29 outubro, 2012

Grécia de novo em alvoroço, ricos fogem ao fisco com contas na Suiça.

os indignos indignados

Que ninguém se atreva a divulgar o destino do dinheiro roubado ou desviado, aos países em crise.
Por Lefteris Papadimas
"ATENAS, 28 Out (Reuters) - 
A polícia grega prendeu o editor de uma revista que publicou uma lista de mais de 2 mil nomes de gregos ricos que depositaram dinheiro em bancos suíços, informou a polícia neste domingo.

A chamada "Lista Lagarde", entregue aos gregos por autoridades francesas 2010 com nomes a serem investigados por possível sonegação de impostos, tem sido tema de acalorada polémica na mídia grega.

A revista "Hot Doc" publicou a lista de 2059 nomes, incluindo algumas figuras políticas e empresários conhecidos, no sábado. A revista disse que a lista havia sido enviada anonimamente. Autoridades não confirmaram se a lista é verdadeira.
Um promotor ordenou a prisão do editor Costas Vaxevanis, no sábado, por violar as leis sobre divulgação de informações particulares.
"Não há evidências de que as pessoas ou empresas incluídas na lista violaram a lei. Não há nenhuma evidência de que eles violaram a lei de evasão fiscal ou lavagem de dinheiro," acrescentou.
A lista causou discussões acaloradas na quase falida Grécia, onde a raiva do povo contra políticos e autoridades cresce na proporção em que medidas de austeridade atingem as camadas mais pobres da sociedade." FONTE e o artigo original

17 comentários :

  1. Estamos muito próximos dos gregos. A fuga de capitais é idêntica e os montantes são vergonhosamente assustadores.
    Na Grécia a corrupção a todos os níveis é das mais altas que se pode esperar num país de terceiro mundo.
    Em Portugal ainda estamos a descobrir em que grau estamos nessa medida mas julgo que será idêntico ou talvez maior do que o dos gregos e o desfecho será exatamente o mesmo. As listas dos culpados irão aparecer e desaparecer como qualquer prova documental de corrupção até agora tem sido, misteriosamente, feita desaparecer.
    O que fazer? Cabe a todos nós termos uma atitude muito firme e decisiva em relação a esta vergonha, o mais rápido possível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão!

      Uma das medidas se a Europa( vulgo UE) pretende enfrentar com sucesso esta crise será a de extinguir todos os paraísos fiscais em solo europeu: San Marino, Andorra, Liechtenstein, Mónaco, Gibraltar, Suíça, etc.

      Cada Estado deve tornar públicos os nomes dos titulares de contas em off-shores e respectivos montantes.

      Pelo exposto se percebe que com a actual classe política no poder nas chancelarias europeias não vamos a lado nenhum.

      É uma tarefa extremamente exigente e não existem políticos à altura da sua realização.

      Cumps.
      Falso Vate



      Eliminar
    2. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK
      http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
  2. Correção ; deve-se ler '' primeiro mundo ''e não ''terceiro mundo''

    ResponderEliminar
  3. As maiores provas que os dirigentes, que nós nos países democráticos elegemos, estarão "feitos" e, alegadamente são beneficiários das fugas de dinheiro - para "lavagem" e posterior retorno legalizado à economia e finança global - para off-shores são:

    - Raramente falam do assunto em reuniões internacionais e, quando o fazem, as conclusões são sempre vagas e inconclusivas.
    - A solução, para qualquer país, é simples: todas as transacções bancárias com off-shores (in ou out) seriam taxadas em 90% sobre o valor movimentado.(BPN - Cabo Verde, Banco Insular, lembram-se?)
    - Desde há muito tempo, há tecnologia RFID, barata (http://en.wikipedia.org/wiki/Radio-frequency_identification)
    que pode identificar todo o percurso de qualquer unidade de papel-moeda, indicando todos os locais por onde ela passa. Porque será que, até hoje, nenhum governo a aplicou?

    Meus amigos: O crime atingiu tal dimensão, à escala nacional e internacional, que controla todas as decisões políticas importantes dos estados e das organizações multinacionais. NÓS, gente que trabalha,SOMOS AS VÍTIMAS. Mas nós, ainda, votamos. TEMOS É DE VOTAR BEM!


    Por exemplo: Os malditos "mercados" são bolsas que admitem capitais sem que a ORIGEM do dinheiro seja controlada logo, por onde o crime "lava" os seus "ganhos".
    Os juros que pagamos vão, na sua maioria, para enriquecer - mais ainda - criminosos!

    ResponderEliminar
  4. E porque não acabar com os mercados de capitais?
    Isso só sorve para esconder e mascarar os agentes do capitalismo selvatico.
    Para mim a bolsa fechava. As empresas voltavam a ser apenas e só empresas. Que produzem bens ou serviços e tens lucros com isso.
    No modelo dantesco em que vivemos nem sabemos quem são os donos das multinacionais ou dos grandes bancos.
    Temos de acabar com a economia virtual, de capitais, e voltar á economia real.
    O Dinheiro tem de ser produzido e controlado pelos bancos centrais nacionais.
    Defender de igual modo empresários e trabalhadores. Só assim podemos vir a ter uma sociedade dinâmica, transparente, livre e profícua.
    Diminuir a clientela politica. Assembleia com 50 deputados chega.
    Vereadores de câmaras reduzidos ao mínimo.
    Presidência da Republica fundir com governo executivo.
    Fundações passam a ser financiadas por privados(se estiverem interessados). Institutos, só uns 5 ou 6 que sejam reflexo do tipo de economia que temos ou queremos ter.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. O "mercado" poderá existir.
      De onde vem o dinheiro para lá é que as polícias devem saber e... actuar!

