12 janeiro, 2013

O melhor emprego, neste país, é ser ex-governante e corrupto.


Para Medina Carreira, ser corrupto é o melhor estatuto em Portugal. 


O jornalista António Sérgio Azenha é autor do livro "Como os Políticos Enriquecem em Portugal", editado pela Lua de Papel:
Os ministros e secretários de Estado em Portugal ganham menos de 6.000 euros mensais. Mas depois de saírem do Governo, muitos passam para empresas tuteladas pelo Estado onde os salários duplicam, triplicam, quadruplicam...
Essa transferência milionária dos políticos para a esfera empresarial é legal face a um quadro legislativo permissivo. Mas será eticamente correcta? A passagem pelo Governo, em demasiados casos, não será apenas um trampolim para a riqueza? "Como os Políticos Enriquecem em Portugal" dá-nos a conhecer uma amostra representativa. 
Desde 1995, os rendimentos da classe podem ser consultados no Tribunal Constitucional, e há casos em que os aumentos rondaram os 3.000 por cento - o que equivale a, por exemplo, ganhar cerca de 22.000 € anuais antes de entrar no Governo e perto de 700.000 € anuais depois de sair. 
Num trabalho de enorme rigor, António Sérgio Azenha dá-nos a conhecer o percurso de 15 casos emblemáticos. Com todos os factos, números, percursos profissionais - que afinal parecem ser apenas um, tal a perturbante semelhança entre eles. Eis um resumo da situação:
O melhor emprego neste país é ser ex-governante. Como por um passe de mágica, acrescentar esse item ao curriculum faz disparar o valor profissional do energúmeno, sem razões objectivas que o expliquem. Aliás, a lógica apontaria para que se passasse precisamente o contrário, já que, praticamente na sua totalidade, esses sujeitos não se notabilizaram propriamente pela competência. Por que acontece isto então? Deixo-o à imaginação dos leitores...
SER POLITICO TEM QUE TRAZER MUITAS VANTAGENS, E QUE NÃO SÃO O SALÁRIO... CLARO
Pires de Lima perde 750 mil euros por ano no Governo. 04 Setembro 2013
O ex-presidente executivo da Unicer ganhou mais de 826 mil euros em 2012, sendo que actualmente como ministro da Economia, António Pires de Lima, vai perder, pelo menos, 750 mil euros por ano, face aos rendimentos que apresentou no ano passado. Receberá cerca de 5 mil euros por mês. fonte

Posto isto passemos então ao desfile do tal Top 15, indicando o cargo e a remuneração associada (quando conhecida) antes de passar pelo governo (AG) e depois de lá ter saído (DG).
Pina Moura
1994 AG: cargo desconhecido. 21.814,00 E.
2006 DG: deputado à AR, presidente do CA da Iberdrola Portugal, vogal do CA da Galp Energia. 697.338,00E (3.200 %).
Jorge Coelho
1994 AG: economista, director da Carris. 41,233,00 E.
2009 DG: vice-presidente e presidente da comissão-executiva da Mota-Engil. 702.758,00 E (1.700 %).
Armando Vara
1994 AG: funcionário da CGD. 59.486,00 E (em conjunto com a mulher).
2010 DG: administrador do BCP. 822.193,00 E (1.400 %).
Dias Loureiro
1994 AG: (1o. ano como governante - Min. Administração Interna - por inexistência de dados anteriores). 65.010,00 E.
2001 DG: administrador da SLN e administrador da Ericsson Espanha. 861.366,00 (1.325 %).
Faria de Oliveira
1994 AG: (1o. ano como governante - Min. Comércio e Turismo - por inexistência de dados anteriores). 65.010,00 E.
2007 DG: presidente da comissão-executiva da CGD em Espanha. 700.874,00 E (1.080 %).
Fernando Gomes
1997 AG: presidente da Câmara Municipal do Porto. 47.901,00 E.
2009 DG: administrador executivo da Galp Energia. 515.000,00 E (1.075 %).
António Vitorino
1994 AG: assistente universitário e advogado. 36.089,00 E.
2005 DG: deputado à AR e advogado. 383.153,00 E (1.060 %).
Luís Parreirão
1996 AG: chefe de gabinete do Secretário de Estado da Administração Pública. 52.212,00 E.
2009 DG: vogal do CA da Mota-Engil. 463.434,00 E (890 %).
José Penedos
1994 AG: administrador da Hidrorumo. 112.947,00 E,
2009 DG: presidente da REN e vogal do CA da Rede Eléctrica de Espanha. 728.635,00 E (645 %).
Mira Amaral
1994 AG: deputado à AR. 64.968,00 E.
2001 DG: administrador do BPI. 414.294,00 E (640 %).
Castro Guerra
1995 AG: presidente do CD do CIEP. 43.658,00 E.
2010 DG: presidente da Cimpor. 210.828,00 E (485 %)
António Mexia
2003 AG: vice-presidente do CA e presidente da comissão executiva da Galp Energia. 680.360,00 E.
2009 DG: presidente do CA execut. da EDP. 3.103.448,00 E (455 %).
Ferreira do Amaral
1994 AG: deputado à AR. 64.968,00 E.
2009 DG: administrador da Semapa. 278.258,00 E (430 %).
Filipe Baptista
2004 AG: inspector-geral do Ambiente. 74.254,00 E.
2010 DG: vogal da Administração da ANACOM. 192.282,00 E (260 %)
Ascenso Simões
2004 AG: deputado à AR. 70.285,00 E.
2010 DG: vogal do CA da ERSE. 122.102,00 E (175 %).
(segundo dados publicados no Expresso Online em 13.out.11)

"Quanto à competência, cada um fará a avaliação que entender da maioria dos ministros que tivemos. Incluindo os casos referidos. E note-se que na maioria dos casos o currículo anterior à entrada num governo não chegaria sequer para ocupar um lugar de quadro intermédio nas empresas que acabam por dirigir.
A verdade é esta: em cargos governativos os ministros criam redes de contactos. Muitas delas alimentadas pelas decisões que tomaram e que lhes garantiram a simpatia de futuros empregadores. Fosse o contrário e dificilmente franqueariam as portas dos maiores grupos económicos.

