TAP BURACO SEM FUNDO E SEM FUTURO. CORRUPÇÃO, BOYS E LUVAS NÃO DEIXAM PRIVATIZAR! TAP E IMPOSTOS REFÉNS DA CORRUPÇÃO

apodrecetuga, luvas na TAP, corrupção tap, lacerda machado
NO VIDEO EM BAIXO, GOMES FERREIRA REVELA A VERDADE SOBRE A TAP... QUE CAI QUE NEM BOMBA E OS CONVIDADOS FICAM SEM PALAVRAS. AS LUVAS DA COMPRA DOS AVIÕES DA TAP, SÃO A RAZÃO PORQUE NÃO SE DEIXA CAIR A TAP.
SEM PAPAS NA LÍNGUA DENUNCIA porque é que a TAP vai continuar no controle do estado mesmo que isso seja inviável, insustentável, lesivo do país, lesivo do interesse dos funcionários, lesivo dos contribuintes... E LESIVO DA PRÓPRIA TAP!!! Porque há algo que é mais importante que tudo isso, a compra de aviões da TAP, é uma mina de ouro que através das luvas, transfere muitos milhões para o PS e outros partidos envolvidos em negócios TAP.

NO FINAL DO VIDEO, os convidados do programa, explicam ainda que a TAP é a única companhia aérea de bandeira a voar sem alianças e sem parcerias, pendurada no estado. 
Todas as grandes companhias de aviação mundial, perceberam que para serem competitivas, tiveram que fazer o desmame do estado, e para sobreviverem tiveram que se aliar a outras.
A TAP continua no estado. TUDO ISTO MOSTRA CLARAMENTE QUE ESTAMOS NO CAMINHO ERRADO, POIS ESTAMOS ISOLADOS, e nada justifica o autismo do governo em marchar sozinho, na direcção oposta de todos os outros, e por isso se torna óbvio que a revelação de Gomes Ferreira, seja o que justifica esta insanidade lesiva de todos os interesses, menos dos partidos.
MAIS NENHUMA COMPANHIA ESTÁ A SEGUIR ESTE CAMINHO DA TAP, somos dos países mais corruptos da Europa e essa é a explicação, não é porque somos os mais competentes nem os mais originais... estamos a marchar sozinhos porque os políticos não querem abdicar das luvas de compras TAP. Nem deixar a nu o que se passa dentro da TAP? 


 

 Para além de ser um instrumento de corrupção a TAP é também um luxuoso e requintado albergue de BOYS ... onde iriam eles, os partidos do poder, colocar os amiguinhos que gostam de brincar a gestores competentes? Com o dinheiro dos outros? Quem é que contratava estes boys a peso de ouro que só dão prejuízo e geram falências??? Claro que o PS e afins, precisam de ter estas empresas para meter estes "boizinhos" corruptos e /ou incompetentes.

*****Os Convidados do programa de Gomes Ferreira garantem que o rumo da TAP é suicida e os fundamentos dos governantes são falsos. 
Jorge Paulino Pereira especialista em vias de comunicação e transportes e professor no Instituto Superior Técnico. Garante que a TAP está a seguir o caminho errado, que mais ninguém seguiu. 
Pedro Castro, Consultor em aviação comercial -
"É um erro estratégico abismal decidir subvencionar uma vez mais a TAP e afirmar que essa é a única solução para garantir a conectividade e o emprego na aviação, hotelaria e turismo no país. É mentira!"
apodrecetuga, luvas na TAP, corrupção tap, lacerda machado

Filipe Charters de Azevedo economista e estatístico;
Nem o Governo acredita na TAP
O próprio governo não acredita no regresso do dinheiro colocado na TAP. Os 1200 milhões que se colocaram na TAP em 2020 ficaram registados nas contas nacionais como custo e não como um empréstimo.
Em 2020 o governo português "emprestou" 1200 milhões à TAP. Porém, aquando do Orçamento Suplementar, o governo indicou que esse dinheiro é uma despesa e que temos de o pagar - e pagar já.
Os detalhes interessam, pelo que peço a paciência do leitor neste parágrafo para compreender como foi feita a operação: Se o governo colocasse dinheiro na TAP e esperasse recuperá-lo, ou se esse investimento valesse alguma coisa, estávamos a trocar um ativo por outro: estávamos a trocar "dinheiro" por algo com valor financeiro - não havia perda valor. E do ponto de vista das contas nacionais, os 1200 milhões não iriam ao défice, mas apenas à dívida. Porém, o ministro das Finanças indicou que o valor colocado na transportadora aérea está na rubrica D9 da contabilidade nacional, um valor que fica registado como despesa, que afeta o défice. Note-se que, no passado, diferentes governos compraram guerras interpretativas com Bruxelas sobre o que era considerado dotação de capital ou o que era considerado despesa. Desta vez, para a TAP, não há qualquer dúvida.

