28 julho, 2013

Os boys do BPN para o governo. Cadastro é importante para o currículo, para se governar Portugal

PASSOS COELHO NOMEOU:
- O MACHETE, GRANDE CHEFE DA MÁFIA BPN, PARA MINISTRO DA DEFESA. 
- NOMEOU MARIA  ALBUQUERQUE, A TAL QUE DECIDIU, QUAL A PARTE DO BPN QUE FICAVA PARA O POVO PAGAR, OU SEJA TUDO, E MAIS UNS TROCOS. A MISS SWAPGATE QUE JÁ VEM DO GOVERNO SÓCRATES.
- PROMOVEU O PORTAS DOS SUBMARINOS E DOS PANDUR.
- NOMEOU TAMBÉM O PAIS JORGE, DAS PPP, DAS SWAP E DAS SCUTS.
- NOMEOU O FRANQUELIN, OUTRO DA FAMÍLIA BPN.
- EM MARÇO DE 2014 NOMEIA MAIS UM DA FAMÍLIA BPN, JOÃO CATARINO. BRAÇO DIREITO DE OLIVEIRA E COSTA NO BPN E ENVOLVIDO EM MAIS CASOS SUSPEITOS DE OLIVEIRA COSTA.
- E AINDA HÁ MAIS DOIS NOMEADOS PARA O GOVERNO, DA GRANDE FAMÍLIA BPN, QUE POUCOS CONHECEM. UM FOI PAULO MACEDO QUE O NOMEOU, PARA ESTUDAR OS CORTES DO SNS. 
O OUTRO ERA APENAS UM JOTINHA...  VEJA EM BAIXO AS TRISTES HISTÓRIAS.
- NOMEOU ex-presidente do BPN, Francisco Bandeira, para liderar operação da Caixa Geral de Depósitos em Espanha. Já em 2012, "a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários condenou o referido administrador, a par do Armando Vara, a uma multa de 50 mil euros por 'negligência'" em razão de "não terem impedido, apesar de terem conhecimento dos factos, um conjunto de ilicitudes realizadas na rede comercial do grupo público."

O caso British Hospital.
Eis o momento assumir mais um prejuízo? O British Hospital, está a cair em ruína, já se prevê o seu destino, já que faz parte do grupo de empresas que pertencem ao universo SLN/BPN.
O British Hospital pertence ao Grupo Português de Saúde desde o início dos anos 1980. O Grupo Português de Saúde pertence ao universo da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), a tal que tinha um banco dentro. Exactamente: o BPN.

O BPN serviu para financiar a compra do British.
Um fiasco. Entre 1999 e 2009, o British recuou de uma média anual de 12 mil consultas para cerca de 1800. Entre 2004 e 2007, o presidente do Grupo Português de Saúde foi o economista José António Mendes Ribeiro, o qual, quando saiu do grupo, deixou um passivo de perto de 100 milhões de euros. Depois de um currículo marcado por negócios ruinosos e prejuízos avultados, eis que o seu "mérito" é reconhecido...
Pois foi precisamente José António Mendes Ribeiro que o ministro da Saúde, Paulo Macedo, foi buscar para coordenar o grupo de trabalho que vai propor os cortes a aplicar no Serviço Nacional de Saúde.
Isto permite antever um final muito infeliz, onde os interesses de uma nação se irão vergar novamente a interesses económicos privados. Já que este senhor terá provavelmente interesses em empurrar os utentes do SNS para os privados, área onde antes trabalhava e que deixou afundar. Esta pode ser a tábua de salvação, para corrigir os erros que deixou na área da saúde privada?

"Macedo nomeia ex-gestor do BPN para estudar cortes
Mendes Ribeiro foi responsável por aquisições ruinosas para o Grupo Português de Saúde, financiadas pelo banco, como o British Hospital. Mendes Ribeiro, foi o homem escolhido pelo ministro da Saúde para coordenar e estudar os cortes no SNS.
Uma das suas principais tarefas vai ser precisamente propor alterações ao modelo de financiamento dos hospitais, designadamente através de mecanismos que "sejam incentivadores de geração de receita própria"
A sua gestão no GPS foi bastante contestada. Nesses anos, a empresa do universo do BPN fez grandes aquisições através de empréstimos concedidos pelo próprio banco, como a Imagens Médicas Integradas (IMI) e o British Hospital. E a preços muito superiores aos de mercado: "Duas ou três vezes o seu valor real", garantiu uma fonte do sector ao i, adiantando que "com certeza o ministro não conhece a biografia da pessoa que nomeou".A outra unidade do British, nas Torres de Lisboa, era participada quase na totalidade pelo GPS (92%) - grupo que resultou do reposicionamento e da reestruturação da Gália, pertencente à (SLN) e participada pelo BPN. Mendes Ribeiro acabou por sair do grupo em ruptura com Oliveira Costa, mas deixando-o numa situação bastante complicada em termos económico-financeira. No final de 2008, e já depois da sua saída, a empresa estava fortemente pressionada por linhas de crédito e despesas de curto prazo, que ascendiam a 35 milhões de euros. Àquele valor juntavam-se 60 milhões de dívida acumulada a 12 meses e que Miguel Cadilhe herdou para resolver. A nível político, Mendes Ribeiro não é um novato. .." fonte (cache)

