22 fevereiro, 2014

O 25 de Abril deu-nos democracia, e a democracia deu-nos 20 anos de Cavaco Silva

cravos abril liberdade aos corruptos
Ricardo Araújo Pereira explica que Portugal está dominado pelas ramificações mais tenebrosas da "democracia". A democracia não trouxe apenas a "liberdade" dos bons, trouxe também a dos maus. A  "liberdade" deles, que permite termos 20 anos de poder para uma figura como Cavaco Silva. Mas trouxe também a nossa falta de liberdade, para punir e travar a ditadura.
A impotência de nos podermos defender de votos de pessoas "ignorantes" ou manipuladas, enganadas descaradamente pela comunicação social e pelos políticos.
Uma democracia de fachada que retirou ao povo, razões para lutar, pois camuflou a opressão, anulou as ferramentas, para o povo se defender ou ter o poder de fazer valer a sua vontade e os seus direitos.

"O 25 de Abril deu-nos a liberdade e a democracia, e a democracia deu-nos 10 anos de Cavaco Silva como primeiro-ministro e outros 10 como Presidente da República.
Ainda assim, fazendo o balanço, creio que a data merece ser festejada. E, se puder ser festejada com um discurso de Cavaco Silva, melhor.

O actual Presidente da República é o homem que mais tempo liderou um Governo após o 25 de Abril, e por isso, de um certo ponto de vista, é o português que mais beneficiou com a revolução. Que seja ele a fazer o discurso comemorativo é questão de simples justiça.
Desta vez, Cavaco Silva voltou a dispensar o cravo vermelho na lapela, mas engalanou o peito com a via verde e fez um discurso inspirado no cinema clássico português e no moderno YouTube.
O tom era o mesmo que as tias de Vasco Santana adoptam, n' A Canção de Lisboa, depois de o verem passar com distinção no exame de medicina, quando dizem: "Ele até sabe o que é o esternocleidomastóideo!"
Cavaco Silva nutre o mesmo encanto pelo nosso país: Portugal chega a ter cineastas, artistas plásticos e cientistas que são conhecidos lá fora, e tudo. Os portugueses até sabem o que é o esternocleidomastóideo, e as nossas tias estão muito orgulhosas de nós.

Por outro lado, o conteúdo do discurso era decalcado daquele vídeo que uns patriotas briosos colocaram na internet para fazer ver aos finlandeses que deviam contribuir para a ajuda financeira a Portugal.
Tal como os autores do vídeo, Cavaco aludiu aos egrégios cartões pré-pagos para telemóvel e à ínclita via verde.
Como é possível andar para aí tudo cabisbaixo quando se sabe que foi um compatriota nosso que magicou os cartões pré-pagos para telemóvel?
Às vezes um grande estadista limita-se a apontar o óbvio para fazer germinar a esperança no coração do seu povo. Levantai-vos, desempregados! De pé, trabalhadores sem subsídio de férias nem 13.º mês! O inventor dos cartões pré-pagos para telemóvel nasceu mais ou menos na mesma zona que vós! Toca a animar, choramingas.

Talvez por falta de tempo, Cavaco deixou de fora a referência ao facto de os portugueses comerem todo o porco, que também prestigia, e omitiu a ideia, igualmente transmitida pelo vídeo, de que Portugal teria tido o seu próprio "Jean Jacques Cousteau". O rei D. Carlos teria sido, portanto, uma figura curiosa, mistura de Jacques Cousteau com Jean-Jacques Rousseau - ou seja, uma espécie de mergulhador-filósofo empenhado na missão de ir até ao fundo do mar para tentar convencer as lulas a firmarem um novo contrato social. Cavaco preferiu não cansar a assembleia com tanta informação, porque demasiado orgulho também cansa." Ricardo Araújo Pereira


12 comentários :

  1. Todos deveriam saber, mas poucos sabem, que em 1974 conquistou-se a liberdade, mas em 1976, voltamos à ditadura, disfarçada.
    Como e quando afastaram o povo do poder.
    O Grande Golpe terá estado nos números 1 dos artigos 285 e 286, a seguir transcritos: que colocaram todo o poder na mão dos políticos e afastaram o povo, para sempre, desde 1976.
    Artigo 285.º - 1. A iniciativa da revisão compete aos Deputados.
    Artigo 286.º - 1. As alterações da Constituição são aprovadas por maioria de dois terços dos Deputados em efectividade de funções.
    Ou seja, o voto popular foi, afastado para sempre, das revisões e das decisões constitucionais, permitindo que 2/3 dos deputados a ajeitem, como entendam conveniente, na defesa dos interesses da classe, maquilhando-os de “interesse nacional”.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo que seja ditadura,nem gostava de viver numa democracia tipo grega ou ucraniana, apesar de que os nossos paralelipipedos são bem melhores que os ucranianos que chegam a partir-se quando acertam nos adversários. Aqui tolos(ou não) os eleitores escolhem quem querem e não temos cá chicos muitos mais espertos que todos e que acham que devem decidir o que deve ser as escolhas dos outros,como fez o libertador do Egiptoou de muitos outros "paraisos".Tambem me custa ver a fé que os meus co-eleitores têm em jotinhas nacionalizadores de prejuizos de bancos, ou compradores (com corrupção ou no minimo inspirado pelo espiritosanto, já que o pai e o filho se calaram) de submarinos indespensaveis para as cheias do Ribatejo. Mas no minimo eu não sou obrigado a andar com a sesta de parelelipipedos para chegar a casa vivo.
      E com o preço das viagens em lowcost quem gosta de animação por pouco dinheiro tem animação dia e noite; e só estraga uma casa, sendo prudente comprar só viagem de ida, para não desperdiçar dinheiro.

