12 dezembro, 2012

Greves e sindicatos protegem quem ou o quê?

greves corrupção
Os trabalhadores da NAV, empresa pública de controlo de tráfego aéreo, ganham um salário médio de 10 mil euros por mês, sendo que os funcionários com remunerações mais elevadas atingem os 12 500 euros mensais. Fonte
No entanto, no mundo da NAV estes salários não são suficientes e as receitas que obtém são gastas em luxos.
Este ano foram gastos quase 22 mil euros em serviços de "acompanhamento e entretenimento" das crianças dos trabalhadores no Verão. Em 2011 a história foi a mesma.
O jantar de Natal da NAV Portugal custou a módica quantia de 22.074 euros. A avaliar pela entidade adjudicada, a festa decorreu num hotel de cinco estrelas em Lisboa. Estará o FMI a par disto?
Não é apenas o governo que esbanja os nossos impostos, os sindicatos e os funcionários dos transportes, também. Lutam para coleccionar dezenas de subsídios, que nos saem muito caros. Os sindicatos deveriam lutar pela igualdade e justiça da classe laboral, mas pelo contrário, fomentam a desigualdade e a injustiça.
As conquistas sindicais, nem sempre visam o bem comum, muitas vezes servem para tornar empresas públicas insustentáveis, lesar o estado e os contribuintes, pois esbanjam os nossos impostos em buracos de despesismo sem retorno, empenham-se a angariar mais e mais subsídios mesmo para os que já ganham bem. Prejudicando a sustentabilidade da empresa e o o futuro dos postos de trabalho.
Sindicatos recebem dinheiro do orçamento do estado, por isso precisam de mostrar trabalho, 
Em baixo descrevem-se as muitas regalias a somar aos salários, de mais esta elite desigual. Nas regalias mais insólitas (em baixo), existia uma ridícula, que consistia em obrigar o estado a pagar barbearias nas estações da carris, para uso privado dos funcionários.
O governo recentemente tentou acabar com esta regalia. Mas os sindicatos, que mais uma vez confirmam que apenas existem para dificultar a reposição da igualdade e da democracia, resolveram exigir que seja oferecido um subsidio de 12 euros mensais, aos funcionários da Carris, para substituir a perda das barbearias privadas e portanto os sindicatos acham que os funcionários da carris devem receber um subsidio para ir ao cabeleireiro. Noticia aqui na fonte
OS TRABALHADORES DOS TRANSPORTES PÚBLICOS COM SALÁRIOS E REGALIAS INCONCEBÍVEIS....
Mas nesta altura de crise em que se estão a impor tantos sacrifícios a todos os portugueses, afectando obviamente os que menos ganham, não se pode admitir que se mantenham, nesta altura de cortes, certas regalias para uns, que já ganham relativamente bem, em detrimento de outros.
Se há cortes a fazer, eles devem-se estender a todos sem excepção, de forma tão equitativa quanto possível.
Quanto à minha visão deste tipo de greves, fomentadas pelos centrais sindicais, elas são na sua maioria contra o poder instituído para gerar instabilidade, sem olhar aos elevados prejuízos financeiros para o país e para as pessoas afectadas.

Os Governantes que cederam aos Sindicatos e deixaram dar mais dinheiro e regalias aos trabalhadores dos transportes públicos (que são altamente deficitários e dão sempre prejuízos brutais), que aos médicos e outros licenciados da função pública também têm que ser responsabilizados.
É por isso que estão sempre a fazer greves.....o dinheiro não lhes faz falta. Isto é um verdadeiro insulto ao Povo Português.
As greves de gentes super privilegiadas, só deviam ser autorizadas depois de analisada a sua justiça e efectiva razão de ser por uma Comissão de notáveis.....
O PORQUÊ DAS GREVES? OS COITADINHOS!!!!
Exemplos de regalias e benefícios em vigor (alguns caíram, contudo, em desuso) nos Acordos de Empresa no Sector dos Transportes: A pagar por todos nós. 

Férias:
• Na Carris, todos os trabalhadores têm direito a 30 dias de férias por ano.
• No Metro de Lisboa, todos os trabalhadores têm, à partida, direito a 24 dias de férias.
• Caso o trabalhador opte por gozar férias fora do período normal (1de Junho a 30 de Setembro), pode beneficiar de até 3 dias adicionaisde férias.
• Acresce que, se no ano anterior tiver dado apenas 1 falta ao trabalho, beneficia ainda mais 3 dias de férias.
• Significa isto que um trabalhador do Metro de Lisboa pode ter até 30 dias de férias por ano.

