15 agosto, 2014

A maçonaria e as conectividades na Lusófona. Patrão da Lusófona chefia 36 sociedades.

Patrão da Lusófona chefia 36 sociedades.
Manuel de Almeida Damásio, presidente do conselho de administração do Grupo Lusófona, desempenhou, desde meados da década de 2000, os cargos de presidente e de gerente em 36 sociedades dos mais diversos setores de atividade. A presença de Damásio nos órgãos sociais de tantas entidades, entre empresas e cooperativas, indicia que o Grupo Lusófona seja o proprietário final dessas sociedades.
A sua filha Teresa, que foi deputada do PS na anterior legislatura, o seu filho Manuel José, o genro, Carlos Vieira, e a nora, Paula Alves, desempenham ou desempenharam também cargos nalgumas dessas entidades. A consulta dos documentos relativos a essas sociedades, através do Portal da Justiça, revela que Manuel de Almeida Damásio é o rosto principal da gestão de entidades que operam em setores tão diversos como o ensino, a saúde, os seguros, a agricultura, a produção animal, o turismo rural e a caça, o urbanismo, a formação profissional, a informática e o imobiliárioDN

O Grupo Lusófona é uma entidade portuguesa responsável pela gestão de mais de 20 instituições de ensino superior e não superior em Portugal e em outros países lusófonos, com uma rede de cerca de 45 mil alunos. O Presidente do Conselho de Administração do Grupo Lusófona é Manuel de Almeida Damásio.1

O Grupo Lusófona é constituído por cinco empresas: a Cooperativa de Formação e Animação Cultural (COFAC), a Escola Superior Ribeiro Sanches, a Real Academia de Portugal, a Cooperativa de Formação, Desenvolvimento e Solidariedade (FIDES) e a Sociedade de Estudos Superiores de Contabilidade (SESC).
A 24 de Novembro de 2011, passou a integrar o Grupo Lusófona o Grupo UNISLA, composto pelas instituições de ensino superior, Isla Santarém, Isla Gaia e Isla Leiria. (4) Wikipédia

"Miguel Relvas e Manuel Damásio, presidente do Conselho de Administração da Universidade Lusófona, pertencem ao Grande Oriente Lusitano (GOL). No momento em que o então deputado do PSD entrou na universidade já faziam ambos parte da maior obediência maçónica portuguesa. Miguel Relvas frequentava a loja Universalis, a que ainda hoje pertence. Manuel Damásio estava numa loja em que se encontravam também outros elementos da Universidade Lusófona." Sabado

Mais casos sobre a Lusófona e a maçonaria

5 comentários :

  1. https://www.youtube.com/watch?v=g_n0HGO3m2g

    ResponderEliminar
  2. As eleições estão a funcionar como um engodo em que todos podem arriscar um euro mas quem ganha é sempre o chinês ! O chines dá premio politico mas fica com a banca. Prémio politico entenda-se por consolação. Por ex: O cholé do Paulo Portas,o Almeida Santos com uma fotografia a comer bananas, o General Ramalho Eanes numa foto, a vender pensos adesivos. O Jorge Sampaio indeciso entre o seu mau estado e o conselho dos médicos.Enfim bugigangas e o chinês com a massa !

    ResponderEliminar
  3. País totalmente viciado. Portugal tornou-se demasiado perigoso não só para os que por cá sobrevivem mas também para os que ainda conseguem viver com alguma dignidade. Creio que só uma bomba atômica resolverá a situação.

    ResponderEliminar
  4. Nos tempos vagos, muitos, essa gente pega incendios, grandes fogueiras, por esse Portugal em fora

    ResponderEliminar