11 julho, 2014

Mais uma vez Tribunal decide contra o estado, condenado a pagar 24 milhões em caso BPN.

Temos que estranhar que na justiça, o estado perca quase sempre os casos contra milionários. Isto de o estado não pagar luvas em julgamento, sai-nos caro, ficamos sempre em desvantagem!
Os buracos do BPN não param de aparecer. Um milionário que alegou ser "ingénuo" por só ter a 4ª classe e 100 milhões no banco, comoveu a juíza que acreditou que ele foi enganado pelo BPN e condenou os portugueses a pagar-lhe 24 milhões de euros.
Nós portugueses é que temos a culpa de o ingénuo milionário, ter assinado o destino dos seus milhões, de "olhos fechados"?
O video que explicava a falsa ingenuidade do milionário, foi apagado da internet, escapou este que apresento em baixo, porque eu o gravei para o meu canal. 
Quando este video foi publicado, o caso ainda estava em julgamento, entretanto já foi decidido, por uma juíza, que o estado em nome do BPN, tem que pagar 24 milhões ao milionário amigo e parceiro de Mesquita Machado.



COMO FAZER MILIONÁRIOS?? AFINAL É FÁCIL. UM CASO EM BRAGA
 - Empresário imobiliário milionário reclama 24 milhões aos portugueses, porque coitado, foi enganado, uma esperteza que conseguiu erguer um império de 100 milhões, foi enganado??
Afirma que pensava que estava a fazer depósitos no BPN, e nem via que estava a assinar aplicações?
E como não viu e perdeu o dinheiro, porque o BPN só deveria devolver depósitos, então alega que não sabia que não eram depósitos... e com esta alegação, ganha 24 milhões. GENIAL?
Mais genial ainda quando o que ele investiu, (mal) no BPN foram 18 milhões, mas dado os atrasos na justiça, com os juros passou a receber 24 milhões. Afinal investir em maus negócios dá lucro?
Como podem ver no video, ganhou o primeiro julgamento porque a juíza considerou que foi ingénuo e enganado pelo BPN, apesar de o advogado de acusação (que representa o estado) questionar a estranheza de a juíza acreditar nessa teoria,  "como é que um homem que tem mais de 100 milhões de euros é ingénuo" ???
A sua fortuna foi construída em Braga paralelamente ao reinado de de 37 anos, de Mesquita Machado na Câmara de Braga. Comprava terrenos agrícolas baratos, pedia à câmara licenciamentos de projectos de urbanização, que a câmara aprovava, e fazia disparar o valor dos terrenos.
E foi assim, mais um vez, sem se produzir nada, apenas especulando e enfim... que nasceu mais um milionário?
"O julgamento está a ser repetido porque a primeira sentença "esqueceu" a resposta a dois dos quesitos iniciais. " - Entretanto os 18 milhões de euros, com os atrasos na justiça, já vão em 24 milhões? Esta justiça sai-nos muito cara... sempre que há grandes valores envolvidos, decide sempre contra o estado e é lenta, pagamos os juros que engrossam a conta dos privados.
A 25 ABRIL/2014 -  TRIBUNAL DECIDE NOVAMENTE A FAVOR DO MILIONÁRIO. O ESTADO/BPN TERÁ QUE LHE PAGAR 24 MILHÕES DE EUROS. 
Isto de o estado ser "ético" quando se debate na justiça, contra corruptos, sai caro aos portugueses que pagam sempre a conta. Os corruptos podem subornar os juízes que quiserem, haja vontade e dinheiro, o estado não pode, porque o estado português jamais admite ser corrupto ou ter corruptos. Bom... poder pode, mas apenas se beneficiar alguém em particular. Ainda ninguém se lembrou de subornar uma juíza para favorecer o estado, ou pelo menos para não favorecer os corruptos contra o estado, porque ninguém tem interesse em proteger o dinheiro público, que é, e sempre será, tratado como um cão sem dono.

