algo desprezível, como esse pobre tipo a quem o terrorista, por antonomásia, está prestes a dar um tiro na nuca em nome de Deus ou da pátria.

A ti e a mim, estão a pôr nos carris do comboio uma bomba diária chamada prémio de risco, por exemplo, ou juros a sete anos, em nome da economia financeira. Avançamos com ruturas diárias, massacres diários, e há autores materiais desses atentados e responsáveis intelectuais dessas ações terroristas que passam impunes entre outras razões porque os terroristas vão a eleições e até ganham, e porque há atrás deles importantes grupos mediáticos que legitimam os movimentos especulativos de que somos vítimas.
A economia financeira, se começamos a perceber, significa que quem te comprou aquela colheita inexistente era um cabrão com os documentos certos. Terias tu liberdade para não vender? De forma alguma. Tê-la-ia comprado ao teu vizinho ou ao vizinho deste. A atividade principal da economia financeira consiste em alterar o preço das coisas, crime proibido quando acontece em pequena escala, mas encorajado pelas autoridades quando os valores são tamanhos que transbordam dos gráficos.
Aqui se modifica o preço das nossas vidas todos os dias sem que ninguém resolva o problema, ou mais, enviando as autoridades para cima de quem tenta fazê-lo. E, por Deus, as autoridades empenham-se a fundo para proteger esse filho da p*** que te vendeu, recorrendo a um esquema legalmente permitido, um produto financeiro, ou seja, um objeto irreal no qual tu investiste, na melhor das hipóteses, toda a poupança real da tua vida. Vendeu fumaça, o grande porco, apoiado pelas leis do Estado que são as leis da economia financeira, já que estão ao seu serviço.

Na economia real, para que uma alface nasça, há que semeá-la e cuidar dela e dar-lhe o tempo necessário para se desenvolver. Depois, há que a colher, claro, e embalar e distribuir e faturar a 30, 60 ou 90 dias. Uma quantidade imensa de tempo e de energia para obter uns cêntimos que terás de dividir com o Estado, através dos impostos, para pagar os serviços comuns que agora nos são retirados porque a economia financeira tropeçou e há que tirá-la do buraco. A economia financeira não se contenta com a mais-valia do capitalismo clássico, precisa também do nosso sangue e está nele, por isso brinca com a nossa saúde pública e com a nossa educação e com a nossa justiça da mesma forma que um terrorista doentio, passo a redundância, brinca enfiando o cano da sua pistola no rabo do sequestrado.
Há já quatro anos que nos metem esse cano pelo rabo. E com a cumplicidade dos nossos.
Juan José Millas

08 junho, 2014

Cristóvão Colombo era, na verdade, um socialista: ia sem saber para onde à custa dos contribuintes - e com que resultados? Nenhuns.

portugal escravo união europeiaRicardo Araújo Pereira deixa-nos com mais uma das suas geniais sátiras, a propósito do mais provável sucessor de Durão Barroso.
O que sabem estes senhores da realidade de Portugal? 
"A chanceler alemã, Angela Merkel, apoiou, explicitamente a candidatura de Jean-Claude Juncker à presidência da Comissão Europeia, pela primeira vez desde as eleições europeias de domingo."
"O cabeça de lista da coligação, Paulo Rangel, tem vindo a defender que Juncker é "amigo de Portugal" e um "profundo conhecedor da realidade do País".
"Portugueses são geniais, capazes de todos os esforços" afirma Jean-Claude Juncker , ao que eu acrescento, realmente são incríveis pois são capazes de passar fome, empobrecer, deixar os filhos sem jantar, e ainda são capazes de trabalhar 8 meses por ano, só para pagar impostos que vão pagar os juros agiotas das dividas provocadas por constantes saques, despesismo e má gestão de políticos corruptos e incompetentes.
Por Ricardo Araújo Pereira
"Caros cidadãos de Portugal,

