27 outubro, 2014

Traição: Políticos encomendam e aprovam leis de ditadores? Vale tudo para se protegerem.

Chegamos a um ponto tal de abuso que já achamos tudo normal.
Achamos até normal que os políticos que supostamente deveriam estar do lado dos cidadãos, se coloquem contra os cidadãos, e
que façam tudo para se proteger da ira que provocam neles.
Nem achamos estranho que se estas pessoas que nos desgovernam fossem pessoas de bem, honestas, leais ao país e justas, não teriam que se proteger do povo, mas sim dos que atentam contra o povo e o país.
Se fossem pessoas de bem teriam os cidadãos do seu lado e a apoia-los.
Mas adormecidos nem questionamos porque se protegem eles do poder e da ira do povo?
Porque ocultam privilégios?
Porque encomendam e aprovam leis sem consultar ninguém, para ampliar os seus privilégios?
Porque encomendam e aprovam leis para saírem sempre impunes de qualquer tramóia?
Porque desprezam as manifestações?
Porque utilizam o referendo apenas em situações em que o povo nada pode decidir que lese os interesses da elite politica e seus protegidos?
Porque as petições são invalidadas por decisão dos deputados?
Ao povo nada aos corruptos tudo?
Porque construíram um forte intocável, atrás do qual se protegem, forçando o cidadão a assistir impávido e impotente ao saque do seu país, sem nada poder fazer para os travar ou punir?
Porque as campanhas são um engodo repletas de mentiras sem consequências?
Para eles, os mentirosos, vale tudo para enganar inocentes e ingénuos e levar o povo a perpetuar os inimigos de Portugal, no poder.
O poder que eles precisam para decidir que é o povo que tem que pagar as dividas e os juros deles, e dos banqueiros amigos.
O poder que eles tanto precisam para colocar 10 milhões de portugueses escravos ao serviço do BCE.
O poder que eles tanto precisam para fazer de Portugal o paraíso deles e o inferno do povo.
O poder que eles tanto precisam para legislarem em seu beneficio e protecção.

"O segredo dos privilégios dos políticos já é lei.
Já tem a forma de Lei n.º 64/2013, de 27 de agosto, o sigilo dos privilégios dos políticos e foi hoje publicado no Diário da República.
Portanto, por proteção da lei agora aprovada pela Assembleia da República, com os votos favoráveis do PSD, CDS/PP e do PS, passaram a ser secretos os privilégios dos políticos.
Vejam-se, neste caso e segundo esta lei, por exemplo, as chamadas pensões de luxo atribuídas aos ex-políticos (ex-deputados, ex-Presidentes da República, ex-ministros e ex-primeiros-ministros, ex-governadores de Macau, ex-ministros da República das Regiões Autónomas e ex-membros do Conselho de Estado) e os ex-juízes do tribunal constitucional, passaram a ser escondidas do povo português.
A partir de agora e na vigência desta lei, os portugueses e contribuintes ficam a desconhecer quem são e quanto recebem financeiramente do erário público e do orçamento geral de estado os ex-políticos e governantes.
O que é o mesmo que dizer que os políticos e governantes passam a poder decidir secretamente entre eles a atribuição a si mesmos dos benefícios, regalias, subsídios ou outras mordomias, sem que os portugueses, o povo português portanto, ou até mesmo os tribunais, tenham direito a saber o que os políticos fazem com o dinheiro que é de todos nós.

De facto e de lei, passou a haver uma qualidade superior de sujeitos, ao caso os políticos, governantes e juízes do tribunal Constitucional, que estão isentos do escrutínio público, não se encontram mais obrigados a revelar as fontes, as origens e a natureza dos seus rendimentos de proveniência pública, ou seja, que fazem com o dinheiro público o que muito bem entendem e não estão obrigados a prestar contas públicas do que fazem.
Lida esta nova lei tive de socorrer-me do Código Penal, onde fui encontrar semelhantes comportamentos e condutas nos dos artigos 308º e 375º do Código Penal, respetivamente o crime de "Traição á Pátria" por abuso de órgão de soberania e o crime de "Peculato".
Triste república esta em que vivemos, a delinquência já tem protecção de lei!"

Os privilégios são muitos e tu não és consultado nem informado, só explorado e enganado
  1. Compram a justiça com privilégios
  2. Os juízes com reformas douradas
  3. Isentam-se de impostos e aumentam subvenções
  4. Portugueses pagam golf aos deputados, porquê?
  5. 63 mil euros em flores, por mês? Crise?
  6. As leis que os protegem e mimam
  7. Reformas milionárias que duplicam aos 60 anos
  8. As leis acima da lei, reformados precoces
  9. Fundações para amigos protegidos 
  10. Institutos para amigos parasitas
  11. Observatórios cegos para amigos sem emprego
  12. Um exemplo de democracias justas: Suécia
  13. Deputados alimentados luxuosamente.
  14. As despesas da Assembleia da Republica, sem controle
  15. Água só mineral!! Por favor, que somos reis. 
  16. A lei das faltas acima da lei
  17. E os faltosos impunes
  18. Os eternos presidentes despesistas parasitas
  19. Presidente mais caro que a monarquia espanhola
  20. Os motoristas que ganham mais que um médico
  21. Há fome e miséria, mas há milhões para derreter nas autárquicas.

Marinho Pinto é a favor de que as mordomias dos políticos sejam públicas e decididas por quem as paga.
PARA MARINHO A POLITICA PODE SER UMA ACTIVIDADE NOBRE SE FOR POSTA EXCLUSIVAMENTE AO SERVIÇO DO PAÍS. MAS EM PORTUGAL ESTÁ ORIENTADA PARA BENEFICIAR CASTAS.
OS POLÍTICOS CRIARAM UM SEM FIM DE MORDOMIAS E PRIVILÉGIOS ESCANDALOSOS E INSUSTENTÁVEIS E APENAS PARA ELES PRÓPRIOS. ISTO É UMA DEGENERESCÊNCIA DA DEMOCRACIA.




