12 outubro, 2013

General da Força Aérea arrasa Ministro da Defesa


        

Ex..º Sr. General Chefe do Gabinete de S. Ex.ª o Ministro da Defesa Nacional, Caro camarada:

Apresento a V. Ex.ª os meus cumprimentos.
Tomo a liberdade de me dirigir a V. Ex.ª para lhe solicitar que transmita a S. Ex.ª o Sr. Ministro a minha indignação relativamente à forma pouco respeitosa e mesmo insultuosa como se referiu às Forças Armadas, aos militares e às suas Associações representativas, no passado dia 1 de Fevereiro. De todos os governantes, o Ministro da tutela era o último que deveria proferir palavras dessa estirpe.
Sou Tenente-General Piloto-Aviador na situação de Reforma, cumpri 41 anos de serviço efectivo e possuo três medalhas de Serviços Distintos (uma delas com palma), duas medalhas de Mérito Militar (1.ª e 2.ª classe) e a medalha de ouro de Comportamento Exemplar. Servi o meu País o melhor que pude e soube, com lealdade e com vocação, sentimentos que S. Ex.ª não hesita em por levianamente em causa. Presentemente, faço parte com muito orgulho, do Conselho Deontológico da Associação de Oficiais das Forças Armadas.
Diz o Sr. Ministro que “a solução está em todos nós. Em cada um de nós”. Não é verdade! A solução está única e exclusivamente na substituição da classe política incompetente que nos tem governado (?) nos últimos 25 anos, e que nos tem levado, de vitória em vitória, até à derrota final! Os comuns cidadãos deste País, nomeadamente os militares, não têm qualquer responsabilidade neste descalabro. Como disse o Sr. Coronel Vasco Lourenço no seu livro, “os militares de Abril fizeram uma coisa muito bonita, mas os políticos encarregaram-se de a estragar…”
Diz também S. Ex.ª que as Forças Armadas estão a ser repensadas e reorganizadas. Ora, se existe algo que num País não pode ser repensado nem modificado quando dá jeito ou à mercê de conjunturas desfavoráveis, são as Forças Armadas, porque serão elas, as mesmas que a classe política vem sistematicamente vilipendiando e ultrajando, a única e última Instituição que defenderá o Estado da desintegração.
Fala o Sr. Ministro de algum descontentamento protagonizado por parte de alguns movimentos associativos. Se S. Ex.ª está convencido que o descontentamento de que fala se limita a “alguns movimentos associativos”, está a cometer um erro de análise muito sério e perigoso, e demonstra o desconhecimento completo do sentir dos homens e mulheres de que é o responsável político. Este descontentamento, que é geral, não tenha dúvida, tem vindo a ser gerado pela incompetência, sobranceria, despudor e, até, ilegalidade com que sucessivos governos têm vindo a tratar as Forças Armadas. É a reacção mais que natural de décadas de desconsiderações e de desprezo por quem (é importante relembrar isto) vos deu de mão beijada a possibilidade de governar este País democraticamente!
As Forças Armadas não querem fazer política! Não queiram os políticos, principalmente os mais responsáveis, “ensinar” aos militares o que é vocação, lealdade, verticalidade e sentido do dever. Mesmo que queiram, não podem fazê-lo, porque não possuem, nem a estatura nem o exemplo necessários para tal.
Quem tem vindo a tentar sistematicamente destruir a vocação e os pilares das Forças Armadas, como o Regulamento de Disciplina Militar, destroçado e adulterado pelo governo anterior? Quem elaborou as leis do Associativismo Militar, para depois não hesitar em ir contra o que lá se estabelece? Quem tem vindo a fazer o “impossível” para transformar os militares em meros funcionários do Estado? Apesar disso, tem alguma missão, qualquer que ela seja, ficado por cumprir? Fala S. Ex.ª de falta de vocação baseado em que factos? Não aceita S. Ex.ª o “delito de opinião”?
Não são seguramente os militares que estão no sítio errado!
Por tudo o que atrás deixei escrito, sinto-me profundamente ofendido pelas palavras do Sr. Ministro.

Com respeitosos cumprimentos de camaradagem

EDUARDO EUGÉNIO SILVESTRE DOS SANTOS
Tenente-General Piloto-Aviador (Ref.) 000229-B

P.S. – Informo V. Ex.ª que tenho a intenção de tornar público este texto.



