21 abril, 2014

"Assunção Esteves nunca foi tida como muito sã da cabeça" !!




Video hilariante...
A somar aos exemplos de senilidade exibidos, neste video e da falta de pragmatismo e realismo, eis mais uma algumas provas das suas estranhas limitações:
“O mundo é, agora, um ‘sistema de sistemas’, vivendo o método de um trabalho em rede, da sociedade económica em passo mais avançado, da sociedade política em modo mais reticente. A relação entre particular e universal deixou a sua lógica clássica de oposição para abraçar uma lógica de comunicação e eficiência, que é ao mesmo tempo definidora de uma espécie de novo existirético”.
Perceberam? Sim, ela disse mesmo isto. No seminário diplomático, perante uma plateia de diplomatas. (site do Parlamento).

Qualquer semelhança entre o comportamento do video e o seguinte sintoma de esquizofrenia, não é da minha responsabilidade. E dado que desconheço a pessoa, isto só por si não é prova. Mas não deixa de ser curioso... 
"Transtornos do pensamento são maneiras não usuais e disfuncionais de pensar. Uma forma de transtorno do pensamento é o "pensamento desorganizado." Isto dá-se quando a pessoa tem dificuldades em organizar seus pensamentos ou conectá-los de maneira lógica. Eles podem falar de uma maneira confusa que é difícil de entender. Outra forma é a chamada de "bloqueio do pensamento." Finalmente, uma pessoa com transtorno do pensamento pode inventar palavras sem sentido, chamado de "neologismos." fonte
Outros sintomas - Preocupação extrema com religião, filosofia, o paranormal, etc.; ou mesmo tornar-se membro de uma seita ou culto; Alterações do pensamento: argumentos incoerentes, ilógicos ou demasiadamente abstractos; medo excessivo fonte

"Assunção Esteves nunca foi tida como muito sã da cabeça", diz ao Expresso o ex-deputado socialista, reagindo às declarações da Presidente da Assembleia da República, que disse que se os militares querem discursar, sem terem sido convidados para tal, "o problema é deles".
"Disparou estupidamente. Há um sentimento geral de agradecimento no país com os militares de Abril, porque foram eles que acabaram com o anterior regime", acrescentou Henrique Neto.
"Qualquer decisão deveria ser sensata e não ofensiva, e o que a Presidente fez foi abuso de poder, foi 'quem manda sou eu'. É só má pedagogia democrática", afirma." Fonte
Mas para que precisa esta gente de juízo? Quando a lei se atreve a legitimar um artigo que iliba os juízes de responsabilidades. Eu sei que parece anedota, mas é mesmo verídico. Um país onde as elites de políticos e juízes podem errar por incompetência ou conveniência mas sempre impunemente??
Artigo 216.º Garantias e incompatibilidades
2. Os juízes não podem ser responsabilizados pelas suas decisões, salvas as excepções consignadas na lei. fonte

"Não, o problema não é "deles", dra. Assunção
A presidente da Assembleia da República disse que se os militares da Associação 25 de Abril não forem ao Parlamento nas comemorações do aniversário dessa data "o problema é deles".
A dra. Assunção Esteves está equivocada. O problema não é "deles". O problema é da senhora presidente da Assembleia da República que não quer ser incomodada com um discurso que extravase o que é normal entre os parlamentares da maioria e da oposição.
O problema é da senhora presidente da Assembleia da República, que não tem um pingo de bom senso - porque, se tivesse, lembrar-se-ia que só se senta na cadeira onde se senta porque os militares que ela não quer ouvir abriram caminho para que tal fosse possível.

O problema é da senhora presidente da Assembleia da República porque, se tivesse um pingo de bom senso, lembrar-se-ia que este ano se comemora uma data redonda, 40 anos, sobre o 25 de Abril de 1974, pelo que seria totalmente admissível que abrisse uma excepção e que, para além dos parlamentares, fosse dada voz aos militares que abriram caminho para que esta Assembleia da República existisse.
O problema é da senhora presidente da Assembleia da República porque, se fosse minimamente agradecida, lembrar-se que a reforma que aufere por ter sido juíz do Tribunal Constitucional só é possível porque os militares que não quer ouvir abriram caminho para que tal fosse possível.
Pensando melhor, contudo, talvez o problema não seja da senhora presidente da Assembleia da República. Talvez o problema seja do país que tem como segunda figura do Estado a dra. Assunção Esteves, que já demonstrou por várias vezes não ter um pingo de bom senso. E seguramente que essa tem de ser uma das qualidades exigidas para se ser a segunda figura do Estado português." fonte

