13 fevereiro, 2012

Para se ser politico em Portugal é preciso currículo ou cadastro?

ser politico com currículo ou cadastro
Tudo indica que somar suspeitas de crime no currículo, ajuda na ascensão da carreira politica portuguesa.
Aparentemente para ter direito aos melhores tachos de Portugal, politico ou gestor público, é necessário ir somando suspeitas de envolvimento em vários crimes, mentiras e incompetências.
  1. A quadrilha que se forma no governo
  2. Cavaco Silva, um inocente... 
  3. Cavaco Silva estranha-se.
  4. Cavaco Silva???
  5. Cavaco Silva tem amigos estranhos.
  6. Paulo Portas o ingénuo... 
  7. Paulo Portas rendido ou vendido?
  8. Paulo Portas e a Moderna.
  9. Paulo Portas e a Casa Pia.
  10. Santana Lopes não cumpre.
  11. Santana Lopes e os negócios.
  12. Santana Lopes e o Benfica.
  13. Passos Coelho iniciado.
  14. Passos Coelho negligente.
  15. Sócrates o indigente
  16. Paulo Campos, máfia dura. 
A lista é longa, basta pesquisar na lista aqui do blog, colocam os nomes no motor de busca, e vejam o descaramento dos criminosos reincidentes e impunes, currículos que em nada abonam pela dignidade e moral dos que governam... 
Teríamos de visitar ainda os segredos de Valentim Loureiro, Isaltino Morais, Dias Loureiro, Oliveira e Costa, Armando VaraDuarte Lima etc etc etc mas acho que já entenderam a ideia... 

Paulo Portas, serve aqui de exemplo da forma injusta e tendenciosa com que se Governa Portugal, promovendo e premiando a corrupção e incompetência através do abuso da impunidade.Um Ministro que representa e serve um Ministério impunemente e irresponsavelmente.
Pois que, quando se trata de recolher os dividendos, gozar das regalias, desfrutar e abusar do poder conferido, assume-se um Ministro na sua totalidade... contudo quando se trata de assumir responsabilidades pelo que representa, pelo que recebe, pelo cargo que assumiu e pelos subordinados que gere... já não é o responsável, nem o representante máximo do ministério. Eis que contra qualquer regime democrático, contra todas as expectativas dos cidadãos lesados, contra a lógica hierárquica, contra a justiça e estado de direito, a lei pactua com isto e fecha sempre os olhos à responsabilização. 

Mais um caso do Ministério de Paulo Portas. 
«O Governo afirmou-se hoje "totalmente disponível para cooperar" com a Justiça relativamente a uma eventual investigação ao processo de compra de 260 viaturas blindadas de rodas Pandur II para as Forças Armadas nacionais.»
"Esta averiguação preventiva demorou cinco anos a ser aberta o que permite pensar que estão em causa crimes graves como a corrupção para ato ilícito", admite o diário.
O contrato no valor de 364 milhões de euros para fornecimento e manutenção de 260 blindados de rodas às Forças Armadas portuguesa - com opção de mais 33 viaturas - foi assinado em fevereiro de 2005 com a empresa Steyer-Daimler-Puch, sendo então ministro da Defesa Paulo Portasfonte
Mais.... Portas adjudicou Pandur após Governo ter sido demitido.
Despacho com nome do vencedor foi assinado após Sampaio anunciar demissão.
A adjudicação da compra dos blindados Pandur à empresa austríaca STeyr, em 2004, aconteceu seis dias depois de Jorge Sampaio ter feito saber que ia dissolver o Parlamento. Portugal comprometia-se a gastar 344 milhões de euros na compra de 260 viaturas para o Exército e Marinha. O contrato foi denunciado no final de 2012 pelo ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco.fonte




