17 Setembro, 2014

Ex ministra da educação de Sócrates condenada por favorecer amigos em 265 mil euros?

Há mudanças a acontecer em Portugal, talvez porque o povo esteja a despertar.
Os portugueses estão a ficar mais exigentes, mais civicamente activos e mais críticos. 
Se repararmos, no caso do BES, apesar do desfalque ser semelhante ao do BPN, já foram notórias algumas diferenças, pelo menos, os governantes e os banqueiros tiveram mais vergonha (Passos Coelho nem apareceu) e tentaram disfarçar melhor o crime. Não é que isso seja o objectivo final que se pretende, mas pelo menos demonstra que sentem mais medo e vergonha... 
O caso de Armando Vara foi mais uma demonstração de que também a justiça começa a ter vergonha do rasto de inércia que sempre exibiu, perante a corrupção. 
E agora mais o caso da ex ministra da educação de Sócrates, condenada. 
Não tenhamos ilusões, todos eles continuarão a sair impunes, graças aos infinitos recursos que podem pedir, mas as diferenças, apesar de ténues, são visíveis. 
Por isso portugueses não desistam, continuem a criticar, a mostrar a indignação e a mostrar que sabem que somos roubados e enganados e que já basta. Continuemos despertos, e sem papas na língua, quando chega a hora de defender o país, os nossos filhos e os nossos impostos. 
A história da corrupção em Portugal sempre se assemelhou ao oposto da típica novela, pois aqui são os prevaricadores que sabem que terão sempre um final feliz, onde podem contar com a impunidade e glória. Os actores podem deleitar-se, tranquilos a saborear e a partilhar entre amigos, o recheado piquenique a que chamam o dinheiro público?

"Contratar irmão de Paulo Pedroso custou a Lurdes Rodrigues 30 mil euros e pena suspensa de 3 anos. 
Tribunal deu como provado crime de prevaricação da ex-ministra da Educação e João Pedroso. Sentença determina que indemnizem Estado do dinheiro que gastaram ilegalmente.
Maria de Lurdes Rodrigues foi condenada esta a uma pena suspensa de prisão de três anos e meio e ainda a pagar ao Estado 30 mil euros por ter violado a lei, ao contratar por ajuste directo, quando era ministra da Educação, o irmão do dirigente socialista Paulo Pedroso.
Os 265 mil euros que mandou pagar entre 2005 e 2007 ao advogado João Pedroso eram para que este compilasse toda a legislação portuguesa da área da educação. Mas o trabalho não foi levado até ao fim, e o advogado acabou mesmo por ter de devolver parte do dinheiro - mas só depois de o caso ter vindo a público e se ter tornado um escândalo.

Porque não houve concurso público? 

14 Setembro, 2014

OS IMPARAVEIS JUROS: Apesar das privatizações, cortes na despesa e aumentos de impostos, alterações na legislação do trabalho, no cálculo das pensões, a dívida continua a crescer

O OUTONO DO NOSSO DESCONTENTAMENTO ESTÁ AÍ
Sumário
A tara privatizadora
Nova contabilidade junta dívida à dívida
Retoma, onde te escondes?
A brilhante classe política portuguesa

A tara privatizadora
A desaparição da PT, engolida na Oi, faz lembrar quando a empresa teve de ceder a Vivo à Telefónica[1] com altos lucros para os acionistas, dominados pelo BES, o mesmo que, recentemente, utilizou o seu agente Granadeiro e outros para uma golpada de 900 M na PT; esta empresa foi uma desnatadeira do regime cleptocrático vigente há perto de 40 anos, RIP.

Também a Cimpor foi comprada por brasileiros, a EDP por chineses, a REN por franceses, a Tranquilidade ficará para americanos, a Espirito Santo Saúde para mexicanos, etc. enquanto o cervejeiro nomeado para ministro se afadiga na magna tarefa de vender a TAP, depois de concretizada a alienação dos CTT. Tudo isto para além da costumeira e silenciosa[2] privatização que se oculta nas rubricas de fornecimentos e serviços de terceiros das entidades públicos, como emanações contabilísticas de lógicas de downsizing complementadas com outsourcings. Essas designações em inglês constituem pretensões provincianas de modernidade ou - de pugresso como verbaliza Cavaco – que ocultam a indigência cultural dos mandarins governamentais. Está aberta uma feira internacional de privatizações com saldos, promoções e contribuições para o cofre do partido.