Complementos de Reforma:
• Para além da reforma a que têm direito todos os Portugueses, na Carris, Metro de Lisboa e STCP, os trabalhadores têm direito a um complemento de reforma, paga pelas próprias empresas, destinado apermitir que o trabalhador aufira uma reforma equivalente à sua última remuneração no activo (isto significa que, em média, as empresas pagam sobre a reforma da segurança social uma quantia adicional correspondente a 25% do montante da reforma). Só a Carris, paga complementos de reforma a mais de 4.700 antigos trabalhadores. 
• Se na STCP, a soma entre a reforma da SS e o complemento pago pela STCP não pode ultrapassar os 650 euros por mês, na Carris e Metro de Lisboa há antigos trabalhadores a receberem, somando a reforma da Segurança Social e o Complemento de Pensão pago pelas empresas, mais de 3.000, mais de 4.000 e até, mais de 5.000 euros por mês.fonte

Doença:
• Quando um trabalhador destas empresas fica de baixa recebe, para além do subsídio de doença pago pela Segurança Social, igual ao dos restantes portugueses, um complemento àquele subsídio de modo a que o trabalhador receba em situação baixa o mesmo que recebe quando está ao serviço (há mesmo situações em que, por razões relacionadas com atributação fiscal, o trabalhador recebe mais em situação de doença doque quando está ao serviço).
• Bem se vê que esta disposição consiste um enorme incentivo ao absentismo de longa duração.

Medicamentos:
• Na Carris e Metro de Lisboa os trabalhadores têm assegurado opagamento por inteiro da assistência medicamentosa.
Viagens Gratuitas:
• Na generalidade destas empresas os trabalhadores e familiares têm direito a viajar gratuitamente nas respectivas redes.
• Os trabalhadores da CP e os da REFER que transitaram da CP, têm direito a este benefício, que é ainda extensível aos trabalhadores reformados, cônjuges, pais, filhos, enteados e irmãs solteiras.
• Só na REFER, o custo com viagens dos trabalhadores, pagos pela empresa, ascende a mais de 4 Milhões de Euros por ano.
Subsídios Vários:
• A quantidade de subsídios que acrescem à remuneração base auferida pelos trabalhadores das empresas de transportes é demasiado vasta o que não permite reproduzir aqui os mesmos na totalidade.
Dão-se apenas alguns exemplos:
METRO LISBOA:
• Os maquinistas em regime de agente único [leia-se todos] e os maquinistas de manobras têm direito a um subsídio mensal compensatório correspondente a 30% do seu vencimento mensal, constituído pela remuneração base e pelas anuidades.
• O subsídio referido no número anterior é considerado remuneração de trabalho e integrará, para todos os efeitos, o cálculo do valor hora e dia, assim como os subsídios de férias e de Natal.
• Aos Maquinistas em serviço efectivo é atribuído mensalmente um subsídio de quilometragem em função do espaço percorrido de 0,10 €, por cada quilómetro percorrido, o qual será pago no mês seguinte ao da execução da quilometragem.
• Aos Maquinistas de Manobras é atribuído mensalmente um subsídio de quilometragem correspondente a 500 quilómetros.
• Subsídio de Turno - Para os trabalhadores em regime de turnos, as retribuições serão acrescidas de um subsídio mensal de 59,48 €, actualizado anualmente na mesma percentagem em que o for a tabela salarial que integra o AE.
• Prémio de Assiduidade - Aos trabalhadores abrangidos por este acordo é atribuído um prémio cujo valor mensal é de 68,00 €. Tem direito ao prémio referido no número anterior, o trabalhador que, no decurso domês respectivo, não exceder cinco horas de falta.
• Porque é que acham que há greves só de 4 horas ao período de pontada manhã? [também por causa do subsídio de almoço auferido, após 3 horas de trabalho, que ascende a €10,35, apesar dos trabalhadores terem garantido o almoço nas cantinas por apenas menos de 3€]
• Existem ainda subsídios de chefia.
CAMINHOS DE FERRO (CP):
• Prémio de Condução – atribuído aos trabalhadores da Carreira de Condução-Ferrovia é pago um prémio de produtividade por cada período completo do trabalho diário, calculado de acordo com a fórmula constante da Cláusula 42.º do AE. A este prémio acresce em determinadas condições um prémio anual (ou seja, por cada dia de trabalho, é pago um subsídio de produtividade por ter trabalhado nesse dia).
• Restantes trabalhadores – €4,02/diários.
 • Agente Único – a laboração neste regime confere direito a um abono de 4% da respectiva retribuição indiciária aos Maquinistas, Maquinistas Técnicos, Inspectores de Tracção e Inspector-Chefe de Tracção.
• Subsídio de Escala – 17,75% da retribuição base prevista na Tabela Salarial para os trabalhadores sujeitos a horários de trabalho organizados segundo escalas de serviço.

