As verdades ocultadas por trás da divida e da ajuda da TROIKA.

Um artigo indispensável de Garcia Pereira... As mentiras sobre o caos de Portugal. 
PORQUE NÃO DEVEMOS ACEITAR A "AJUDA" DA TROIKA
"Se não tivéssemos dinheiro agora para fazer face às questões relevantes para o Povo Português, também não é com o acordo da Troika que o teríamos, já que dos 78 mil milhões de euros a que o mesmo se reporta, 12 mil milhões são para meter directamente na banca, 34 mil milhões para pagar juros - os juros exorbitantes, especulativos e usurários que a banca estrangeira, em particular a alemã, nos foi impondo - e 30 mil para avales e outras garantias do Estado a instituições do sector financeiro. Ou seja, nada destinado ao pagamento de salários, pensões ou subsídios ou a matar a fome a quem dela sofre.

A verdade é que, sem esta "ajuda" da Troika, o País continua a produzir - ainda que bastante menos do que podia e devia - e os trabalhadores continuam a pagar todos os meses os seus impostos e contribuições. Todos os meses são produzidos cerca de 15 mil milhões de euros de riqueza (média mensal do nosso PIB) pelo que é uma falácia dizer que o País já não teria dinheiro para pagar salários no próximo mês. Pois só não teria se continuasse a pagar os tais juros especulativos, a meter dinheiro na banca (só no BPN já lá vão mais de 5 mil milhões), nas parcerias público-privadas (que representam mais de 50 mil milhões de dívida), etc., etc.

Se a isto se somar que, como todos sabemos, em Portugal só paga impostos quem trabalha, que, por exemplo, a banca tem pago cerca de 1/4 dos impostos pagos pela generalidade das empresas enquanto a sua dívida ao exterior é a mais elevada de todas e que a evasão e fraude fiscais são calculadas, por defeito, pela própria Troika, em cerca de 7,5 mil milhões de euros, creio que fica à vista que consequências negativas para o Povo Português decorrerão é dele aceitar cumprir as imposições da Troika e pagar uma dívida que não contraiu e que era, e é, perfeitamente possível ao País seguir o caminho do não pagamento de tal dívida.

Finalmente, um plano de desenvolvimento económico assente no aproveitamento das nossas vantagens competitivas (como as nossas águas e a nossa localização geo-estratégica) permitiria criar economia e, mais do que isso, atrair investimento. Recordo que, por exemplo, o Porto de Sines - que é o único porto atlântico de águas profundas da Península Ibérica e que dispõe da mais moderna tecnologia - é contribuinte líquido positivo para o Estado Português, tem uma taxa de endividamento financeiro de 0% e vai auto-financiar-se para a sua ampliação. E a própria Lisnave, vendida a privados pelo preço simbólico de 1€ está hoje a impôr-se como uma empresa altamente rentável na área da reparação naval, onde sempre fomos dos melhores do mundo. Estes são apenas alguns exemplos mas acredito que é este o caminho!" ttp://bloggarciapereira.

Outras opiniões sobre a matéria. 
E tem sido sempre assim... 
Bancos pediram 56 mil milhões de euros a 1% de juros para emprestar ao estado (OTÁRIO?) a 6% e a 5%. 
"Banca rica, País pobre
Nunca como agora a banca portuguesa recorreu em tão larga escala ao Banco Central Europeu: os maiores bancos (portugueses) financiaram-se, em Março, (2012) com 56,3 mil milhões de euros a uma taxa de 1%. Isto até seria uma boa notícia. Mas este dinheiro não é aplicado no financiamento das empresas e das famílias – e em nada contribuiu para a criação de um posto de trabalho. A banca portuguesa prefere comprar dívida pública(igual a emprestar ao estado a 5% e 6%). É muito mais seguro. Os bilhetes do tesouro garantem uma remuneração à volta de 5%. Portugal, já sabíamos, é um País com algumas particularidades. Mais esta: os bancos enriquecem, enquanto a economia do País definha e o desemprego sobe. 
cmjornal

 

11 comentários:

  1. É um bocado complexo dar previsões da extinção da banca, até porque tem que incluir isso num contexto, dum plano sócio - económico mundial, com outros interesses à mistura, nomeadamente sustentar o capitalismo da farsa que é a base de sustentação de um plano hegemónico mundial..
    No entanto, de uma forma simples, o futuro da banca é mesmo o desaparecimento, O dinheiro não vale nada, são meros papeis especulativos, já não são baseados no ouro e riqueza, os juros estão quase negativos, efim, não se justifica tantos bancos.No entanto, neste sistema capitalista, é preciso não esquecer que o que está a fazer moeda são os créditos, assim que se pede um empréstimo é fabricado dinheiro virtual noutro sítio.

    Entretanto, para bom entendedor meia palavra basta, andamos a ser vigarizados, pois emprestam aquilo aquilo que não têm e assim subjugam povos inteiros, basta acreditar na palavra e nos "conselhos " dos credores.

    ResponderEliminar
  2. Que absurdo, sabe donde vem os fundos do FMI?

    Agora vá pedir a eles que digam onde têm as offshores, e se seguir as offshores vais bater aos fundos do FMI.

    Quando dizem, Banco Central europeu, aquilo nao pertence á Europa, mas a uma vintena de grandes famílias que lá puseram o dinheiro.

    Acaso o ouro que está no Banco de Portugal são dos portugueses? Olhe meu não é, não me dão de lá nenhum.O ouro é de quem tem o poder de o lá ir buscar.