07 Setembro, 2014

Marinho Pinto: O que os incomoda é que alguém denuncie a podridão até porque isso revela também a cumplicidade dos seus silêncios.


Marinho Pinto denuncia as mordomias dos eurodeputados, mas mesmo assim há quem critique



ESTE… É O HOMEM!
Ex-bastonário dos advogados responde aos que o criticam... Assustados!
Fariseus
“Há cerca de três semanas anunciei que, em 2015, iria pedir ao eleitorado que substituísse o meu mandato de deputado ao Parlamento Europeu pelo de deputado à Assembleia da República, pois iria candidatar-me ao cargo de primeiro-ministro. E revelei as razões por que o fazia.
Imediatamente, os alabardeiros do sistema político, que vão de uma direita burlesca a uma extrema-esquerda apatetada e a outra de sacristia, reagiram com a finalidade de desviar as atenções do que é importante.
Na verdade, como um coro bem afinado, eles acusaram-me de tudo e mais alguma coisa mas nem uma palavra sobre os motivos da minha intenção de sair do PE.
Para eles é irrelevante que os deputados recebam mais de 18 mil euros mensais para representarem um país cujo salário mínimo é inferior a 500 euros;
que só paguem impostos sobre um terço dessa remuneração e a uma taxa de 20%, enquanto as pessoas que os elegeram, vivem esmagadas com impostos que lhes podem confiscar mais de 50% dos rendimentos do trabalho;
que um simples mandato de cinco anos possa dar direito a uma pensão vitalícia de cerca de 1300 euros mensais quando os portugueses precisam de trabalhar várias décadas para obter uma pensão que nem sequer os sustenta na velhice.

05 Setembro, 2014

M. José Morgado: A corrupção em Portugal pode estar fora de controlo.


Esqueçam a justiça, o BPN, as PPP, os submarinos, a democracia e Portugal. 


O alerta partiu da magistrada Maria José Morgado, que apontou a apatia da sociedade civil, o sigilo fiscal e o segredo bancário como factores “para não haver um verdadeiro combate à corrupção”.

Maria José Morgado, no seu discurso no I Congresso sobre a Democracia em Portugal, considerou que “a sociedade civil tem de exigir à Polícia Judiciária, ao Ministério da Justiça e ao Procurador Geral da República, Souto Moura, estatísticas, estudos, diagnósticos e resultados sobre o combate à corrupção”.
Ao CM, a magistrada explicou que “tem de haver um tratamento especializado dos dados, para definirmos a corrupção nos diferentes serviços do Estado, bem como quais as categorias de funcionários envolvidas e a relação com o crime organizado”.
A ex-directora nacional adjunta da Polícia Judiciária, defendeu ser “necessária a quantificação de objectivos e definição de programas por parte dos políticos”. Enquanto esse trabalho não for efectuado “existe uma realidade de paz podre em que não se pede responsabilidades a ninguém”, sustentou.

04 Setembro, 2014

Cavaco Silva é um fracasso. Uma colecção de vídeos para rir... ou chorar!

Cavaco Silva:"sou muito rigoroso"? SLN o BPN, e as mentiras.

  • de Zita Paiva  
  • Há 1 ano 
  • 29 028 visualizações
Onde está a ética a moral e o rigor? Como é possível pessoas destas, terem a lata de mentir assim? Insultarem quem as ouve, ...



O inconseguimento de Cavaco Silva, rei das gafes ou senil?

  • de Zita Paiva  
  • Há 1 ano 
  • 26 481 visualizações
Compilação dos momentos em que Cavaco Silva se recusa a informar os que serve. Umas vezes afirma que não percebe, outras ...




  1. 2:11

    Amigos do BPN que financiaram Cavaco até ao poleiro.

    • de Zita Paiva 
    • Há 5 meses 
    • 2 822 visualizações
    CAVACO SILVA BEM TENTA LIMPAR-SE DA LAMA DO BPN, MAS ESTÁ TÃO ENTRANHADA E JÁ LHE ESTÁ NO SANGUE, ...





  1. 1:43

    O mais brilhante discurso, que Cavaco dirigiu ao país. As vacas... (não é montagem)

    • de Zita Paiva 
    • Há 4 meses - 
    • 5 527 visualizações
    "Cavaco Silva, presidente da República desta vacaria indígena, em visita oficial ao Açores, saiu-se a certa altura com esta pérola ...

