23 agosto, 2013

A Grécia é mais um dos países da Europa, que tal como Portugal, sucumbiu à corrupção.


A Grécia e o legado das Olimpíadas de 2004.
( - OBRIGATÓRIO VER !!!)
Um exemplo de como os corruptos impunes gerem o nosso dinheiro.
Fica mais fácil de compreender porque razão os Brasileiros se manifestam, incessantemente contra as despesas em curso, com o campeonato mundial de futebol e os jogos olímpicos!
Por aqui tem-se uma pequena ideia do elevado poder de organização dos Gregos e dos líderes que os governam...
A Grécia é mais um dos países da Europa que tal como Portugal, sucumbiu à força da corrupção.

E se fosse Portugal a organizar? Era um fartote para os Valentins deste País e no fim, cá está o mexilhão para pagar.

Legado atenas (fonte)

Portugal conhece bem o preço da dívida dos estádios... Todos os dias é chamado a pagar, por ela.
  1. Alguns exemplos do regabofe que reinava na Grécia.
  2. Portugal continua a bater records na corrupção
  3. As diferenças entre a negociação da dívida da Grécia, de Portugal e Chipre.
  4. Grécia e Portugal, vitimas de erro, assumido pelo FMI.
  5. Pelo menos na Grécia, há criminosos, mas também há justiça.
  6. Mas Portugal também oferece estádios? 
  7. E asfixia os cidadãos, para pagar as dividas dos estádios de 2004.
  8. Gestão de capatazes sem currículo? 
  9. Os fantasmas dos estádios. 
"Portugal e Grécia faliram por corrupção do estado." Afirma convicto... o interlocutor neste video.
Os portugueses de hoje já estão fartos de corrupção, eles querem acabar com a corrupção. Não se admite que não haja um único processo que tenha terminado com um politico corrupto na prisão.
"Nós temos um presidente da Republica que é economista e sabia perfeitamente que o BPN servia para lavar dinheiro."
O interveniente afirma que é micro empresário desde os 22 anos, e que tem a mesma idade que Passos Coelho, "e nunca precisou do Relvas para meter cunhas para meter dinheiro na sua empresa." 

4 comentários :

  1. Bom trabalho!

    Por cá, existe uma tentativa desesperada para separar o nosso do caso grego.
    Mas o seu adn é o mesmo: a cultura da tolerância à corrupção.
    Melhor: A falta de cultura anti-corrupção.

    Se nas escolas básicas não se introduzirem capítulos, disciplinas, alertando os mais jovens para as terríveis consequências deste vazio cultural, quem cá estiver daqui a 30 ou 40 anos, voltará a chamar pela troika...

    É a nossa história: povo inculto, político corrupto (e à solta...)!

    Até lá, sob pena de nulidade, TODOS OS DOCUMENTOS DOS CONTRACTOS PÚBLICOS NA NET, duas semanas antes da sua assinatura!

    Organizemos um forte movimento por esta causa da TRANSPARÊNCIA processual e limitação da corrupção!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é o cerne da questão... mas a maioria insiste em propor soluções de efeitos imediatos mas a curto prazo... e na realidade são impraticaveis.
      Propõem cortar aqui, cortar ali, impor esta regra e aquela, esquecem-se que qualquer proposta esbarra nos corruptos que jamais aceitarão de livre vontade ser despojados dos seus luxos, benefícios, do poder do dinheiro e da impunidade.
      Sem um povo culto isto não mudará... essa é que é a verdade, apenas pode dar sinais de melhoras, mas é apenas ilusório.

      Eliminar
  2. O leitor deste blog tem conhecimento que a Brisa (grupo José de Mello) quer que os depauperados contribuintes portugueses lhes paguem uma indemnização de mil milhões de euros?

    Vejamos esta notícia da Sic de 11 de Janeiro de 2013:
    "A Autoestradas do Atlântico vai exigir ao governo compensação por prejuízos de introdução de portagens nas scut. A empresa vai pedir até Março, a constituição de tribunal arbitral.... A concessionária pretende ser ressarcida do desiquilíbrio financeiro, resultante da introdução de portagens."

    A Autoestradas do Atlântico é pertença da Brisa.

    Sobre o tribunal arbitral, veja-se o que Marinho Pinto deles pensa, num post deste blog há poucos dias atrás.

    Agora mil milhões porque as portagens lhe reduzem o tráfego?

    Mas quem disse a esses cavalheiros da Brisa - reparem na delicadeza da palavra cavalheiros - que a razão da redução do tráfego nas scuts é devida à introdução de portagens e não à partilha de viaturas particulares entre vizinhos que se dirijam aos mesmos destinos eventualmente por percursos diferentes, partilhando custos de combustível e outras economias advindas da menor circulação das respectivas viaturas?

    E onde está no contracto de exploração que assinaram com o estado que este ficaria impedido de, no futuro, vir a colocar portagens nessas vias?

    E desde quando é que o estado pode ser responsabilizado pelo alegado prejuízo provocado a qualquer negócio, derivado à defesa do interesse público?
    Será que a defesa de alguns negócios privados se poderá algum dia sobrepor à defesa do interesse do comum dos portugueses?

    Afinal vivemos na ditadura da Brisa ou numa democracia convencional?

    Caros cavalheiros da Brisa: Se fizeram um mau negócio, tivessem sido mais perspicazes.
    Arquem com as consequências de se envolverem em negócios - a meu ver - evidentemente maus.
    Tanto desplante só pode advir da arrogância fascizante que desde há 100 anos controla a finança deste medíocre país.

    Sempre em negócios péssimos mas, envolvendo o estado.
    O mesmo estado que depois, vocês vão para os media, com um ar competente, afirmar que deve sair da economia por ser mau gestor...

    Tenham vergonha, cavalheiros.
    Esperam que saibam o que vergonha é...




    ResponderEliminar
  3. O ministério das finanças da swapada Luisinha Queque, fez desaparecer os documentos "de trabalho" de vários contractos swap, permitindo que documentos "de trabalho" de outros negócios swap, premanecessem nos processos.

    Afinal qual o critério da destruição dos documentos "de trabalho"? Os comprometedores para a coligação no poder? Os comprometedores para o ps?

    Mas afinal o que são documentos "de trabalho"? Serão aqueles onde são calculadas, talvez à mão, as luvas para cada um dos facilitadores do golpe?

    Porque será que nós, pagantes, não podemos ver na net todos os documentos "de trabalho" ou "de descanço", onde estão elaborados todas as negociatas com o NOSSO DINHEIRO?

    Que culto do oculto é este, Luisinha? Porque temes a luz do dia sobre esses papeis?

    Luisinha: Serás uma aprendiz de feiticeira? Queres atingir, em breve, o incontestado nível do Oliveira e Costa, do Fernando Nogueira ou desse ícone, único, Domingos Duarte Lima?

    Já entedemos que és uma mercenária ideológica: ontem no gabinete do ps, hoje governante do psd, amanhã... de quem der mais aos senhores que, no fundo no fundo, tão bem e convenientemente serves.

    Espero que o emprego para o teu marido, que afanosamente persegues, te seja concedido em breve.
    Será um bom sinal para todos nós, pagantes do sistema mais corrupto que este país já conheceu.




    ResponderEliminar