A principal conclusão desta aparente minudência contabilística é que, na prática, o governo não acredita na transportadora aérea nacional. Ao contrário do que se afirma, a TAP é considerada como "buraco financeiro" - um desvio financeiro que tem de ser pago com um apoio sem contrapartida.
A segunda conclusão é mesmo o montante. Perdemos mesmo 1 200 000 000 euros (os zeros estão certos). Este dinheiro já foi, não voltará. No melhor dos cenários, em contabilidade nacional, esta despesa foi um apoio ao investimento sem  contrapartida.
A vontade de que a TAP seja "nossa" já nos custou 1,2 mil milhões de euros em 2020. E nem mesmo o governo acredita na sua viabilidade. Quanto mais é que temos de pagar para satisfazer a ideologia de alguns?
A terceira conclusão é que não há dúvidas sobre o que se fez ao dinheiro da TAP. Por que motivo há um discurso público contrário ao registado nas contas do país é algo que não consigo compreender. A transparência e a honestidade no discurso público não deviam ser uma questão de cor política
A vontade de que a TAP seja "nossa" já nos custou 1,2 mil milhões de euros em 2020. E nem mesmo o governo acredita na sua viabilidade. Quanto mais é que temos de pagar para satisfazer a ideologia de alguns?

 José Furtado.
 1. Não é com a debilitada TAP que Lisboa conseguirá capturar a procura de 65 milhões de passageiros aéreos.
A TAP no seu auge transportou dezassete milhões de passageiros, dos quais quinze em Lisboa. Agora, a capacidade da TAP terá de contrair à volta de 25%, num adverso contexto da saída do sócio estratégico (JetBlue) e da renacionalização (limitação de futuros investimentos pelas leis da concorrência EU).

Ora, em Lisboa, mesmo com otimismo da TAP em apenas baixar de quinze para doze milhões/estacionar dez anos neste patamar (até 2030) e começar a crescer a uma taxa anual de 2%, só no longínquo ano de 2042 a TAP voltaria a transportar em Lisboa quinze milhões.
Quem transportará os 45-50 milhões de passageiros além do provável limite TAP, as companhias legacy com hub próprio ou as budget com polarizados núcleos? No ano 2018 (fonte IATA), a primeira transportadora em passageiros internacionais foi a Ryanair com 137 milhões, secundada por EasyJet com 80 milhões, ficando-se Lufthansa por 51 milhões.
Ainda há poucos dias se soube que a Ryanair, aproveitando a baixa de preços dos construtores de aeronaves, acordou a compra de mais setenta e cinco Boeing 737 MAX, subindo o total da sua encomenda para mais de duzentas aeronaves, a serem entregues na totalidade até Dezembro de 2024. É sabido que o crescimento de Lisboa se concentrará nos voos europeus (mais de 80% do total) para o segmento estadias de curta-duração, o reinado das budget, não havendo dúvidas que será com elas que a maioria da procura será satisfeita.

-Não se protege o interesse nacional
-Não se protege o interesse da empresa
-Não se protege o interesse dos passageiros,
Reconhecem que a TAP está já caótica, vulnerável a mãos criminosas ou/e incompetentes, apesar de não ter sido ainda privatizada.
O problema da TAP não é vir a ser privatizada, é estar num país onde a corrupção e a má gestão é premiada e protegida.

Os responsáveis pela má gestão ou gestão danosa, não são responsabilizados escapam sempre impunes e até são premiados. O ideal seria penalizar os responsáveis pelos negócios ruinosos da TAP, e substitui-los, mas como se pode constatar, ninguém fala sequer em responsáveis ou responsabilidade pelas compras danosas da TAP. 

