01 abril, 2013

Em Portugal a escravatura coabita com a democracia e ofende os sacrifícios dos Portugueses.

Tudo serviu de pretexto para oferecer dinheiro público, ás concessionárias privadas, que exploram as PPP... conheçam o descaramento, desvendado nas palavras de Paulo Morais.

"Os contratos das parcerias público-privadas (PPP) com que o Estado se comprometeu transformaram os cidadãos em servos vitalícios de alguns grupos económicos, ou seja, em escravos.
As PPP representam um compromisso anual de vários milhares de milhões de euros, um verdadeiro cancro para as finanças públicas da atual e das próximas gerações. 
Em primeiro lugar, geram para os concessionários, em particular das PPP rodoviárias, rentabilidades anuais obscenas, da ordem dos 17%, ou até mais. O rendimento é garantido. Cada troço de autoestrada obriga o Estado a um pagamento diário… independentemente de lá passar um único carro. 

Por outro lado, o Estado ainda paga prémios pela diminuição da sinistralidade, que representam largos milhões para cada autoestrada. 
É certo que também há penalização pelo acréscimo de acidentes, mas as multas são incomparavelmente mais baixas do que os prémios, pelo que os privados ficam (como sempre) beneficiados. Favorecidos numa relação de um para cem ou até mais! 

Por último, os governos têm negociado, ao longo de anos, ruinosos acordos de "reposição de reequilíbrio financeiro". Já no início do século, na Ponte Vasco da Gama, a primeira das PPP, o Estado atribuía uma verba de 42 milhões de euros à Lusoponte, para a compensar por um aumento de taxas de juro, mas nunca a concessionária pagou quando as taxas diminuíam
Estas práticas reiteradas transferiram milhares de milhões para os concessionários. Em 2011, só nas PPP rodoviárias, para despesas correntes de cerca de oitocentos milhões de euros, os pedidos de reequilíbrio financeiro foram de… novecentos milhões

Só há agora uma forma de nos libertarmos deste jugo: abolir o negócio das PPP. Pela via da renegociação dos contratos, reconversão do modelo em concessão ou, pura e simplesmente, expropriação dos equipamentos e infraestruturas. E sem sequer consagrar direitos adquiridos aos concessionários. Em primeiro lugar, porque os contratos são leoninos, os direitos foram obtidos ilegitimamente. 
Mas sobretudo porque quando se libertam servos, como quando se procedeu à abolição da escravatura, não se podem, nem devem, manter intactos os direitos dos esclavagistas. fonte

São  muito poderosos... Entretanto atacam quem denuncia... já é hábito 
"Paulo Morais “intimado” a concretizar acusações de corrupção nas PPP" fonte

Mas neste caso não chamaram Rui Rio a concretizar... porque será? Porque querem que passe despercebido. Rui Rio descaiu-se?
Rui Rio, afirma conhecer procedimentos de conspiração gravíssimos que atentaram contra o interesse nacional, no que respeita aos milhões que confiamos à Segurança Social.
Tal é a gravidade do que eles tramaram, que ele se recusa a confessar, "enquanto os envolvidos estiverem vivos"!?
Tal é a gravidade, que ele afirma que se os portugueses a conhecessem, teriam ainda mais motivos para desconfiar dos políticos. "As pessoas ficariam abismadas" afirma mesmo. fonte


13 comentários :

  1. Aquela ideia de confiscar dinheiro directamente das contas dos bancos até não é má de todo.
    Assim que este regime bafiento for deposto, devemos anular todos os contratos das PPP, prender os autores de tal marosca, e confiscar-lhes o dinheiro das contas. Dinheiro esse que será depois canalizado para relançar a economia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda vai primeiro o Paulo Morais preso e confiscado... neste país sem lei

      "Paulo Morais “intimado” a concretizar acusações de corrupção nas PPP"
      http://economico.sapo.pt/noticias/paulo-morais-intimado-a-concretizar-acusacoes-de-corrupcao-nas-ppp_165816.html