      Eliminar
    2. Concordo com a maioria do que afirma.

      No entanto, o problema do Parlamento não é o número de deputados. São os seus ordenados e mordomias. Manteria os 230 (é importante assegurar a representatividade política) pois a prazo iríamos cair num bipartidarismo que é a causa de muito dos nosso males (lembrem-se do centrão PSD-PS que é a causa de muito dos nossos males e do Rotativismo do séc. XIX). Salário máximo de 2000€, dedicação exclusiva e ausência de subsídios de transporte, de alojamento, de viaturas de serviço e outras regalias.

      Presidência da República autónoma do poder executivo e orçamento anual de 1,5 milhões de Euros.

      A nível autárquico, todos os cargos não-electivos ocupados por seleccionados por concurso público transparente e controlado por entidade externa.

      Extinção de empresas municipais e de fundações. Limitar as fundações em número e áreas de actuação.

      Tabelar preços e salários.

      Regulamentação pelo Estado do preço dos combustíveis.

      Redução do IVA na restauração para 10% (média da UE).

      Redução do número de oficiais nas FA´s (em particular de oficiais-generais para 15).

      Nacionalização das auto-estradas (afinal, foram pagas pela UE e por nós). Taxa anual de 25€ para os veículos que nelas circularem (como na Suíça e é suficiente para a sua manutenção).

      Virmos para este blog que a Zita tão laboriosamente mantém, despejar a nosso descontentamento com a classe política, não é suficiente. Devemos diagnosticar os erros, os abusos e, sobretudo, mostrar como podem ser eficientemente corrigidos.

      Parabéns à Zita pelo espaço de divulgação e de debate que proporciona. Obrigado!

      Cumps.
      Falso Vate

      Eliminar
  5. Anónimo 29 Outubro, 2012 21:55,

    Também concordo com algumas opiniões suas. Mas vamos ás que discordo(só estas estimulam o debate e aprendizagem).

    "Manteria os 230"

    Nunca. Nem é pelo ordenado que auferem. É pela nulidade que representam. 80% só estão lá para levantar o dedo a mando do partido.
    19% estão lá para fazer negócios(Você não viu os vídeos do dr Paulo Morais?), que são bons para eles e maus para o resto do pais.
    Além do que ganham fora os ordenados(viagens, comissões, subsídios etc) ficam com uma reforma brutal e vão sendo cada vez mais pois a maioria está lá um mandato. Multiplique 230 pelo numero de governos que já houve desde o 25 de Abril.

    A questão da representatividade podia ser minorado acabando com a porcaria dos círculos uninominais(ou lá como se chama isso).
    Um partido que tenha 10% de votos tem 5 deputados. 2% 1 deputado.
    Um pais com um PIB 10x mais que o nosso não tem 10x mais deputados que nós. A nossa democracia é demasiado dispendiosa para o nosso tamanho.

    Eu defendo estrutura politicas magras, mas não necessariamente, um estado pequeno e apenas regulador.Não.
    A Banca, as estradas, as aguas, a energia, o ensino, a Saúde devem ser nacionalizados. E estas estruturas comunitárias(não confundir com comunismo ou socialismo) devem ser lucrativas de forma a libertar os cidadãos e empresas de impostos pornográficos e permitir a economia florescer.
    Temos de pensar fora da caixa. De forma livre. As palas das ideologias politico-económicas só servem para dividir.
    Eu sou contra o capitalismo, sou contra o comunismo, sou contra o liberalismo, contra a globalização(Não confundir com isolacionismo).
    O povo português tem potencial aproveitar bem os nossos recurso e viver razoavelmente em média. Não somos ricos, não somos pobres. Embora este povo esteja demasiado moribundo devido á lavagem cerebral que tem levado ao longo dos últimos anos.
    Se isto fosse justo e a riqueza mais distribuída, haveria menos desemprego, haveria mais gente a querer criar empresas e em geral mais e melhores opções de vida. Isto só depois de uma limpeza á escumalha que tem governado e á escumalha que circunda os meios do poder.




    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. "Redução do IVA na restauração para 10% (média da UE)."

    Por mim até podia ser mais baixo.

    "Redução do número de oficiais nas FA´s (em particular de oficiais-generais para 15)."