07 junho, 2014

JUVENTUDE PERDIDA - A IMORALIDADE E AMORALIDADE DA JUVENTUDE ACADÉMICA


Encontrei o artigo que se segue, por recomendação de um leitor do blog, e decidi partilhar.
Aborda um assunto que muitos evitam falar.
Mas a falta de valores e a degradação que envolve o meio académico e o ensino em Portugal, tem que ser motivo de reflexão.
A ignorância de um povo é a melhor arma dos corruptos. Contribuir ou alhear-se da degradação que cria gerações amorais, é ajudar a manter o sistema e a saga de Portugal.
Portugal precisa de pessoas informadas, com valores, com espírito cívico e altruístas, que lutem pelo bem comum, e as escolas e universidades devem contribuir para incutir esses valores, não para o oposto.
Em Portugal, o ensino, a saúde e outras instituições seculares, estão em auto gestão. Os desgovernos andam demasiado ocupados nos seus jogos de corrupção. Não há planos, nem estratégias a curto ou a longo prazo, não há estudos nem fiscalização, não há propostas de novas metodologias ou novas regras... é o abandono total. Todos os governos se preocupam em extorquir dinheiro ao estado, fazer favores aos grandes grupos económicos e assim garantir o seu futuro pessoal. O resto que se vá degradando, quem se importa? Neste artigo, o caos gerado pela ausência de gestão, no ensino.

06 junho, 2014

Compreender Marinho Pinto, é saber o significado de integridade. Tudo o mais é demagogia de corruptos incomodados.


LIÇÕES DE INTEGRIDADE... NÃO É PARA TODOS, MAS FAÇAMOS UM ESFORÇO POR PORTUGAL. 
O povo português, foi treinado, durante muitos anos a defender cegamente os partidos, e é urgente perceber que se queremos salvar Portugal, temos que defender e sentir lealdade pelo país, pelo povo, pela verdade e justiça, não por partidos.



Muitos portugueses confundem os valores na hora de decidir o futuro do país...
Quando se está a escolher ou a eleger um candidato para nos representar, não devemos confundir esse acto, com a escolha de um parceiro para casar. Muito menos devemos pensar que estamos a escolher o personagem favorito da novela das 8. Olhando para o país, para os eleitos e para o estado a que Portugal chegou, percebe-se que são estes os critérios que têm definido as escolhas da maioria dos que ainda votam. Os eleitores preferem claramente demagogos fofinhos, falsos, educadinhos, betinhos, manipuladores que prometem um final feliz, mais do que qualquer outra coisa. Muita gente diz que não gosta de Marinho Pinto porque é arrogante, bruto e antipático. Em Portugal isso é o mais importante num politico?

Devemos ter em mente que quando se escolhe um candidato estamos a escolher alguém que tem que ter coragem, garra e que nunca verga, pois terá que defender a justiça e a verdade e enfrentar os que a roubam.
Uma tarefa que terá que ser levada a cabo em luta aberta e desigual, contra uma classe politica poderosa, sem escrúpulos, cheia de vícios,  injusta, demagoga e mentirosa. Para dificultar há ainda que lutar contra milhões de portugueses ingratos e manipulados, fanatizados por seitas partidárias ensinados a odiar os que lutam contra a corrupção. (veja a descrição do video no youtube,)

OS MITOS ANTI MARINHO PINTO, PARA O DERRUBAR
Quanto ás outras demagogias que inventam sobre Marinho, lamentavelmente apenas são credíveis, porque as pessoas que acreditam nelas, não sabem interpretar em contexto e em verdade. Não sabem analisar com espírito critico e procurar a verdade. Não são capazes de perceber que os corruptos que nos arruínam e se instalaram no poleiro desde há 40 anos, muito se esforçam por desacreditar, quem os denuncia.

1º - Marinho Pinto nunca defendeu Sócrates como podem ver no video do topo, e inclusivamente já o denunciou, como podem ver neste artigo.

2º- Ele referiu que uma das coisas que o Brasil mais exporta para Portugal são prostitutas, mas abordou o tema num contexto de legalidade, questionando que se no Brasil a Prostituição é ilegal/crime, como pode o Brasil exportar coisas/ pessoas ilegais? Está aqui o video.
Entretanto os demagogos divulgam que Marinho Pinto afirmou que: "O Brasil só exporta prostitutas"??!!!
E ninguém vai confirmar? Questionar? Contextualizar? Não percebem que algo está mal explicado?

