03 junho, 2015

O voto jovem pode ser a solução para remover os partidos corruptos do poder.

O estudo na imagem em baixo, realizado pelo "El Pais", sobre o perfil do eleitor e as tendências de voto em Espanha, e que foi divulgado em Portugal, pelo semanário "Expresso" mostra que tipo de eleitores é responsável pela perpetuação dos partidos corruptos no poder. Os dados não deixam muitas dúvidas, os que mais insistem em votar nos velhos partidos os tais responsáveis pelos grandes casos de corrupção em Espanha há décadas, são afinal os eleitores mais velhos, os eleitores com menos habilitações literárias e os eleitores das classes sociais mais baixas. Veja por si...






































Este estudo transporta-nos a uma reflexão sobre a urgência de repensar este assunto em Portugal.
Para aqueles que se recusam a votar, fica assim mais fácil perceber porque é importante que votem, para contrariar esta tendência. Não podem deixar que sejam apenas estes eleitores a decidir quem nos governa. Uma reflexão para os jovens eleitores portugueses, que continuam a não querer assumir responsabilidades sobre o que se passa no país, mas que muito se queixam do país e do desemprego.
Jovens que nada fazem para contrariar as escolhas dos ferrenhos e fanáticos que votam há 40 anos nos partidos mais corruptos, e apesar desses ferrenhos serem uma minoria, eles vencem por falta oposição nas urnas.

Mas em Portugal os jovens desligam-se da politica porque não acreditam na mudança, e não percebem que são eles os protagonistas que terão que fazer a mudança. 
É urgente libertar Portugal das garras do bipartidarismo, é urgente que as novas gerações de eleitores avancem e dêem voz aos novos partidos. Silenciem os partidos que todos sabemos corruptos, repletos de vícios, atrelados a clientelas e acorrentados a parasitas... Partidos que já descaradamente albergam pessoas desonestas.

Em Espanha a mais recente sondagem confirma a imagem em cima "O votante [eleitor que pensa ir votar] jovem, urbano, ativo no mercado de trabalho e influente diz que vai votar Podemos ou Ciudadanos; o votante com mais idade, das zonas rurais, conservador, com atividades não remuneradas afirma que votará PP e PSOE"
Será desta que o país se vai unir e dirigir ás urnas para se opor ás escolhas dos mais idosos mais conservadores, dependentes de subsídios, menos letrados? São este tipo de eleitores a quem confias a escolha do teu futuro? Será desta que os jovens e trabalhadores vão também escolher? Ou vão ficar em casa e deixar os ferrenhos escolher os de sempre? Queres ser governado pelas escolhas dos outros? Ou vais começar a fazer valer as tuas escolhas?

Maior participação do "voto jovem" pode marcar diferença em Espanha
Os partidos espanhóis apontaram as baterias dos últimos dias de campanha para as municipais e autonómicas para tentar captar o voto dos indecisos, mas poderá ser o "voto jovem" a marcar a diferença na votação de domingo.
O votante [eleitor que pensa ir votar] jovem, urbano, ativo no mercado de trabalho e influente diz que vai votar Podemos ou Ciudadanos; o votante com mais idade, rural, conservador, com atividades não remuneradas e influência decrescente afirma que votará PP e PSOE", indicou José Juan Toharia, presidente da empresa de sondagens Metroscopia, em declarações ao "El País".
Podemos "devolveu o entusiasmo pela política às pessoas". Segundo os analistas fê-lo especialmente junto dos jovens, camada da população mais desmobilizada politicamente, bem como dos tradicionalmente abstencionistas. O Ciudadanos, com uma mensagem de "mudança" menos radical, conseguiu - na mesma linha - captar parte dessa mobilização. JN