      Já a este ninguém chama para concretizar???
      "Rui Rio, afirma conhecer procedimentos de conspiração gravíssimos que atentaram contra o interesse nacional, no que respeita aos milhões que confiamos à Segurança Social.
      Tal é a gravidade do que eles tramaram, que ele se recusa a confessar, "enquanto os envolvidos estiverem vivos"!?
      De notar que ele é um dos envolvidos!!!?
      Tal é a gravidade, que ele afirma que se os portugueses a conhecessem, teriam ainda mais motivos para desconfiar dos políticos. "As pessoas ficariam abismadas" afirma mesmo. """

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/11/rio-lanca-suspeita-de-interesses.html#ixzz2PCwfRnEp

      Eliminar
    2. Pode ler-se:

      "Num requerimento aprovado terça-feira com os votos do PS e PSD, os socialistas pedem ao presidente da Comissão de Inquérito às PPP"

      Aqui mais uma vez se comprova que PS e PSD são uma e a mesma força politica. O Partido do Avental.

      Eliminar
    3. O Paulo Morais que vá lá á assembleia dos chulos, e que parta a loiça toda. Gostava de ver.

      Eliminar
    4. Pois e ainda falta apurar se isto é mesmo verdade... se estes extractos de conta são mesmo Os movimentos das contas da família de Sócrates nas offshores

      http://www.scribd.com/doc/64664043/Medes-Holdings-LLC-Empresa-Off-Shore-da-Familia-de-Jose-Socrates-Pinto-de-Sousa

      Eliminar
    5. NÃO NOS DÃO DESCANSO ....

      """"Negócios feitos pelos bancos portugueses já estão na mira do Fisco: Desde 2005 que milhões de euros são retirados de Portugal através da compra, a preços de saldos, de créditos em incumprimento a bancos nacionais, por parte de sociedades offshore.

      Segundo o «Correio da Manhã», entre 2005 e 2010, duas sociedades que pertencem ao Bank of America (a Investments LLC e a Overseas) compraram à CGD, ao Millennium BCP e ao Santander Totta mais de 838 milhões de euros em créditos que estavam em incumprimento, negociaram com os clientes e enviaram os montantes recuperados para a Holanda ou para Delaware (nos EUA), onde as sociedades têm sede, sem pagar nada ao Fisco.

      Os negócios são intermediados por uma importante sociedade de advogados portuguesa, acrescenta o jornal, referindo ainda que a Autoridade Tributária já detetou o esquema, estando a investigar desde o ano passado.

      Um dos principais clientes destas sociedades tem sido o Santander Totta, que vendeu um conjunto de créditos no valor de 500 milhões de euros por apenas 15 milhões, quando Nuno Amado ainda era presidente. As negociações foram conduzidas por Vieira Monteiro, que era na altura administrador e é atualmente presidente do banco.

      Também a CGD, no tempo de Carlos Santos Ferreira vendeu aos americanos uma carteira de 62 milhões de euros por 13 milhões. Quando o gestor transitou para o BCP voltou a fazer negócio com os americanos, tal como tinham já feito, antes dele, outros presidentes do banco (Paulo Teixeira Pinto e Filipe Pinhal). Ao todo, o BCP vendeu créditos no valor de 276 milhões por 43 milhões de euros. http://www.tvi24.iol.pt/503/economia---economia/bancos-banca-offshores-americanos-credito-malparado/1434889-6377.html

      Eliminar
  2. .
    Recordo, aquando do 25-04-74, que a grande preocupação de Marcello Caetano era render-se a um oficial-general, para que o poder não "caísse na rua".
    Apareceu Spínola e Caetano foi para o Brasil.

    Até há pouco, nunca tinha entendido a preocupação do Marcelo Caetano.
    Agora entendo-a melhor.
    Quando o poder não tem controlo central, quando as fontes de decisão se tresmalham e multiplicam, o caos está próximo.

    É onde hoje nos encontramos.

    Um governo indigente em poder de decisão e capacidade de actuação, permitiu que uma multiplicidade de interesses financeiros tomasse conta do país e sugasse o facturado aos portugueses para destinos diferentes deste país, enriquecendo agiotas internacionais e políticos nacionais.

