15 maio, 2012

O estranho fenómeno dos jovens que se atiram de varandas... e não só.

Drogas legais, basta dizer que 
não são para consumo humano 

Todos os pais e jovens devem divulgar isto. Não deixem os vossos amigos, filhos e vizinhos sem saber o que se esconde numa simples ida à discoteca, ou numa viagem. As drogas assassinas venda legal?

Tem sido comum tropeçar em noticias que divulgam casos de pessoas, principalmente jovens, que se atiram ou caem de locais fatais, por causas desconhecidas. Muitos talvez considerados suicídio ou acidente...
Decidi questionar-me sobre este problema, que parece que passa despercebido de todos...
Será que as pessoas já repararam que existe uma nova tendência para o consumo de drogas novas, estranhas e sintéticas, das quais se desconhecem a maioria dos efeitos adversos? E será que são detectáveis pelas autoridades, nas analises de perícia, para drogas comuns?
Será que a maioria dos pais está a par, das lojas legais de venda dessas drogas, que estão a ser lançadas em Portugal? 
haxixe cannabis maconha esquizofrenia

3º Será que as pessoas sabem dos novos estudos que provam que as drogas leves, são afinal uma bomba de surpresas que podem destruir os jovens? Como é o exemplo da Canabis/ maconha, haxixe/ MARIJUANA. Vários estudos mostram que estas drogas outrora consideradas inofensivas estão na base de várias doenças mentais entre elas a esquizofrenia, a psicose, paranóia, síndrome amotivacional, desmazelo, e incapacidade de se ser autónomo?
Há centenas de pessoas a garantir que fumam estas drogas e que não lhes aconteceu nada, mas há centenas de outras que contam as suas histórias na internet, que estão já em tratamento psiquiátrico e muitas delas sem recuperação. Basta uma pesquisa rápida sobre a esquizofrenia e a canabis, e a verdade vem ao de cima, impiedosa, destruindo vidas e famílias.
"O consumo de cannabis de alta potência e numa frequência diária aumenta até seis vezes o risco de doença psicótica, como a esquizofrenia, conclui um artigo científico publicado hoje, terça-feira, do qual o português Tiago Reis Marques é co-autor."

Risco mais alto de desenvolver esquizofrenia ou depressão
Até pouco tempo atrás vigorou a tese de que a maconha só deflagra transtornos mentais em pessoas com histórico familiar dessas doenças. Essa noção benigna da maconha foi sepultada, entre outros trabalhos, por uma pesquisa feita pelo Instituto de Saúde Pública da Suécia. Um grupo de 50.000 voluntários foi avaliado durante 35 anos. Eles consumiram maconha na adolescência.
Os suecos demonstraram que o risco de um usuário de maconha sem antecedentes genéticos vir a desenvolver esquizofrenia ou depressão é muito mais alto do que o da população em geral. Entre os usuários de maconha pesquisados, surgiram 3,5 mais casos de esquizofrenia do que na média da população.
Um dos estudos mais impactantes e recentes sobre os males da maconha foi conduzido por treze reputadas instituições de pesquisa, entre elas as universidade Duke, nos Estados Unidos, e de Otago, na Nova Zelândia. Os pesquisadores acompanharam 1.000 voluntários durante 25 anos. Eles começaram a ser estudados aos 13 anos de idade.
Queda no desempenho intelectual, na memória, na concentração
Um grupo era composto de fumantes regulares de maconha. Os integrantes do outro grupo não fumavam. Quando os grupos foram comparados, ficou evidente o dano à saúde dos adolescentes usuários de maconha que mantiveram o hábito até a idade adulta. Os fumantes tiveram uma queda significativa no desempenho intelectual.
Na média, os consumidores crônicos de maconha ficavam 8 pontos abaixo dos não fumantes nos testes de Q.I. Os usuários de maconha saíram-se mal também nos testes de memória, concentração e raciocínio rápido.
Os resultados mostram que é falaciosa a tese de que fumar maconha com frequência não compromete a cognição. Diz o psiquiatra Laranjeira: “Se o usuário crônico acha que está bem, a ciência mostra que ele poderia estar muito melhor sem a droga. A maconha priva a pessoa de atingir todo o potencial de sua capacidade”. fonte 

