16 dezembro, 2011

Crise ou ambição desmedida dos milionários? A única forma de se ter uma economia forte é ter uma classe média forte.



Veja se reconhece a situação descrita... 
Neste video é explicada de forma rápida e concisa as verdadeiras razões pelas quais os ricos estão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres. Resposta é simples: Sem classe média a economia definha... E porque os ricos são poderosos ao ponto de poderem mudar as leis e vergar os governos, a seu favor. Ignorando as consequências de empobrecer a classe média.

Tal como no velho conto da galinha dos ovos de ouro, os milionários estão a destruir a sua fonte de riqueza, demonstrando não terem aprendido nada, cegos de ganancia, destroem a classe média, vital para o funcionamento saudável e equilibrado das economias. 
O exemplo usado é o americano, mas como poderão constatar, adapta-se perfeitamente a todos os quadros em particular e ao mundo em geral.
Ponto 1 - Desde 1980 a economia americana cresceu para o dobro,  no entanto devido à inflação, os salarios mal subiram!
Ponto 2 - Sendo assim questiona-se; Para onde foram todos os ganhos deste crescimento? A resposta é simples; - Para os super ricos, grupo que representa 1% da população, mas que recebia 10% e actualmente recebe 20% das riquezas. Esses 1% de super ricos detêm 40% da riqueza total do país.
Ponto 3 - O poder económico permite, a este grupo, um poder politico desmedido, incluindo o poder de exigir que baixem os impostos que os afectam. Por exemplo os impostos dessa elite antes de 1980 era de 70%, agora baixou para 35%. Mas como muitos dos seus rendimentos são lucros de capital a taxa é ainda mais baixa, 15%. Os 400 mais ricos americanos apenas pagam 17% de IRS.
Ponto 4 - Isto origina gigantescos deficits orçamentais. As receitas vindas de impostos foi reduzida para menos de 15%, os valores mais baixos nos últimos 60 anos. Portanto quem terá de ser sacrificado são os serviços públicos, onde se assiste a várias perdas de qualidade e direitos. Quer seja na educação, na saúde, nas estradas onde cada vez se cobra mais.
Ponto 5 - A classe média acaba por ser dividida e enfraquecida, pois as pessoas vivem assustadas preocupadas já com a sobrevivência. Lutando pelas migalhas que existem para ser disputadas. E em vez de se unirem para lutar por melhores salários e menos cortes de direitos, dividem-se em sindicatos e rivalizam, funcionários públicos contra os privados, nativos contra emigrantes.
Ponto 6 - A classe média  perde a capacidade de obter empréstimos e baixa muito o seu poder de compra para impulsionar a economia, conduzindo ao desemprego e a recuperações económicas muito baixas ou nulas mesmo. 

Em suma: Uma economia forte só pode existir com uma classe média forte. Se o quadro actual colocou a classe média anémica, o resultado inevitável será uma economia anémica. Se a este quadro já de si doente, somarmos mais uma das mais devastadoras doenças da actualidade, a corrupção, dificilmente poderemos esperar que as economias recuperem.
  • Veja neste video de Marinho Pinto, o buraco provocado, pela fuga ao fisco dos ricos, apoiada pelos governos há décadas.
  • Um video animado que explica como é que os ricos decidem quem fica rico e quem  fica pobre, com o apoio dos governos.
  • Um outro video, que foi banido, que mostra como os governos querem ocultar a verdade sobre a protecção aos ricos. Os governos dizem ao povo que tem que proteger os ricos porque são eles que movem a economia. Será? Veja o video, ou olhe para o que está a acontecer em Portugal. 
  • A PT um exemplo de fugas fiscais, legais e gigantescas
Casos de corrupção à vista de todos.
"As 500 maiores empresas do país, segundo a lista publicada pela «Exame», mais que duplicaram os lucros em 2010, face a 2009. A Continental Mabor é a melhor empresa do ano e Alexandre Soares dos Santos recebe o troféu anual Excelência na Liderança, segundo a revista.
No seu conjunto, as 500 companhias registaram lucros de 12,2 mil milhões de euros, um aumento de 130,2%, em grande parte impulsionado pela venda da Vivo pela PT. «Mas, mesmo sem considerar esta operação, a expansão dos lucros conjuntos das 500 M&M atingiu 27,8%, dando um pontapé na crise», escreve a «Exame». fonte


2 comentários :

  1. António Pedro02 abril, 2013 19:56

    Uma pergunta muito simples, quando dizem, não votem neles, pensem. Quem são esses a que se referem?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os corruptos, os mentirosos e incompetentes...

      Eliminar