22 Outubro, 2014

Portugueses trocaram a lealdade ao país pela lealdade aos partidos. Trocaram a defesa do interesse nacional pela defesa do interesse do partido.

futebol milionários politica Há décadas que vivemos tempos muito difíceis mas continuamos a fingir que desconhecemos a causa e que não temos poder para dar inicio ás mudanças necessárias.
Milhões de portugueses perderam os laços fundamentais que os ligavam à pátria mãe e os ajudariam a proteger o país e os seus concidadãos. Por isso Portugal está abandonado por aqueles que deveriam zelar pelo seu interesse, e as máfias oportunistas apoderaram-se dele para seu deleite e abuso. Estas máfias impiedosas, insaciáveis, sem escrúpulos e sedentas de vida fácil e dinheiro alheio, colocaram Portugal e os seus contribuintes ao serviço dos seus saques, das suas dividas, das suas incompetências, das suas falências e dos seus caprichos. E por incrível que pareça as máfias contam com o apoio do povo que os legitima e defende com toda a garra.

Um povo cego e confuso graças a anos e anos de treino. 
Os verdadeiros valores e sentimentos patrióticos de protecção que permitiriam aos cidadãos defender e manter Portugal limpo de corruptos oportunistas, foram apagados precisamente pelos corruptos manipuladores.
As pessoas foram manipuladas/ treinadas pelos media e pelas campanhas eleitorais e outras que tais, para confundirem a responsabilidade cívica que todos temos de defender o interesse nacional e o país, com a defesa de partidos de estimação. Foram ensinadas a transferir esse dever cívico de lealdade ao país, por uma lealdade cega que defende é partidos.
Para agravar este triste cenário, as pessoas ficaram reféns da adrenalina criada pelo suspense de saber quem ganha e quem perde as eleições, são assim levadas a torcer para que o seu voto seja vencedor, numa atitude acrítica e típica do espírito de claque, superficial, histérico, cego e injusto. Não importa quem merece ganhar, quem é melhor para o país, ou quem é mais honesto, interessa é que ganhe quem a claque apoia.
A análise responsável do desempenho e da seriedade dos partidos e a justiça dos votos passou a ser feita de forma inconsequente como se se tratasse de um jogo de futebol, como se as decisões do eleitor em nada afectassem os destinos do país, porque os eleitores acreditam que a sua função é apenas fazer a sua equipa/partido ganhar, mesmo que esse partido/ equipa use e abuse da batota (corrupção).
Começaram a defender os seus partidos com o mesmo fanatismo com que defendem os clubes de futebol, esquecendo que são os partidos que possuem o poder de destruir o país, de o roubar, de empurrar-nos para a miséria e sacrifícios. Vêem os partidos como sendo apenas o seu clube do coração, mesmo que façam batota, roubem, percam ou ganhem, façam asneira ou mintam, têm que ser defendidos pelos seus adeptos, contra tudo e contra todos.
E para fomentar o apoio dos cidadãos temos as eleições. No futebol os adeptos em pouco ou nada podem interferir no resultado do jogo, não podem meter golos. Por isso os (adeptos) eleitores ficam felizes por nas eleições sentirem que estão em jogo, ao ser-lhe concedido o "direito" e o "poder" de ajudar o seu clube/ partido, a ganhar o jogo, com o seu voto, (que é como se fosse um golo) a favor do seu clube.
E após muitos e muitos anos a garantirem eleitores bem fidelizados aos partidos e bem treinados como fieis, cegos e acríticos, os partidos perceberam que podiam roubar, mentir, enganar, desgraçar o país e as famílias, que o povo continuaria a apoiar cegamente o FCP, SLB, PCP, PSD, CDS, SCP, PS, BE, etc etc etc.
Os portugueses deliram quando o seu partido ganha... ou o seu clube. Já que não podem ajudar a meter golos no FCP ou no SLB, que essa frustração seja ultrapassada quando "metem golo" no PSD, PS, CDS, PCP e etc