      Eliminar
    2. Concordo consigo A. democracia está ferida, em Portugal, desde 1976. E quem mais rapidamente se adoptou foram os partidos( todos recebem as suas comparticipações do OE por fazerem o pior para a população) os pseudo neo-liberais que os compõem e os financeiros internacionais e nacionais que nos governam. Pior que uma ditadura deste tipo, encapotada na CRP, não me parece existir, pois as Leis que existem para aqueles que defraudam o património público, como se lê no lado direito deste blogue, não são aplicadas pelos juízes( logo não existe Estado de Direito que defenda a população) e isso leva-nos a ser o país que na UE está à frente da "economia paralela e da corrupção". Eu diria que enquanto vivermos neste círculo vicioso ( eleições de partidos e seus políticos, dependência financeira e económica, tribunais sem independência ( de pressões politicas), população sem consciência e apática, a maioria de reformados e pensionistas e de pessoas esclarecidas, vive nesta Ditadura de minorias activas..

      Eliminar
  2. Fazer de CS o bode expiatório do descalabro económico e político atuais de Portugal, ou de quem quer que seja por si só, é um ato de ignorância, má-fé e facciosismo ideológico.

    Zita. não tenho a veleidade de lhe dar conselhos, mas, a característica panfletária do seu trabalho retira-lhe credibilidade. Apesar de acompanhar as suas publicações há algum tempo, ainda não percebi as suas propostas, além do apelo à clarividência e participação cívica dos eleitores e das oportunas denúncias de corrupção. Não chega. Há que ir mais longe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Fazer de CS o bode expiatório " ?? O blog tem mais "Panfletos" e igualmente "engraçados"...
      Pois não!! Não chega!! vamos dizer BASTA e colocar os culpados atrás das grades... ou melhor que isso,porque somos Portugueses e os nossos "tomates" ficaram na Era dos descobrimentos... vamos continuar a pagar tudo e a reclamar com "manifestações" que fazem muito barulho e para quem quer ir mais longe,mas mesmo mais longe... o melhor mesmo é Emigrar...

      Eliminar
    2. sugiro a Ucrania onde a liberdade está a chegar.

      Eliminar
    3. António Barreto este blog é imenso, e como deve calcular cada artigo faz parte de um todo, estar a retirar conclusões apenas por um artigo, parece-me faccioso da sua parte.
      Seria um acto de ignorância se este artigo indicasse que CS é o bode expiatório, mas acho que percebe que não é isso que transmite este artigo ou este blog.

      Eliminar
    4. Dizer que o Silva de boliqueime é "Bode" é pouco, muito pouco. Ele é o principal culpado do miserável estado em que está o país. Não esqueça que no 40º aniversário do 25 Abril que se comemora dentro de dois meses, o Silva de Boliqueime vai festejar o seu 20º aniversário do fartar vilanagem. Adivinha-se um discurso "empolgante", concerteza hilariante.

      Eliminar
  3. "A nossa impotência de nos podermos defender de votos de pessoas ignorantes ou manipuladas, enganadas descaradamente pela comunicação social e pelos políticos.
    Uma democracia de fachada que retirou ao povo, razões para lutar, pois camuflou a opressão. E anulou as ferramentas para o povo se defender ou ter o poder de fazer valer a sua vontade."Esta parte de seu texto diz muito sobre nossa situação,a somar aos ignorantes e manipulados estão ainda aqueles que beneficiam das políticas de quem governa,e eu direi ainda que nenhum partido no parlamento tem condições para governar este país,os que já o fizeram já mostraram a quem servem e os outros vivem ainda na fantasia que ruiu em 1989.