Empresa que forneceu 'Pandur' é suspeita de corrupção.
República Checa tem indícios de que a austríaca Steyr corrompeu políticos.
A polícia anticorrupção da República Checa está a investigar a empresa austríaca Steyr, que em 2004 vendeu 260 viaturas blindadas Pandur de oito rodas a Portugal, por suspeitas de subornar políticos locais (de dois partidos) envolvidos na compra do mesmo material.
O caso aparenta ser em tudo semelhante ao que ocupa as autoridades alemãs, na polémica sobre a venda de submarinos a Portugal. Segundo o jornal Prague Post, a investigação - a que se juntaram, a pedido do primeiro-ministro, os serviços de informações de segurança - "vai centrar-se em duas questões principais: o alegado suborno de políticos e as razões militares para pagar três vezes mais pelas Pandur do que Portugal".
Portugal, através do então ministro da Defesa, Paulo Portas, comprou 260 viaturas blindadas num processo também envolto em polémica pelo resultado e pelo número.
Estranha-se que tenham ido contra a comissão técnica do concurso, que tinha recomendado o já comercializado modelo Piranha - da empresa suíça Mowag - e a exclusão da Pandur.
Entre outras razões, porque a primeira passou nos testes operacionais e a segunda (as que compraram) chumbou. fonte

Paulo Portas, como Ministro dos Negócios estrangeiros perdoou aos do negócio das Pandur investimentos no valor de quase 200 milhões de euros que, salvo erro, constavam no contrato… Falta saber se aquele perdão deu origem a contrapartidas e para quem reverteram… Legitimamente é de desconfiar que se perdoe tão avultado valor… 
Um caso muito parecido com os Submarinos, onde também houve suspeitas de luvas, mas cuja investigação foi feita pelo país que subornou, não por Portugal. 
Também em comum o facto de Paulo Portas ter dado mais dinheiro do que o que era exigido. 
Ainda estranhamente comum a ambos os casos, a possibilidade de recuar e ganhar muitos milhões para o estado português, por incumprimento do contrato por parte dos fornecedores. E estranhamente mais uma vez não se recorreu a esse beneficio!
Também em comum o descalabro de despesismo para um país pobre pequeno e pacato. 
Portas perdoou 189 M€ de contrapartidas na compra dos Pandur fonte


Amigo de Portas ganha 50 milhões.
"Conta hoje o Correio da Manhã que o dono da fábrica dos Pandur chega a acordo com firma que processou Estado Português. Fabrequipa recebe contrapartidas.
Francisco Pita, amigo de Paulo Portas e proprietário da fábrica onde eram montados os Pandur, ganhou 50 milhões de euros em dinheiro com o acordo obtido com a General Dynamics, empresa norte-americana que forneceu aquelas viaturas blindadas a Portugal, avança hoje o Correio da Manhã.
A cessação do contrato de fornecimento dos Pandur, que foi assinado quando Paulo Portas era ministro da Defesa, aconteceu seis anos após Francisco Pita ter adquirido a GOM - Gestão e Operações Matalomecânicas, empresa constituída por quadros da antiga Bombardier para ser a destinatária das contrapartidas da aquisição dos Pandur. Segundo o Correio da Manhã pela GOM, o proprietário da Fabriequipa, que era então uma fábrica de semirreboques, terá pago cerca de três milhões de euros em 2006. fonte

3 comentários :

  1. Só me apetece ver estes canalhas pendurados numa corda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
  2. Onde anda a ASAE nestes milhares de casos??? como é que as comissoes de inquerito sao constituidas pelos proprios criminosos e os seus mandatarios? e porque sao representantes politicos e nao juizes e inspectores que fazem as questoes aos alegados criminosos?? Quem controla os autarcas e toda a gestao danosa que fazem, porque é que o Magalhaes fez milionarios até na Venezuela?? Porque é que Aveiro tem um estadio onde la cabe quase toda a populaçao da cidade?? A grande questao como é que podemos acabar com tudo isto....???? A democracia em Portugal nao funciona, apenas é uma excelente ferramenta para que os democratas e tecnocratas ganhem milhoes a serem ladroes e sobretudo incompetentes.
    Nos os jovens de este pequeno pais, deveriamos organizar nos e acabar com isto, seria o Ultramar da nossa geraçao, mas ao menos morriamos por algo que e nosso.

    ResponderEliminar