11 junho, 2015

Para vencer em Portugal basta roubar. Sigam o exemplo de Dias Loureiro, montem um BPN.

Passos Coelho já deixou claro quem é o seu guru, e quais são as ambições dele como politico. O próximo passo de Passos Coelho é montar um banco?
Para ele, o segredo para se vencer na vida é seguir as passadas e o exemplo de Dias Loureiro, e ao que parece, em Portugal resulta, o Ricardo Salgado seguiu-lhe o exemplo e aí está ele, milionário, livre da prisão, livre dos problemas e a gozar com a cara dos cidadãos, cujo dinheiro andou a emprestar a amigos criminosos sem garantias e indignos de confiança, tal como Dias Loureiro.
Neste video, ao ser questionado sobre a sua estranha ingenuidade, que o levou ao ponto de financiar um traficante de armas e negociar com ele, Dias Loureiro responde que nunca tinha percebido que El-Assir era uma pessoa envolvida no tráfico de armas e sem garantias ou indigno de confiança, antes pelo contrário, sentiu-se seguro porque El-Assir convivia com o rei de Espanha e com o presidente Bill Clinton. Foram estas as garantias de um expert na finança? Foi assim que ele avaliou uma pessoa que era traficante de armas e levou o BPN a perder muitos milhões ao comprar uma empresa falida.



"Sabemos, finalmente, o que Passos Coelho quer de Portugal.
Depois de anos em que nos incitou abstractamente a sairmos da zona de conforto, a sermos empreendedores, a não nos queixarmos da má sorte que a vida nos deu por ter calhado vivermos nas grandes depressões e recessões económicas, finalmente indicou um modelo a seguir: Dias Loureiro.
Em Aguiar da Beira, o primeiro-ministro descobriu, escondido entre o público da Queijaria Sabores do Dão, para assistir ao seu discurso, Dias Loureiro. Para quem não sabia de Loureiro desde que ele desapareceu para Cabo Verde enquanto era investigado por causa do BPN, ei-lo ressurgido.
Ressurgido e tornado novo ideal. Passos olhou Loureiro e encontrou um espelho da medida de empreendedorismo que deseja para o país. Dizendo de Loureiro que “conheceu mundo, é um empresário bem-sucedido, viu muitas coisas por este mundo fora e sabe, como algumas pessoas em Portugal sabem também, que se nós queremos vencer na vida, se queremos ter uma economia desenvolvida, pujante, temos de ser exigentes, metódicos”, o primeiro destacou as capacidades
impressionantes do ex-ministro do PSD.

Começando pela mobilidade, é evidente a mobilidade internacional de Dias Loureiro, destacada aquando da sua magnífica fuga para longe de qualquer tribunal português enquanto se julgava o caso BPN, mas também enquanto tratava dos negócios da SLN no exterior, em Porto Rico e em Marrocos. É ainda relevante a sua mobilidade interna, social e económica.
Diz que quando saiu da política “não tinha dinheiro nenhum” e poucos anos mais tarde declarava no IRS anual mais de 200 mil contos (1 milhão de euros). Enquanto Ministro da Administração Interna de Cavaco Silva, mandou carregar sobre os manifestantes no buzinão da Ponte 25 de Abril, que protestavam contra o aumento das portagens para financiar a construção da segunda ponte, também da Lusoponte, de outro empreendedor e ex-ministro do PSD, Ferreira do Amaral. O seu sucessor na Administração Interna foi Jorge Coelho, com quem Loureiro jogava à bola, e que saíria, anos mais tarde, para liderar a Mota-Engil. Novos exemplos de mobilidade.

Dias Loureiro venceu amplamente na vida, saiu de Aguiar da Beira para o mundo, montou um percurso de clareza e transparência, e nem ter sido arguido do maior "roubo" alguma vez feito num banco em Portugal ou ter mentido à Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o BPN podem apagar os seus feitos. Enquanto ministro exigia às secretas relatórios ilegais de líderes políticos e sociais, perseguia sindicalistas e colocava os seus conhecidos em posições-chave. Depois, foi esperar: jogava golfe, conseguia a adjudicação da rede de vigilância do SIS à SLN, dava-se com traficantes de armas, emocionava-se com o "Menino de Oiro" (biografia de Sócrates), e geria SLN e BPN sem saber nada das tropelias que por lá se passavam. Passos Coelho também acha que o modelo de empresa a seguir é o de uma empresa privada que vive à conta de subsídios públicos e que aumenta os preços dos seus serviços enquanto distribuiu milionários lucros pelos accionistas, liderada por um ex-ministro do PSD. Isso foi apenas dois dias antes de Loureiro, quando Passos Coelho disse aquele que é o “exemplo para as outras empresas”: a EDP.
Só há um problema com as recomendações: com 10 milhões de Dias Loureiros a “empreender” e 10 EDPs teríamos de ter vinte vezes o PIB da Noruega para saquear."

Paulo Morais afirma que percebeu que o Sócrates estava aliado à máfia do BPN, quando o viu muito amigo do Dias Loureiro

SIRESP ... uma PPP ruinosa e que nem funciona.


Lista de videos sobre o BPN e o BES, para os empreendedores de Portugal


MAIS CASOS SOBRE DIAS LOUREIRO
  1. Anatomia de um intocável, o protegido de Cavaco e de Sócrates!
  2. SLN continua a lucrar com o Estado a quem deve milhões?
  3. El Assir o amigo traficante de armas de Dias Loureiro, preso na Suiça.
  4. Cavaco Silva garante que não quer ninguém impune em Portugal, e que é muito rigoroso no cumprimento da lei!! (video)
  5. BPN/SLN o buraco negro de Dias Loureiro
  6. PS nacionaliza o BPN, protege o saque e afunda Portugal? (video)
  7. Quem ainda deve dinheiro ao BPN, ou seja a todos nós? (video)
  8. O caso do SIRESP, os amigos e o desfalque
  9. O julgamento incrível de Daniel Sanches
  10. Os boys PS e PSD, que se pretendiam no BPN, para influenciar?
  11. Os incêndios e a empresa de Dias Loureiro
  12. Dias Loureiro vive à grande e impune
  13. Dias Loureiro tenta travar as suspeitas do Banco de Portugal
  14. Oliveira e Costa, agora inimigos? (video)

3 comentários :

  1. Só engole as patranhas deste bandido quem quer. Então o artista dá milhões de euros a um fulano sem saber pormenores da vida do mesmo, só porque convivia com o rei de Espanha e com o Bill Clinton? Isto é que são referências?
    Este povo indigna-se com a transferência dum treinador para o clube rival, mas no que toca a estes bandidos, ladrões e facinoras fica caladinho e de cabeça baixa! Temos o que merecemos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está na hora de todos nos unirmos na luta contra esta ditadura instalada. Não basta reclamar e denunciar, temos que começar a agir e mostrar ás pessoas que votar é a única forma de escorraçar do poder estas elites que nos consomem. Não votar é o que os tem alimentado, pois garante-lhe a impunidade e cada vez estão mais destemidos, por saberem que o povo não sabe usar o voto

      Eliminar
    2. Tem toda a razão, Zita. Mas é preciso que os partidos alternativos mostrem que têm programas válidos. Precisamos de muitos Paulos Morais para correr com esta corja.

      Eliminar