"Brincar aos riquinhos para brincar aos pobrezinhos
Segundo uma peça da Sábado, a Presidenta (Assunção Esteves) tem aquela obsessão típica pelo luxo. Ele é roupa de alta-costura, ele é carteiras que custam 10% da sua reforma (valor da pensão: 7200 euros por 10 anos de trabalho), ele é um corrupio de assessores que trata como escravos coloniais, ele é gastos sumptuários: assim que chegou à Presidência da Assembleia, Assunção Esteves mudou a casa de banho do seu gabinete para não usar a mesma retrete do antecessor. Que magno problema viu Assunção Esteves no bumbum de Jaime Gama?
Os regimes mudam, mas este Portugal não morre.
A comédia social parece que tem o dom da imortalidade.
Tal como em 1950, ainda temos fidalgos a viver em bolhas sem qualquer contacto com a realidade. E, tal como em 1950, ainda temos fidalgos wannabe que querem à força brincar aos riquinhos para depois brincarem aos pobrezinhos. País giríssimo, sei lá." Henrique Raposo,

Um artigo na revista, Sabado, conta como Assunção Esteves colocou um membro do gabinete a alterar constantemente a sua página na Wikipédia de modo a eliminar dados que ela não gosta que sejam públicos: o casamento com José Lamego, a profissão do pai (alfaiate), o seu envolvimento no atropelamento de uma idosa, em Faro, e o facto de se ter reformado aos 42 anos como juíza do Tribunal Constitucional com uma pensão superior a sete mil euros mensais. Para não falar na obsessão das limpezas: leva lençóis para os hotéis e renovou a casa de banho do seu gabinete para não se sentar na mesma sanita de Jaime Gama... 
O resumo do video... 
O imbecil neologismo não teria qualquer importância se não tivesse sido proferido, no meio de outras imbecilidades, pela segunda figura do Estado Português.
“(...) O meu medo é o do inconseguimento, em muitos planos: o do inconseguimento de não ter possibilidade de fazer no Parlamento as reformas que quero fazer, de as fazer todas, algumas estão no caminho; o inconseguimento de eu estar num centro de decisão fundamental a que possa corresponder uma espécie de nível social frustracional derivado da crise (...). “um não conseguimento ainda mais perverso: o de a Europa se sentir pouco conseguida e de não projectar para o mundo o seu 'soft power sagrado', a sua mística dos direitos, a sua religião civil da dignidade humana. E não conseguirá se não for capaz de agilizar as suas instituições políticas (...)Tenho medo do egoísmo, do egoísmo que nos deixa de certo modo castrados em termos pessoais e nos deixa castrados em termos colectivos.”.                                          
Pobre país que tem criaturas desta à frente dos seus destinos.


15 comentários :

  1. A prova de que temos um regime consolidado emaduro é que os expoentes eleitos pelo "pouco povo" que vota é ainda mais ridiculo que no tempo do Salazar. Agora com a conivencia dos cidadãos que levam bem a peito o seu gosto por futebol e telenovelas ( e talvez fatimas). Claro que sentem-se até legitimados quando ouvem os defensores que a abstenção é uma forma valida de expressão democratica. Brilhantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo que não o seja deveria ser, porque o voto é a voz do povo e o povo é que deveria decidir o que significa o voto. E se não temos voz devemos lutar para que a tenhamos, e não alinhar neste silencio que nos sufoca e rouba. Ou alguém concorda que o povo não se consiga defender dos corruptos que nos roubam? Além do mais é uma pena que as pessoas não percebam que a abstenção a que se anda a apelar para as legislativas, seja uma abstenção massiva em forma de manifestação e revolução e a falta de adesão do povo ás causas do povo é que é grave, pois é por essa razão que continuamos a fingir que vivemos em democracia e que o voto muda alguma coisa.

      Eliminar
    2. Sra. Zita Paiva, estou maravilhado como é que ainda existem pessoas como a senhora. De uma verdade e capacidade argumentativa para o correcto, o justo, o bem de todos, que não se afasta de uma linha sucessiva de comentários magníficos. Digo isto com todo o respeito que tenho por pessoas que lutam contra a corrupção, a difamação de quem é honesto, o roubo descarado que se faz em altos cargos públicos e privados sempre lesando o erário público, no fundo o povo português (que é o que nos interessa). Não deixe jamais de ser assim, tenha orgulho da pessoa que demonstra ser e que luta pelos meios que possui para mudar um pouco as mentalidades pouco elucidativas que temos no nosso país. Era importante existir mais canais de informação isentos e idóneos, sem compadrios partidários e com privados que não se importam com o mal de 10 Milhões, desde que cerca de 500 mil estejam bem na vida a roubar a sua própria nação. Gostaria de deixar aqui apenas uma pergunta...talvez retórica, de como é possível em pleno séc.XXI existir uma lei que iliba políticos e juízes de responsabilidade dos seus actos que possam lesar o estado. Como é possível? Não faz sentido e não entendo como não há ninguém que não veja nisto uma lacuna gravíssima da nossa pobre Democracia.
      Pessoas como a senhora e o Sr.Dr.Marinho e Pinto (bem como outras que sabemos quem são e o que defendem) são imprescindíveis num actual Mundo em que vivemos. Pena é que não são as suficientes para que tudo isto mude de um momento para o outro. Mas certamente seriam o suficiente para um governo patriótico, honesto e a salvação de um povo que não merece os governantes que tem desde à 40 anos.

