19 junho, 2013

PPP´s: EXTINGUIR OS CONTRATOS E PRENDER QUEM OS FORJOU.




"Parcerias? Patifaria...  Por Paulo Morais.
Aqui chegados, só há uma solução aceitável: extinguir os contratos e prender quem os forjou. Os encargos do estado com as parcerias público-privadas (PPP) são colossais, comprometem as finanças públicas por toda uma geração e hipotecam o futuro da economia do país. Mas os governos continuam a ser cúmplices destes negócios ruinosos. O atual ministro das finanças nem sequer diminuiu a despesa com as PPP, a que estava obrigado pelo memorando de entendimento assinado com a troika. Pelo contrário, os custos não cessam de aumentar.
Nos últimos quatro anos, os encargos líquidos com as PPP quadruplicaram, atingindo por ano montantes da ordem dos dois mil milhões de euros. O valor dos compromissos futuros estima-se em mais de 24 mil milhões de euros, cerca de 15% do PIB anual. Uma calamidade!
Fingindo estar a cumprir o acordo com a troika, que obrigava a "reavaliar todas as PPP", as Finanças anunciam, aqui e além, poupanças de algumas centenas de milhões. Valores ridículos, pois representam apenas cerca de um por cento do valor dos contratos.
Mas, o que é pior, Vítor Gaspar continua a proteger os privados. Já em 2012 e por decreto-lei, determinou que da nova legislação que regulamenta as PPP, "não podem resultar alterações aos contratos de parcerias já celebrados".
As rentabilidades milionárias para os privados e a sangria de recursos públicos continuam como dantes... para pior. No último relatório disponível pode apurar-se que em 2011 houve, só nas PPP rodoviárias, um desvio orçamental de 30%. Sendo as despesas correntes de cerca de oitocentos milhões de euros, os custos com pedidos de reequilíbrio financeiro são de… novecentos milhões. A variação é maior que o próprio custo! Só ao grupo Ascendi e seus financiadores foram pagos, a mais (!), quinhentos milhões de euros. Uma patifaria. As poupanças do estado com a redução salarial da função pública em 2011 foram, afinal, diretamente para os bolsos do senhor António Mota, seus associados e financiadores.
Aos acordos ruinosos das PPP, vieram, ao longo dos anos, acrescentar-se custos desmesurados, resultado de negociações conduzidas por responsáveis públicos corruptos. Aqui chegados, só há uma solução aceitável: extinguir os contratos e prender quem os forjou." FONTE

Ao ver este video percebe quem e porquê se realizaram os contratos das PPP de forma ruinosa contra o estado. Paulo Morais dá exemplos da promiscuidade dos que representavam o estado no sector das PPP, e trabalham agora nas PPP... e não é uma suspeição, afirma ele, é um facto.

A saga continua... Governo Sócrates e as PPP.
"O relatório da comissão de inquérito às parcerias público-privadas (PPP), entregue nesta segunda-feira no Parlamento e a que o PÚBLICO teve acesso, arrasa as decisões tomadas por membros do Governo de José Sócrates. A administração da Estradas de Portugal (EP) é acusada de ter sido “conivente com a opção política vigente” e o regulador dos transportes considerado “incapaz” de exercer as funções de supervisão destes contratos.
As conclusões do relatório de 500 páginas, que será divulgado publicamente na terça-feira, começam por apontar que “a utilização massiva de PPP em Portugal como forma de financiamento do Estado desvirtuou o seu objectivo fundamental: reduzir custos para o Estado e melhor satisfazer as necessidades públicas”. fonte

Mais casos relacionas com as PPP
  1. Paulo Morais, sugere a abolição imediata das PPP
  2. Tribunal afirma que lhe foram ocultados documentos
  3. PS/Sócrates mudam a lei para facilitar renegociar PPP
  4. Juiz demite-se!!!!!
  5. 50 mil milhões, do estado, para as concessionárias?
  6. Renegociações já em 2013, uma farsa
  7. Apenas respeitaram os amigos e não o povo, renegociar fingindo?
  8. Caiado Guerreiro, denuncia, renegociar, mas com os mesmos advogados?
  9. Mais algumas PPP que o estado vai comprar, por serem ruinosas
  10. A PPP dos amigos do BPN
  11. A PPP do Cavaco Silva. 
  12. PSD e PS unidos permitem este saque? 