"Use of street drugs (especially marijuana/hash/cannabis) have been linked with significantly increased probability of developing schizophrenia. This link has been documented in over 30 different scientific studies (studies done mostly in the UK, Australia and Sweden) over the past 20 years. In one example, a study interviewed 50,000 members of the Swedish Army about their drug consumption and followed up with them later in life. Those who were heavy consumers of cannabis at age 18 were over 600% more likely to be diagnosed with schizophrenia over the next 15 years than those did not take it. (see diagram below).Experts estimate that between 8% and 13% of all schizophrenia cases are linked to marijuna / cannabis use during teen years." SITE

"Substitutos de ecstasy e LSD, ervas e cogumelos vendem-se em lojas de Lisboa e Aveiro "A tua loja de drogas legais". "A trip é tão forte que dá para ver elefantes brancos ou coisas cor-de-rosa... perde-se totalmente o controlo e há tendência para cair.
Há quem diga que as chamadas "legal highs" são comercializadas porque aproveitam buracos na lei. José Pádua, director clínico do Instituto da Droga e da Toxicodependência vai mais longe: "Muitas destas substâncias são legais, porque na lei não está previsto o seu uso humano. Não vamos proibir sabonete só porque alguém se lembrou de o consumir", explica. " fonte

Para além deste problema legal, que é facilmente contornado pelos fabricantes e vendedores destas drogas, que chegam a usar herbicida e outros químicos igualmente tóxicas, para as fabricar, ainda existe o problema de serem vendidas apenas com a indicação de que não são para consumo humano... o que os iliba de qualquer responsabilidade e de avisar os compradores dos perigos que correm.
Por exemplo a Pure Bloom  provoca a sensação de que as pessoas conseguem voar... 
A LSD que faz parte da composição de muitas drogas com outro nome, o usuário torna-se incapaz de avaliar situações de perigo, julga-se com capacidade de força irreal, podendo envolver-se em acidentes em geral; por exemplo em uma alucinação, pretender voar e cair de uma janela, ou ignorando os perigos do mar e avançando pelas suas águas!
Ecstasy ou MDMA também conhecida como a "droga do amor", apesar de não ter efeito afrodisíaco como se apregoa. Tem também efeito alucinogéno, o que é duplamente perigoso. O usuário acredita que pode voar ou andar sobre as águas.
Clavicepis purpurea São drogas sintéticas, e provocam distorções sérias no funcionamento cerebral; o usuário sente-se um "super-homem", incapaz de avaliar situações de perigo; ilusões, alucinações e desorientação têmporo-espacial são comuns.- Sensação paranóide de poder voar. Fonte

As noticias vão somando casos e ninguém faz referência ao facto de poder existir uma relação com estas drogas.
"As substâncias são comercializadas com embalagens em que está escrito que contêm produtos não aptos para consumo humano. Desta forma evitam a vigilância sanitária e as autoridades que verificam produtos de consumo", diz Gallegos.
Muitas das novas drogas são vendidas em smart shops, lojas que comercializam assessórios que podem ser ligados ao consumo de drogas (cachimbos especiais, papéis de cigarro, "moedores"), cogumelos alucinógenos (que são liberados em vários países) e produtos em geral apresentados como não aptos ao consumo humano.
Gallegos conta que a mefedrona – um estimulante com efeitos semelhantes à cocaína e ao ecstasy – apresentava na embalagem a indicação de que era um fertilizante, não indicado para ser ingerido por seres humanos." fonte

  • Droga legalizada mata em sexo gay. PSP encontrou cadáver de homem na cama. Companheiro estava ao lado. CM.
  • Polícia investiga caso de homem nu que comia o rosto de outro em Miami Incidente pode estar relacionado a uso de drogas, segundo a polícia. Suspeito, cujo nome não foi revelado, morreu baleado por policial. fonte
Actualizado: (10/12/12) O governo decidiu fechar as ditas lojas que vendiam estas drogas de composição e efeitos desconhecidos. Contudo o  mercado irá fornece-las por outros meios, por isso a necessidade de alertar para os perigos, permanece. 