CARRIS:
• Subsídio de Tarefas Complementares de Condução – 50 euros/mensais para os trabalhadores de tráfego.
• Subsídio de Condução de Veículos com obliterador e Agente Único -motoristas de serviço público, guarda-freios e técnicos de tráfego econdução têm direito a um abono mensal igual a 18,2% da sua retribuição normal.
• Ajuramentação – 9,1% para os inspectores, coordenadores de tráfego e coordenadores gerais de tráfego.
• Por falhas de dinheiro - €29,37 – trabalhadores que normalmente movimentam somas de dinheiro.
Transtejo/Soflusa:
• Os trabalhadores marítimos que exerçam as suas funções a bordo dos navios da classe catamaran têm direito, a um adicional de remuneração diário no montante de 35,5%, 28% e 13%, do valor da remuneração base diária, respectivamente para mestres, maquinistas e marinheiros.
• Se for em navios de outra classe o adicional é de 18%, 15,5% e 13%.
• Os restantes trabalhadores têm direito a um adicional de €2,64.
• Prémio de Assiduidade - €223, 32 por cada mês completo de trabalho.
• Uma falta € 166,06/mês; duas faltas - €148,87/mês; Três ou maisfaltas - €7,16 x n.º de dias de prestação de trabalho
.• Mais uma vez: por cada dia de trabalho, recebem 7,16€ de prémio deassiduidade por terem ido ao trabalho.
• Subsídio de turnos – de €26,27 a €48,40.
• Subsídio por quebras e riscos - €25 (tesoureiros, caixas e bilheteiros)
• Subsídio de Penosidade – Os trabalhadores (pintores, carpinteiros, mecânicos, encarregados de reparações, electricistas navais e serventes de manutenção/reparação) terão direito a um acréscimo de remuneração no montante de 25% quando e enquanto executem trabalhos da sua especialidade em locais sujeitos a ambientes tóxicos, fechados e não arejados, ou quando executados em locais não resguardados a uma altura superior a 4 m.

Insólitos
Carris:  A Empresa manterá nas estações, barbearias devidamente apetrechadas, para uso privativo de todo o seu pessoal, inclusive dos reformados. Clausula 69 pg 990
Exemplos reais de Salários de Maquinistas e Inspectores:
Categoria de Remuneração Bruta (à qual acrescenta mais de 100 rubricas de subsídios para fazer o salário líquido):
MAQUINISTAS 3.940,24 €
INSPECTOR-CHEFE DE CONDUÇÃO-FERROVIA 3.925,17 €
MAQUINISTA TÉCNICO 3.909,46 €
INSPECTOR-CHEFE DE CONDUÇÃO-FERROVIA 3.341,39 €
INSPECTOR DE TRACÇÃO 3.331,21 €
MAQUINISTA TÉCNICO 3.186,80 € […] etc.
Esta lista continua até ao valor mais baixo de toda a lista, que é de MAQUINISTA TÉCNICO 1.159,33 €"
Como é possível nestes exemplos REAIS, termos estas pessoas a fazer greve, apoiados por sindicatos, quando através dessas greves afectam milhões de pessoas que ganham bem menos e que são quem através dos impostos, lhes pagam os salários?!