12 comentários :


  1. Paulo Morais é um Spartacus dos tempos modernos.

    Pertencendo aos 95% de gente honesta porém inocente, terá admitido ao atingir um patamar intermédio do poder, que poderia continuar a ser honesto na decisão politica.

    A realidade que observou e sentiu tornou-o num verdadeiro revolucinário.

    Sobrevivência leal, coerente e honesta nesta selva política é impossível.
    Em nome da decência, honra e honestidade há que sair dela e declarar-lhe guerra sem quartel.

    É o que Paulo Morais fez e diz porquê na sua mais recente publicação, Março 2013, "Da corrupção à crise".

    Lá avalia a podridão do sistema.
    Relata o desplante, o abuso e o roubo efectuados contra os cidadãos, PELOS MESMOS que estes elegem para protegerem os seus interesses.

    Toma a espada da palavra, brame-a com coragem inaudita, grita a revolta e apela ao castigo dos criminosos.

    Coloca por linhas simples e claras, os ataques - soezes e profundos - zurzidos sobre quem trabalha, paga impostos e tem direito a um futuro em segurança, por criminosos travestidos em políticos profissionais, sem valias humanas, profissionais ou académicas mínimas.

    Aconselho a que todos leiam o livro e os que podem, oferecem-no como presente (11€) a todos os que andam distraídos da sangue-suga financeira onde - deliberada e criminosamente - nos envolveram.


    ResponderEliminar
  2. Ontem ouvi o Álvaro (ministro da economia) dizer à CIP que não podia baixar o IRC por não ter possibilidade de compensar esse rombo no orçamento.

    Mas afinal o Álvaro não quer atrair investimento?
    Então porque não baixa o IRC apenas aos novos investimentos?
    Que necessidade tem de o fazer, pare esse fim, às empresas e investimentos já existentes?

    Por aqui se vê como este (des)governo actua: Quer fazer favores aos amigos, baixando-lhes o IRC, com a desculpa que o tem de fazer, para atrair novos investimentos e o nosso IRC que pague o tal rombo.

    E a oposição nada diz?

    ResponderEliminar
  3. Concordo em parte com os méritos do Dr. paulo Morais, mas tal como o Miguel Sousa Tavares não fala ou se mete com o Bes, este sr. Está calado com os verdadeiros crimes da CML e do sr. Costa e salgado. A própria entidade da transparência está caladinha e já lhe fizeram chegar algumas dicas para o caso de não conseguirem ver os crimes aberrantes de construções megalómanas em terrenos públicos, do Estado ou da CML.

    Quem não perceber a aberração do PDM, das EDPs dos Museus dos coches, dos inúmeros assessores amigos, etc, etc. Ou é cego ou não quer ver.

    ResponderEliminar
  4. DEMOCRACIA SEMI-DIRECTA:
    - o contribuinte não pode andar constantemente a correr atrás do prejuízo: BPN, PPP's, etc.
    .
    Dito de outra forma:
    -> Não sejas cúmplice dos 'Políticos Carta Branca': os políticos que querem carta branca para continuar a estoirar milhões e milhões em endividamento...
    -> Apoia os 'Políticos Disponíveis para serem Fiscalizados' pelo contribuinte: "O Direito ao Veto de quem paga".
    .
    .
    .
    -> É uma 'regra' da democracia:
    - Um ministro das finanças que dê abébias a certos lobbys tem a vida facilitada... pelo contrário, um ministro das finanças que queira ser rigoroso, tem de enfrentar uma (constante) tempestade política.
    -> Mesmo depois de já terem sido estoirados mais de 200 mil milhões em endividamento... os 'Políticos Carta Branca' querem estoirar mais: eles continuam a falar em mais e mais despesa... NÃO ENQUADRADA na riqueza produzida!?!?!
    -> Mais, para os 'Políticos Carta Branca' já se vislumbra uma luz ao fim do túnel: "implosão da soberania, ou o caos" - federalismo...
    .
    .
    -> Por um sistema menos permeável a lobbys, os 'Políticos Disponíveis para serem Fiscalizados' pelo contribuinte farão uma gestão transparente para/perante cidadãos atentos... leia-se, são necessários melhores mecanismos de controlo... um exemplo: "O Direito ao Veto de quem paga" (vulgo contribuinte): ver blog 'fim-da-cidadania-infantil'.