  1. Desmaio de Cavaco ou doença? O que escondem?

    • de Zita Paiva
    • Há 1 mês - 
    • 1 449 visualizações
    "Creio que poucos são os cidadãos portugueses que se interrogam sobre o que se passou ontem com o PR durante as ...


Portas compara Cavaco a Salazar. E define políticos como medíocres.

  • de Zita Paiva 
  • Há 7 meses 
  • 57 344 visualizações
Paulo Portas neste video afirma que os políticos vão para os partidos para subir na vida porque não precisam de mérito são até




                      FRACASSO SILVA from Armin Caldas




01 Setembro, 2014

O BES e a cobertura do Banco de Portugal. Não há desculpas que convençam, crime é crime.



Miguel Cadilhe desmonta a desculpa do Banco de Portugal, de que as irregularidades quando camufladas, não são possíveis de ser detectadas... Desculpa esta utilizada para justificar a cegueira da
instituição reguladora perante a gigantesca calamidade que se desenrolava no BES.
Por isso é aconselhável que os portugueses comecem a pensar noutra razão para que tenha sido possível ao BES e ao BPN, levar a cabo, todas as irregularidades que conhecemos e as que desconhecemos, a desculpa da camuflagem não pega. 
Temos que recorrer à dedução e imaginação?
O compadrio, a conivência, os interesses, os favores, a corrupção e um país rendido ao poder dos privados serão as causas mais prováveis. Fechar os olhos a um saque como o do BPN é um abuso, mas fechar os olhos a dois saques semelhantes, já é abusar da inocência e da paciência do povo.
Quando nos bombardeiam com mentiras descaradas será certamente porque a verdade é algo tão abominável e condenável, que vale tudo para a ocultar!
Há crime e criminosos e há rabos presos de gente muito importante de todos os partidos com poder, por isso nenhum viola o voto de segredo que protege a classe politica, aquela onde todos conseguem o acesso aos cofres públicos e à impunidade necessária, para os roubar!
Não é credível que não haja ninguém na oposição ou no poder que não possua conhecimentos para revelar ou exigir a verdade sobre o BES, os nomes e os esquemas, o prejuízo para o país e os culpados pelo encobrimento, das entidades reguladoras e pela bondade da justiça. 

Pedro Sousa Carvalho realçou uma questão moral: o que acontecerá a Ricardo Salgado, depois de ter reconhecido que no BES e no GES houve irregularidades consideradas crime?
«Em Portugal temos o presidente do Banco Espírito Santo, Ricardo Salgado, dá uma entrevista a um jornal a dizer que no banco dele, e nas empresas do grupo dele, foram cometidas irregularidades, ou seja, esconderam 1,3 mil milhões de euros, ou seja, ele está a confessar que houve um crime no banco (...) e não acontece nada?! (...) Desde 2008, que o banco está a vender produtos aos seus clientes (...) com base em contas de empresas que estão falsificadas, e não acontece nada?!», questionou o jornalista. TVI

COMISSÃO DE INQUÉRITO BPN - VÍTOR CONSTÂNCIO ACUSADO E EXPOSTO, NÃO RESTAM DÚVIDAS 

"Não dou o benefício da dúvida ao Banco de Portugal"
Em entrevista ao "Diário Económico", o economista e antigo ministro das Finanças sublinha que a supervisão tinha obrigação de ter atuado mais cedo no BES.
Depois daqueles casos do BPP e sobretudo do BPN, que conheci por dentro, tendo a estrutura de supervisão falhado como falhou ao longo de anos, qual a razão para que o BdP nunca tenha mandado fazer, que eu saiba, um inquérito interno às causas das falhas?", questiona Cadilhe
"Chocadíssimo" com o colapso do BES, Miguel Cadilhe afirma que Portugal "sofre claramente de um mal, da falta de qualidade das instituições, públicas e privadas".

31 Agosto, 2014

ALERTA: SMS FRAUDULENTAS ENVIADAS A CLIENTES DAS AUTOESTRADAS. NÃO PAGUEM



UM ALERTA URGENTE a todos os seguidores e amigos, favor partilhar. 