Salário de 2500 euros por 3 horas de condução
Os maquinistas do Metropolitano de Lisboa recebem, em média, cerca de 2500 euros ilíquidos mensais por três horas diárias de condução de passageiros. Trata-se da classe profissional mais numerosa na empresa Metro de Lisboa, que paga ordenados acima dos mil euros a todos os seus trabalhadores, apurou o Correio da Manhã.
O facto de trabalharem no subsolo é uma das principais razões, de acordo com fontes do sector, para o valor dos salários pagos pelo Metropolitano de Lisboa, dos mais elevados nos transportes públicos e bastante acima da média nacional, que se situa nos 804 euros por mês.
Com efeito, o leque salarial ilíquido das 57 categorias varia entre os mil e os três mil e quinhentos euros, já que aos salários base tem de se somar uma componente variável, que vai desde os subsídios de alimentação até ao de turno, passando por prémios de assiduidade e de desempenho. Os horários de trabalho semanal variam, entre as 22h30 (enfermeiros) e as 39 horas (serralheiros, mecânicos), embora a média se situe nas 36 horas.
Os maquinistas constituem, entre os cerca de 1700 trabalhadores da empresa, a classe profissional mais numerosa, com 270 profissionais, sendo também uma das que aufere os salários mais elevados, segundo o um estudo realizado pelo Metro. Recebem, para além do salário base, subsídios de trabalho nocturno, subsídio de turno e subsídio de agente único (ao substituírem a antiga categoria de factor, responsável pela abertura e fecho das portas), entre outros. Com uma média etária em torno dos 40 anos e com pelo menos o 9.º ano, os maquinistas do metro transportam passageiros, no máximo, três horas por dia. Ou seja, metade do tempo de um maquinista da CP ou da Carris. O tempo restante do turno diário – de sete horas e meia, em virtude de terem um regime de folgas de quatro dias de trabalho e dois de paragem – é dedicado a manobras ou a levar comboios para manutenção ou reparação. “É um trabalho monótono, muito desgastante, em que estamos o dia inteiro a respirar limalha de ferro”, explicou ao Correio da Manhã Diamantino Lopes, maquinista e dirigente da Federação dos Sindicatos dos Transportes Rodoviários e Urbanos (FESTRU).
É frequente, por isso, os maquinistas não continuarem a trabalhar no subsolo depois dos 55 anos, dado sofrerem de problemas de saúde, relacionados com a visão e audição. GREVES PELO ACORDO As cinco greves feitas pelos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, assim como as próximas do dia 7 e 9 de Novembro, foram convocadas face à recusa do conselho de administração em aceitar prolongamento do actual Acordo de Empresa. O documento, com cerca de 30 anos, termina em Dezembro do próximo ano, mas os sindicatos pretendem que se estenda até 2011. Neste momento a administração do Metro encontra-se numa fase de transição, uma vez que o actual conselho, liderado por Mineiro Aires, já terminou o seu mandato mas o próximo, presidido por Joaquim Reis, ainda não tomou posse. Ao todo, são oito os sindicatos envolvidos nas negociações com a empresa, entre os quais os sindicatos dos Electricistas do Metropolitano e o dos Quadros Técnicos de Desenho.
APONTAMENTOS PASSAGEIROS
O Metropolitano de Lisboa transporta diariamente perto de meio milhão de passageiros para 48 destinos possíveis de quatro linhas subterrâneas com uma extensão total de 35,6 quilómetros. CARRUAGENS
No final de 2005 o Metro de Lisboa tinha 338 carruagens em operação que circulam com um intervalo médio de dez minutos, variando ao longo do dia e nas várias linhas do serviço. Os comboios iniciam marcha às 6h30 e só param de madrugada, à 01h00.
NÍVEL SALARIAL
O nível salarial do Metropolitano de Lisboa é o segundo mais elevado da Europa. Só os funcionários do sistema subterrâneo de comboios de Viena de Áustria ganham mais do que os trabalhadores do Metro da capital portuguesa.
 FACTORES A categoria de factor desapareceu em 1995, a função destes trabalhadores era abrir e fechar as portas do comboio a cada paragem. A tarefa foi assumida pelos maquinistas que para isso recebem um subsídio que varia entre 317 euros e 475,50 euros mensais.
METRO: DOIS TURNOS
Os maquinistas do Metro de Lisboa trabalham três horas diárias, em dois turnos, no mesmo dia. Cada dia de trabalho está dividido em dois períodos “que não podem exceder as três horas seguidas por motivos de segurança”, explica um comunicado da FESTRU em reacção à notícia publicada pelo CM. Os maquinistas do metropolitano cumprem, ainda, “no resto de cada período, as manobras com o material circulante nos términos e nos parques”, lê-se no comunicado. O sindicato sublinha que o que está em causa é a existência do acordo da empresa. Ler mais em:

Temos aqui um caso onde o empregador (todos nós que pagamos os impostos), somos penalizados pelas greves dos "nossos" empregados (porque lhe pagamos os salários através dos nossos impostos), porque estes querem mais ou manter as actuais regalias, quando nós os "empregadores" não possuímos metade das regalias e vamos ter que trabalhar cada vez mais e pagar mais impostos para lhes alimentar as mordomias!!!! Afinal os sindicatos estão do lado de quem? Ao que parece, seguramente que não estão do lado do povo trabalhador!!! Consegui pesquisar e encontrar algumas fontes. Ionline - Fonte - Fonte -  Único link que encontrei para o artigo na internet.