Uma nova era política nasce em Espanha
Agendadas para domingo, as eleições regionais e municipais inauguram o fim do bipartidarismo em Espanha. Os dois partidos tradicionais: PP e PSOE têm agora que dividir o tabuleiro político com as duas formações emergentes em alta: a formação anti-austeridade Podemos e o partido liberal Cidadãos.
Há somente uma certeza: para trás ficou a era das maiorias absolutas, que permitia aos dois partidos tradicionais governar sem sobressaltos. Se, até aqui, PP e PSOE conseguiam obter votações que, em conjunto, somavam entre 75 e 80% dos votos, desta vez, populares e socialistas juntos poderão ficar abaixo dos 50%, o que já se verificou nas eleições europeias (49,1%). JN
  1. Partidos portugueses que propõem democracia directa ou participativa
  2. O poder do voto. Voto em branco, nulo e abstenção sem poder
  3. Governos oferecem 10% de abstenção, com eleitores fantasma
  4. Na Suécia, 90% dos eleitores votam, não perdoam corrupção.
  5. O partido-estado é um meta-partido, uma espécie de guardião deste regime
  6. Em democracia quem decide os salários e mordomias dos políticos, são os contribuintes.
  7. Enquanto não tivermos um povo critico, com educação e um grau de exigência que exija políticos sérios, não teremos políticos sérios.
  8. A ditadura que se agiganta... A impotência do povo ou a ignorância?
  9. Quando vamos dizer não à abstenção e bipartidarismo?
  10. O medo que os políticos têm, que os eleitores indignados, comecem a votar...
VIDEOS SOBRE CIDADANIA
 
Como falir Portugal: Bipartidarismo e abstenção
 

Pessoas cultas e confiantes votam e eles não querem isso.


Abstenção sustenta o arco da governação /corrupção.

 

A democracia precisa de vigilância. Acordem! (Luís de Matos)
 

Eleitores com hábitos de corte, participam pouco na politica

 

Só quando o povo der o "coice violento" nos corruptos, é que isto muda. Votar contra

PDR quer democracia participativa e nova lei eleitoral

 

Pedagogia para eleitores lúcidos. Clubismo e eleições.

 

Corruptos são eleitos pelo povo. Não por golpe de estado!


8 comentários :

  1. Meu caro Apodrece Tuga

    Não tens sorte nenhuma !!!
    A malta nova quer é gozar a vida como a CIGARRA, as FORMIGAS são poucas, e não fazem mossa.
    O que a malta gosta é concertos ALIVE / MADONA / OPTIMOS / etc .........
    Vamos morrer aos poucos, porque o ZÉ POVINHO faz filas de romarias á EVORA, para dar apoio ao ZEXINHO SOCRATES.

    Abraços.

    Ramiro Lopes Andrade

    ramirolopesandrade.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Como na estrada tambem na vida politica , parte dos acidentes acontecem porque temos todos os dias novos condutores(eleitores) que ainda não acertaram bem com o melhor caminho, mais eficiente e mais seguro. Vemos que se tirarmos a classe já instalada, pouca inovação aparece no caminho da eficencia e racionalidade nos partidos e suas propostas. Quando assistimos a perto dum milhão de manifestantes nas grande concentrações de há dois anos e como resultado aparecem agremiações que alem dos lugares comuns que quem passou o PREC sabe que anima mas não abana, se contentam em chavoes : abaixo a troika, empregos para todos, os ricos que paguem a crise e no campo concreto fazem partidos ou projectos quase todos os meses percebemos que além do "lirismo" das ideias , nem entre eles conseguem juntar esforços no essencial, para ter recursos para apresentar propostas bem estudadas, bem elaboradas, autosustentaveis e que cativem não apenas o grupo que se junta a noite no bar a contar sonhos e cervejas, mas o comum cidadão que já aprendeu que quem acaba por pagar a factura é mesmo ele. Com tao pouco trabalho de casa, estudos e planos bem elaborados e estudados, claro que o resultado só pode ser a ridicula expressão de um deputado ou 0,35% sem deputado que como se sabe nem para uma pagina na historia do país serve. Sem trabalho e eficiencia os "estupidos" e ignorantes eleitores vão continuar a "não saber votar" e os intelectuais de pacotilha a sentirem-se que a "verdade" está do seu lado. E a darem razão a certos circulos que dizem que estes "partidos" só existem porque uma comunicação social de "causas" lhes dá voz artificialmente. E se virmos com alguns iluminados falam quase todos os dias a debitarem ideias irrealistas tipo syrizas, encherem a boca de emprego, e esquecerem que quem cria os empregos são os empresarios e não o governo, sem verem que é uma infantilidade e mentira continuar nessa demagogia, percebemos porque nem os idealistas jovens e sem experiencia alinham com tais fantasias<, quanto mais um chefe de familia que já passou muito para alimentar a familia todos os meses e não de ilusoes ,de contas reais para pagar.