05 junho, 2014

Apenas 35% dos portugueses com mais de 25 anos terminaram o 2.º ciclo de escolaridade, na Alemanha, 86%


corrupção destroi ensino analfabetos "Segundo o estudo 'Retrato de Portugal na Europa', publicado pelo Público, Portugal apresenta resultados muito fracos a nível de educação em comparação com os restantes países da Europa. Resultados que provam que Portugal não é um "país de engenheiros e doutores".
A educação em Portugal vai mal e precisa de ver o seu sistema de ensino repensado. Esta é a conclusão que pode retirar-se do retrato a Portugal realizado pelo Pordata, a base de dados da Fundação Manuel dos Santos.

O estudo, que compara os indicadores portugueses com os dos 28 países membros da União Europeia, permite concluir que Portugal é o terceiro país com níveis de abandono escolar mais elevados e que apenas 40% dos portugueses, entre os 25 e os 64 anos, tem o ensino secundário completo.
Assim, conclui a demógrafa Maria João valente Rosa, ao Público, que Portugal “não é um país de engenheiros e doutores”. Uma afirmação dita muitas vezes por “pessoas com muitas responsabilidades no país” e que “tem efeitos terríveis sobre uma sociedade que nem gente suficiente com o secundário tem”.
Segundo o estudo, 70,6 % das pessoas que trabalham por conta própria não têm o ensino secundário completo, sendo que a média da Europa é de 24,3%. Já os que trabalham por conta de outrem, 50,4% não conclui o 12.º ano de escolaridade.
O país destaca-se, ainda, por ser aquele que regista mais chumbos na escola.
Números preocupantes tendo em conta que os 15,1% que possuem qualificações ao nível do ensino superior estão a ser “empurrados para fora do país”, defende a demógrafa.
Para Maria João Rosa a baixa escolaridade dos portugueses traduz-se nos resultados registados a nível de produtividade, sendo que apesar de sermos dos países que mais horas de trabalho pratica, tal não se reflete nos níveis de produtividade, estando Portugal em 21.º lugar no que diz respeito a este indicador." fonte

04 junho, 2014

Portugal é o país que tem a maior diferença entre salários da função pública e do sector privado, fora as outras regalias

Afinal que igualdade finge proteger o Tribunal de Contas?
O que se expõe em baixo são factos, agradece-se coerência nos comentários, eu não tenho culpa do factos, o serem.
SERVIÇO PÚBLICO: São todos iguais mas há uns mais iguais do que outros.
O Tribunal Constitucional, depois de ter gasto «muito dinheiro a comprar livros de economia por causa dos pedidos de fiscalização relacionados com a crise», e de ter ouvido atentamente os seus 16 assessores (três para o presidente, dois para o vice-presidente e um assessor por cada um dos outros 11 juízes), declarou inconstitucionais os «cortes entre 2,5% e 12% nos vencimentos da função pública a partir dos 675 euros brutos, de 5% nos subsídios de doença, de 6% no subsídio de desemprego e ainda cortes nas pensões de sobrevivência».

Concentremo-nos nos vencimentos dos funcionários públicos cujos cortes os juízes em causa própria consideraram inconstitucionais por ofenderem o «princípio da igualdade». Igualdade? Qual igualdade?

Em primeiro lugar, a desigualdade salarial entre os sectores público e privado em Portugal é a mais elevada na UE, como se pode confirmar no gráfico seguinte extraído do occasional paper da Comissão Europeia «Government wages and labour market outcomes» (pg 16) publicado o mês passado, sobre o qual o jornalismo de causas guardou o mais recatado silêncio.

Diferença entre o salário no público e no privado, em percentagem. 
privado versus função pública

Funcionários Públicos ganham melhor porque possuem maior grau académico? - A lengalenga que justifica essa desigualdade com base na suposta muito melhor qualificação e grau académico dos funcionários públicos é uma lenda que perdeu a validade há anos – actualmente dos 1,1 milhões de licenciados na população activa em 2013 (Pordata) haverá menos de 20% na função pública.
A lenda fica definitivamente arrumada com a conclusão do paper citado: além do prémio salarial que a função pública dá ao pessoal menos qualificado na maioria dos países, Portugal é um dos países que também oferece prémios aos que possuem níveis de ensino elevado. «where also workers with high education level receive a premium from working in the public sector». (pg 18 e 19)