05 junho, 2014

Apenas 35% dos portugueses com mais de 25 anos terminaram o 2.º ciclo de escolaridade, na Alemanha, 86%


corrupção destroi ensino analfabetos "Segundo o estudo 'Retrato de Portugal na Europa', publicado pelo Público, Portugal apresenta resultados muito fracos a nível de educação em comparação com os restantes países da Europa. Resultados que provam que Portugal não é um "país de engenheiros e doutores".
A educação em Portugal vai mal e precisa de ver o seu sistema de ensino repensado. Esta é a conclusão que pode retirar-se do retrato a Portugal realizado pelo Pordata, a base de dados da Fundação Manuel dos Santos.

O estudo, que compara os indicadores portugueses com os dos 28 países membros da União Europeia, permite concluir que Portugal é o terceiro país com níveis de abandono escolar mais elevados e que apenas 40% dos portugueses, entre os 25 e os 64 anos, tem o ensino secundário completo.
Assim, conclui a demógrafa Maria João valente Rosa, ao Público, que Portugal “não é um país de engenheiros e doutores”. Uma afirmação dita muitas vezes por “pessoas com muitas responsabilidades no país” e que “tem efeitos terríveis sobre uma sociedade que nem gente suficiente com o secundário tem”.
Segundo o estudo, 70,6 % das pessoas que trabalham por conta própria não têm o ensino secundário completo, sendo que a média da Europa é de 24,3%. Já os que trabalham por conta de outrem, 50,4% não conclui o 12.º ano de escolaridade.
O país destaca-se, ainda, por ser aquele que regista mais chumbos na escola.
Números preocupantes tendo em conta que os 15,1% que possuem qualificações ao nível do ensino superior estão a ser “empurrados para fora do país”, defende a demógrafa.
Para Maria João Rosa a baixa escolaridade dos portugueses traduz-se nos resultados registados a nível de produtividade, sendo que apesar de sermos dos países que mais horas de trabalho pratica, tal não se reflete nos níveis de produtividade, estando Portugal em 21.º lugar no que diz respeito a este indicador." fonte

Manuel Pinho, ex- ministro e agora professor nos EUA, pago pela EDP, também expõe os dados que nos envergonham; apenas 35% dos portugueses com mais de 25 anos terminaram o 2.º ciclo de escolaridade, o que compara com 86% na Alemanha, 84% na Finlândia e 72% em França. Garante que somos dos menos produtivos da Europa, devido à falta de maquinaria moderna e etc... esquece-se é de analisar os dados/gráficos que ele próprio exibe, de outras perspectivas. Os gráficos deixam a nu que os países da Europa menos educados e menos produtivos, são também os mais corruptos... qual será então causa e qual será consequência? Alguém quer tentar adivinhar?
corrupção politica ensino ignoranciaA ignorância contribui para manter e criar países corruptos, ou os corruptos contribuem para originar povos ignorantes? Ou ambas são verdade? Artigo completo...

Os Censos de 2011 vieram mostrar que, entre os 10 562 178 habitantes do país, cerca de meio milhão (499 936) são analfabetos com 10 ou mais anos, o que significa que a taxa de analfabetismo se situa nos 5.23%. Este valor apresenta, no entanto, importantes variações a nível regional. Lisboa é a região com menor taxa de analfabetismo (3.23%) e o Alentejo a que apresenta uma taxa mais elevada.  fonte

internet corrupção apodrecetuga pior
Outro interessante estudo que aclara algumas coisas, é o que segue, e demonstra que os países menos corruptos são também os que usam mais a internet. Os nórdicos são os mais assíduos na Internet.
Analfabetismo digital: Cidadãos entre os 16 e os 74 anos que nunca acederam à Internet,
- Na Suécia 5%
- na Holanda (7%),
- No Luxemburgo (8%)
- Na Finlândia (9%)
- Em Portugal (41%)
"Países com melhor educação tendem a ser menos corruptos" ARTIGO COMPLETO: 

corrupção licenciados privadosEsta também o vai surpreender... Portugal tem mais universidades por milhão de habitantes, que a Inglaterra, que a Espanha, que a Finlândia, não é por falta de universidades que estamos na cauda da Europa no que toca a educação. É sim por falta de gestão estratégica, ou qualquer outro tipo de gestão, dos que nos desgovernam. Veja aqui o quadro


VEJA NESTE VIDEO COMO AS SÃO OS PAÍSES ONDE OS CIDADÃOS SÃO INFORMADOS, CULTOS E PORTANTO EXIGENTES E VIGILANTES. EXERCER CIDADANIA NÃO APENAS VOTAR. SUÉCIA UM EXEMPLO DE DEMOCRACIA JUSTA E BARATA.




apodrecetuga corrupção politicos





3 comentários :

  1. resultado do socialismo e da centralização da união europeia.

    em inglaterra há mais colegios privados do que gasolineiras
    mas portugal é o pais com mais farmacias, policias, medicos e iliteracia da europa por isso o pais mais podre e pobre
    o que mais se esfoça e menos ganha, por causa da tirania medico-policial

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA
      O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
      Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
      (…)
      Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
      Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
      Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
      ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

      Eliminar
  2. Vale a pena ler e estudar varias opinioespois este é um assunto em que uma opinião valida é importante para o futuro dos jovens. Temos maior abandono escolar queos outros da UE mas temos a maior percentagem deuniversidades e cursos superiores. Se continuarmos a confundir ensino com os direitos sindicais dos trabalhadores da educação corremos o risco de fazer "reformas" do ensino atras de "reformas" e cada vez a qualidade do ensino ser pior -que sé não vê quem não quer ou fala de cor,pois basta ver os rankings das escolas publicas antes e depois destas "reformas" e vemos que quando osprimeiros 50 lugares eram das escolas oficiais agora contam-se pelos dedos as publicas que lá estão. Tenho a convicção de que não foram as privadas que melhoraram muito, mas a qualidade doensino quepiorou muito.
    Os pais e alunos devempensar bem se querem continuar a serem carne para canhão para que uma corporação profissional se autoproteja ou quer ter opinião valida e escutada com atenção. Mas isso dá muito trabalho e estudo oque não vejo ao alcance de muitos ausentes pais, que nemao votar sabempor os seus interesses acima da propaganda das capelinhas.

    ResponderEliminar