08 junho, 2012

Todos sabiam e ninguém faz nada... Apenas por a TROIKA exigir, o governo vai investigar a vergonha das PPP??



Existem 3 pontos importantes a realçar no escândalo que se segue:
1º quem apresentou queixa contra este abuso descarado, foi a ACP, e não o governo, ou os tribunais, ou a oposição...
2º quem está a obrigar a que o caso seja levado por diante, é a TROIKA e não o governo ou os tribunais.
3º mais uma vez os culpados "criminosos" já deram inicio ao velho truque,  processar quem os denuncia, enrolando a lei, atrasando processos e ganhando a impunidade.

As pessoas poderão acreditar que com a exposição deste caso, muitos politicos serão punidos e a justiça finalmente dará sinais de vitalidade e força...
Muitos acreditarão que finalmente existe vontade de desmascarar e castigar os corruptos que roubam o povo. Que o governo finalmente resolveu defender o país...
Desenganem-se... Pois tudo permanece imutável, no seu percurso de impunidade e falta de denúncia.
Tal como o caso dos submarinos que foi provado e investigado na Alemanha e em Portugal, não se apura nada,  nem julga ninguém.
Tal como o caso dos Pandur, que também foi a Répública Checa quem denunciou e investigou o caso de corrupção, onde se julga que Portugal também estava envolvido... mas por cá, nem se toca no assunto.
Agora é o caso das SCUTs, e para que conste, mais uma vez, o assunto apenas está a obter projecção porque são entidades externas, que exigem investigação... e neste caso é a TROIKA. 
Não foram os juízes do TC, não foram os nossos ministros das finanças, ou todo o governo que se preocupou em ajudar Portugal e o povo, a fazer justiça e a deixar de sustentar parasitas e criminosos. Foi apenas a TROIKA que exigiu, e os fantoches terão de avançar com a investigação e renegociação... Porque em boa verdade já há 5 anos se sabe deste abuso, deste roubo, e desta vergonha, e nenhum governo, nenhum tribunal ou juiz, ou nenhum partido da oposição fez nada para mudar o saque continuado e descarado das PPP.
Resta ainda acrescentar que as comissões que informam a Troika do que se passa, são algo duvidosas, e provavelmente o povo não sairá justiçado ou vitorioso de mais esta profunda e cruel injustiça de que tem sido vitima, nas PPP. 
Existe ainda um pequeno detalhe a acrescentar...  (já estamos habituados) na justiça portuguesa isto vai dar pano para mangas e vai culminar num mar de impunidade. Pois os acusados começarem já a ameaçar quem os denuncia, irão fazer gato sapato da lei, até que o tempo passe e a impunidade vença.

Segundo este video já em 2007 o presidente da Republica foi avisado e chamado a intervir neste desvio de dinheiro público, e pura e simplesmente remeteu-se ao silêncio.  Ainda segundo o video, este caso mostra claramente que teve que  existir compadrio criminoso e descarado entre bancos, construtoras, consultoras, POLÍTICOS E grandes gabinetes de advogados. O papel mais descarado foi o do secretário de estado que agora tenta fingir que não teve a ver com nada. 
Isto apenas mostra que Portugal está a saque, sem ninguém que nos proteja. Portugal tem um grupo de inimigos que diariamente conspiram contra o nosso futuro, o nosso dinheiro, os nossos filhos e o nosso país. Conspiram e levam a cabo todo o tipo de crimes sem dó nem piedade, roubando os pobres para luxos dos ricos.
Portugal está entregue a um gang de políticos criminosos e o povo ingénuo... otário continua a dar-lhe votos de confiança.

Eis o artigo do expresso, que confirma o acima comentado... 
"Negócios das SCUT chega a tribunal
O Ministério Público entra em cena após o Tribunal de Contas ter detetado a ocultação de €705 milhões pagos a concessionárias
Passos Coelho admitiu que as conclusões do TC poderão “iluminar o Governo” na renegociação contratual das PPP (uma exigência da troika, aliás). Para o parceiro de coligação, o CDS, a auditoria demonstra que o Executivo de Sócrates foi também “um Governo da mentira, do engano e da fraude”. (...) o PCP fala de um “modelo desastroso para o interesse público e para a economia nacional”, que “tem de acabar”.