Também o CEO da Ryanair, alerta os portugueses sobre o que se está a fazer na TAP, nada de novo é apenas o habitual a enganar, a mentir e a roubar os portugueses, ao mesmo tempo que entram em ilegalidades internacionais; 
"Contribuintes portugueses nunca vão receber o dinheiro de volta"
O presidente executivo (CEO) da Ryanair, Eddie Wilson, disse hoje que os contribuintes portugueses nunca vão receber de volta o dinheiro da ajuda estatal à TAP e que acredita que a companhia 'low cost' vai ganhar a contestação ao apoio. ...
"Portugal é quem mais vai perder com isso [o apoio estatal à TAP]. [...] Os contribuintes portugueses nunca vão receber o dinheiro de volta. É como dar um doce a uma criança, eles voltam sempre para mais", defendeu Eddie Wilson, em conferência de imprensa, acrescentando que esta decisão vai "voltar para assombrar" os políticos que a tomaram.
Para o responsável da companhia aérea de baixo custo ('low cost'), ajudar as companhias aéreas de bandeira "é uma má ideia" e é discriminatório para com as restantes. Na sua ótica, os governos não devem estar envolvidos nas companhias aéreas, porque, "geralmente, o que acontece é que elas se tornam mais ineficientes".
A Ryanair apresentou uma queixa no Tribunal Geral da União Europeia contra a ajuda estatal aprovada à TAP, argumentando que esta decisão viola regras concorrenciais e de funcionamento do mercado interno, e Eddie Wilson disse estar confiante de que vão "ganhar".
O objetivo da Ryanair é que seja anulada a decisão de 10 de junho, quando o executivo comunitário deu 'luz verde' a um auxílio de emergência português à TAP Comissão Europeia rejeitou as acusações da companhia 'low cost', considerando-as sem fundamento. 
Relativamente ao "chumbo" da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) à construção de um novo aeroporto no Montijo, Eddie Wilson considerou que esta "indecisão vai provocar danos enormes na economia portuguesa".

Video de Gomes Ferreira, mais completo, onde se expõem os falsos argumentos sobre a TAP e o porquê de se querer manter a mentira e o buraco TAP.




E isso é pago a peso de ouro. Lacerda Machado o melhor amigo de Costa, garantia que privatizar a TAP era um grande negócio de lucros e vantagens. 

Ao semanário Novo Diogo Lacerda Machado confirmou que sim, que é mesmo consultor de uma empresa que vai investir 3,5 mil milhões em Sines e que já andava a ter contactos com membros do Governo sobre o tema enquanto ainda administrava a TAP como representante do Estado. 
É espantosa a facilidade com que se assume à descarada este tipo de promiscuidade. 
Bem podem inventar novos crimes, novas estratégias e novos pacotes. 
Enquanto um primeiro-ministro achar que o seu melhor amigo pode trabalhar para o Estado de manhã, fechar negócios privados à tarde e ir jantar lá a casa à noite, nunca passaremos do simulacro de uma democracia desenvolvida.”
Lacerda Machado é o “amigo” de António Costa que representa o governo nas negociações com a TAP, ao mesmo tempo é administrador da Geocapital, que tem ligações com o HNA Group, que é accionistas da Azul… que é dona da TAP.
Palavras para quê?!? Em Portugal as “coisas” fazem-se à descarada e não se passa rigorosamente NADA!

Faltam-nos mesmo palavras para descrever este caso.
Porque a pouca vergonha continua, enquanto eles nos dizem que são todos honestos e que é tudo para o bem nacional, a verdade vem sendo o oposto:
Em Portugal, a Geocapital investiu, por exemplo, na Saer Sociedade de Avaliação de Empresas e de Risco, juntamen- te com António Burity da Silva, antigo ministro angolano da Educação. Há 10 anos, a empresa de Stanley Ho foi também parceira da TAP na compra da brasileira VEM, o negócio de engenharia e manutenção da Varig.
Esta compra foi feita, em 2005, pela Reaching Force, empresa detida em 85% pela Geocapital e em 15% pela TAP. Diogo Lacerda Machado torna-se entretanto administrador não executivo da VEM. Por pouco tempo. Em 2007, a Geocapital sai da Reaching Force, vendendo a sua participação à transportadora por 19 milhões de euros. A TAP fica assim única dona da VEM… e da sua enorme dívida. Esta aquisição revelou-se ruinosa para as contas da TAP que, desde 2007, terá perdido mais de 500 milhões de euros com aquela unidade de negócio.
Agora, encontramos Diogo do outro lado da barricada, ou seja, não do lado dos privados mas do público, ao negociar com David Neeleman e Humberto Pedrosa a reversão de uma parte da TAP, de volta para o Estado.


