10 maio, 2012

Como vender os interesses de Portugal, em troca de salários de luxo para toda a vida? EDP Mais um exemplo a lesar o estado.

aznar corrupção EDP
Passos Coelho aprende rápido.
A EDP é agora uma empresa privada. Fará sentido manter-se como cobradora de taxas públicas? Ou deveria assumir o seu papel de empresa  privada, fornecedoras de serviços, como tantas outras?...
Provavelmente deveriam ter-se renegociado estes detalhes por alguém que defendesse os interesses dos portugueses.
As privatizações continuam envoltas no suspense típico da falta de transparência com que se  negoceiam os interesses da nação, pelo governo português. Será que nos espera uma espécie de caos, como o que se gerou na Argentina?
Os cidadãos já não acreditam na defesa dos seus interesses, graças a governos sucessivos que teimam em, descaradamente, exibir que temos razões para isso. No contexto da EDP:
- Foi o caso da contratação dos BOYS da EDP, com especial destaque para Cartroga.
- Depois foi o secretário de Estado da Energia que se demitiu, quando tentou defender os  interesses do estado portugues.
- Para não restarem dúvidas dos interesses defendidos nas privatizações e outras negociatas, temos a noticia transmitida na imagem em cima, que representa uma realidade comum entre os nossos políticos, onde o PM Aznar, responsável pela privatização da "EDP" espanhola é agora acusado de ser agora, seu assessor e de os preços terem subido 80%.
- Pagar favores com cargos é algo comum em países corruptos e arruinados. Onde a gestão das empresas públicas, é na realidade o oferecer de salários a incompetentes amigos, em vez de ser um verdadeiro acto de gestão e competência.
- Negociar contra o estado e contra os portugueses também tem sido comum.

A conclusão é que continuamos indefesos dos interesses dos que nos (des)governam e agora também indefesos perante a vontade da EDP. Os que nos deviam defender, aliaram-se ao "inimigo" e nós nada podemos fazer para os deter, nem neste governo nem nos próximos, pois a democracia, que eles reinventaram, permite-lhes ganhar sempre as eleições e estarem sempre no poder os 3 amigos, nossos inimigos, PS/PSD/CDS.
Temos a factura da EDP inflacionada por despesas da empresa e não pelo nosso consumo. Pagamos taxas para a energia eólica, taxas para a investigação, taxas insularidade das ilhas, taxas para energia solar... como diz Paulo Morais, "a EDP está a exercer um poder tributário, privilégio dos estados."... mas já não é do estado!!!
Paulo Morais acrescenta
"A sua fúria despesista, a expensas do povo, não pára. A nova e malfadada barragem do rio Tua irá gerar lucros milionários para a EDP porque tem uma rentabilidade garantida pelo Estado, pela via do défice tarifário que todos pagamos.
Acresce que a EDP arroga-se estar à margem da lei. Bem recentemente lançou uma campanha publicitária utilizando ilegalmente crianças, visando a venda de serviços que não têm relação directa com a sua faixa etária. O que é interdito, nos termos da lei da publicidade. A EDP emprega trabalho infantil, lesa a dignidade das crianças, mas fica impune. O que só é possível porque dispõe de uma enorme influência sobre o poder político. Eduardo Catroga, em nome do PSD, advogava a redução das rendas pagas à empresa, para logo a seguir defender, enquanto presidente da eléctrica, a manutenção do seu pagamento. 

A ministra Assunção Cristas e o deputado Mesquita Nunes estão ligados ao escritório de advogados que assessora a sociedade nos seus maiores processos, enquanto tutelam e fiscalizam negócios em que o estado tem favorecido descaradamente a empresa. O deputado Pedro Pinto é consultor de empresas intimamente dependentes da EDP. E muitos mais.
Há muitos políticos de duas caras. Duas caras… e muitas coroas. Por outro lado, todos quantos se opõem ao poder da eléctrica, como o ex-secretário de estado Henrique Gomes, que pretendia reduzir-lhe as rendas em 165 milhões, são convidados a "demitirem-se".
Como a EDP beneficia de favores políticos sem limite por parte de políticos sem vergonha, estamos condenados à servidão a uma organização que já não é só uma empresa eléctrica. É um estado dentro do estado.
CM
Posto isto resta concluir que todos os parágrafos acima, exemplificam a forma como são defendidos os interesses das privatizações e das grandes empresas. Claramente o povo é marginalizado e lesado sem qualquer pudor ou justiça... indefeso e afastado na ignorância, resta-lhe ir esperando que Portugal definhe e os políticos e amigos enriqueçam desmesuradamente.