Para o Automóvel Club de Portugal, “este processo não pode morrer na praia”. O ACP já fizera, no início de maio, uma queixa-crime, visando explicitamente, além de Paulo Campos, os antigos ministros Mário Lino e António Mendonça. Além do processo desencadeado pelo ACP.
Não faltam assim as vias para descobrir os segredos dos negócios das estradas em Portugal.
A condução habilidosa ocorreu em seis subconcessões rodoviárias — Baixo Alentejo, Litoral Oeste, Algarve Litoral, Baixo Tejo, Douro Interior e Auto-Estrada Transmontana. Segundo os juizes, em decisão tomada por unanimidade, ao volante da operação estaria o anterior secretário de Estado das Obras Públicas Paulo Campos.
“A documentação facultada pelo InIR — Instituto das Infraestruturas Rodoviárias”, entre 2010 e 2011, “evidencia a existência de divergências e, por vezes, omissões, disparidades que, alegadamente, o InIR afirma dever-se a orientações a que estava sujeito pela tutela”, diz o relatório. Mais adiante, reforça o TC: “Verificou-se terem sido omitidos, por intervenção da tutela, factos relevantes”. Nas conclusões do Tribunal, são descritos mecanismos e esquemas (como cálculos com base em taxas de inflação superiores às previstas, por exemplo) que fariam existir “benefícios-sombra” para concessionárias e entidades bancárias, em detrimento dos interesses do Estado e dos contribuintes.
Paulo Campos, hoje deputado, rejeita ter negociado qualquer acordo paralelo. Nega ainda ter ordenado a eliminação de páginas em qualquer documento, ameaçando mesmo processar o InIR. 
fonte

10 comentários :

  1. Só com a MORTE desses criminosos acabará o sofrimento do Povo Português!

    ResponderEliminar
  2. e a assembleia da república e o presidente não sabiam?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sabiam... está lá referido que nem o governo nem o PR fizeram nada... várias vezes.

      Eliminar
    2. Mas quem é que acredita neste presidente da República? Votar nele foi a maior estupidez do povo, da maioria do povo português. Não sabia que estava a premiar mais um daqueles que ajudou a afundar o país e a criar todas estas dificuldades com que nos deparamos. Uma revolução, e já, é o que está a fazer falta. E eu estou disponivel para avançar. Já o fiz noutras ocasiões, por muito menos.

      Eliminar
    3. concordo e tambem estou pronto a avançar...

      Eliminar
  3. Todos sabiam! Todos se interessaram que o negócio corresse como de costume!
    Principalmente as construtoras e os bancos!
    Temos de aprender à nossa custa! Criminalizar, já, estes procedimentos! Reverter, já, para o arguido, o ónus da prova!
    Seria um começo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um começo, que só eles políticos tem o poder de fazer... mas que não lhes interessa mesmo nada que seja feito.

      Eliminar
  4. Partindo do principio de que quem manda no país é a troika, e o nosso governo existe para se governar a eles e os amigos, e o povo até consente, não vejo razão para que não prossigam a roubar-nos. Sabendo eles que a próxima eleição já está garantida, segundo as ultimas sondagens, seja PS ou PSD, é tudo da mesma família. Então é porque está tudo bem. Devemos preocupar-nos mais com os assuntos internacionais, porque esses existem de verdade, agora portugal não existe, e é insignificante até para nós.

    ResponderEliminar
  5. Eu,um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velho
    (88anos),digo que os pulhas,os velhacos,os hipocritas,os patifes,
    desde a Alta Burguesia até à Plebe que sabiam como tirar o melhor partido da Ditadura clerical-fascista do Estado Novo,agora com liberdade e democracia e com o Liberalismo económico em que cada qual se safa como pode,ÊLES e seus discípulos da mesma «escola», muito melhor sabem como tirar o melhor partido desta Situação.
    Sómente os bem intencionados ou palermas como eu,é que foram,são e serão sempre as eternas vítimas.E não esquecer que ÊLES estão a vingar-se do 25 d'Abril.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Clarinho como água. Palavras sábias de quem devia ser escutado e seguido. Homens assim, já não existem em Portugal, meu amigo. Pena é - mas ainda bem opara si - que esteja a viver na Holanda. Portugal está precisado de homens de barba rija e não de pilantras e seguidores. Nós temos nos mais idosos o poder do saber e da experiência. Bem haja José.

      Eliminar