65 milhões para o Benfica. 33 milhões para o Porto. Golos mal explicados.

Santana Lopes ajuda benfica
Isto quando toca a ajudar amigos com o dinheiro do povo, somos uns mãos largas...
Quando o eleitorado não sabe usar o voto os corruptos Políticos não temem nada nem ninguém, a impunidade impera e os crimes prosseguem. Um eleitorado que dispensa o poder do voto e prefere ficar em casa em vez de ir ás urnas fazer justiça e mostrar o que pensa dos corruptos, votando contra eles, é um eleitorado que pactua com a corrupção.
E os nossos impostos são usados, sem medos, para ajudar os amigos corruptos dos eleitos corruptos. Assim é nos países onde os governos são eleitos por minorias porque as maiorias não votam.
Mas ei-los na luta, renhida a ver quem rouba mais impostos aos portugueses... e os adeptos, os otários/ contribuintes, apoiam o saque, logo que seja para o seu clube. A preocupação dos portugueses é defender o seu clube e não o seu país ou o seu dinheiro?
Para muitos portugueses, é mais importante os dirigentes de futebol e futebolistas terem um Ferrrari nem que seja pago com saques ao erário público, do que os contribuintes terem pão na mesa para os filhos.

"O Benfica encaixou 65 milhões de euros à custa do contrato-programa firmado com a Câmara de Lisboa, no âmbito do Euro 2004. Santana Lopes não é arguido, apesar de a PJ ter concluído que município, a que ele presidia, instrumentalizou a EPUL para financiar o Benfica. Já Carmona Rodrigues ( conhecido pelo gosto de distribuir cargos e milhões... públicos, claro), à data dos factos vice-presidente da autarquia, é um dos cinco arguidos constituídos durante a investigação que a PJ acaba de concluir ao investigar o Apito Dourado. Os restantes arguidos são ex-administradores da EPUL - Empresa Pública de Urbanização de Lisboa.
O acordo fixava os moldes da participação da EPUL na construção do novo Estádio da Luz, para o Euro 2004.
Um relatório da Inspecção-Geral de Finanças (IGF), que suportou o trabalho da PJ, apontou défices de transparência ao contrato-programa, referindo que as formas de apoio acordadas e atribuídas ao Benfica "consubstanciam verdadeiras comparticipações financeiras, concedidas por instâncias municipais". "O contrato contrariou os normativos legais vigentes", acrescentou a IGF, por não terem sido quantificados devidamente os encargos das entidades públicas envolvidas, em desrespeito pelos princípios da boa gestão dos dinheiros públicos. Assumir encargos directos de 18 milhões de euros na prossecução de fins estranhos ao seu objecto social. Mas, além dos 18 milhões, o Benfica encaixou mais 47, pois o contrato-programa ainda lhe permitiu vender um terreno à EPUL e receber outro da Câmara de Lisboa.
Os 18 milhões referidos decorrem de dois negócios. Num deles, a câmara decidiu que a EPUL construiria 200 fogos, em terrenos seus, no Vale de Santo António, e entregaria um terço dos lucros da sua venda. O Benfica recebeu 9,9 milhões de euros, apesar de a EPUL nunca ter construído as 200 habitações. Segundo o então presidente da EPUL, Sequeira Braga, foi Santana Lopes quem definiu que seriam dados 10 milhões de euros ao Benfica, através de um projecto imobiliário da EPUL.
A outra parcela dos 18 milhões resulta do compromisso da Câmara de pagar, através da EPUL, os ramais de ligações às infra-estruturas de subsolo para o estádio. Isto valeu ao Benfica oito milhões de euros, sendo que 80% das facturas que cobrou à EPUL respeitavam a serviços de consultoria: só 20% tinham a ver com os ramais." fonte

Câmara de Lisboa perdoa 1,8 milhões de euros ao Benfica. A Câmara de Lisboa aprovou a isenção do pagamento de taxas urbanísticas de cerca de 1,8 milhões de euros por intervenções a realizar junto ao Estádio da Luz, o que gerou críticas da oposição.
A proposta foi aprovada com os votos contra da oposição no executivo municipal (de maioria socialista) – PSD, CDS-PP e PCP – e de uma vereadora do movimento Cidadãos por Lisboa. 

