08 fevereiro, 2013

Observatórios, o estado paralelo duplicador de despesas e de boys.


Observatórios - As prateleiras douradas para arrumar boys sem uso


Resumo do video...
O estado paralelo com milhares de organismos, meros albergues de milhares de boys duplicando tarefas, e sugando milhões de impostos para pagarem o mesmo serviço.

Bagão Felix, comenta o video, em diversos momentos e define assim os observatório. - Quando não se quer resolver um problema ou quando se quer baralhar um problema o melhor é criar uma instituição deste tipo, anfíbia, ambígua, indirecta e sem responsabilidade .

Existem 13.740 organismos a movimentar dinheiro público. Os Observatórios, ninguém sabe para que servem, quantos são e quanto nos custam.
O video conta alguns casos ridículos de puro parasitismo e despesismo.
Observatório da actividade física, um exemplo de despesismo. Foi criado em 2006, para fazer um estudo, recebeu mais de 300 mil euros, neste momento está ao abandono, sem serviço, sem utilidade e até o site está desactualizado.Bagão Felix reconhece que os observatórios são prateleiras DOURADAS PARA ACOLHER dirigentes que são indesejáveis nos lugares que estão a ocupar na administração do estado.
Ou seja, serve para acolher boys que estão a estorvar, mas que precisam de novos tachos. Há que criar vagas para todos.
Acrescenta que criar um observatório ajuda os boys a alimentar e a criar currículo e é bonito...  acrescenta glamour, liderar um observatório inútil e parasita é muito mais majestoso e chic que liderar um tasco falido, ou estar no desemprego..  por exemplo...

Muitos dos relatórios produzidos não servem para nada e raramente servem para apoiar as decisões políticas.
Relata-se ainda o exemplo de um estudo que incluiu 10 investigadores durante 3 anos. Foi iniciado em 2007 e apenas publicado em 2012, portanto desactualizado. A Repórter questionou os investigadores sobre se a investigação serviu para alguma função, a resposta foi clara, não sabem. Nem os políticos responsáveis sabem para que serve a grandiosa investigação, desactualizada.
Os estudos produzidos pelos Observatórios demoram tanto tempo a serem concluídos que os decisores políticos já foram substituídos e as conclusões ficam desactualizadas. Nenhum dos investigadores sabe para que serviu ou serve o estudo que fez... interessante não é? Já que recebem 150 mil euros por ano, dos nossos impostos.
Perante as afirmações de alguns presidentes de observatórios que garantem que não recebem nada, Bagão Felix mais uma vez esclarece, que acabam por custar dinheiro pois geralmente estão a trabalhar em outros empregos do estado a que faltam regularmente e onde deixam assistentes, acabando por gerar mais despesa... e depois há sempre as senhas de presença, as ajudas de custos, etc
O caos reina no submundo dos observatórios, nos vários contactos telefónicos da reportagem, na tentativa de falar com alguém de determinado observatório, o caos foi evidente - ou não sabiam o que era, ou afirmavam que a sala está vazia há meses sem ninguém lá a trabalhar, ou passavam chamadas para vários departamentos, sem saber onde estava o observatório... foi difícil encontrar observatórios, empregados de observatórios, serviço realizado pelos observatórios, funções concretas dos observatórios, responsabilidade dos observatórios e utilidade dos observatórios.

Outra situação gritante evidenciada nesta reportagem, é que muitos observatórios se limitam a ir ao site do INE buscar dados e publica-los no seu site. E está ganho o dia.
Entretanto o Instituto Nacional de Estatística, custa aos portugueses 30 milhões de euros por ano. Aos quais devemos somar, sendo assim, os milhões que pagamos aos observatórios para publicarem em sites o que o INE disponibiliza no seu site, é uma despesa astronómica, por um serviço que só pode ser brincadeira de quem não tem o mínimo respeito pelos contribuintes...

Bagão Felix critica a duplicação e sobreposição de informação, que acaba por obrigar a mais trabalho e despesa para apurar qual está correcta...
Exemplo... Qual a diferença entre o observatório da língua portuguesa e o instituto Camões?
O Instituto Camões recebe 30 milhões de euros e tem como função promover a língua portuguesa, tal como o observatório. Que bom...
Como diz Bagão Felix, acabam por se atropelar e confundir mas não há problema, porque aos observatórios ninguém pede responsabilidades.
O ministério da educação é onde existem mais organismos a fazer o mesmo, é o ministério que mais organismos apoia directa e indirectamente.
Um exemplo caricato: o Observatório do QREN tem um quadro de pessoal de 24 pessoas. Na prática, limita-se a coordenar a encomenda de estudos a consultoras externas; e custa um milhão e meio de euros. Por lei está proibido de observar, apenas pode coordenar.
Observatório das obras Públicas outro que reconhece que não observa nada...