    ResponderEliminar
  4. Gostei deste post, pronto, gostei. Gostei tanto quanto não gosto do Cavaquito pronto! Mas também não gosto do Cavaco nem do Cavacão, digo canastrão.
    O homem já está um completo canastrão e ainda continua a assombrar-nos os sonhos e a ensombrar-nos as vidas.
    Mas a vidinha dele está de perfeita saúde e vai de vento em poupa, ora pois!
    Pronto, falei!
    Fique bem que eu continuo a tê-lo lá pelo meu blog da política.
    Laura B. Martins
    Já li uns quantos posts só para saber se vc existia e como estava de saúde.
    Parece que está bom e ainda vivo. Ok!
    Então, não lhe vou dar nenhum prémio para adornar o seu blog mas continuo a tê-lo no meu e foi por isso que aqui vim, confirmar se não seria um link morto ou moribundo.
    Continue a escrever e fique bem.
    Laura B. Martins
    Vc tem uma certa piada, sim senhor! Tenho pena de não ter mais tempo livre (já perdi meia hora no Face, claro)para ler mais, mas cheguei até aqui e dei umas gargalhadas.
    Adoro humor sem palavrões (francamente desnecessários). Também gosto de telenovelas mas tenho que pôr uns tampões nos ouvidos porque todas elas, brasileiras e portuguesas, incorrem no defeito da gritaria.
    Enfim, vim só ver se vc ainda existia pois não gosto de ter no meu blog da política links desaparecidos ou sem graça.
    Fique bem e escreva mais.
    abc
    Laura B. Martins
    http://apoliticadospoliticos.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não compreendo bem o seu comentario/humor.
      Será que tudo isto é motivo para brincar....nada mais!?

      Eliminar
  5. Portugal está como está porque, seja por interesse próprio ou por total ignorância, o povo assim o quer e permite. Certamente que o Cavaco não é o único culpado, mas que desempenhou e continua a desempenhar papel de actor principal, isso é um facto. Defendê-lo é afirmar em praça pública que se é ignorante e que se gosta de opinar sem conhecimento de causa, e é, também, apoiar a corrupção escandalosa (entre muitas outras coisas negativas). E heis a razão pela qual o país está neste estado: os ignorantes aplaudem, defendem e votam em quem os desrespeita, ignora, atropela e trata como lixo. Isto não é um país, é um circo. E, claramente, o número de palhaços é enorme quer dum lado, quer do outro.
    E é nestas mãos que está o futuro deste país. Que futuro? Ora, pensem lá, quando o próprio ceguinho não consegue ver que fazem dele parvo, qual é o futuro que pode ser esperado? Eu respondo: o ceguinho é promovido de parvo a parvalhão estúpido.
    Convido quem defende o Cavaquinho, a inteirar-se do que para aí vai (e isto é apenas o que chegou ao conhecimento público) sobre essa figura. Quanto mais não seja, para não correr o risco de escrever algo que o possa rotular de ceguinho ignorante. Deixo algumas dicas para facilitar a tarefa:
    - Conta no BPN que desaparece misteriosamente (por exemplo, sabiam que ele era um dos donos do famoso BPN, e que vendeu a sua parte apressadamente quando teve acesso à informação (de forma ilícita) de que o caso ia tornar-se público?);
    - Casa de férias (ilegalidades com licenças de construção, declarações fraudulentas sobre a mesma, omissão da mesma, etc...);
    - Resolução da situação de excesso de funcionários públicos (do qual ele é o principal culpado): "... a reforma não é solução porque deixariam de descontar para a Caixa Geral de Aposentações, diminuindo as receitas do IRS. Só resta esperar que acabem por morrer”;
    Isto é apenas uma gota de água num gigantesco oceano, mas será o suficiente para educar e posicionar bem quem realmente quer saber quem está a defender e a eleger. Não tenham medo de pesquisar e de conhecer bem o verdadeiro Cavaco Silva.
    Até há pouco tempo, eu dizia que o futuro de Portugal dependia do povo português. Agora, digo que depende da educação e da capacidade de análise dos portugueses. E isto é muito preocupante, pois estamos a falar de um povo que valoriza mais o desporto e a comicidade (vejam-se os números das audiências) do que a situação do seu país, a qualidade da sua vida.
    Uma coisa é certa, meia-dúzia de inteligentes nada conseguem mudar. Logo, resta esperar que o resto vá acordando, mas isso, ao ritmo do povo português, vai levar muitos anos a acontecer. Até lá, vamos continuar a aplaudir e a eleger quem nos rouba, quem nos maltrapilha, quem nos tira direitos e nos condena a uma vida de sacrifício, injustiça, discriminação e preocupação. Este é o legado que deixamos aos nossos descendentes. Espero que pelo menos esses tenham a coragem, o amor próprio e a inteligência suficiente para mudar este país.

    A minha frase preferida do Cavaco:
    "Não consigo viver com 10.040€ por mês."
    (A esses 10.040€/mês somem despesas de representação - que podem chegar aos 3000 euros por mês - e os 1000€/mês da sua esposa. Tudo somadinho, o Cavaco tem à sua disposição todos os meses 14.000€ - fora os dividendos da corrupção).
    Gostava de saber o que diria dos portugueses que vivem com 430€/mês. E, já agora, como tem, então, coragem de aprovar cortes nos salários ligeiramente superiores ao salário mínimo.

    ResponderEliminar