MAIS UM A RECLAMAR ... Empresário traído por "excesso de confiança" reclama meio milhão
O empresário de Estarreja que está a reclamar meio milhão de euros ao BPN admitiu hoje, no Tribunal de Aveiro, que foi o "excesso de confiança" que o levou a comprar obrigações da antiga Sociedade Lusa de Negócios (SLN).
Wikileaks revela, neste link, lista de processos que, eles garantem, serem todos contra o BPN.
Não se esqueçam que somos nós que pagamos os custos de todos os processos contra o BPN, e pagamos o que eles reclamam, caso ganhem.

COMENTÁRIO A ESTE VIDEO, NO FACEBOOK
- A história está mal contada. Os papeis que o José Veloso comprou à SLN e a operação foi de forma consciente. Também Cavaco Silva comprou do mesmo papel e recebeu juros a 300%. Por ordem de Miguel Cadilhe foi ordenado ao BPN que pagasse ao José Veloso os papeis que tinha adquirido à SLN e, como se sabe, não valem nada. A questão que o tal Veloso alega que não sabia é uma questão de INVESTIGAÇÃO que não existe neste país. E se porventura a questão for mais aprofundada ficar-se-á a saber a quem está ligado o José Veloso e quais os negócios financiados e respectivos sócios e o poder destes no BPN (ex) como accionistas, aliás, de referência nos primeiros dez lugares por ordem de valor. Por último este candidato ao dinheiro do povo era um profissional de pichelaria que se tornou num homem rico!!! E dizem que portugal não tem cabeças... Ingénua é a juíza ou... não... talvez... porque não... ou..., porque não manda investigar? Ao DCIAP, claro... em Braga e no distrito, que é grande e tem praia e areia, há muitas prescrições...
Cada um que deduza o que puder, é o que resta neste país de gangs à solta. Quando a justiça deixa tantas dúvidas e lacunas, os cidadãos são livres de as tentar resolver... ou apelar a quem de direito, para que o faça.

Casos raros típicos de Portugal
    corrupção pobreza apodrecetuga braga
  1. -- MESQUITA MACHADO, PRESIDENTE DE BRAGA QUER "EXPROPRIAR" A FILHA .
  2. -- Mesquita Machado oferece relvados sintéticos e está a custar à autarquia cerca de 43,5 milhões de euros.
  3. -- O império Bracarense, do século XXI, sob o domínio das elites familiares?
  4. -- AS PISCINAS DE MESQUITA MACHADO. Típico de um país onde a gestão danosa ou criminosa é totalmente impune...
  5. -- O Milagre da multiplicação de passes sociais que todos pagamos, em Braga
  6. -- O caso das luvas no TUB
  7. -- O caso Bragaparques
  8. -- Mais despesismo em Braga
  9. -- O BURACO SEM FIM DA BOMBA ATÓMICA DO BPN




6 comentários :

  1. Sou da opinião que tanto a juíza como o milionário deveriam ser justiçados em praça pública pela população. Ao milionário deveriam ser retirados todos os bens até ao último tostão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol, repare que eles estão todos inocentes a parte que os culpa é apenas uma opinião minha... eheheh que claro também pode ser a sua e a de milhões de pessoas que vissem isto

      Eliminar
    2. Cara Zita,

      Quando a disparidade de opiniões é desta ordem de grandeza – o milionário, o advogado do milionário (se o houve) e a juíza, por um lado, e 10 milhões de contribuintes por outro- sou da opinião que o milionário, o advogado do milionário (se o houve) e a juíza deviam experimentar a decapitação mecânica, no Terreiro do Paço, com aquele instrumento inventado pelo médico francês de nome Joseph-Ignace Guillotin nos saudosos tempos da Revolução Francesa…

      Eliminar
    3. TEMOS OS POLITICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
      UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
      Em Portugal vence sempre a abstenção e a ignorância e os corruptos.
      O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
      O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
      Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
      (…)
      Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
      Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
      Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
      ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

      Eliminar
  2. Respostas
    1. TEMOS OS POLITICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
      UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
      Em Portugal vence sempre a abstenção e a ignorância e os corruptos.
      O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
      O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
      Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
      (…)
      Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
      Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
      Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
      ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

      Eliminar