O dinheiro que perdemos agora não será pago a quem nos rouba em reformas ou mordomias do Estado. Será pago com salários milionários em grupos empresariais privados para quem vende a nossa democracia em troca de carreiras interessantes. Os nomes destas pessoas interessam. Mas interessa mais saber o que torna isto possível." fonte
  1. Ser politico é aumentar o salário em 3000%
  2. Ser politico é ser parasita do erário público, antes, durante e depois de exercer cargo politico.
  3. Mário Soares o politico que sabe como parasitar o dinheiro do estado.
  4. Politico nunca fica pobre?
  5. Ser politico é passar a ser gestor TOP? 
  6. As teias de favores.
  7. Os salários estrondosos.
  8. A impunidade
  9. A gloria de ser corrupto
  10. Ser politico é passar a ter dias com 69 horas?
  11. Ser politico é dominar todos os cargos de relevo em Portugal? 
  12. Ganham melhor que nos EUA?





11 comentários :

  1. Repito o que já aqui deixei escrito : o bom é tê-lo sido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sim ! Tudo começa nessas escolas de grandes virtudes que são as juventudes partidárias onde estes "jovens" aprendem "tudo".
      Referia-me apenas a uma parte : ser-se ministro ou tê-lo sido.

      Eliminar
  2. Limpar tanta trampa é um caso bicudo.
    Bancos carregados de crédito mal parado, cheios de dívida publica, cheios de problemas de tanto negócio publico privado, megalomanias.
    Pega lá reforço de capitais, quem paga é o zé pagode. Fecho tudo à volta e concentra tudo no Terreiro do Passo. Porquê porque não há dinheiro. Quem paga é o zé pagode. E por aí fora. Mas, como o zé pagode paga e gasta demais, vai tudo para o desemprego. Quem paga o desemprego? O zé pagode. No entretanto, a meia dúzia costumeira alivia os costados e dá de frosques com a massa. Isto tudo, é um novo princípio, equilíbrio, no desequilíbrio. Esta rica sociedade mal dirigida, lembrou-se que um empresário ter um empresa é um favor que ele faz à sociedade. Logo, é para ele que se deve olhar. Só que numa sociedade bem dirigida, um empresário ter uma empresa é um favor que a sociedade lhe faz, melhor dizendo, é um direito que lhe atribui. Ficando ele com a responsabilidade do emprego das pessoas.Numa sociedade mal dirigida abra as pernas a tudo quanto é grande empresário e marimba-se para quem é pequeno. Gatuno é pequeno, exemplo é o grande...

    ResponderEliminar
  3. Aconselho, vivamente, a leitura do livro "Dívida Pública e Deficit Democrático", autor Paulo Trigo Pereira, preço 5€.

    O melhor livro que li em 2012.

    Com uma perspectiva construtiva e com uma boa avaliação da realidade, avalia erros que os governos cometeram, as fragilidades partidárias e sugere "portas de saída" sensatas.

    Tem 124 páginas.

    ResponderEliminar
  4. Aparece um homenzinho, situado algures entre o palhacinho e o espertalhaço, com telhados de vidro cobrindo uma inteligência corroída pela ambição, jurando na televisão que o escrito pelo FMI (cujos dirigentes já disseram e repetiram que o esforço financeiro exigido às economias mais fracas tinha sido um erro) era um bom trabalho, bem documentado...

    Só quem nunca contactou organizações financeiras internacionais pode engolir como boas, as falinhas sorridentes desse homenzinho.

    Quem conhece essas organizações, sabe que elas se abrem todas, para fazer favores ao governos, que são quem lhes paga principescamente - com o dinheiro dos respectivos povos - as "ajudas" que "dão" aos países.

    Como era difícil despedir, a frio, 100.000 funcionários este simulacro de governantes "encomendou" aos seus corregionários ideológicos do FMI, um paper que fizesse tremer o país todo, se tal não acontecesse.

    Assim, todos aqueles que se situam naturalmente fora do grupo potencial dos visados, assobia para o lado, e pensa: "antes eles que eu..."

    Bem escrito, bem documentado?

    Claro ó Trocados: Neste circo, onde és um palhacito, podes sorrir muito e dizer piadas.
    Mas cuidado: Isto pode ficar sério e dizer sorridentes piadas em cima de uma fogueira pode te chamuscar o rabinho...


    ResponderEliminar
  5. "FAZEM A MESMA FIGURA
    HOMENS QUE VESTEM BONS FATOS;
    QUANDO LHES CHEIRA A GORDURA,
    CAEM TAMBÉM COMO OS RATOS."
    (António Aleixo)

    ResponderEliminar
  6. AUMENTE O SOM DO SEU PC PARA OUVIR

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=gNu5BBAdQec#!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já divulguei aqui esse video, é a prova viva de como os portugueses continuam a não abrir os olhos, como os portugueses gostam de ser enganados.

      Eliminar
  7. Ele tinha razão !

    http://www.youtube.com/watch?v=uFP9ihHDx6s

    ResponderEliminar
  8. Subscrevo inteiramente o contido na mensagem.
    Isto não é uma Democracia. Mas sim uma ditadura Capitalista, que tortura violentamente o Povo e rouba o País descaradamente sem escrúpulos.

    ResponderEliminar