O resultado para todos nós, é desolador, existem muitos países onde a corrupção é quase nula e onde as pessoas vivem bem, mas Portugal tem sido o país do mundo onde a corrupção mais se agravou (entre 2000 e 2010 baixou 10 pontos na Transparência Internacional). Mas as pessoas continuam a não parar para pensar, continuam presas à manipulação.
Mas não podemos contar com o apoio dos únicos interessados em defender o país que normalmente são os cidadãos, porque esses ingratos esqueceram que deveriam ser leais ao país e à verdade e não a corruptos e partidos.
Assim conclui-se que os portugueses são sadomasoquistas... porque os corruptos defendem os seus interesses e enriquecem na maior das impunidades e tranquilidade lesando com gravidade a vida dos cidadãos, e são esses mesmos cidadãos, vitimas deles, que os aplaudem, idolatram, apoiam e legitimam!
O resultado está bem à vista os partidos e os seus amigos assim como os parasitas e os abutres que os rondam estão milionários e enriquecem ao mesmo tempo que o país empobrece e está cada vez mais falido, endividado e sem futuro.
Ainda achas que não está na hora de acordar? Reagir e lutar por um país melhor?Vais continuar a gritar golo cada vez que um jovem emigra? Cada vez que um idoso morre abandonado e sem dinheiro para se tratar? Cada vez que uma escola e um hospital fecha e abrem mais e mais privados? Vais gritar golo cada vez que noticiarem que o teu partido desviou mais uns milhões a todos nós? Golo cada vez que o teu partido ajudar a salvar um banco? Golo cada vez que um partido corrupto, o teu, ganha o acesso aos milhões dos teus impostos? 
Está na hora de fazer justiça. Portugal e os pobres portugueses não pode continuar a ter o seu futuro na mão de eleitores irresponsáveis que raciocinam como adeptos fanáticos de futebol. Vote com justiça, seja responsável, não eleja partidos com rastos de corrupção. Investigue antes de votar. 

16 Outubro, 2014

A mentira e a manipulação são a mais poderosa arma dos corruptos.

Desde 2011 que este blog compila casos de corrupção, um fenómeno que devasta Portugal há décadas sem que nenhum governo o tente sequer travar. E o país empobrece na medida em que a corrupção cresce.
A mentira e a manipulação são uma poderosa arma de corrupção, perpetuam os corruptos no poder. Basta recordar que é com mentiras e manipulações que se têm ganho eleições.  
Pior que termos milhões de portugueses que não sabem o que fazer para lutar contra a corrupção, é termos milhões de portugueses, que sem o saber, ainda apoiam a corrupção ao ajudarem a comunicação social a disseminar as mentiras e a não as questionar e censurar.
É importante não esquecer as palavras de Malcolm X “Se você não estiver atento, os jornais farão odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo.” 
É pois um dever de cidadania mostrar ás pessoas como desmontar e reconhecer a manipulação. Porque lutar pela verdade é também uma luta contra a corrupção.