9 comentários :

  1. Excelente. Haja força e coragem para destronar e castigar quem está deliberadamente a destruir o País e o mundo em geral, pois infelizmente esta escumalha do governo está a obedecer aos psicóticos que querem mandar no mundo, por isso é que tentam destruir tudo o que seja importante para manter ordem e ética. O sonho destes tarados criminosos é que comecemos todos em lutas e guerrilhas para invocarem mais poder e domínio sobre nós. As nossa lutas e guerras para os destruir têm de ser mais pela calada e com todo o tipo de resistência e desobediência ao que estiver contra o povo e o País. Começem por exigir sair do Euro, não pagar a dívida odiosa e a dissolução da UE que é um saco podre travestido de sabe-se lá o quê. Neste mundo estupidificado temos os malandros que destróiem as Câmaras com a desculpa do poder local CML e as UIT (geralmente localizadas em locais alugados a amigos) e ao mesmo tempo quer ser Presidente dum país ocupado, que ele pretende que integre uma espécie de União Soviética da Europa, aqui a regionalização dos interesses já não lhe interessa. Este traidor tem a imprensa zombie toda do lado dele e anda a tentar agradar aos mafiosos alemães para uma ajudinha económica e política. O mundo não pode nem deve ter federações ou concentração de poder anti-natural, mais tArde ou mais cedo corre mal.

    ResponderEliminar
  2. Espero que os "planos" incluam ensinar os eleitores a votar pela sua cabeça e não votarem como "eu"acho que devem votar.Vindode povo com armas fico sempre com medo de voluntarismo a mais. Quem gosta de animação já tem aqui perto o Egipto ou a Siria. como se costuma dizer a vantagem é que só se estraga um país e ficam na mesma animados.

    ResponderEliminar
  3. realmente:

    Há Estados ditatoriais

    Há Estados democráticos

    e

    Há o Estado a que isto chegou!!!

    Obrigado Senhor General Os valores militares que defende são também os valores da ainda maioria dos PORTUGUESES

    mario carvalho

    O que mais me preocupa:
    - Não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos,
    nem dos sem carácter, nem dos sem ética.
    O que mais me preocupa:
    - É o silêncio dos bons!
    Martin Luther King"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. esse é o problema: os silenciosos são MAIORIA!!!!!!!!!

      Eliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Olá Zita.

    Li até aqui " Os comuns cidadãos deste País, nomeadamente os militares, não têm qualquer responsabilidade neste descalabro." e depois já não li mais!

    A razão?
    É simples, sacudir a água do capote é o melhor que o TUGA sabe fazer... Desculpa Zita mas vai ter que ser...

    PQP ao ∞ !!!!!!

    Quando o zé tuga se descarta da sua responsabilidade é natural que o país seja o que ele é hoje em dia, e que também já foi no passado... Por exemplo na década de 1830!

    "Se existe um POVO armado não há como existir um "governo a ameaçar cidadão"!"

    Abraço


    ResponderEliminar
  6. O povo que aceite um Governo que não respeite a constituição, aceite, na minha opinião como estrangeiro, assim a ditatura

    ResponderEliminar
  7. "General da Força Aérea arrasa Ministro da Defesa"... o quê? arrasa?? ah ah... O ministro quer lá saber do que o Senhor general diz...

    "cumpri 41 anos de serviço efectivo e possuo três medalhas de Serviços Distintos"... Muitas pessoas trabalham mais do que isso e não recebem medalhas nem levam para casa a reforma de general...

    "Servi o meu País o melhor que pude e soube"... como bom militar que tenho a certeza que foi ( e nunca deixará de ser) tenho a certeza que acredita nisto, mas estar nas forças armadas e servir o país são coisas diferentes.

    Tenho a certeza que realmente sente o escreve, piloto aviador na FAP e não saiu para a TAP(??) são poucos, pois normalmente o dinheiro fala mais alto que o "patriotismo" (o que eu compreendo perfeitamente)

    O general é um crente no sistema e o problema dele é esse. De outra maneira escusava de ter escrito a carta para a qual o "senhor" ministro se vai estar completamente a marimbar.

    Escrever esta carta ao ministro é a mesma coisa que escrever a um barão da droga a pedir para parar de vender "coca"...A carta só demonstra que não tem noção da realidade.





    ResponderEliminar
  8. E não sabe que nós nos marimbamos também para esta corja toda! A mamada começou a partir de 26 da ABRIL com estes xupistas todos de diversos quadrantes... k eram uma cambada de patas descalças e hoje andam para aí a pavonear-se! O 25 de abril serviu para um aescória sem escrúpulo como Maercelo Caetano falou... e com razão... que lançõu o País para esta baderne toda! Eles mamaram e continuam a mamar até quando? Respondam!

    ResponderEliminar