    Nestes últimos tempos só voaram de lá 30 toneladas , para não falar naquelas das lojas do "venda o seu ouro" e que curiosamente vai todo lá para fora.

    ResponderEliminar
  3. Tenho a certeza absoluta que o Estado não lhe dá nada.
    A função do estado não é dar, deveria ser redistribuir.

    Eu sei que dá a alguns, mas isso é outra história.

    ResponderEliminar
  4. O pagamento da dívida não pode ser cumprido, porque à luz da nossa economia é tarefa impossível; significa o mesmo que dizer a um trabalhador que ganha 500 euros que tem de pagar uma divida de meio milhão.

    ResponderEliminar
  5. 20% os escolheram, sem contar com os falecidos que estão nos cadernos eleitorais , e chamam isso Democracia. Mentiroso era o Salazar e não mentia tanto.

    ResponderEliminar
  6. A educação passou a ser um negócio quando foi votada a privados, era previsível.

    A educação também passou a ser uma ferramenta para desunir o povo, há-de reparar que o sistema não deixa ninguém pensar pela sua própria cabeça, e não é por acaso.

    Olhe lá o que oferecem na escola, música, desenvolvimento lúdico, atividades de animação sócio cultural, inglês, navegar na net; encher chouriço.

    O que estão a pedir para as escolas, psicólogos.

    ResponderEliminar
  7. Boa noite a todos!
    Gostava de dar os parabéns pela coragem de manter e apresentar artigos com assuntos tão sensíveis e verdadeiros! Não Deve de ser fácil!
    Alegra.me que ainda haja gente que saiba é exponha a verdade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado... tenta-se procurar a verdade no meio de tantas mentiras, não é fácil mas algumas vão emergindo. E ao mesmo tempo tenta mostrar-se ás pessoas que existem várias versões de muitas das noticias apresentadas nos mass media e que portanto se deve ter um espirito critico e selectivo.

      Eliminar
    2. Muitas versões mesmo! Contra informação etc! Notícias críticas são apresentadas de forma confusa ou complexa ou vaga! Isto quando são apresentadas claro!
      O q vai imergindo é só ponta do icebergue o resto nem consigo imaginar!
      Continue o bom serviço/trabalho a informar, discutir e lutar contra o q é injusto errado e falso!
      Não se deixe desmoralizar por críticas destrutivas e aprenda / retire ilações das Construtivas!

      Eliminar
  8. É verdade que a crise é uma crise financeira em que são os dinheiros públicos que a estão a pagar! E sim e um negócio tão simples como pedir dinheiro a 1% ou menos e emprestar a 6 ou mais! Quanto mais alto são feitos os negócios mais simples eles são! Embora pense que o grande problema de Pt seja uma justiça que n funciona (ou funciona bem demais)!
    Lanco um desafio se me derem uma lista de 10 políticos ou ex políticos que tenham sido presos e culpados por crimes relacionados com política (corrupção e afins) depois do 25 de abril! Ofereço um almoço ou jantar! Perdão por comentar anónimo mas isto está cheio de bufos vingativos! Mas faço questão de arranjar uma forma de pagar o jantar ou almoço!

    ResponderEliminar
  9. Quanto custa a Portugal cada ex-presidente? Mais uma lei feita à medida deles.
    Cada ex-Presidente da República custa 300 mil euros/ano.
    Povo que não vota ou vota em corruptos só pode ter ladrões e abusadores no poder. Povo que não vota não é representado nem respeitado porque não é temido.
    ex presidentes exigem e recebem é assim na democracia com povo ausente
    -têm direito a gabinete
    -secretária
    -assessor
    -carro com motorista
    -combustível para serviço pessoal
    -ajudas de custo para deslocações oficiais
    -Gabinete? Secretária e assessor? Porque existirá a lei (que eles inventaram) que permite desperdiçar recursos despropositados, para regabofe de um ex-funcionário? Não faz sentido nenhum... é um acto gratuito de exibição de poder, despesismo e incompetência de quem decide este tipo de regalias.
    De acordo com o «Diário de Notícias» desta segunda-feira, estes são direitos que a lei dá aos antigos chefes do Estado e que pesam um milhão de euros no orçamento do Palácio de Belém. Feitas as contas, Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio custam, cada um, cerca de 300 mil euros aos cofres públicos.
    As fundações que eles "fabricam" para receber subsídios.
    Os cargos que eles vão desempenhando para somar rendimentos.
    As reformas, subvenções e outros subsídios que vão acumulando.
    E todos os favores que acumularam durante a sua vida politica, no habitual jogo duplo de interesses entre os privados e os públicos/ políticos de forma muito vantajosa e lucrativa para eles.
    Não esquecendo ainda os rendimentos vitalícios que oferecem a amigos e familiares e que tanto engordam a despesa do estado. Ou seja o típico tacho pago acima do mérito e do currículo, sem utilidade alguma e em total deslealdade com os cidadãos comuns.
    Mais grave ainda... se somarmos a este despesismo todos os prejuízos causados à pátria pelo papel omisso, de regulador e defensor da pátria e do povo.
    Óbvio que o desfalque, que os presidentes e ex, representam nos impostos dos portugueses, é muito superior a estes 300 mil euros/ano.
    Mário Soares o grandioso presidente!
    E Cavaco Silva?








    ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/04/quanto-custa-portugal-cada-ex.html#ixzz4TZqyh9il

    ResponderEliminar