Este blog sempre tentou defender a verdade e primar pela isenção. Posso falhar mas o esforço é sempre nesse sentido.
Fui avisada, por vários seguidores, para desistir de defender Marinho Pinto porque iria ser "cilindrada", perseguida e "esmagada". Tenho notado que sim. Mas atrevo-me mais uma vez a defender a verdade, correndo o risco de ser mal interpretada e acusada de estar a defender o PDR ou o Marinho Pinto.
Já antes me atrevi, contra tudo e contra todos, expor a verdade sobre outros casos manipulados da politica, e portanto já conheço a reacção do público, pensar que estou a defender partidos.
Quando estava na moda atacar o Ministro da Economia, percebi que havia ali algo estranho e descobri os famosos vídeos, que a comunicação social desprezou/camuflou onde era explicada toda a verdade no caso da EDP versus Álvaro Santos Pereira e Henrique Gomes. Defendi a verdade sobre Manuel Monteiro. Mais um que quis lutar por Portugal e foi esmagado.
Contudo sei que para as pessoas isentas é fácil perceber que não significou que eu estava a defender o PSD ou o CDS, apenas a forma como se silenciam os inconvenientes.
Neste artigo irei tentar expor as mais recentes manobras de manipulação que visam silenciar a nova ameaça ao sistema que os corruptos tanto prezam e protegem, ao que parece Marinho Pinto é uma ameaça. 
Actualmente está na moda atacar Marinho Pinto com distorções e mentiras e é um dever cívico mostrar ás pessoas porque o fazem e como o fazem. Após o exposto e confrontados os boatos com as verdadeiras palavras em video, fica bem claro que existe uma perseguição e manipulação para silenciar Marinho Pinto levando as pessoas a odia-lo, por coisas que ele não disse nem fez e forçando-o a desistir pela exaustão, pois sabem que ele não possui dinheiro nem apoios para comprar nenhum órgão de comunicação e desmentir as mentiras.
Como vêem, nesta ditadura camuflada, não é preciso a PIDE para silenciar os que se opõem ao sistema. 
Não deixe pois de ver os vídeos com as palavras originais que deram origem aos boatos/escândalos sobre Marinho Pinto.
Para mim, se a verdade estiver do lado de Marinho Pinto, não vou deixar de a defender apenas porque posso cair no descrédito de aparentar falta de isenção e parecer estar a defender Marinho Pinto.
E se ser isenta implicar também parecer que se está a defender Marinho Pinto? Terei de deixar de o ser? Isso seria faltar à verdade e abdicar da isenção. Condicionar a defesa da verdade por medo do que os outros possam pensar erradamente, não é ser verdadeiro e isento.
Por coincidência vou utilizar, também para este dilema, exemplos de Marinho Pinto, já que ele é muitas vezes vitima disto mesmo. Várias vezes, na defesa da verdade e justiça foi acusado de estar a defender pessoas que ele jamais defendeu. E apesar de ele esclarecer até à exaustão, que estava a defender princípios e a justiça e nunca pessoas, a comunicação social continuava a decidir e a transmitir o que queria e lhe convinha, sobre o assunto.
Exemplos: Marinho foi acusado de defender o Sócrates, quando na realidade ele apenas estava a criticar os passos processuais do caso Freeport. Como é óbvio ele não estava a defender o Sócrates, e estava a citar um texto, de uma procuradora, onde se criticava a forma como iniciaram o processo e por mais que ele dissesse que não eram as palavras dele, os jornalistas fingiam que não ouviam e continuavam a bater na mesma tecla. -Porque defendeu o Sócrates? A luta foi renhida como podem ver neste video, a partir do minuto 15. Ele mantém a sua postura até hoje. Defender a verdade e a justiça sempre, mesmo que esta esteja do lado do teu inimigo. 

Por isso eis-me nesta luta, contra a mentira e a manipulação.
Apresentarei várias compilações de vídeos com as afirmações originais que foram distorcidas pela imprensa e que comprovam a existência da manipulação e das mentiras, uma calamidade que parece já não incomodar ninguém. Em países do primeiro mundo isto seria um crime abominado e censurado pelos cidadãos e mesmo pela justiça. Em Portugal faz as delicias do povo e dos corruptos. Ninguém os condena. E assim a imprensa não dá tréguas, não há uma única semana que não se leia algo que nos faça pensar que Marinho é um corrupto, uma aberração, um desonesto, um ladrão, um oportunista da pior espécie.

PORQUE O FAZEM?
PARA COMEÇAR DEIXO-OS COM ESTA PÉROLA QUE EXPLICA MUITA DA PERSEGUIÇÃO A MARINHO PINTO.
 Marcelo Rebelo de Sousa acha que Marinho Pinto é perigoso porque rouba voto a todos. Eles já nem conseguem disfarçar a ameaça que Marinho representa para os que usam e abusam do poder e querem manter Portugal capturado, a sustentar corruptos.
(Já a Manuela Ferreira Leite, após as europeias, disse algo semelhante, mas não consegui encontrar o video, por isso fica apenas de memória, disse algo do género - este resultado do Marinho Pinto que sirva de alerta para se perceber que temos que ter cuidado.)



Como o fazem? 

14 Outubro, 2014

Face oculta: Os condenados vão recorrer das sentenças. Usarão todas as diligências, provocarão todos os incidentes.

Neste video: Cidadão envergonha Armando Vara no tribunal: Devia ter vergonha! 

Vara à solta
Como no jogo de Monopólio, dispõem do cartão ‘Você está livre da prisão’.
Armando Vara foi condenado a cinco anos de prisão efetiva. Mas continua à solta. Impunemente. Vara e Penedos, poderosos e ex-governantes, o sucateiro Godinho e seus cúmplices foram condenados à cadeia e a restituir milhões de euros. Mas ainda não cumpriram nem um dia e não devolveram nem um cêntimo. Como no jogo de Monopólio, dispõem do cartão ‘Você está livre da prisão’.