      Um bem haja e continuarei a acompanhar os seus comentários.

      Eliminar
    3. Obrigada pelas suas preciosas palavras de altruísmo e encorajamento.
      Pois a sua questão seria o suficiente para os 10 milhões de portugueses que somos, percebermos que não vivemos numa democracia nem num estado de direito, pois a base das democracias são a justiça. Se ela não existe, se ela não é justa, como poderemos ter uma democracia?

      O problema é que dos 10 milhões de portugueses que somos talvez apenas 2 milhões saibam dessa lei, e desses 2 milhões, talvez apenas metade tenha a capacidade de perceber o que essa lei representa e o que significa. E talvez apenas um punhado de pessoas seja capaz de colocar a questão que o David aqui colocou.... questionar, interrogar-se exercer o espírito critico e de cidadania..
      E como essa lei que refere, que nos deveria fazer pensar, questionar, revoltar ou indignar temos tantas outras como por exemplo, a liberdade dos deputados poderem fazer e aprovar leis. Uma maravilha e um exemplo de isenção. Os deputados é que decidem quais as petições que possuem "interesse".... etc etc basta ler a constituição para percebermos o embuste.
      Artigo 285.º - 1. A iniciativa da revisão compete aos Deputados.
      Artigo 286.º - 1. As alterações da Constituição são aprovadas por maioria de dois terços dos Deputados em efectividade de funções.
      Ou seja, o voto popular foi, afastado para sempre, das revisões e das decisões constitucionais, permitindo que 2/3 dos deputados a ajeitem, como entendam conveniente, na defesa dos interesses da classe, maquilhando-os de “interesse nacional”.

      Eliminar
  2. Na Constituição ... são dados como irresponsáveis.

    Não acreditam ?
    *****************************************************

    Artigo 216.º

    Garantias e incompatibilidades
    2. Os juízes não podem ser responsabilizados pelas suas decisões, ...
    *****************************************************
    Está tudo dito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. SÃO ATRASADOS.

      Eliminar
    2. Assunçao esteves e Vitorino do PS, como deputados, tiveram uma participaçao entisiasmada na aprovaçoa da lei dos juizes, que lhes permite reformarem com 10 anso de serviço aos 40 anos de idade.

      20 dias depois, vitorino e assunção , estes deputados, tomam posse como juizes do tribunal constitucional, precisamente a 2 de Agosto. Ò povo, JÀ FOSTE !!!!

      CORRUPÇÃO PURA E DURA!

      Só ainda não consegui enetender bem como é que uma atrasada mental chega aos cargos que chega.

      E porque é que uma lei votada por eles próprios não é inconstituicional,

      não é crime,

      não é nada.O país do nada.

      Eliminar
  3. Matos Gomes, um capitão do 25 de Abril:

    "Ir à Assembleia comemorar o quê, 40 anos depois?

    Ter um fóssil como presidente da República; Uma tonta como presidente da Assembleia da República; Um barítono amador como presidente do governo da República; Um lusito da Mocidade Portuguesa como presidente da Comissão Europeia; Uma senhora do Movimento Nacional Feminino como presidente da caridade e das sopas dos pobres; Um soba movido a cachaça como presidente do governo da Madeira; Um homem invisível como presidente do BPN, a maior cloaca financeira da Europa; Um relojoeiro adamado como presidente da comissão de restauração da independência contra a troika; Um cervejeiro como presidente da televisão pública; Um funcionário do BES como presidente da comissão dos negócios do Estado; Um compère de revista de cabaret manhoso como presidente da Cultura?"

    Não obrigado!