    ResponderEliminar
  5. Ontem mandei cá pra fora um rol de PERGUNTAS CHATAS à conta dos marajás e hoje,são só PERGUNTAS SIMPLES:
    Alguem sabe quem são todos os "privados" das PPP´s?
    Alguem me consegue responder o que é isso de contratos blindados e com clausulas secretas (--é curioso que o meu advogado disse que se pode blindar--mais ou menos--um contrato,mas que será sempre publico no caso das PPP;agora que se contem clausulas secretas deixa de ser um contrato,é uma coisa qualquer só admitida numa Republica de/das Bananas como Portugal que irá fazer 103 anos em 5/10/2013--)
    --Estou em crer que os privados das PPP´s sao a Banca,os grandes grupos economicos cujos nomes das famílias sao bem sonantes,os elementos dos Governos passados e presente e deputados,mesmo a maioria daqueles que nao sabe o que anda lá a fazer e os empresários que tambem fazem parte desta "panelinha" ...e o Estado (que somos todos nós) que se lixe!--A Comunicação Social está silenciada porque se fala ou fica curiosa por este ou aquele acontecimento/situação fica sem direito a subsídios que são a razão de viver de alguns jornais e pasquins.Assim passam a vida a omitir notícias...ou a fazer "adaptações" da verdade
    As Polícias,em geral,tambem não são "curiosas" porque senão tambem não levam aumentos,excepção feita para a nossa Policia Judiciária cuja acção e "curiosidade" foi cercenada em tempo util (??) por decreto;de não ser assim a PJ já teria descoberto tudo desde Camarate até as PPP´s,as Swap´s e mais "panelinhas" que grassam por este fodido País fora!!
    Acho até que "ISTO" que já nem PORTUGAL é ou se chama,é uma adaptação de um país africano qualquer (daqueles que tambem compraram,por novos,aerogeradores alemães em fim-de-vida-útil e que decoram o alto de várias Serras,sem estudos de impacto ambiental)
    Alguem me sabe dizer porque é que a EDP manda no actual Governo?
    Alguem me sabe dizer se ainda somos um Estado de Direito??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não somos um estado de direito. A EDP manda nos governos, porque é ela que lhes dá tachos depois de acabarem os mandatos, muito mal pagos e curtos. E também porque alberga nas suas chefias boys que são velhos dinossauros influentes de vários partidos.

      Eliminar
  6. Processar os media? Não há quem o consiga , garanto-lhe! Os media tem poder, o poder de escrever, inventar e caluniar sem que alguma vez sejam processados, de vez em quando lá se dignam a dizer que foi um erro o que disseram , aí de 30 em 30 anos.
    Por vezes são os próprios lideres partidários que gerem ou escrevem para esses jornais , logo jamais alguém teria a força para os processar, era deitar dinheiro ao lixo, e no tempo em que estamos não me parece conveniente que o façamos.
    O Governo de José Sócrates cometeu variadíssimos erros, mas na minha opinião foram erros que só se tornaram erros após a crise internacional, até lá eu próprio os achava investimento. Saio-nos o tiro pela colatura, o que era um investimento a longo prazo gerou despesa a curto prazo (falo das PPP's) , mas ora essa? vamos prender um politico por querer investir no pais? Desde quando PPP's foi indicadas como crimes políticos? Eu próprio se fosse Primeiro ministro naquela altura as faria, sobretudo na saúde, educação, na minha opinião pode-se cortar em tudo salários aos mais bem pagos, cortes nas reformas mais altas, aumento da dedução em sede IRS aos mais bem pagos... a muitas maneiras de tirar mais a quem tem muito, e o que me leva a querer que José Sócrates governou bem foi precisamente por isso, investiu em escolas e saúde e tirou a quem tinha rendimentos milionários. Quando José Sócrates criou parcerias e ligações com a Venezuela todos criticaram e gozaram com o Programa Magalhães que deu milhares de computadores a crianças e investiu-se na educação mais uma vez. Agora Passos Coelho cria ligações com Maduro apenas para enriquecer a economia Portuguesa sem qualquer vantagem para a população e apenas para enriquecer os cofres do estado que mais tarde vão ser esvaziados por mais uns quantos políticos em barbaridades, mas agora o povo fica calado e consente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O argumento de que os media são dominados pelos políticos funciona tb para o PS.
      Faltou responder ás outras questões... E falta perceber porque razão está Portugal neste estado calamitoso? E ainda porque é que na Última década Portugal desceu 10 lugares no índice da corrupção, ou seja piorou?
      Não acha que são provas a mais?
      É que para quem não defende partidos , por vezes a verdade é mais óbvia.