ESTE VIDEO EXEMPLIFICA MAIS MORDOMIAS

SUBSÍDIOS, QUE O TC QUESTIONA SE DEVEM MANTER-SE 
(PG 9 E 10) 
25. Em cumprimento dos Acordos de Empresa, a CARRIS atribui ao seu pessoal um conjunto de benefícios sociais que importa conhecer para que seja ponderado se será adequado que os mesmos venham a ser suportados pelo Orçamento do Estado, aquando da contratualização das obrigações de serviço público. A título meramente exemplificativo, destaca-se:
25.1. Subsídio Agente Único que custou, em 2007, 2,9 milhões de euros. Trata-se de um subsídio à Categoria  atribuído ao pessoal tripulante e técnicos de tráfego e condução, independentemente de estes exercerem, ou não, as funções de venda do Agente Único a bordo dos veículos.
25.2. Subsídio Tarefas Complementares de Condução, com o qual a CARRIS despendeu, em 2007, 1,6  Milhões de euros. É um subsídio atribuído ao pessoal tripulante para preparar e estacionar os veículos, adquirir os títulos de transporte na empresa para vender aos clientes  e prestar contas, não se vislumbrando
como tais tarefas poderão ser consideradas complementares e não inerentes à função de motorista e guarda-freio.
25.3. Subsídio de Ajuramentação que custou, em 2007, 148 milhares de euros. Subsídio à categoria, e não á função, em tudo igual ao subsídio Agente Único, mas desta feita atribuído aos controladores, inspectores e coordenadores de tráfego.
25.4. Subsídio de chefia e de tecnicidade que custou 131 milhares de euros, em 2007. Subsídio atribuído a quadros técnicos com e sem  funções de chefia.
25.5. Subsídio Condução Ponto Socorro que custou 45 milhares de euros, em 2007. Atribuído a quem esteja habilitado para conduzir veículos ponto socorro, independentemente de tais veículos terem sido ou não conduzidos.
25.6. Complemento ao subsídio de doença e Complemento por acidentes de trabalho ou doença profissional, com os quais a CARRIS despendeu, em 2007, 223 milhares de euros. Através da concessão destes subsídios, a  CARRIS repõe a diferença à remuneração ilíquida, auferida por todos os seus trabalhadores, não paga quer pela Segurança Social, quer pelas companhias de seguro.
3
25.7. Assistência médica e de enfermagem gratuitos assegurados no local de trabalho e no domicílio que custaram 802 milhares de euros, em 2007.
25.8. Pagamento dos medicamentos comparticipados que se traduziu, em 2007, num encargo de 163 mil euros.
25.9. A CARRIS atribuía, ainda, um Complemento de Pensões de Reforma e de Sobrevivência para
completar as remunerações ilíquidas, com o qual despendeu, em 2007, quase 13 milhões de euros.
Trata-se de um complemento para o qual  não havia qualquer tecto limitativo, pelo que os encargos futuros calculados, em 2007, em mais de 171 milhões de euros tenderão a crescer.
25.10. A CARRIS atribui, anualmente, vários tipos de prémios aos seus trabalhadores, com os quais despendeu 1,3 milhões de euros, em 2007. Ainda assim, entre aqueles destaca-se o “Prémio Desempenho +” implementado em 2007, o qual se reconhece como eficaz no estímulo à excelência do desempenho do pessoal tripulante, já que incita a elevados padrões de produtividade e de qualidade. No entanto, este ao coexistir com o Prémio de Risco e de Condução Defensiva e com o Prémio Incentivo à Assiduidade permite que sejam premiadas duplamente algumas componentes.
25.11. A CARRIS concede transporte gratuito na sua rede  aos seus trabalhadores, cônjuges e descendentes em idade escolar, o que significa que, apenas em 2007,  deixou de arrecadar 5,6 milhões de euros.




  1. Quanto ganham os sindicatos? 
  2. Outras faces da luta sindical. 
  3. O caso da CP, e o poder de subjugar os governos.
  4. O caso da TAP... 
  5. O caso da CGD.. 
  6. Marinho Pinto denuncia instrumentalização do sindicato da justiça
  7. As mordomias da justiça
  8. Um sindicato assim para todos era o ideal?
  9. Este sindicato teve formação profissional no Dubai?

26 comentários :



  1. Lá vamos cantando e rindo - http://jumento.blogspot.pt

    "Aos poucos Portugal vai sendo ajustado, depois de trinta anos de bebedeira de democracia, direitos sociais e progresso o país está sendo posto na linha, o ideal seria reintroduzir a escravatura mas isso seria recuar um pouco em demasia, por agora basta cortar nos direitos sociais, vão-se fazendo umas experiências policiais, dão-se umas palmatoadas valentes nos que pensam que podem responder a tudo o que os deputados lhes perguntam nas comissões parlamentares e quem ainda não percebeu que a coisa mudou que se ponha a pau, acabou o tempo da impunidade.

    Acabou essa ideia peregrina de ser o Estado a enganar a pobreza com subsídios que reduzem a riqueza dos que investem, se os ricos deixarem de ter dinheiro para investir porque foi para dar aos pobres quem é que emprega os pobres? É evidente que a pobreza combate-se com caridade como diz a minha querida Jonet, a caridade distribuída por gente de bom coração é mais eficaz dos que os subsídios, assim sabemos que os pobres não gastam o dinheiro em copos, fica-se com a certeza de que o dinheiro é bem gasto e até as mulheres dos pobres ficam a ganhar, como se sabe os pobres gostam de embebedar-se e bater nas mulheres.

    Se o país gasta fortunas com a RTP que filma os meliantes que levam bombas artesanais para as manifestações junto ao parlamento, nem deveria ser necessário ser a PSP a ira à RTP, recolhidas as imagens e identificada a malandragem devia ser o departamento de informação da televisão pública a fazer aquilo que é a sua função, informar, neste caso informar a polícia. Acabaram-se os tempos da asfixia democrática, agora não são os meliantes que asfixiam a actividade parlamentar, ou jornalistas armados em parvos que querem asfixiar a actividade da polícia que luta pela segurança do país.

    Este país estava a precisar de um ajustamento como deve ser e graças a Deus que nos momentos difíceis aparecem sempre portugueses capazes de levar o país, custe o que custar e mesmo que isso seja contra uma maioria de gente ignorante, sem vocação para a política e que de tanta política que fazem quase se esquecem de trabalhar. Ainda bem que em Portugal temos uma Jonet, um Gaspar ou um Relvas."