"Passos promove assessor e omite a sua passagem pelo BPN
Na mesma edição do Diário da República, o primeiro-ministro anuncia a exoneração e nomeação de João Montenegro, que passa a ganhar 3653 euros por mês. Este antigo dirigente da JSD, que Passos requisitou ao BPN em 2011 para o seu gabinete, viu esta referência desaparecer da nota curricular agora publicada, que apenas aponta a sua passagem de oito anos "pelo setor bancário". FONTE

Com o passar do tempo percebemos a profundidade da promiscuidade e abuso, na politica. Percebemos que existia um "abrigo" onde alguns políticos e amigos eram acolhidos quando era necessário ocultar trajetos de dinheiro, financiar negócios ruinosos, financiar ambições e empréstimos pessoais, como foi o caso de Duarte Lima e outras tramas mais complexas. O porto de abrigo de políticos - BPN e SLN. Estes é apenas mais casos que vêem reforçar a ideia.
Marques Mendes escreveu "Diz-se que determinada empresa é tutelada pelo Estado, mas o Estado não tem meios para tutelar nem fiscalizar nada. As empresas estão em auto-gestão, por isso é que há grandes orçamentos não controlados e um grande regabofe nas empresas públicas". fonte

CONHEÇA MAIS ALGUNS, SECRETÁRIOS DE ESTADO EXEMPLARES E COM CURRÍCULOS À MEDIDA!?
**Secretária de Estado da Administração Local e da Reforma Administrativa, Ana Rita Gomes Barosa. Foi administradora de várias sociedades do Grupo Banco Espírito Santo, nomeadamente a ESAF - Espírito Santo Activos Financeiros e ESAF - Espírito Santo Gestão de Patrimónios. Estava atualmente no Banco Best.

**Secretário de Estado do Emprego, Pedro Roque. Deputado do PSD, é professor de História e Secretário- Geral dos TSD - Trabalhadores Social Democratas, desde 2011. Dirigente da FPCUB - Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta e membro da Comissão Política Nacional do PSD. Foi vereador na Câmara Municipal de Almada (2005-2009) e secretário-geral Adjunto da UGT - União Geral de Trabalhadores (2010-2011).

**Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, Franquelim Alves
Formado em Economia pelo Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa, foi administrador de várias empresas do grupo Banco Português do Atlântico e do grupo Lusomundo (onde chegou a ser braço direito do coronel Luís Silva). Foi Diretor Financeiro do grupo Jerónimo Martins e Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Economia (Carlos Tavares) do XV Governo Constitucional, liderado por Durão Barroso. Mais tarde esteve na SLN como administrador da área não-financeira, de onde se demitiu em 2008. Passou pela GIL Capital Solutions e pelo IGCP, sendo atualmente gestor do Compete (Programa Operacional Factores de Competitividade que gere os fundos comunitários do Quadro de Referência Nacional).

**Secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes. Deputado do CDS-PP, membro da Comissão de Acompanhamento da Troika. É advogado com mestrado em Ciências Jurídico-Políticas. Já tinha estado no Governo, tendo sido Adjunto da Secretária de Estado da Segurança Social do XV Governo Constitucional e chefe de Gabinete do Ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território do XVI Governo Constitucional

**Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Francisco Gomes da Silva
É Professor Auxiliar do Departamento de Economia Agrária e Sociologia Rural do Instituto Superior de Agronomia (ISA/UTL), leccionando em diversas disciplinas da área da Economia e Gestão.

**Secretário de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território, Paulo Guilherme da Silva Lemos É vogal na Agência Portuguesa do Ambiente e foi adjunto de Jorge Moreira da Silva, quando este era secretário de Estado do Ambiente no Governo de Barroso, em 2004.

**Secretário de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar, Nuno Vieira e Brito (novo cargo): Foi deputado do CDS-PP na Assembleia Municipal de Guimarães e era atualmente Director-Geral de Alimentação e Veterinária. Licenciado em Medicina Veterinária, foi vice-Presidente do Instituto Politécnico de Viana do Castelo e Professor Adjunto e Coordenador do Curso de Enfermagem Veterinária na Escola Superior Agrária de Ponte de Lima. FONTE