O processo ‘Face Oculta’ constitui, apesar de tudo, um avanço neste sistema de justiça desolador. A sentença proferida pelo Tribunal resultou duma ação bem conduzida pelos investigadores da Judiciária, capitaneados pelo destemido Teófilo Santiago.
A forma cuidadosa como o Ministério Público proferiu acusação é também uma das chaves do sucesso. E, finalmente, um Tribunal corajoso proferiu uma sentença inédita, condenando corruptos e traficantes de influências. E que incorpora ainda uma fortíssima censura social à permanente promiscuidade entre a política e os negócios.

12 Outubro, 2014

As grandes sociedades de advogados adquiriram uma dimensão e um poder tal que se transformaram em autênticos ministérios-sombra.


Ao lermos o livro "Os Facilitadores", uma investigação da corrupção instalada entre o estado e alguns escritórios de advogados, sentimos uma indignação crescente à medida que tomamos consciência da aberração que é, sermos vitimas, irremediáveis, de uma espécie de corrupção legalizada. Tráfico de influências sofisticado à vista de todos, o crime legalizado?
Muitos dos respeitáveis senhores que comentam na TV, e muitos dos que se movem na politica, e a quem os portugueses ainda dão ouvidos e votos, fazem parte desta conspiração devastadora.

"As grandes sociedades de advogados adquiriram uma dimensão e um poder tal que se transformaram em autênticos ministérios-sombra.
É dos seus escritórios que saem os políticos mais influentes e é no seu seio que se produz a legislação mais importante e de maior relevância económica.
Estas sociedades têm estado sobre-representadas em todos os governos e parlamentos.
São seus símbolos o ex-ministro barrosista Nuno Morais Sarmento, do PSD, sócio do mega escritório de José Miguel Júdice, ou a centrista e actual super-ministra Assunção Cristas, da sociedade Morais Leitão e Galvão Teles.
Aos quais se poderiam juntar ministros de governos socialistas como Vera Jardim ou Rui Pena.
Alguns adversários políticos aparentes são até sócios do mesmo escritório. Quando António Vitorino do PS e Paulo Rangel do PSD se confrontam num debate, fazem-no talvez depois de se terem reunido a tratar de negócios no escritório a que ambos pertencem.

Algumas destas poderosas firmas de advogados têm a incumbência de produzir a mais importante legislação nacional. São contratadas pelos diversos governos a troco de honorários milionários, produzem diplomas que por norma padecem de três defeitos.

10 Outubro, 2014

Não podemos subestimar a porta que Marinho Pinto, quer abrir.




O link para o site do PDR, Partido Democrático Republicano de Marinho Pinto, incluindo os documentos para a recolha de assinaturas.
“Há um novo projecto político para Portugal e que tudo fará para aperfeiçoar a democracia política, a democracia económica e democracia social”, declarou Marinho e Pinto, numa alusão ao PDR, cujo lançamento, na Casa Municipal de Cultura de Coimbra, juntou cerca de três centenas de simpatizantes, que não pouparam aplausos ao fundador do novo partido.

Num discurso recheado de críticas aos partidos políticos - “o caminho que estamos a trilhar é de suicídio colectivo”, apontou - o ex-bastonário da Ordem dos Advogados proclamou mudanças no sistema partidário, afirmando que “é preciso abrir os partidos políticos aos ares novos da democracia”.
E lançou um apelo a todos aqueles que não se revêem no actual sistema a aderirem ao novo PDR. “Queremos mudar a forma de fazer política em Portugal”, defendeu, sublinhando que “o país tem muito a ganhar com a abertura da política aos cidadãos”. E daqui partiu para explicar a posição do PDR no plano da democracia participativa.
 “Qualquer cidadão deve poder candidatar-se autonomamente a qualquer cargo público, sem ter a dependência de um partido político”, defendeu.  Realçou depois  a necessidade de os deputados serem “autónomos e independentes” do seu partido, referindo que estes celebram “compromissos com o cidadão e não com o partido”. “Antes das eleições, os deputados passeiam-se pelo país a prometer tudo aos eleitores. Mas uma vez eleitos esquecem-se dos compromissos que celebraram com quem os elegeu”, acusou, criticando os partidos que “se isentam a si próprios de impostos mas que impõem impostos que esmagam cidadãos e empresas”.