    ResponderEliminar
  2. Há dez anos uma ministra das Finanças quis atenuar estes disparates,chamaram-lhe velha e elegeram o Sócrates.
    Os previlégios de vários grupos da sociedade portuguesa pões em risco os direitos de outros.
    Todos fingem não perceber.
    A Alemanha percebeu.

    Juntando isto à roubalheira das quadrilhas que dominam o poder central e autárquico,isto não tem saída.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já dizia o nosso Medina Carreira, políticos só chegam ao poleiro com mentiras e demagogia, o povo só gosta disso.
      Se alguém fala em reformar o estado social, os cidadãos ficam logo possuídos, como crianças quando se lhes diz que se continuarem a atirar com o brinquedo ele vai partir, mas a criança não quer acreditar e não para nem deixa retirar o brinquedo e grita...
      Os portugueses fazem o mesmo, se ouvem a palavra reformar o estado social, ficam logo com os cabelos em pé e nem querem saber do que se trata, se é benéfico para todos, se é melhor ou pior, se é mesmo urgente, se tem mesmo que ser, se é para cortar nos ricos nem querem saber ... enfim
      Temos uns políticos desenhados à medida da ignorância de quem os elege e á medida da falta de moral dos eleitos.

      Os portugueses preferem partir o brinquedo em pouco tempo do que ouvir a verdade e preserva-lo por toda a vida... e quem irá educar estas crianças? Que são contra a reforma social, contra a reforma nas autarquias, contra os cortes em alguns professores que realmente estariam a mais, etc etc etc

      Eliminar
    2. Miguel Sousa Tavares, "Tem de Haver Alternativa", Expresso, 2012
      (...)Mas tenho como indiscutível que só chegámos aqui porque a esquerda, a esquerda europeia, não foi capaz de se livrar de dogmas paralisadores e entender como o mundo estava a mudar e a própria noção de justiça social tinha de mudar com ele.
      Portugal é um bom exemplo de como toda a esquerda, desde as múmias leninistas aos socialistas deslumbrados com o dinheiro fácil, passando pelo BA (esquerda Bairro Alto) passaram décadas a venerar como boi sagrado uma legislação e doutrina laboral que tornava impossível despedir o pior dos trabalhadores, assim protegendo os mediocres, os calões e os batoteiros das falsas baixas, nivelados com os que queriam trabalhar e nunca conseguiram sair da cepa torta.
      Os baixos salários, uma das características endémicas da nossa economia, não foram apenas impostos por patrões sem escrúpulos, mas também por um sindicalismo que sempre quis nivelar todos por igual, acabando a nivelar todos por baixo. Sem um estremecimento de apreensão, a nossa esquerda sentou-se confortavelmente em cima dos "direitos adquiridos", recusando-se a entender que não podia ser adquirido o que não era financeiramente sustentável- nas reformas, na saúde publica, na imensa panóplia de actividades subsidiadas. A cegueira e a má fé da esquerda prepararam o caminho para a ruína dos países e para a vingança histórica da direita económica a que agora assistimos."

      Eliminar
    3. Secretária de Administração € 3.753,59

      Mestre Serralheiro € 2.969,30

      Maquinista de manobras € 2.785,17

      Maquinista € 2.587,25

      Motorista € 1.939,09

      Agente tráfego € 1.642,41

      Desenhador € 1.547,09

      Auxiliar € 1.476,86

      Os maquinistas ainda recebem um subsidio que varia entre 317 e 475,50 euros para abrir e fechar as portas.

      Os maquinistas fazem 3 horas por dia de condução.

      Os funcionários do metro, à semelhança com o que acontece com os funcionários da Carris e da Transtejo, quando se reformam têm uma pensão que é igual à do último salário recebido no activo;

      Quando estão de baixa têm direito a médico ao domicílio e recebem 100% do salário;

      Os Maquinistas têm direito a um subsídio por cada quilómetro percorrido, mais 68 euros se não faltar mais de 5 horas e se não faltarem no mês todo mais um prémio de 223 euros;

      Os empregados e reformados viajam gratuitamente, assim como os cônjuges, os pais, filhos, enteados e irmãos que os trabalhadores tenham;

      NOTA: no ano passado o prejuízo desta empresa pública foi de 390 milhões de euros...