Para finalizar, e já saindo do tema, imagens chocantes, recomendadas apenas para os mais fortes... dos efeitos devastadores de uma droga.nova. Krokodil ou crocodilo, a pior droga do mundo. O ser humano assiste ao seu corpo a ser devorado por esta droga, no verdadeiro sentido da palavra, e não consegue parar. 


9 comentários :

  1. Bem... Cada um deve assumir a sua palermice!
    Se tomam 'merdas' sem avaliar as consequências e depois morrem, olhem lamento muito mas... azar!
    Já agora o que aqui faz é mais do esse profissionais que usam o título de jornalista! E sim, concordo que se devam alertar todos desta situação. A voltar a repetir-se uma 'queda da varanda' que não seja por ignorância.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu apenas estou a alertar, não tenho provas apenas encontrei estes dados que compilei. Mas Acredito que vale mais antecipar o perigo do que chorar depois do acidente. Repare que quase ninguém sabe dos perigos destas drogas, pois estão sempre a criar novas, além do mais existe o perigo de um amigo "engraçadinho" querer animar um amigo mais "atinadinho" ou tímido e colocar uma pastilha destas na bebida dele, com boas ou más intenções o resultado nunca será bom... pelos vistos... e é assim que as coisas acontecem.

      Por isso nem sempre é por palermice... por isso convém avisar o máximo de pessoas para existir o cuidado.

      Eliminar
  2. Isso é tudo muito relativo. Na minha opinião o que mata mais são brincadeiras de mau gosto que se fazem com amigos... E não é preciso ir a uma loja pa arranjar drogas, conheço algumas espécies de cogumelos silvestres bem mais potentes que qualquer droga de "loja". Essa realidade é preocupante, mas é melhor essas lojas a vender esses produtos, do que comprar nas ruas, sem saber a origem nem como são feitos... São prós e contras a ter em atenção. Mas muitos parabens pelo artigo, bate qualquer profissional

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo elogio.
      A legalização das drogas ou não seria um assunto que dava pano para mangas... o que está aqui em causa é apenas o desconhecido, a falta de investigação. Se estas drogas podem ser usadas ao abrigo da lei, é então urgente que as testem e descubram os seus efeitos e os descrevam como qualquer droga legal.
      É errado vender drogas sem que a pessoa tenha acesso à informação sobre o que isso lhe pode causar, a ela e a terceiros, pois a maioria das drogas, causa também perda de reflexos (tal como o álcool) podendo provocar acidentes de viação que matam inocentes, por exemplo. Talvez tenha razão em dizer que é preferível vender-se em lojas, mas segundo os investigadores mesmo essas lojas colocam herbicidas e outras coisas estranhas nas drogas. E depois ainda há outro problema, a venda nas lojas coloridas e chamativas acaba por induzir o consumo de jovens de 13 e 14 anos, acreditando que se é livre é seguro...
      São questões polémicas que tem perdurado, mas pelo menos fica aqui o alerta para esta polémica que ainda não tinha nascido.

      Eliminar
  3. Eu já tomei e tomo tanto drogas legais vendidas em smartshops, como marijuana e derivados, eu faço-o, nunca me deu para fazer nada estupido. Mas imaginem mesmo marijuana, haxixe, sabe-se lá de onde e como vem, como é produzido. Pode possuir todo o tipo de quimicos que desconnhecemos. No entanto eu acho que devia ser tão legal como "sabonete". Isto apesar de nao viver na fantasia que o seu consumo nao faz mal, mas sim porque há que ter consciencia e informação e haver uma acção informada de querer ou não consumir seja o que for.
    Apostem na legalização ao invés da proibição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A legalização das drogas seria um assunto que dava pano para mangas...
      Se estas drogas podem ser usadas ao abrigo da lei, é então urgente que as testem e descubram os seus efeitos e os descrevam como qualquer droga legal.
      É errado vender drogas sem que a pessoa tenha acesso à informação sobre o que isso lhe pode causar, a ela e a terceiros, pois a maioria das drogas, causa também perda de reflexos (tal como o álcool) podendo provocar acidentes de viação que matam inocentes, por exemplo. Talvez tenha razão em dizer que é preferível vender-se em lojas, mas segundo os investigadores mesmo essas lojas colocam herbicidas e outras coisas estranhas nas drogas. E depois ainda há outro problema, a venda nas lojas coloridas e chamativas acaba por induzir o consumo de jovens de 13 e 14 anos, acreditando que se é livre é seguro...
      A si nunca lhe aconteceu nada de mal, mas nunca se sabe, existe todo um desconhecido que ninguém pode prever quando se trata de alucinações. E mais imprevisto ainda quando se trata de drogas que mexem com o estado de consciência e o cérebro.