O observatório dos mercados agrícolas, criado por lei e na lei, ao qual foi bloqueado o acesso aos dados necessários para realizar o seu trabalho, por estar a incomodar gente graúda, quando em 2007 começou a denunciar as grandes superfícies.
Apresentaram queixa à Assembleia da república, pois foi quem criou o observatório, em 2011 a AR deu razão ao observatório, mas até agora ainda continuam sem acesso aos dados. E sem poder observar nada.
Para Bagão Felix, deveria começar por se arrumar a casa e extinguir tudo que seja inútil e despesista.
Outrora, fora do poleiro, o nosso ilustre Ministro da economia levou a cabo um estudo onde concluía que se podiam poupar muitos milhões com cortes, neste tipo de organismos.


13 comentários :

  1. A ausência de um modelo explícito de estado, permite a cada governo brincar com as entidades existentes: renomeia, remodela, extingue e cria.
    Não recordo um só governo que, logo após a tomade de posse, não dê outro nome, junte ou separe ministérios ou secretarias de estado.

    Esta confusão tem dois objectivos principais:
    -Dar ideia, aos parvos dos eleitores que as "coisas vão funcionar melhor".
    -No meio da confusão, colocar os seus coregelionários de partido, cumprindo acordos internos feitos nos árduos tempos de oposição.

    O (des)governo do país é, invariavelmente, entregue a gente muito pouco preparada, na sua maioria deformada pela intriga dos aparelhos partidários, com parcos recursos académicos, carreira profissional de favor e cheia de vontade de aproveitar, a rara oportunidade que lhe é oferecida de mão-beijada, em proveito próprio.

    Desculpem se desnudo tão brutalmente a realidade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É essa mesma a ideia deste blog desnudar brutalmente a realidade!
      Paninhos quentes e medo de chamar os bois pelos nomes, é coisa da imprensa nacional.
      Se bem que agora, finalmente... estão a acordar um pouco para a vida e para a realidade.

      Eliminar
    2. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK
      http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
  2. Afinal que critérios exigem os cidadãos a quem os governa?

    - Imagem fisíca distinta?
    - Excelência no malabarismo retórico?
    - Fantástico sonhador do futuro?
    - Óbvio justiceiro de irregularidades actuais?

    Pessoalmente, apenas pretendo uma sólida experiência profissional e muito, muito, bom-senso!

    Miúdos bonitos, bem-falantes, com promessas irreais primeiro e impotentes perante as realidades depois, estou farto!!!

    Pena que Bagão Félix, Paulo Morais. Medina Carreira ou outros que inspiram distanciamento desta triste realidade, alguma qualidade pessoal e bastante bom-senso, não queiram sair das respectivas zonas de conforto...


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem em Portugal algumas personalidades que se nota que são diferentes do resto da matilha.
      O problema é que a grande maioria são ladrões sem escrúpulos e como são a maioria, são eles que definem o ecossistema corrupto até á medula.
      É como um garoto bem comportado na escola, que se juntar a uma turma de rufias acaba também ele por começar a fazer merda. Mas noutra turma seria um aluno exemplar.
      Há por ai gente capaz e com carácter para governar razoavelmente melhor.
      Falta é por fora de combate as forças nefastas. E por fora de combate é mesmo prendê-los por 30 anos.
      Depois disso é necessário um sistema politico menos permissivo a que reapareçam essas forças malignas.
      Menos democrático, mas a democracia que subsistir seja mesmo verdadeira e tenha um propósito bem definido e que os cidadãos confiem.Um sistema de incompatibilidades bem rígido.
      Evitar ao máximo que gente do mundo dos grandes negócios entre na politica. Um sistema de admissão a cargos políticos ou de administração publica com base em mérito e não em amizades. Enfim.....

      Eliminar
    2. Subscrevo integralmente, e acrescento mais, duvido que para lá chegar nao tenha de haver violência seria. Nao podemos esperar da justiça grande coisa, pois são parte do problema.

      Eliminar

  3. Bem, é pá, também não podemos ser tão injustos.
    Alguns políticos até são bem criativos. Sempre prontos a "criar".....

    Ora vejam a criatividade deste monhé:

    http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=67846


    ResponderEliminar
  4. Não votem mais neles, pensem... - Não votem mais neles, em quem? Só se for no PS, PSD e CDS, pois os outros nunca lá estiveram e merecem que se lhes dê o benefício da dúvida. Isso não acontece porque se criou um preconceito contra a esquerda, vindo exactamente dos mesmos que têm (des)governado Portugal. A incitação deste Blog vai exactamente nesse sentido: Pôr tudo no mesmo cesto e que ajuda a criar esses preconceitos. Aliás que alternativa é essa de não votar? Basta votar um ladrão que seja para conseguir um governo desse partido. Votem sem medo nos partidos fora do arco governativo e, de certeza, verão o "lixo" a ser varrido de Portugal. Se estes novos governates fizerem asneira, são varridos, eles próprios, definitivamente da cena política. Logo estes partidos têm toda a necessidade de mostrar aquilo que valem...