DO BPN PARA O ESTADO/PARVALOREM também no governo Sócrates - só pode ser anedota?
Condenandos ou envolvidos no BPN, a trabalhar para o estado para gerir as dividas do BPN?
Na sociedade veículo Parvalorem, criada pelo Estado para gerir €4 mil milhões de dívidas, há nomes que vêm de trás e se mantêm em atividade.
Armando Pinto-
No tempo de Oliveira Costa foi diretor do departamento jurídico e depois administrador do BPN. Desde julho que é diretor de assuntos jurídicos e contencioso da Parvalorem. Pela sua conduta no BPN, foi condenado pelo Banco de Portugal a uma multa de €200 mil e inibido por cinco anos de trabalhar em instituições financeiras.
Gabriel Rothes
Foi administrador financeiro do BPN até 2005. Foi responsável pelo BPN Cayman. Em 2006 foi nomeado diretor do departamento de contencioso, tendo transitado para o mesmo lugar na Parvalorem. Desde julho deste ano passou a responder a Armando Pinto: Coordena as ações judiciais com vista a recuperar créditos. O Banco de Portugal condenou-o a uma multa de €175 mil e a uma inibição de três anos em instituições financeiras.
Jorge Pessoa
Estava no BPN desde 2005, foi administrador do banco já depois da nacionalização e tornou-se administrador da Parvalorem. Foi convidado a sair do cargo pela secretária de Estado das Finanças, juntamente com os dois colegas da administração. Faz parte agora da direção de recuperação de crédito, mas não tem funções atribuídas.
Jorge Rodrigues
Foi diretor de auditoria e inspeções no tempo de Oliveira Costa. Agora é diretor de recursos humanos da Parvalorem. O Banco de Portugal condenou-o a €350 mil de multa e a um período de cinco anos sem poder trabalhar em instituições financeiras.
Luís Pereira Coutinho
Foi diretor do departamento de risco no BPN durante o reinado de Oliveira Costa. Cabia a si e à sua equipa verificar as garantias dos clientes a quem eram concedidos créditos, sendo que a falta de garantias reais é atualmente um dos maiores problemas que se colocam em relação aos empréstimos incobráveis parados na Parvalorem. Hoje é ele que analisa o risco na direção de recuperação sul da sociedade veículo.
Teodoro Ribeiro

Foi diretor da área comercial e de empresas no BPN, fazendo parte do círculo de confiança do então presidente Oliveira Costa. Atualmente é o diretor da zona sul da direção de recuperação de crédito.
Teófilo Carreira
Foi administrador do BPN antes da nacionalização e agora é responsável na Parvalorem por uma área de recuperação de crédito. Foi acusado este ano pelo Banco de Portugal num processo de contraordenação relacionado com práticas de falsificação de contabilidade e o não cumprimento de regras contabilísticas. FONTE

Ainda neste link veja o video em que se explica o interesse em manter as mesmas pessoas em certos casos, como o BPN.

A PROMISCUIDADE SEM VERGONHA, INCRÍVEL ESTE VIDEO

7 comentários :

  1. ULTIMAMENTE SEMPRE QUE VEJO O CAVACO EMPOSSAR ALGUÉM,
    O QUE JÁ VAI SENDO ROTINA, FICO SEMPRE COM UMA DUVIDA.
    ESTARÁ A EMPOSSAR GOVERNANTES OU A FORMAR UMA QUADRILHA?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reformular a quadrilha dos velhos tempos.

      Eliminar
    2. Já há bastante tempo que tenho notado isso também - quadrilha.
      Ainda bem que não sou o único a pensar assim pois ja estava a questionar a minha saúde mental .
      Ao que parece, não estamos muito longe de serem convidados para a governação Duarte Lima, Dias Loureiro, Oliveira e Costa e outros ''experts'' dos ultimos 30 anos neste desgraçado país. O povo continua, para grande conforto dos atuais politicos, a digerir alegremente Big Brother's, novelas (cada vez mais), futebol, a musica pimba mais repelente até à data, ignorando tudo à sua volta.A carneirada do costume!!

      Eliminar
    3. Num país de mentiras a verdade parece loucura... pois é.

      Eliminar
    4. Na Madeira, o Director Regional dos Assuntos Fiscais está a ser julgado por evasão fiscal quando era Director Financeiro do Nacional da Madeira. Quem melhor para combater a evasão fiscal do que alguém que tem todo o conhecimento técnico e prático?

      Eliminar
  2. Mas afinal não era suposto o 25 A corrigir todas estas situações para ficarmos alegremente ricos? Dizia-se na altura, que o dinheiro da PIDE e do ultramar, quando o regime acabasse, dava para ficarmos todos bem na vida. Afinal parece que fomos todos enganados. Não há nada como fazer outro glorioso 25 A para ver se desta vez a coisa vai, só que parece que agora os militares não estão para aí muito virados.Por um lado há coroneis e generais às centenas e todos de rabo cheio com promoções feitas á socapa durnte estes 40 anos, portanto o pagode que aguente. Ai aguenta, aguenta, não fossemos nós uma cambada de cabrestos.



    ResponderEliminar
  3. Fazemos agora parte de uma suposta Europa Unida. Assim sendo, creio queos militares estão completamente manietados e nada poderão resolver. Um golpe, tipo 25 de Abril seria vista como um golpe de estado dentro de uma zona de paises unida e teríamos de imediato tropas de outros países para repor a situação, julgo eu!

    ResponderEliminar