Ainda sobre o sistema político, o fundador do PDR criticou os valores das subvenções que os partidos recebem por voto, por considerar que “não é o Estado que tem de garantir a sobrevivência dos partidos, para que não se tornem parasitas do Estado”.
Um dos grandes momentos da intervenção da tarde aconteceu quando o eurodeputado trouxe para a discussão os casos BNP, BCP e BES, que “deveriam envergonhar o Presidente da República, o primeiro-ministro e o presidente do Banco de Portugal”. “A culpa não pode morrer solteira”, atirou, depois de lembrar que Cavaco Silva aconselhou os portugueses a comprar acções do BES. Na sala ouviu “Rua”, “Rua”.

Outro tema quente foi a privatização da EDP, “uma empresa estratégica para Portugal" que hoje "está a servir os chineses”, disse. Marinho e Pinto aludiu depois a um “outro escândalo nacional”: a água. “Temos que pôr cobro imediatamente ao escândalo nacional de haver concelhos que pagam a água a um preço cinco ou seis vezes superior ao dos concelhos do lado. Essa diferença de preços deve-se a negociatas feitas em benefícios de autarcas”, disparou.

Na apresentação do PDR, onde foram divulgados os 11 princípios do partido, que assentam em “Liberdade, Justiça e Solidariedade”, ao lado do número dois do partido, o antigo deputado socialista Eurico de Figueiredo,  Marinho e Pinto defendeu que se tem de “refundar a República e fazer um novo 25 de Abril, sem chaimites e sem armas”. Apenas através da “arma do voto”.
No final da assembleia de fundadores, foi feito um apelo a todos os presentes para que se mobilizem na recolha de assinaturas. Até ao fia 8 de Novembro, o PDR tem de conseguir 7.500 assinaturas para a obter a legalização do Partido Democrático Republicano no Tribunal Constitucional." Público

ALGUNS VIDEOS ESCLARECEDORES DA POSTURA DE MARINHO PINTO

  1. 16 

    Pela democracia, é urgente acabar com o monopólio dos partidos.

  2. 18 

    Marinho Pinto, o louco, sai do MPT e do Parlamento europeu? A verdade

  3. 19 

    Marinho Pinto pronto a reunir-se com O DIABO, O PSD, O PS E O PCP??

  4. 20 

    Marinho Pinto quer cidadãos a participar na politica. Finalmente a alternativa

  5. 21 

    Marinho Pinto "descascado" por um jovem, em directo! Seja o politico dos jovens

  6. 22 

    MARINHO PINTO APOIA CAVACO SILVA?



OUTROS ARTIGOS SOBRE MARINHO PINTO
  1. Não podemos subestimar a porta que Marinho Pinto, quer abrir.
  2. Marinho e Pinto acusa nepotismo, sem medos... 15 Tachos à grande!
  3. Compreender Marinho Pinto, é saber o significado de integridade. Tudo o mais é demagogia de corruptos incomodados.
  4. O que os incomoda é que alguém denuncie a podridão até porque isso revela também a cumplicidade dos seus silêncios
  5. A justiça está a transformar-se num negócio privado lucrativo.
  6. Assistam e acordem, o saque de Portugal reconhecido e declarado em frente aos saqueadores
  7. Marinho e Pinto: Para os corruptos a verdade, é demagogia e populismo!
  8. Bastonário abre guerra: Advogados proibidos de serem deputados
  9. Marinho e Pinto lança suspeita de troca de favores entre Noronha de Nascimento e Sócrates?
  10. Marinho Pinto explica como governos e tribunais arbitrais, roubam o estado, legalmente e tranquilamente.