      Eliminar
  3. É engraçado ver como os militares, que nunca se expõem em palavras públicas ao que consta, apenas em ameaças semi-privadas, nunca são referidos nestes textos.
    Os nossos gloriosos generais, ao que consta, em número muito - mas muito - superior aos dos seus congéneres espanhóis e franceses, por exemplo, de tão superiores que se sentirão, não descem nem ao nível dos eclesiásticos que, sempre que aparece um caso de pedofilia, lá vão falando...
    Mas voltando aos "fardetas", como um dia lhes chamou Gil, porque será que ninguém critica o conveniente estado de "reserva" que dura os 10 anos anteriores à "merecida" reforma onde mantêm todos os privilégios do activo, apesar de nada fazerem nem nada se esperar que façam (como aliás em todas as suas "brilhantes" e "extenuantes" carreiras)...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. convido-o a fazer uma pesquisa sobre o tema, faço tudo sozinha e certamente me falta falar de muitos males que sorvem os nossos impostos, mas se todos ajudarem e me enviarem textos com fontes ou compilações sobre temas eu agradeço. O blog prima por linguagem simples, acessivel a todos e muito concisa. Quem puder fazer artigos sobre temas eu posso publicar, logo que se enquadrem no que o blog pretende. Mostrar o despesismo, a incompetencia, a falta de ética, etc da classe politica.

      Sobre militares tenho pouco http://apodrecetuga.blogspot.com/2011/07/exercito-nao-esta-em-crise-vai-de-vento.html

      Eliminar
    2. Salários do METRO...."os príncipes de um país miserável!!!,,,,,o QUE OS SINDICATOS FIZERAM


      Secretária de Administração €3.753,59

      Mestre Serralheiro €2.969,30

      Maquinista de manobras €2.785,17

      Maquinista €2.587,25

      Fiscal €2.020,66

      Motorista €1.939,09

      Agente trafego €1.642,41

      Desenhador €1.547,09

      Auxiliar €1.476,86

      Os maquinistas ainda recebem um subsidio que varia entre 317 e 475,50 euros
      para abrir e fechar as portas.

      Os maquinistas fazem 3 horas por dia de condução.

      Os funcionários do metro, à semelhança com o que acontece com os
      funcionários da Carris e da Transtejo, quando se reformam têm uma pensão
      que é igual à do último salário recebido no activo;

      Quando estão de baixa têm direito a médico ao domicílio e recebem 100%
      do salário;

      Os Maquinistas têm direito a um subsídio por cada quilómetro percorrido,
      mais 68 euros se não faltarem mais de 5 horas e se não faltarem no mês
      todo mais um prémio de 223 euros;

      Os empregados e reformados viajam gratuitamente, assim como os cônjuges,
      os pais, filhos, enteados e irmãos que os trabalhadores tenham;

      Como resultado desta mamadeira, só no ano passado o prejuízo desta
      empresa pública foi de 390 milhões de euros...

      Eliminar
  4. A dívida do sector dos transportes é de 18 mil milhões de euros. Até onde pretendem continuar a suportar estruturas anquilosadas, dominadas por chulos de 2ª categoria do sistema (os de 1ª estão no governo)?

    Solução?

    Poribam a circulação automóvel nas cidades apenas ambulâncias e bombeiros, e deem a cada portuga uma moto coberta, no valor de 1800€: Circular-se-á melhor, estacionar-se-á melhor, viajar-se-á de porta a porta, consomir-se-ão menos combustíveis líquidos, poluir-se-á menos.

    O valor a gastar será igual à dívida actual dos transportes (e nem crianças nem idosos vão precisar de motos cobertas)...

    ResponderEliminar
  5. Alguém me sabe dizer porque a sindicalização e o voto não são obrigatórios neste país?
    Alguém percebe porque há sindicatos por empresa e não por sector de actividade, permitindo comparações de direitos profissionais horizontais?
    Alguém me sabe dizer porque, praticamente, não há sindicatos com fundo de greve?
    E porque os dirigentes das centrais sindicais são, todos, militantes partidários ou, no passado, envergonhadamente próximos de direcções partidárias?
    Alguém percebe porque há dirigentes sindicais, professores, com horário zero ou seja, sem darem aulas mas pagos, e bem, pelos nossos impostos?
    Ou seja também os chamados sindicatos se aproveitaram dos portugueses: Pela quotização, pela via indirecta dos impostos, pela conivência política, pela promoção dos seus dirigentes, pelo financiamento político de chavões idiotas convenientes aos partidos, verdadeiros manobristas e patrões dos "sindicatos".

    Mais uns chulos que sustentámos e sustentamos...


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Algumas respostas, digo eu
      http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/11/greves-para-que-alinhamos-em-tudo-e.html

      Eliminar
  6. É pá, Ainda me lembro ver há uns anos na tv, a noticia que certa empresa (já não me lembro qual)ia abrir uma fábrica em Moçambique...
    Então entrevistaram a delegada sindical da dita futura empresa - Parece que ainda estou a vê-la a desbobinar a cassete.
    Ainda não havia empresa, ainda não havia operários, nem sei se chegou haver, mas o raio da delegada sindical já la estava a botar faladura.
    Isto tem mais piada porque os democratas, comunistas, e outros democratas, sempre criticaram os chamados sindicatos verticais do fascismo.

    Bakunini

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse o espírito... lutar para ganhar clientes, não é proteger os clientes ou a empresa que paga aos clientes, de falir e deixar os clientes apeados...