    ResponderEliminar
  3. Eu que vejo noticias todos os dias e vária vezes ao dia . Fico sempre com uma revolta interior, quando os jornalistas e outros falam coisas como; OS PARTIDOS DA OPOSIÇÃO, falam NO LIDER DA OPOSIÇÃO . Falam NOS PARTIDOS DA MAIORIA, etc. Isso mexe muito comigo, porque me revela todos os dias, o quanto ignorântes e politicamente analfabetos, são as pessoas com responsabilidades no país e no mundo . E ainda por cima são as pessoas que directa e indirectamente têm influencia na minha vida . Acordem e sejam inteligentes. Porque num regime politico a sério, não podem existir partidos da oposição . E quem está no governo, não pode ser o partido da maioria, tem de ser o governo de todos . QUANDO EXISTEM PARTIDOS DA OPOSIÇÃO, ISSO FAZ COM QUE O REGIME SEJA ILEGAL . a oposição so deveria fazer sentido contra o Hitler, o Salazar, Saddam, etc. .quando as pessoas dizem que têm uma democracia e um regime politico democrático, etc., não faz sentido ter oposição .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As ditas "oposições", estão lá para dividir os cidadãos. Tanto os que estão no poder e os que se opõem, mantêm sempre o mesmo discurso, que nós já conhecemos de cor e salteado. Como diz o Paulo Morais, ganha aquele que conseguir mentir melhor. É só aldrabões e trapaceiros.

      Eliminar
    2. Concordo com o que disse, apenas o uma coisa, numa analise à frase partido da oposição quer dizer que opõe. Mas como isso pode ser uma verdade pois os únicos partidos que foram eleitos para o Governo, pós 25 de Abril de 1974, foram o PS e o PSD.

      Ou seja, O estado da nação não é culpa do PS nem do PSD, é de ambos. Pois eles transitam constantemente do Governo para a Oposição.

      Não me venham dizer que o estado somos nós e a culpa é dos demais cidadãos devido ao poder do voto, porque apenas podemos votar nos partidos/ candidatos que nos são apresentados.

      Nesse mundo ou se é como eles ou se desaparece.

      Eliminar
  4. Aqui vai o link do artigo original : http://www.elespanol.com/actualidad/cis-quien-apoya-cada-partido-radiografia-de-los-votantes/

    ResponderEliminar
  5. Um povo letrado e culto é um povo livre. Não é por acaso que os partidos do arco da governação que têm vindo a destruir o país nos ultimos trinta e nove anos, jogam na abstenção (aproveitando a iliteracia do povo) para continuarem a ganhar muitos deputados com poucos votos. O comodismo faz o resto.

    ResponderEliminar
  6. Não pertence á comunidade Europeia
    não usa o "euro", e repudia-o
    tem uma policia mínima
    Não há operações stop, nem nenhum tipo de controle policial dos residentes
    a policia é eleita pelo povo não nomeada
    a população pede contas á policia todos os dias
    tem um estado mínimo
    toda a gente tem armas
    a família é valorizada e o poder publico sobrevalorizado
    as economias familiares socialmente valorizadas - como a produção do queijo
    Não tem criminalidade quase nenhuma
    não valorizam a competição desportiva
    Não sabem o que é o socialismo
    tem a medicina mais avançada do planeta, privada e acessível.
    a participação publica na politica é massiva
    E um país conhecido como ter a constituição mais avançada e simples do planeta
    Controlam a emigração
    Controlam as seguradoras que são obrigadas a apresentar contas á população
    Controlam os bancos que são obrigados a apresentar contas á população
    O franco suíço é a moeda mais segura do mundo
    porque todo o planeta confia no sistema democrático e financeiro da Suiça - e não nos países da comunidade europeia.
    as cidades e o urbanismo é desvalorizado
    O rural é valorizado e hiper-lucrativo
    Em duas guerras mundiais, nem Hitler nem Mussolini conseguiram invadir a Suiça porque os helenístico estão armados.
    Os EUA não conseguem interferir na Suiça
    A comunidade europeia não consegue interferir na Suiça - na verdade a maior parte dos comissários europeus tem as suas poupanças na Suiça.
    A elite financeira e politica tem as suas poupanças na Suiça, porque não confiam nos seus países - e por isso os arruinam.
    O dinheiro do Vaticano está na Suiça
    A Suiça é o país mais avançado do mundo devido á sua Constituição não devido á sua riqueza.
    É o pais mais avançado do planeta pela sua humildade de saberem que é um pais que ainda não está completo
    A Suiça é apenas metade de Portugal, só que é muito mais bem organizado.
    A Suiça tem menos de metade do território agricola de Portugal mas produz mais -mais do dobro -, porque está mais bem organizado, a Suiça não sabe o que é desperdício.

    ResponderEliminar