    ResponderEliminar
  4. Assunção esteves, é uma prostituta de luxo, não foi lá colocada pelos portugueses, mas por alguem, e sabem porque é que a colocou lá? A maçonaria feminina, maçonaria essa que toma conta dos cargos publicos todos,
    neste momento o estado portugues é uma associaçao de criminosos , dementes e alguns doutores retardados, doutoramento nao é sinonimo de inteligencia ou sequer competencia, para os escassos persoangens que os realmente possuem como o reconhecido ministro das finaças louco, todos sabem de qeu eu falo, a quem o FMI retribui com um cargo de ouro, pelo que fez, e por dizer mal da economia portuguesa no exterior, ha videos a mostrar os seus discursos em inglês. O que nao é o caso da assunçao, pois essa senhora, esquece-se das coisas mais simples devido a transtornos mentais, mas nao se esquece de ir ao cabeleireiro e ás roupas.

    O que ela ganha é um insulto aos cidadaos que continuam feito burros, atras da fatura da sorte: Como sao tao miseráveis..

    Portugal não em futuro.

    ResponderEliminar
  5. Acho bem a paridade no acesso a cargos públicos, mas não a qualquer custo. Por isso é pena que a 1ª mulher presidente da AR fique na história pelas piores razões. A "sonsinha" Esteves é um tremendo erro de "casting"! Basta lembrar todas as verborreias da "inconseguida". Se a "sonsinha" pensa que alguma vez será PR, engana-se. É que esse cargo não é de nomeação mas sim de eleição directa. E ela nunca foi eleita para nada. Mas sempre se foi safando, como muitos, a ponto de aos 42 anos estar devidamente reformada com mais de 7.000 € por mês, após cumprir 10 anos de "trabalho árduo" como juíza (politica) do Tribunal Constitucional. Foi sempre uma "girl" e representa o expoente máximo da mediocridade na classe política.

    ResponderEliminar
  6. Esta senhora ou mete-.se nas drogas ou tem problemas mentais.

    Que raio é o " SOFTPOWER SAGRADO",??????

    Não consigo entender, alguem em portugal sabe?? talvez um psicolog justifique.
    Por favor tirem-me esta merda ambulante da frente, não aguento mais, e a saber que os nosso impostos dao de comer a uma merda destas, jasus.

    Se tivesses a lavar pratos, nao a criticava, mas como é uma corrupta, parasita demente, chico esperta parva, vigarista, impostora, levas o recado e olha-te ao espelho.



    ResponderEliminar
  7. O problema dessa coisa é que nem os castrados a querem.
    Vive sózinha, alucinada, esosterica, existerica, com a manimba fora do berço, palrrando assunçoes de desvaneios exto inteletuais de cargos que a ofuscam numa relaidade autentica de loucura permanente.
    tomaaa!!!! eu tambem sei, vês?

    QUEM TE DEU TACHOS DEVIA SER FUZILADO!


    VEREDICTO: INCAPAZ!!

    ResponderEliminar
  8. A maçonaria matou o rei para acabar com os fidalgos e seus tiques e saltar para o poder em plena liberdade destrutiva, resultado,
    agora temos coisas muito piores e em muito maior quantidade..

    VEREDICTO: LIXO

    ResponderEliminar
  9. A Assunção Esteves é um balão (ou outra coisa qualquer!) cheio de ar e vento. Não sabe ser, só parecer.
    Tem escultoras da palavra para parecer o que não, como o Santana Lopes. Só que este não se envergonhava do pai alfaiate nem de ter estado casado com o Lamego.
    O pai dela já morreu. Morreu a sua maior vergonha. Ela devia era envergonhar-se dela,
    de como ganha a vida e de como tortura a língua portuguesa. Assunção Esteves(AE) é tenente ou generala do bando de sábios que parturiram o aborto inortográfico. Como não tem ideias, faz discursosa torcer e retorcer as palavras. Teme o inconseguimento, que virá por mor dos indoutos, que é a populaça, Frustracional, castrador ... A AE é um absurdo. Não fala para comunicar, mas para ocultar que o pai era "taylor" (my taylor is not rich), que se besuntou com tudo o que são roubos legais, em reformas, modas e aparências.Na assembleia dos ingluviosos, os tais politiqueiros que dizem "hadem", "interviu" em vez de interveio, "haviam" muitos impropérios bolçados pelo povo inditoso...Se quer parecer princesa , que case com um príncipe, e não com os Lamegos inobres. Ao ver estes inidóneos a tudo sugar,coitado do Sá Carneiro. Não só o querem bem inumado, mas o declaram inexistenciado. Não sei se nestas inférias de biquini anda a cativar algum outro Lamego, ou alfaiate.Demita-se, AE, e vá para Itália aprender costura, ou para a utopia expiar as inverdades da sua adolescência perpétua.

    ResponderEliminar