7 comentários :

  1. O ébola é o novo desafio do Ocidente. Ou será que, quando sofrer a mutação em que passará a ser transmitido pelo ar (?) já estará programado para eliminar apenas os “indesejáveis” a essa “elite” financeira corrupta, assente num sistema em rede como se fosse um jogo de Mikado? E daí, talvez a supressão dos “escravos” os faça engalinhar na luta pelo poder! Ainda tive a ténue esperança de que, com o abanão de Ricardo Salgado, outros "salgados" surgissem...
    Como não consigo estar acomodada, vou ironizando…

    ResponderEliminar
  2. Zita desculpe o off-topic, mas vai ser interessante ouvir estes 2 grandes senhores:

    http://www.cmjornal.xl.pt/tv_media/detalhe/fogo_contra_fogo_as_sextas_feiras.html

    ResponderEliminar
  3. Um tema interessante para os defensores da abstenção reflectirem de como dão ainda mais poder a esta corja da Brigada das Colheres a volta do tacho publico. Já perderam a compostura toda e dão-se ao luxo de defenderem a corporação. Se lhes derem corda até começarão a perseguir quem os critique de modo que passem a chamar S.Exas os sanguessugas.Votem nem que seja no cão se querem ver-se livres deles-

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que é que a bota tem a ver com a perdigota?

      Será que ainda não aprendeu?

      Vamos lá recapitular:
      Quantos partidos foram eleitos em Portugal desde 76?
      R: 2
      Quais foram os partidos eleitos?
      R: PS e PSD
      Vão existir outros partidos sem ser o PS e PSD a serem eleitos?
      R: Não
      Porquê?
      R: Porque somos uma sociedade bipolar
      O que é uma sociedade bipolar?
      R: É uma sociedade onde só existe o sim e o não, o bem e o mal, a favor ou contra. Vivem como no tempo em que a terra era plana.
      Vale a pena votar?
      R: Não
      Porquê?
      R: Porque basta que uma pessoa vote para serem eleitos
      Mas assim não é Democracia?
      R: Pois não.
      Então mas porque falam tanto em Democracia, senão é Democracia?
      R: Porque não se pode estar do lado errado da barricada.
      Quer dizer que existe uma guerra?
      R: Sempre houve guerra de poder
      Essa guerra algum dia vai acabar?
      R: Não. Hoje são uns, amanhã, são outros
      Então não há esperança?
      R: Claro que há esperança. A vida é a esperança, é o milagre que acontece por todo o lado.
      Mas a guerra nunca vai acabar....????
      R: A guerra é natural, é a luta pela sobrevivência. Todo o mundo animal o faz.
      Mas os multi-bilionários precisam de lutar pela sobrevivência?
      R: Do ponto de vista deles, precisam.

      Dito isto. Que está o meu caro António Cristóvão à espera?

      Eliminar
  4. Não sei porque os supostos privilégios de alguns preocupam outros. O que me preocupa é o mal de alguns, o que me preocupa é a censura na imprensa, o que me preocupa é aquilo que a imprensa esconde do povo e não relacionado com os políticos, mas com abusos de poder por falta de controlo. Portugal não é um paraíso em termos de direitos humanos! Estou a falar em direitos humanos não em dinheiro, será que interessa? Com tanta censura na imprensa, parece que alguns desconhecem a realidade do país. Portugal o pais da diversão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E como é que pensa que alguns podem ter esses privilégios?

      A mim não me preocupa o mal de alguns, mas o da esmagadora maioria preocupa.
      A censura da imprensa não me preocupa nada. Só preciso de comer e beber para sobreviver.
      A indústria da imprensa só existe porque a alimentamos. Só se tornou um monstro porque quisemos.
      Não entendemos que eles vendem sonhos. Que eles são a indústria do entretenimento.
      Nós é que encomendamos os sonhos, eles só entregam. Por amor de deus, é um negócio!!!
      Se não lhe comprarmos os jornais, eles vão estudar porque tiveram uma queda tão acentuada, e vão chegar a uma conclusão, mais certa do que errada.
      Então se quando o jornal A manda imprimir uma noticia sobre os benefícios da educação física e vende 50 jornais e o jornal B manda imprimir uma noticia sobre a campanha eleitoral do partido X e vende 100, podemos dizer que o jornal B foi 100% mais eficiente que o A.
      Naturalmente, alimentamos os jornais através da sua compra. Tal como pagaríamos quotas no clube preferido, porque ele tem o que nós queremos.
      Então somos nós que alimentamos este tipo de imprensa, somos nós que alimentamos o monstro.

      A censura, nada mais é que um jogo de poder, um meio para atingir um fim.

      Tudo gira à volta do dinheiro, caso não tenha percebido ainda, vivemos num Planeta capitalista, onde quem manda não são os homens, mas sim as verdinhas. Onde os homens não passam de escravos das verdinhas. Mas não é porque as verdinhas sequer falem, para nos mandar fazer isto ou aquilo. Nós mesmos é que criámos a nossa escravidão.

      Agora pergunto-lhe, como é que as pessoas podem esperar que umas tantas verdinhas tenham bom senso, que se preocupem com nós humanos, que se compadeçam da nossa ignorância, se elas verdinhas são um bocado de papel, um ser inanimado, sem alma, sem vontade própria????

      Outra pergunta, já algum dia viu um bocado de papel com consciência?

      Sinceramente não dá para entender, pelo menos a mim não!

      Eliminar