Estamos ainda perante mais um triste fenómeno, que não é nada mais nada menos, que pura corrupção disfarçada de competência. Tráfico de cargos...
Tal como Aznar, estes senhores garantem os interesses das empresas, não apenas pelo que recebem no momento, mas pelas rendas que receberão até ao fim dos seus dias... jamais detectáveis como corrupção...
Os favores que prestaram ás empresas com dinheiro dos portugueses são retribuídos com cargos, dispersos por várias empresas, com o único intuito de acumular salários, sem fazer nada de visível em nenhuma, pois todos sabemos que um bom gestor de uma boa empresa, raramente tem tempo para o seu cargo quanto mais para 7 ou 8. Mas estes senhores tem tempo para roubar 7, 9, ou 10 empregos, acumulando-os de forma descaradamente parasitária, apenas como forma de pagamento de favores ou para exercer influencias. Como podemos ver por um mail trocado por Oliveira e Costa, a forma como eles escolhem os gestores...
Eis o exemplo dos senhores que tem tempo e competência para 15 cargos... !!!???
António Nogueira Leite ACUMULA COM MAIS 14 CARGOS + (vice na CGD). Ser do PSD é pura coincidência... ou será por o rapaz estar desempregado?
1 - administrador executivo da CUF,
2 - administrador executivo da SEC,
3 - administrador executivo da José de Mello Saúde,
4 - administrador executivo da EFACEC Capital,
5 - administrador executivo da Comitur Imobiliária,
6 - administrador (não executivo) da Reditus,
7 - administrador (não executivo) da Brisa,
8 - administrador (não executivo) da Quimigal
9 - presidente do Conselho Geral da OPEX,
10 - membro do Conselho Nacional da CMVM,
11 - vice-presidente do Conselho Consultivo do Banif Investment Bank,
12 - membro do Conselho Consultivo da A. Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações,
13 - vogal da Direcção do IPRI.
14 - É membro do Conselho Nacional do PSD desde 2010.

Faria de Oliveira
1 - Administrador não executivo da TAP,2002/2004
2 - Administrador do IPE 2001/2003
3 - Presidente do conselho de administração do IPE Macau 2000/2002
4 - Vice presidente do conselho de administração do IPE turismo 2011/2003
5 - Vice presidente do conselho de administração do IPE estudos e projectos internacionais 2001/2003

Luís Parreirão, após sair do governo como secretário de estado adjunto e das obras públicas, ingressou quase de imediato na Mota Engil e outras empresas ligadas a obras!
Em 2005 era então presidente do conselho de administração das seguintes sociedades
1 - Mota engil - concessoes de Transportes SGPS, SA
2 - AENOR auto estradas do Norte, SA
3 - Lusoscut auto estradas da Beira litoral, SA
4 - Lusoscut auto estradas da costa de prata, SA
5 - Lusoscut auto estradas do GP, SA
6 - Operanor operação e manutenção de auto estradas, SA
7 - Operadora Lusoscut BLA operação e manutenção de auto estradas, SA
8 - Operadora Lusoscut operação e manutenção de auto estradas, SA
9 - Operadora Lusoscut GP operação e manutenção de auto estradas, SA
(Segundo o livro "Como os políticos enriquecem em Portugal" )

Mira Amaral também tinha muitos empregos para se distrair, estes são apenas casos mais recentes
Mira amaral tachos favores
Segundo o livro " Como os politicos enriquecem em Portugal" ainda falta acrescentar a esta lista os cargos: Administrador da Inter Risco,SA de 2000 /2002
Administrador do BPI ventures entre 2000/2002
Administrador da TUtel, SA  entre 2000/2002
Administrador da soc. portuguesa de inovação, SPI, SA desde 2000
Membro do Conselho de supervisão do Royal Lankhorst group, na Holanda desde 2001

António Mexia, segundo o mesmo livro, entre 2001 e 2004 dividia a sua extrema competência por 14 cargos, alguns não remunerados ... mas muito "úteis"...



1 comentário :

  1. Aqueles que tem possibilidade devem escrever estes artigos que estão bem escritos, nos jornais diarios mais lidos.
    Aqui escondidos nestes blogs não vale a pena, poucos tem possibilidade de os ler.
    O povo deve saber as verdades.
    É precico critica esclarecida,as pessoas têm que acordar para poderem exigir melhores opções politicas e não se deixar enganar nas campanhas eleitorais.
    Mas talvez já seja tarde demais ....

    ResponderEliminar