FC Porto A Câmara Municipal do Porto (CMP) terá beneficiado o em 31,5 milhões de euros através da cedência de direitos de construção
O protocolo terá sido assinado pelo ex-presidente da CMP, Nuno Cardoso, que, para além do clube, cedeu 5,5 milhões de euros à construtora Soares da Costa, 1,6 milhões de euros à Jomar e 1,5 milhões de euros à Sociedade Protectora dos Animais.
De acordo com o jornal, a reconversão da zona das Antas irá custar no mínimo 100 milhões de euros ao erário público, 80 milhões a suportar pela autarquia e 20 milhões da responsabilidade do Instituto de Estadas de Portugal (IEP).
Ainda segundo o Público, Nuno Cardoso transformou a operação num projecto em que «todo o investimento é público e todos os lucros são privados». fonte

FC Porto levaria 2666 anos para pagar centro do Olival. 
Alegados favores das autarquias ao clube da terra já são tema banal, mas há outra controvérsia quando é a câmara vizinha a fazê-lo: Gaia gastou 16 milhões no centro de treinos de que recebe 500 euros de renda do FC Porto e o Seixal é acusado de ter facilitado a construção do centro de estágio do Benfica sem salvaguardar contrapartidas.
Mas há também as câmaras que se esforçam antes por bem receber emblemas vizinhos - e de impacte nacional: foi o que fizeram Gaia e Seixal, ao albergarem nos seus concelhos os centros de estágio de FC Porto e Benfica, respetivamente. A norte, os dragões pagam 500 euros mensais de renda por uma infraestrutura que custou 16 milhões de euros aos cofres públicos. E a sul, segundo rezam as crónicas, as esperadas contrapartidas benfiquistas pela construção do Caixa Futebol Campus não foram salvaguardadas pelo município. fonte

A PortoGaia, fundação criada em 1999 para construir e gerir o centro de estágios do Futebol Clube do Porto, é uma das fundações que o Governo quer extinguir. Teve uma das piores avaliações no censo efectuado pelo Governo. 84,4% das suas receitas provêm de dinheiros públicos. Edilidade refere que decisão cabe "aos órgãos competentes da autarquia e não ao Governo". Além disso, esta é uma entidade muito dependente do financiamento público: Entre 2008 e 2010, a empresa recebeu 4,234 milhões de euros em apoios financeiros públicos. fonte
Dragões consideram ser inadmissível os contribuintes pagarem por uma estátua de um dos fonte
fundadores do Benfica. Câmara lembra que a iniciativa foi votada e aprovada pelos munícipes.

Centro de estágio da corrupção em Gaia
Estado Financia a Corrupção e Adultera a verdade Desportiva. Hoje o tema a desenterrar é o da construção do Centro de Estágio do F.C. Porto obra essa suportada na totalidade pelo erário público, resumindo, toda a obra foi paga com o dinheiro dos impostos do povo português, mais uma vez o Estado que deveria combater a corrupção ajudou com o dinheiro dos contribuintes a fomentar a Corrupção. artigo longo completo






13 comentários:

  1. Adoro ver estes comentários de pessoas com tão elevado grau de inteligência de leitura.............

    ResponderEliminar
  2. é de louvar a certas pessoas, que realmente andam atentas ao que se passa neste pais, e que não se casam de dizer a verdade, infelezmente são poucas mas boas, [ ZITA ],,,,,,já não se pode dizer o mesmo da outra maioria das pessoas, que só vêm é bola, casa dos degredos, Fatima, etc, TAMANHA IGNORANCIA.....

    ResponderEliminar
  3. Por isso eles vão visita-los à prisão

    ResponderEliminar
  4. ataque ao Benfica nesta noticia mas não esqueçam que o sporting com os perdões também o vamos pagar e bem caro o BES na falencia

    ResponderEliminar
  5. Realmente o futebol é "o ópio do povo"... deprimente. Com comentários do nível deste anónimo é que se percebo o porquê de este país ter batido tão baixo.

    Rz

    ResponderEliminar
  6. Se há corruptos no Sporting julguem-nos e prendam-nos!! E sim, eu sou Sportinguista... Isto para dizer que é incrível como se pode defender um corrupto que te roubou simplesmente porque é da mesma cor.

    ResponderEliminar
  7. Isto é só rir.continuamos a ser roubados descaradamente e aparecem umas mentes brilhantes a querer branquear os clubes de futebol. Ate parece que eles podem roubar.voto nao tem preço tem consequencia e pelos vistos nao chegam 40 anos para os futeboleiros aprenderem. Ah e nao sou anónimo sou o paulo ribeiro.