      Eliminar
  7. Eu,um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velhote (88anos),digo simplesmente que está certo que se critique e condene a existência de salários escandalosamente elevados comparados com o salário mínimo e com as pensões de miséria,mas há que separar o trigo do joio e não condenar o Sindicalismo.Até parece que há aqui gente que antes queria que houvesse os Sindicatos do tempo da Ditadura clerical-fascista do Estado Novo.

    ResponderEliminar
  8. Privilégios Acumulados ou Direitos que conseguiram adquirir? Quando fazem greves a grande parte dos trabalhadores não recebe! Onde estão essas contas! Depois onde estão as administrações? E as sucessivas reestruturações?

    Os transportes (ainda) públicos servem para dar lucro ou para satisfazer as populações?

    Quanto a alguns que colocam aqui questões que fiquem a saber que há sindicatos de sector de actividade, basta ler os comunicados quando fazem greve!

    Quanto às greves afectarem sim afectam, quem faz greve! Não recebe! Ou calávamos sempre que nos impunham uma coisa? Se não possuímos regalias como alguns chamam, o que fizemos para tê-las ou caíram do céu? Algumas destas "regalias" foram pagas com sangue! Onde estão essas pessoas que ganham menos, esperam ganhar mais direitos ou ficam há espera dos mesmos, pode ser que um dia alguém se lembre deles? Direitos não se dão, conquistam-se!

    Já agora quando virem um greve procurem saber porque existe, e quais são os motivos dos grevistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro André, o que o srº relata em nada exclui o que divulgo. As greves e os sindicatos, conquistam direitos ninguém se opõe a essa ideia. Mas tb há que reconhecer que muitos sindicatos existem e muitas greves são feitas para desestabilizar os governos, para conquistar regalias exageradas para determinadas classes privilegiadas, para abusar do seu poder na sociedade exigir mais que o justo ou mesmo o sustentável.

      Tal como se reconhece o sentido positivo dos sindicatos e greves, também é visível o sentido perverso que alguns lhe deram.
      Portanto creio que o seu comentário não é uma negação do que se denuncia, apenas a explanação do lado positivo, do que se denuncia...
      Como deve calcular, essa versão mais positiva é a mais conhecida de todos, a que divulgo é a menos conhecida, por isso a divulguei.
      Obrigado pelo seu contributo.

      Eliminar
  9. e não é o dinheiro que causa tudo isso? porque não se discute como acabar com ele? Há soluções,posso enviar-lhe o meu livro, gratis. O dinheiro sendo talvez o maior mal do mundo, é uma carraça, que atinge cada vez mais os mais pobres. Claro, os bancos acabariam. Mas haveria trabalho para toda a gente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seria mais fácil deixar aqui uma amostra do resumo... e que seja fácil de entender pelo cidadão.

      Eliminar
  10. Caso Casino Estoril o maior da Europa.
    Passam 4 anos em tribunal que o despedimento coletivo do Casino Estoril se concretizou, como é possivel a justiça não ver as injustiças.
    Então despede-se pessoas substituindo por outras em que é o próprio diretor que tem a empresa, despede-se uma pessoa que está de baixa, despede-se cinco sindicalistas, despede-se colocando a pessoa noutro setor para o despedir, todos os organismos que tutelam o emprego sabem disto, mas o despedimento foi feito por ser o Casino Estoril com os seus traficantes de influências ou por medo da Tríade Chinesa.

    ResponderEliminar
  11. Este texto não tem pés nem cabeça. Virar portugueses contra portugueses não é o caminho meus senhores. se querem escrever pelo menos escrevam com objectividade e com um ponto de vista aprofundado sobre os assuntos... Enfim...

    ResponderEliminar
  12. Quanto aos reformados do Metropolitano de Lisboa, falta referir um pequeno pormenor, é que estes trabalhadores ao serem forçados a ir para a reforma mais cedo pelo Estado, não receberam qualquer indemnização por isso, tendo ficado assim acordado o complemento de reforma.
    Esta informação apenas pode ter sido "esquecida" de mencionar pelo(s) autor(es) do(s) texto(s) acima descrito(s) por nitida má-fé, embarcando assim na carneirada cega que os governantes querem e pensam que são todos os portugueses.
    Felizmente não são todos os portugueses assim, apesar de aqueles que são como eu, que tentam analisar e chegar à verdade dos factos, sermos muito poucos. Apenas para concluir, não conheço nenhum caso sem ser o destes reformados do Metropolitano de Lisboa, que sendo forçados a ir para a reforma mais cedo não receberam qualquer indeminização por isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois então desconhece a realidade pois eu conheço pessoalmente pessoas de outras áreas laborais, ( seguros) que também são empurrados para a reforma sem qualquer indemnização, portanto não se trata de carneirada ou má fé, trata-se de falta de informação-

      Eliminar
  13. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
    A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
    MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

    ResponderEliminar
  14. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
    A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
    MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

    ResponderEliminar