      Eliminar
  7. Ninguém disse que não funciona no PS , funciona no PS, PSD, ou até mesmo no CDS-PP.
    Na sua perspetiva Portugal esta neste estado devido ao PS, concordo e discordo, todas as politicas têm bons e maus indicadores após a sua governação, o índice de corrupção pode ter vários pontos de vista na minha opinião, alguns consideram acordos de risco feitos pelo governo, corrupção na minha opinião é um governo utilizar dinheiro do estado para bens próprios, coisa que misteriosamente ainda ninguém tocou no assunto, mas que os há há!
    Por isso é que digo que nenhum dos Ministros de Sócrates deve ser condenado apenas pelas PPP's , alias se este governo esta assim tão preocupado nas PPP's eles que renegoceiem e mostrei o seu lado de grande governo. Provas? se você as considera...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Na sua perspetiva Portugal esta neste estado devido ao PS,"""

      Como é óbvio essa é uma afirmação sem fundamento, se no meu blog de compila artigos de corrupção e não artigos do PS... qualquer pessoa percebe isso, basta consultar algumas páginas para ver que neste blog se denuncia corrupção de todos, porque se acredita que a culpa da crise é de todos os partidos e da cumplicidade que os une...por isso nenhum denuncia nenhum, e todos ajudam à festa...
      O BPN é o melhor exemplo de um saque quase todo ele do PSD, mas oferecido aos portugueses pelo socrates.
      Contra isso é difícil, atirar areia?
      Além do mais, não é só as PPP que incriminam a gestão PS.

      A CORRUPÇÃO CRESCENTE, SÓ É POSSÍVEL PORQUE A OPOSIÇÃO PACTUA.


      Um governo corrupto não o conseguiria ser, se os partidos, com poder e na oposição não o permitissem. Um governo corrupto de um partido corrupto, jamais conseguiria voltar ao poder, se o partido que o sucede, fosse contra a corrupção e desejasse trava-la. Todas as falcatruas seriam desvendadas e expostas em praça pública, e nos tribunais... e os cidadãos jamais votariam neles de novo.
      Um governo corrupto que corrompe e lesa o país, jamais ficaria impune se o governo que o sucede fosse contra a corrupção e não a quisesse perpetuar, para beneficio de todos eles. Pois se um governo que sucede outro, encontra documentos que provam onde o anterior lesou o estado e o povo, porque não prende, julga e desmascara os traidores? Talvez porque também quer beneficiar do jogo e jamais revela-lo?
      A corrupção a rapinagem e as incompetências não começam nem acabam , nem perduram apenas os 2 ou 4 anos de mandato do PS ou do PSD... a corrupção a rapinagem e a incompetência perduram em todos os mandatos há 3 décadas, ininterruptamente.

      Eliminar
    2. Apenas para você perceber, que o media só servem muitas das vezes para caluniar: http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?channelid=00000093-0000-0000-0000-000000000093&contentid=18A0DF2D-5823-44CB-BDAD-77C835B2F352

      Eliminar
  8. Ainda há quem tente vislumbrar diferenças entre governos PS e governos PSD.
    Inacreditável.
    Eu nem as vejo em todo os grupos parlamentares quanto mais nos dois comparsas que combinaram destruir o pais a meias.

    Há tanta matéria boa para leitura que pode ser acessível com um clique(e muita neste mesmo blog) que facilmente desmonta o que é este regime totalitário que funciona apenas para servir um pequeno grupo de poderosos, quer nacionais quer internacionais e que controlam todo o espectro politico através de variadas benesses.

    É tão óbvio, tão óbvio que só mesmo quem for abafadinho da cabeça é que ainda acredita nesta ditadura do politicamente correcto.




    ResponderEliminar