"" A Brisa alertou esta sexta-feira que estão a ser enviados a utilizadores das autoestradas de que é concessionária mensagens de telemóvel (SMS), de origem anónima, a solicitar a regularização de falsas dívidas de portagem.
Nas mensagens são indicadas “referências multibanco para a realização do solicitado pagamento”.
Segundo um comunicado da Brisa, trata-se de “mensagens fraudulentas, totalmente estranhas a esta empresa, que podem comprometer a privacidade e segurança dos clientes e lesar os seus interesses”.

Em relação à cobrança de dívidas de portagem da Brisa, a empresa refere que “é realizada através da Via Verde Portugal e os seus contactos para a respetiva regularização são efetuados através de carta”.
Em comunicado, a concessionária de autoestradas portuguesas informa ainda que “os únicos SMS enviados pela Via Verde para os seus clientes estão relacionados com a prevenção de irregularidades”, acrescentado que “não exigem qualquer pagamento”.  fonte

Estejam alerta divulguem e não paguem contas cobradas por SMS, alguém está a ganhar dinheiro com os que caíram na asneira de ir fazer os pagamentos.



O Euro, não podendo funcionar senão numa espiral de empobrecimento para um número muito numeroso de países, está condenado.


Um sistema que produz mais de 1 milhão de pobres ano, a quem interessa? Aos que ficam ricos.


O EURO: Uma análise que nos deveria surpreender e revoltar a todos que somos vitimas deste jogo sujo. 
A não perder: Ao fim de 13 anos já deu para perceber que o Euro trouxe consequências devastadoras para os países mais pobres e fracos e vantagens gigantescas para os países mais fortes e ricos, principalmente para a Alemanha.
O euro Ampliou e fortaleceu algumas economias em detrimento de outras, agravando o fosso entre os países ricos e os países pobres, agravou também esse mesmo fosso dentro de cada país. Portugal é o exemplo. 
O euro tem sido também um travão para o crescimento económico dos países, à excepção da Alemanha.
O euro tem ainda o poder negativo de agravar os deficits. Há coincidências a mais que beneficiam sempre os mesmos, e quem está mal é que tem que lutar contra esta situação, e não estar à espera que sejam os que mandam e  enriquecem que queiram mudar esta situação que os beneficia.

por Jacques Sapir
1. Senhor Professor: Foi dos primeiros economistas europeus a destacar os danos produzidos pelo Euro e a pedir o seu fim. Numa das vossas últimas análises escreveu que doravante o fim é inevitável. Na vossa opinião, quanto tempo ainda decorrerá até que isso aconteça e de que país partirá a iniciativa?
Há que distinguir aqui dois problemas. O primeiro é o da análise da situação económica que o Euro criou e das suas consequências.
Vemos a partir de agora, após 13 anos, que o Euro não só não induziu convergências macroeconómicas mas que, ao contrário, exacerbou as divergências. 
Já o disse várias vezes e, doravante, esta posição tem o consenso dos economistas. Também vemos que o Euro é um enorme travão ao crescimento para a maioria dos países que o adoptaram, salvo, naturalmente, a Alemanha.
Vemos finalmente que o Euro agrava os défices, tanto internos como externos, e que ele conduz a um endividamento sempre maior dos países que entraram na União Económica e Monetária. Tudo isto está copiosamente documentado por numerosos autores. 
Deduzo que o Euro, não podendo funcionar senão numa espiral de empobrecimento para um número muito numeroso de países, está condenado. Mas, aqui, temos um segundo problema, o das condições que porão fim ao Euro. Estas condições podem ser uma crise catastrófica que nasce no mercado obrigacionista. 
No momento, deste ponto de vista, a situação está estabilizada pelo Banco Central Europeu. Mas a credibilidade deste último tem muito a ver com o facto de que não está testada. Um dia destes os mercados vão testar a resolução do BCE e, neste dia, o sr. Mario Draghi vai-se encontrar muito desamparado. Estas condições também podem provir das tensões políticas crescentes que o Euro provoca tanto entre os países membros da UEM como no seio destes países em que as forças anti-europeias hoje ganham dimensão. Elas podem a qualquer momento confrontar os actores políticos com a necessidade de dissolver a zona Euro ou de deixar o Euro.
Pessoalmente, super-estimei a rapidez das evoluções financeiras, com base no que havíamos experimentado em 2008-2009. Mas isto em nada muda a análise de fundo.