20 agosto, 2011

Igreja deve ser separada do poder politico e dos privilégios.


igreja benefícios fiscaisJá há muito tempo que a igreja católica devia ter deixado de ser mais um parasita do estado e do povo português.
Mais um, entre muitos, que vive da manipulação dos fracos e do povo,  protegida pelos impostos e pelo estado.
Desde que surgiram as igrejas que "competem" com a católica, que ficou provado que a igreja consegue sobreviver sem ser parasitando os impostos.
Muitos dos que pagam impostos são de outras religiões ou abominam todas elas. 
Impostos pagos com dinheiro real e útil, mas usados em algo que para muitos é apenas uma crença da idade média, inútil.
Por isso não faz sentido todos nós pagarmos impostos para uma coisa que abominamos ou pura e simplesmente não acreditamos. Somos forçados a pagar para o credo que o governo escolhe como seu protegido?


Se vivemos em democracia temos o direito de ser ou não católicos. Assim como as outras religiões tem o direito de exigir o fim da concorrência desleal também em nome da democracia.
As "empresas" religiosas que sejam lançadas no meio da concorrência e que aprendam a fazer o seu próprio dinheiro e os seus próprios clientes.
A concorrência é salutar tanto para exigir o melhor dos profissionais como para mostrar definitivamente se faz sentido existirem ou não.
SOMOS DEMOCRÁTICOS o povo que julgue, o povo que decida, o estado não deve proteger instituições que não são vitais para o país.  São apenas opções, crenças abstractas, fanatismos ou refúgios morais.
Para aqueles que consideram a igreja um antro de pecado, tão humano como qualquer outro antro, despojados, já da divindade que os isentava de pecado nos primórdios da civilização, é abominável ver representantes do estado beijar as mãos dos representantes destas instituições. 
Actualmente as igrejas proliferam, e transparece o que está por trás de todas as religiões assim como de todas as crenças a elas direccionadas... nada mais nada menos que interesses por poder, dinheiro e subjugação. Desde quando o estado deve obrigar os nossos impostos a pactuar com isto? Desde quando o estado deve proteger isto??? 
A idade média ficou há muito tempo no passado... avancemos civilizados.
Governo criticado por retirar benefícios fiscais às igrejas com excepção da Católica
“Trata-se de uma clara injustiça, que reforça a descriminação relativamente às outras confissões religiosas”, declarou o presidente da AAP, Carlos Esperança, considerando que “todas as igrejas devem usufruir dos mesmos privilégios”.   
"A AAP considera que a decisão não respeita "os dois princípios constitucionais: o da igualdade e o da separação entre o Estado e as Igrejas". 
"Em declarações à Lusa, Carlos Esperança sublinha que em tempo de crise os benefícios fiscais deveriam ser retirados a todas as igrejas e não “só a algumas”, pelo que exige a revogação da decisão, para que seja “reposta a igualdade” entre as várias confissões religiosas, mas também “entre todos os cidadãos".
A Associação República e Laicidade afirma que Governo mantém inalteradas outras vantagens fiscais das pessoas coletivas religiosas, como as isenções de IMI, de outros impostos patrimoniais e o regime de dedução à coleta dos donativos a comunidades religiosas."fonte





Sem comentários :

Enviar um comentário