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Os partidos fora do arco governativo fariam um enorme favor ao povo português se dessem um exemplo de sociedade neste mundo que, servindo de modelo, a nossa pudesse apontar objectivos e, já agora, com que recursos o faria.

      Obrigado.

      Eliminar
  5. CADA VEZ MAIS SE APROXIMA A HORA DE EFECTUAR A COBRANÇA PELO POVO ÁQUELES QUE NOS COLOCARAM NESTA SITUAÇÃO, (TODA A CORJA DE POLITICOS E ADMINISTADORES VIGARISTAS E CORRUPTOS) TERÃO QUE SER RESPONSABILIZADOS E COMO A JUSTIÇA NÃO VAI FUNCIONAR, A LISTA DOS VERDADEIROS CULPADOS VAI GANHANDO FORMA E A COBRANÇA VAI COMEÇAR, ESTEJAM ELES ONDE ESTIVEREM...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Após um golpe de estado de carácter Nacional Revolucionário, o processo jurídico aos gatunos que tem conspurcado e emporcalhado este belo país, teria de ser politico e não judicial.
      Teria de ser um mega-processo. Onde gente da banca, dos aparelhos partidários, escritórios de advogados, monopolistas tipo Sonae e Jerónimo Martins, Agentes dos média, tralha autárquica etc iriam todos a um mega-julgamento. Embora á partida esse julgamento fosse apenas para o povo ver. Porque na realidade todos seriam condenados a prisão efectiva de 30~40 anos. E todos os que ficaram cá foram sem qualquer acusação mas ligados a essa gente teriam de ser esterlizados, de forma a não procriarem mais.

      Só depois de uma vassourado épica é que se pode falar em modelos alternativos. Se queremos democracia, se queremos algo mais arrojado tipo um fascismo ou um Nacional Socialismo etc.
      Mas Monarquias, Capitalismos ou Marxismos é que não devemos aceitar.Digo eu.


      Eliminar
  6. Caro Pedro:

    A fonte de toda a corrupção é o fluido financeiro.
    Este é massivamente detido pelos "Donos de Portugal" :
    http://www.youtube.com/watch?v=ojR5JT1YM2I

    Quando, por volta de 1992, Cavaco Silva primeiro-ministro, faz uma lei permitindo que os altos cargos da administração pública possam ser ocupados, por outros que não funcionários públicos, escancarou aos interesses privados a protecção do interesse público.

    A acção governativa fundamental foi colocada ao serviço de vários interesses privados.

    Cavaco abriu a porta do galinheiro às raposas. E ela continua aberta... Tal como aos ladrões do BPN...


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, mas se não fosse o Acabado Silva a fazer isso, seria o Soares, ou o Guterres, ou o Santana ou outro molusco qualquer.
      Corruptos até a medula, lambe-botas só pode dar nisto. Acusar o Cavaco ou este partido ou aquele apenas nos remete para o rebanho que eles gostam. O seja, dividir as pessoas entre "Esquerda/Direita". E na realidade funciona.
      Se quiserem provar o que eu digo vão ao blog "http://portadaloja.blogspot.pt/" e a sério há uma enormidade de energumeos que estão a idolatrar o Fernando Ulrich.

      Mais concretamente no artigo -> http://portadaloja.blogspot.pt/2013/02/ulrich-parte-louca.html

      Vejam e espantem-se.
      É verdade, em Portugal há gente que idolatra Banqueiros.

      Eu também detesto a esquerda do Marxismo Cultural, mas adorar banqueiros? Jamé!!!!

      O Verdadeiro fascismo era anti-Banca, anti-Usura, anti-capitalismo. Mas esse nome foi abandalhado pelos que ficaram no poleiro hoje em dia.
      E usam qualquer terminologia para denegrir tudo o que ponha em causa este Estado Policial globalista.
      Por exemplo sobre os OGM's assistimos a todo o tipo de censura mediática. Vários organismos já provaram que são nocivos, mas quem ouse falar mal da Monsanto é Fascista e anti-democrático. Porque eles facilmente aparecem na TV a elogiar o protejo ultra-Satânico da Monsanto, vomitando as banalidades do costume. Queremos matar a fome no mundo etc, mas...

      A fome no mundo.... Deixa-me rir....

      http://4.bp.blogspot.com/-qZ3kQu3WCGo/URQV5HaXMyI/AAAAAAAAL_s/mfiosX6KINA/s640/481954_336671363108096_1786264934_n.jpg

      Observem o que é a fome.

      A Fome é um mero instrumento psicológico fiável para a elite.
      A Elite que provoca a fome, usa-a para incriminar outros que nada tem a ver com a fome, de serem culpados pela fome.
      Quem paga sempre tudo?????

      Quem é?Quem é o responsável pela fome?

      Não são os pobres da esquerda!!!


      Quem paga toda a despesa mundial e nacional, e quem é culpado pela fome e pelos pobres é a classe média..
      A Única que produz e faz o mundo mover. E
      é sobre esta que a Burguesia Gorda mais carrega. É esta que tem de Revoltar-se.




      Eliminar