09 Outubro, 2014

Em Cuba os cidadãos são obrigados a escolher "socialismo ou morte", mas em Braga podemos ter "socialismo e morte", tudo ao mesmo tempo. O melhor de 2 mundos: este e o outro.

clube dos socialistas mortos visão ricardo araujo
Já nem os falecidos escapam à desesperada guerra pelo apetecido poder em Portugal. Um "trono" onde tudo lhes é permitido e todos os crimes perdoados.
Profanar o sossego dos mortos é mais uma medida desesperada para engrossar as fileiras da seitas partidárias e exibir poder.
Aos gladiadores de poleiros milionários, já não lhes bastavam as mentiras, as promessas falsas, a manipulação, a demagogia e até as simuladas guerras internas.
Agora partiram para atacar no além!?
Vale tudo para alcançar o poleiro em Portugal. Ricardo Araújo Pereira, expõe o ridículo das hienas esfomeadas.

"Exmo. Sr. Presidente da Federação do PS de Braga,
Na qualidade de socialista falecido em 2005, venho felicitar a sua federação por possibilitar a
participação de mortos no processo eleitoral.
Durante demasiado tempo, só pessoas vivas eram chamadas a votar, pelo que se saúda o alargamento do espectro eleitoral a espectros eleitores.
A iniciativa de V. Exa. produz efeitos ideológicos que, tenho a certeza, hão-de marcar a história do socialismo.
A velha divisa cubana "Socialismo ou morte" terá de merecer actualização, na medida em que a federação socialista de Braga demonstra que socialismo e morte não são conceitos que se excluam.
Talvez em Cuba os cidadãos sejam obrigados a escolher "socialismo ou morte", mas em Braga podemos ter "socialismo e morte", tudo ao mesmo tempo. É, literalmente, o melhor de dois mundos: este e o outro.
Note que não falo em nome dos mortos-vivos, mas sim dos muito mais prosaicos mortos.
Os mortos-vivos, pese embora a fama de que vêm gozando, não merecem direito de voto. As criaturas lendárias já estão muito bem representadas na vida política pelos vampiros.
Acrescentar os mortos-vivos seria redundante.
Os mortos, em contrapartida, nunca obtiveram representação política.
O falecimento, ocorrência tantas vezes alheia à vontade do cidadão, retira-lhe o direito de voto, sem que seja apresentada uma justificação válida.
A ausência de actividade cerebral não serve de desculpa, uma vez que também se verifica, quer em outros eleitores, quer em boa parte dos eleitos.
Como é evidente, coloca-se a questão de saber de que modo pode o morto participar no processo eleitoral, dadas as suas limitações.
Neste ponto, permita-me que lhe apresente o meu sobrinho Nelson, que é bruxo em Esposende. É a ele que estou a ditar estas palavras. Por uma verba simbólica, o Nelson está disponível para colaborar com a concelhia do PS, transmitindo aos seus dirigentes a posição política de um vasto leque de defuntos.
Todos os dias, o Nelson recebe a visita de inúmeras almas de antigos socialistas, ansiosos por participar na vida partidária. O morto, hoje em dia, já não se satisfaz com as tradicionais aparições fantasmagóricas em casa dos familiares para bater com portas e abrir torneiras.
O defunto moderno quer continuar a ter uma palavra a dizer na vida cívica. 
O meu sobrinho Nelson pode ajudar a concelhia a registar as opiniões de antigos socialistas, por apenas dois euros por alma. No entanto, o Nelson está preparado para lhe oferecer um preço especial por atacado, a saber: 15 euros por cada palete de 10 defuntos.
Creia que somos muitos, neste lado, a querer participar. E está aqui um senhor chamado Engels que quer dar uma palavrinha a V. Exa. acerca do que é, na verdade, um partido socialista.
Com os melhores cumprimentos,
Fernando Manuel T. Guedes
Defunto

Por Ricardo Araújo Pereira, in Visão: 



Para que se perceba porque razão a politica só atrai este tipo de gente - artistas e habilidosos.



07 Outubro, 2014

Passos Coelho inventa conceito: Malabarice, filha do malabarismo e da malandrice

"Malabarice
Um dia, Passos Coelho inventou este termo a propósito de qualquer coisa: malabarice. Não explicou, mas esta filha do malabarismo e da malandrice, que não existe ainda nos dicionários (pelo menos no Aurélio), foi uma magnífica contribuição para a literatura nacional, que só posso saudar.
Malabarice é o que estamos a viver hoje.