    ResponderEliminar
  8. TEMOS OS POLITICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
    UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
    Em Portugal vence sempre a abstenção e a ignorância e os corruptos.
    O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
    O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
    Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
    (…)
    Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
    Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
    Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
    ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

    ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

    ResponderEliminar
  9. em quanto esse senhor paga rios de euros eu fiquei a espera daiseroa da minha reforma que é de 502eiros que ainda a caixa de aposentacoes ainda naoe pagou faz dois meses a onde anda o meu dinheiro foi para akudarsos obras que aindanão foram pagas e que todos nós as pagos c o nosso salário

    ResponderEliminar
  10. Tanta confusão nestes espíritos. Os clubes de futebol ou de outro desporto qualquer, são constituídos por pessoas pelo que não são abstratos. Depois, quando se acusa um clube, está a acusar-se as pessoas que os dirigem já que são apenas elas que têm poder para efetuar estas trafulhices. Depois, deve entender-se a crítica, apesar de restrita a um clube, como extensível a todos os clubes do país, sejam do norte ou do sul, este é apenas um exemplo. Nós até sabemos isso muito bem. Estas vigarices de milhões entre câmaras e clubes com o nosso dinheiro, mostram bem o nível intelectual dos intervenientes, sejam doutores ou engenheiros. E pertencem todos ao mesmo clube, campeão nacional consecutivamente, há 40 anos! É obra. Apesar disso, quer nos clubes, quer nas câmaras, quer nos governos, o pessoal continua a votar neles teimosamente. Portanto, deixem de choramingar e mordam os dedos. São eles que põem a cruzinha no boletim de voto.

    ResponderEliminar
  11. Dado que só votos em partidos entram nas contagens, o que penaliza um partido, não é a abstenção ou votos brancos/nulos, é votar noutro partido - porque se não votarmos, não estamos a negar o voto a ninguém. Estamos apenas a deixar que as decisões se concentrem num conjunto mais restrito do eleitorado, uma minoria - que inclui sempre as clientelas dos partidos e os clubistas acríticos.
    Temos também de esquecer o hábito da idolatria onde os maiores partidos são instituições que muitos acreditam que se devem preservar ao longo do tempo, independentemente do seu desempenho: com as regras actuais, temos sim de mostrar aos partidos que são descartáveis e têm de se esforçar para obter o apoio do eleitorado, caso contrário serão descartados.
    Convém compreender que, quanto mais fraca é a influência/vigilância do eleitorado sobre os deputados e governantes, mais forte é a influência de outras "forças" . Nunca há vazios de poder. O escrutínio dos portugueses foi sendo neutralizado devido ao aumento constante da abstenção, ao que temos que somar os votos brancos e nulos, é uma falha muito grave dos eleitores, na vigilância dos partidos que culmina no aumento da corrupção. Como os partidos não temem a critica nem a censura da maioria dos eleitores, porque esses não usam o voto válido, são os grupos de interesse que estão representados no parlamento, não os eleitores.

    Não me convencem as vossas desculpas de que se abstiveram para protestar caladinhos em casa ou que vos é realmente indiferente quem são os legisladores que vos representam. Se não encontraram diferenças é porque não se deram ao trabalho de as procurar. Mas também não vou invocar deveres abstractos de civismo e democracia para censurar a vossa preguiça. O meu problema convosco é mais concreto.
    No entanto, a democracia só funciona se cada um tentar perceber os problemas, estudar as propostas, pensar nas consequências, escolher as opções que prefere e der o seu parecer.
    Dá trabalho, demora tempo e é uma chatice, mas tem de ser assim porque não há alternativas aceitáveis. Esperamos por um ditador? Atiramos a moeda ao ar? Damos tudo aos interesseiros e fanáticos?
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão ou porem o Marinho Pinto como cabeça de lista, por exemplo. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote. Também é por vossa culpa que os extremistas estão a ganhar terreno, e pela mesma razão. É fácil pôr os fanáticos a votar. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas dos partidos, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem de acordo com o que acham ser a melhor solução, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.

    Na opinião de muitas pessoas, existe uma grande diferença entre a abstenção e o voto em branco. Imaginam que a abstenção é sinónimo de revolta, quando efectivamente é apenas considerado como desinteresse, alheamento e indiferença para com o futuro do nosso país.

    ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/so-votos-em-partidos-entram-nas.html#ixzz4e7VbKyHT

    ResponderEliminar

  12. Digo-vos: praticai o bem. Porquê? O que ganhais com isso? Nada, não ganhais nada. Nem dinheiro, nem amor, nem respeito, nem talvez paz de espírito. Talvez não ganheis nada disso. Então por que vos digo: Praticai o bem? Porque não ganhais nada com isso. Vale a pena praticá-lo por isto mesmo.

    ResponderEliminar