E QUANTO NOS TERÁ CUSTADO ESTE NEGÓCIO QUE NADA NOS TEM TRAZIDO DE BOM???  
Diogo Lacerda Machado, 55 anos, advogado de profissão e gestor de diversas empresas, saltou para a ribalta mediática nacional depois de ter convencido (COM O NOSSO DINHEIRO)  os novos donos da TAP a abdicar da maioria do capital da companhia, para que o Estado pudesse recuperar metade da empresa, privatizada no estertor do Governo de Passos Coelho. 
Parecia uma missão impossível (COM O ESBANJAMENTO DOS NOSSOS IMPOSTOS NADA É IMPOSSÍVEL)  - com uma empresa acabadinha de comprar, por que razão iriam os novos donos devolver parte ao Estado? (Muito dinheiro é uma boa razão???) 
Mas foi isso mesmo que aconteceu, ao longo de 14 reuniões, segundo contou na referida audição parlamentar para a qual foi convocado pelo PSD para explicar o seu papel nas negociações da TAP, e o porquê de aceitar trabalhar de graça. 

Os especialistas portugueses garantem que a TAP vai continuar a dar prejuizo e a lesar os contribuintes, as companhias de todo o mundo não o dizem mas comprovam-no... mas o governo e os que nos enganam no governo, dizem que não, porque querem manter a TAP presa ao estado para ser um veículo de tachos e luvas.

AS MENTIRAS COM QUE ILUDEM O PAÍS PARA justificarem medidas que lesam O INTERESSE NACIONAL E e assim MANTEREM UM ANTRO DE CORRUPÇÃO PROTEGIDO NAS MÃOS DELES

A TAP “vai ganhar sustentadamente dinheiro”, garante Lacerda Machado
Numa altura marcada por falências de companhias aéreas, o administrador
afiança que a TAP tem condições para dar lucro nos próximos anos e que irá
manter a sua maioria de participação nas mãos do Estado. 
Lembrando que "nos últimos 45 anos a TAP só teve dois anos de resultados positivos, e teve 43 anos de perdas", Lacerda Machado enfatizou ainda que "a TAP vem de um tempo, o ano de 2015, em que era uma empresa sem horizonte, em dificuldade" e que o ponto de transformação foi o processo de privatização.
"Foi possível no processo de privatização casar o interesse dos privados com interesse público, o que permitiu à empresa sobreviver e preparar o seu futuro", referiu o administrador da companhia do lado do Estado, enaltecendo o facto de "a TAP ter encontrado um parceiro privado ( David Neeleman) que aceitou ficar com 45% da companhia, em vez de 100%, aceitando também seguir um plano estratégico".
Segundo garante Diogo Lacerda, "o dono do futuro da TAP é o Estado português", e apesar de se viverem tempos turbulentos para a aviação (em dois anos faliram 36 companhias aéreas) a transportadora portuguesa que recebeu 35 novos aviões e esta a expandir a rede de voos, encontra-se bem posicionada para crescer nos próximos anos.
"Hoje os acionistas da TAP têm a possibilidade de escolher o que faz mais sentido para a operação", e ao contrário dos tempos anteriores à privatização - destacou ainda Lacerda Machado. "A TAP têm o tradicional modelo de hub, 77% das suas receitas são geradas fora de Portugal, e mais de metade dos passageiros que transporta não têm origem nem destino em Portugal", referiu o administrador, adiantando que "a TAP hoje já não vai mais a sítios para perder dinheiro, e continuará a apostar numa malha de voos intercontinentais ".

O caso da TAP aponta para um problema central do sistema democrático: a tendência para criar buracos financeiros em empreendimentos com balanço de benefícios e custos altamente negativo.


4 comentários:

  1. PS o Rei da corrupção e da máfia em Portugal! E ainda há quem vote nestes criminosos! Encharca- los todos com gasolina e ainda seria pouco! FDP!!!!!!

    ResponderEliminar

  2. TAP BURACO SEM FUNDO E SEM FUTURO. CORRUPÇÃO, BOYS E LUVAS NÃO DEIXAM PRIVATIZAR! TAP E IMPOSTOS REFÉNS DA CORRUPÇÃO-
    sistema que permite tal, não é democracia é ditadura-prosseguir neste sistema é voltar sempre à CORRUPÇÃO certa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A única forma de acabar com este sistema é tirar do poder os partidos que o mantêm, e isso é votando em partidos novos e com força que consigam tirar de lá estes partidos, ficar em casa sem fazer nada , manterá o sistema mais 50 anos

      Eliminar
  3. https://verdade-rigor-honestidade-diferente.blogspot.com/2021/04/equacao-impossivel-erradicar-corrupcao.html

    ResponderEliminar

Olá caro leitor, obrigada por comentar... sei que apetece insultar os corruptos, mas não é permitido. Já não podemos odiar quem nos apetece... (enfim) Insultem, mas com suavidade.
Incentivos ao ódio, à violência, ao racismo, etc serão apagados, pois o Google não permite.