Malabarice é o secretário-geral do Parlamento apresentar informações falsas para proteger o seu correligionário, quando tem obrigação de prestar informações verdadeiras.

Malabarice é Passos Coelho fingir que abdicou de 10% a título de exclusividade quando recebia 15% por ser vice-presidente da bancada, o que o impedia de receber os malabaristas 10%.

Malabarice é receber um subsídio de reintegração quando já se tem um trabalho pago e se continua a ocupar o mesmo posto no mesmo trabalho pago.

Malabarice era uma empresa que pedia por intermédio de um amigo (Miguel Relvas) um financiamento de 1,2 milhões para formar 1063 técnicos para 9 aeródromos, dos quais só 3 estavam abertos e tinham dez trabalhadores.

Malabarice foi agora a explicação de Passos Coelho para o dinheiro que recebeu da Tecnoforma enquanto declarava exclusividade no Parlamento.

Malabarice é dizer que não recebeu qualquer remuneração certa e jogar com palavras, quando se fazia pagar em despesas de representação, que na época era a forma legal de não pagar imposto.

Malabarice é não dizer quanto recebeu nessas despesas de representação.

Malabarice é viver com subterfúgios para não pagar impostos e depois impor um colossal aumento de impostos aos trabalhadores e reformados.

Malabarice é dizer a todos os outros que vivem acima das suas possibilidades e usar todas as suas próprias possibilidades para não pagar os seus impostos.

E para acabar, Malabarice foi dizer e fazer dizer que recusou a subvenção vitalícia enquanto deputado, quando não teria direito à mesma, porque além dos 8 anos de funções teria de ter 55 anos."
Francisco Louçã, in jornal Público.

O caso Tecnoforma começou com este video que quase passou despercebido porque foi apagado do canal original, poucos dias depois do "percalço".
(A denuncia começa ao minuto 1,19)

05 Outubro, 2014

Este é o sistema que ninguém deve enfrentar sozinho e todos os patriotas e defensores da liberdade devem unir esforços para o combater. Não podemos subestimar a porta que Marinho Pinto, quer abrir.


A PERSEGUIÇÃO CERRADA CONTRA MARINHO PINTO. Ouça uma entrevista de um bravo jornalista a quem eu gostaria de perguntar se é igualmente bravo quando entrevista Cavaco Silva sobre o BPN, Passos Coelho sobre a Tecnoforma, Sócrates sobre as PPP, as SWAP, as rendas da EDP? O Vara sobre a traição à pátria? etc etc



Primeiro criticavam-no porque falava, falava mas não agia...
Decidiu agir, agora criticam-no porque está a agir.
Criticaram-no por ir ganhar muitos milhares como eurodeputado, agora quer vir ganhar menos como deputado, mas ainda assim é criticado.
Criticam-no por ter cão ou por não ter, por dizer ou não dizer, por fazer ou não fazer...  e o mais interessante é que a comunicação social, e seus anexos divertem-se a fazer-lhe perseguição descarada... o povo será assim tão ingénuo, que os capangas do sistema são aplaudidos por manipular a verdade, e por lançarem uma perseguição descarada a quem luta contra o sistema?

Imperdivel!
(Comentário que um cidadão deixou ao video em cima (canal do Youtube, deste blog.)

"Tenhamos em mente o seguinte:
1) O burro, o avô e a criança. Esta história será sempre actual. (para quem não conhece a história)
2) Obviamente que a máquina trituradora da comunicação social ligada ao discurso do poder está concebida e opera para "desinformar" as massas, condicionando o seu comportamento através da sua formatação intelectual e social, e neutralizar tanto os imunes a essas acções como os revoltados contra o sistema que controla a dita máquina. Estes, frequentemente e por motivos óbvios, são os mesmos.
A forma mais eficaz de materializar a neutralização das células de revolta ou fonte de clarificação da realidade sócio-politica que poderá levar a uma revolta, é a sua descredibilização.
Um flagrante exemplo disso é o desprezo e ligeireza incutida na desvalorização da palavra "conspiração" através da adição da palavra "teoria". Esta expressão foi e é usada até à exaustão de forma perniciosa e desvalorizada levando a que hoje a palavra "conspiração" seja automaticamente desprezada e até associada a patologias diversas de foro clínico mental como paranóia e esquizofrenia.