    O dinheiro dos portugueses vai:

    Para a China, através da EDP.
    Para Espanha, através da PT.
    Para Isabel dos Santos (Angola), via Zon.
    Para França, via ANA.
    Para Itália, via Galp...
    Para a UE, USA (FMI) e BCE, via dívida e juros.

    E querem que eu tenha orgulho em Portugal?
    Só os bandidos, vendilhões do país, é que conseguem trazer a bandeira na lapela do casaco... para promover os saldos dos "produtos" que vão leiloando.

    Pérfido do Sistema


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom comentário sem dúvida.
      Trabalhamos para pagar a bandidos da banca e tralha partidária.

      No entanto não confunda "orgulho em Portugal" com orgulho na oligarquia que esta a asfixiar este pais.
      O Pais Portugal neste momento está sob ocupação.
      Temos de manter o orgulho em Portugal e obviamente não nos ocupantes.

      Eliminar
  3. É de facto gritante a diferença de comportamentos para com o Paulo Morais e para com o Rui Rio.
    Temos de ter presente que o Rio é, apesar de tudo, um homem do sistema.
    Com amarras ao PSD profundo.

    Paulo Morais é uma ameaça. Pior: uma ameça sem qualquer controlo partidário.

    Há que intimá-lo, incomodá-lo, fazê-lo estar quieto...
    E nem serão os partidos os mais preocupados mas sim, os bancos, que pagaram as carreiras políticas aos seus submarinos amarelos e agora, com Paulo Morais, arriscam a vê-los irem ao fundo logo, a ficarem sem os seus "inner traders" no leque do poder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A diferença é que RUI RIO descaiu-se, Rui Rio não denuncia, apenas se descaiu, e mandar investigar seria chamar a atenção. E Rui Rio está com eles... Portanto o melhor é deixar passar despercebido, como passou...
      Já Paulo Morais, é um caso mais perigoso, ele não se descai, ele demonstra bem que o que diz é para continuar a dizer e por muito tempo. Portanto esse é para calar. E Paulo Morais não está com eles.
      É apenas por isso

      Eliminar
  4. Vejam o blog "paramimtantofaz" - Com inspiração - Rui Rio e António Costa, os candidatos de Bilderberg. Quanto ao Dr. Paulo Morais há algo de estranho, pois curiosamente não ataca a CML de Lisboa e já teve conhecimento de alguns crimes gritantes. O Sr. Dr. Sá Fernandes até ter o lugar de Vereador denunciou, agora ficará na história como o Vereador do Ambiente que mais ajudou a destruir o próprio Ambiente e segurança de Lisboa (veja-se as construções ribeirinhas (EDP e não só) o fechar de olhos a todas as construções em logradouros, etc. Veja-se também o abate de árvores por todo o lado (muitas sem justificação, talvez para manterem activos os fornos da SECIL ou...)as inacreditáveis requalificações e destruições dos jardins...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este e outros antes e, provavelmente, depois dele são símbolos da podridão pessoal, institucional e ideológica característica do mercenário político o qual, uma vez eleito, se vende para perpetuar a sua pessoa no poder.

      Apenas isso lhe importa !!!

      Serve-se dos parvos eleitores com promessas, beijinhos às crianças e danças com velhas mas, depois do lugar conquistado é só, mas só, trair.
      Aproveitar a oportunidade, enriquecer, desprezar o prometido, espezinhar a esperança que lhe foi depositada.

      O poder está REPLETO desta gentalha que rouba, ri-se da lei e volta a roubar.
      NADA tem força para a parar. A alcunhada justiça faz parte do esquema.

      O eleitor NORMAL (mais de 80% do eleitorado) é uma marionette manobrada pela televisão: destituído de cultura política, social ou financeira.
      Nas próximas eleições voltará a votar nos facínoras que trairam a sua confiança.
      O passado prova-o!

      Só acreditaremos na política com o polígrafo na constituição!
      Quem tem medo da verdade?

      Ele é a ÚNICA defesa dos sempre enganados ...

      Eliminar
    2. Já pensaram no desemprego que essa máquina vai provocar nos advogados, juízes, procuradores e outros que vivem do negócio da justiça?
      Só ia provocar desemprego nesses úteis e produtivos membros da sociedade...

      Eliminar