      Eliminar
  4. se o tema é complexo , a falta de pesquisa para formular uma opinião, ainda complica mais e se a opinião dada é claramente infundada o caos passa a reinar :D

    Eu já tomei e tomo tanto drogas legais vendidas em smartshops, como marijuana e derivados, eu faço-o, - este comentário é falso

    mas segundo os investigadores mesmo essas lojas colocam herbicidas e outras coisas estranhas nas drogas. - Onde leu isto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "o cogumelo Amanita Muscaria, provoca alucinações que podem durar dez horas e já foi proibido na Holanda. Em Portugal é o único que pode ser comercializado."
      "(...)explica Stephanie. "A trip é tão forte que dá para ver elefantes brancos ou coisas cor-de-rosa... perde-se totalmente o controlo e há tendência para cair."

      Se ler as fontes do artigo encontra estas citações,

      "director clínico do Instituto da Droga e da Toxicodependência vai mais longe: "Muitas destas substâncias são legais, porque na lei não está previsto o seu uso humano. Não vamos proibir sabonete só porque alguém se lembrou de o consumir", explica. "Além disso, análises em laboratórios provam que muitas delas também têm produtos químicos."

      MAIS

      Desde quando o facto de as pessoas tomarem uma droga e não terem alucinações faz disso um facto inabalável? Cientifico? As drogas são substancias instáveis, assim como o ser humano.
      Existem drogas legais testadas há décadas que ainda se desconhecem sobre elas, efeitos que nem se imaginam... para o bem e para o mal.
      Mesmo os efeitos do álcool variam de pessoa para pessoa.

      Como pode você basear-se na sua experiência pessoal para colocar em causa o que está no artigo baseado em sites com estudos feitos sobre a matéria?

      As vitimas da Talidomia, foram vitimas disso mesmo, uma droga que foi legalizada e cujos estudos não conseguiram prever que EM ALGUNS CASOS, causava atrofia total dos membros dos filhos de quem tomava essa droga....

      por isso afirmar que as drogas não fazem isto ou aquilo, é um pouco surreal... por hora.
      Este é apenas um exemplo.... há mais claro, mas nunca devemos sentir-nos tão seguros de um assunto onde as variáveis são imensas.
      E acusar de falso, sem provas.
      Como poder ler no artigo do iol, um especialista na matéria, afirma que podem usar o que quiserem pois basta colocarem no catalogo que não é para consumo humano.
      Eu lancei um alerta não fiz um estudo cientifico, nem acusei ninguém de falso, nem afirmei arrogantemente que isto é um facto inabalável... isto é um alerta.

      Ou seja, há suspeitas, vale mais prevenir que remediar... e só para quem quiser.

      Eliminar
    2. Alias devo acrescentar que a minha opinião foi fundada em pesquisa sim, quem tiver paciência para ler basta escrever no google drogas/ alucinação/ voar. Eu apenas facilitei compilando aqui alguns dos sites, com resumos mas com os devidos links... mas li muitos mais. Claro que mais uma vez esclareço que não sou dona da verdade nem estou a impor isto como um facto mas como uma suspeita...


      ALGUNS DOS SITES QUE CONSULTEI
      http://www.infoescola.com/drogas/lsd/
      http://www.coladaweb.com/drogas/lsd
      http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/alucinogenos/index.php
      http://www.psicosite.com.br/tra/drg/ecstasy.htm
      http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/05/120508_drogas_uniao_europeia_jr.shtml

      http://www.camh.net/about_addiction_mental_health/drug_and_addiction_information/lsd_dyk.html

      Eliminar