    Calam ai! Podemos diminuir os cargos de chefia, mas não sou apologista da destruição das FA. Sou a favor de umas FA modernas, moveis, bem equipadas, vocacionadas para um eventual guerra assimétrica contra nós e nunca vocacionada para andar por ai a mando da NATO a enviar tropa para o Kosovo, Afeganistão, Iraque, Siria etc e para outros confins que nada temos a ver, e que são guerras criadas pelo poder económico globalista.
    No meu ver as FA não pesariam muito no orçamento, mas seriam respeitadas e seriam um pilar da da independência nacional. Nunca para fins colonialistas. Isso é com ingleses, franceses, americanos, chineses etc.

    "Regulamentação pelo Estado do preço dos combustíveis."

    Combustíveis seriam nacionalizados, ponto. É uma área que deve ser comunitária. Se por acaso tivéssemos petróleo porque razão devia este pertencer a um magnata qualquer?

    "Nacionalização das auto-estradas"
    "Extinção de empresas municipais e de fundações"

    100% de acordo.

    "Presidência da República autónoma do poder executivo e orçamento anual de 1,5 milhões de Euros."

    Bem dou esta de barato. Embora num sistema politico saudável, isso seria redundante. Mas pronto ficaria pelo simbolismo e para coisas cerimoniais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quanto aos deputados mantenho a minha perspectiva. Não estou a defender a manutenção dos actuais! Defino acima as condições em devem exercer funções. A corrupção tenderá a existir independentemente do número de deputados. Devem existir mecanismos de controlo efectivos e actuantes. Limitação de mandatos a 2, sem pensões/subvenções vitalícias.

      Quanto às FA´s, não proponho a sua extinção! Onde leu isso?
      Defendo sim é a diminuição drástica do oficialato (em particular de oficiais-generais).
      Nesta área defendo que o Exército deveria vender todos os tanques (carros de combate Leopard 2 e M60), e concentrar-se em forças dotadas de forte mobilidade e poder de fogo. Veículos blindados de transporte e de combate de rodas(Pandur, LAV-IV ou V, SISU, a seleccionar) e fabricados cá sob licença e com contrapartidas reais para o país. Devido à localização geográfica e características territoriais precisamos é de forças ágeis (blindados de rodas e helitransportadas, dotadas de meios anti-tanque e anti-aéreos portáteis - TOW, Milan-ER, Spike, Stinger, Mistral) e alguns lança-foguetes.

      Para a defesa costeira, algumas baterias móveis de Harpoon.
      Mais 4 helicópteros Merlin para SAR, vigilância costeira e apoio às pescas.
      Vender as fragatas da Classe M (Karel Doorman). Construir em Viana do Castelo 6 navios-patrulha oceânicos.

      Força Aérea limitada a 15-18 F-16MLU (vender todos os outros F-16). Manter as restantes aeronaves e substituir os Alouette III por 12 Helis de pequeno porte (transporte leve, treino, ligação).

      O PR não deve ser apenas decorativo. Deve agir como mais uma instância de controlo do poder legislativo (Parlamento, essencialmente), do executivo (governo) e do judicial.

      Fim da nomeação partidária dos Juízes do Tribunal Constitucional. Introdução de um sistema de avaliação individual dos Juízes, cuja progressão será escrutinada pelo Conselho Superior respectivo, pelo Parlamento e pelo Supremo Tribunal de Justiça.
      Quanto ao Tribunal de Contas manteria as suas funções, os seus pareceres sobre as contas públicas teriam carácter vinculativo.
      No caso de infracção, haveria lugar à respectiva acção criminal/judicial sobre os infractores.

      Cumps.
      Falso Vate

      Eliminar
  8. Hoje vi o debate pelo orçamento de estado para 2013 e meus amigos visitantes deste blog e Zita (a mãe deste blog), aquilo é um autêntico degredo. Mais de metade daqueles deputados que lá estão só estão por estar lá, uns metidos no facebook, outros a fazer negócios, outros a dormir, outros calados a ouvir acusações de parte a parte. Portugal está muito mal e não há esperança no presente e no futuro. Portugal vai caminhando para o estado actual da Grécia. Um exemplo é o povo Português trocar sua alimentação por papas e em situação idêntica na Grécia são os estabelecimentos comercias venderem comida fora de prazo. Isto é dramático. Não há trabalho, as pessoas desesperam por uma oportunidade, por um contacto telefónico para entrevista, mas nada. Eu estou desempregado há 7 meses e durante esse espaço de tempo só recebi 4 chamadas telefónicas. Agora imaginem aqueles que estão desempregados há 2, 3, 4 e 5 anos. O sofrimento e a depressão que sentem. Reparem bem que o filho de Luís Filipe Menezes (Autarca de Vila Nova de Gaia), mal saiu da faculdade, e o pai o colocou como deputado e vice presidente do grupo parlamentar do PSD. Como este caso há muito mais. Os políticos nunca vão saber o que é a vida. Nasceram em berços de ouro, foram estudar nas Universidades privadas e depois o resto vocês já sabem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há esperança nos próximos 10 anos, mas podemos lutar para que com o tempo e mudando as mentalidades, divulgando estes crimes, desacreditando os políticos e o regime, se consiga em breve dar inicio ao fim deles e ao renascer de Portugal.
      Talvez já não estejamos vivos para conhecer Portugal como o queremos, mas pensemos nos nossos filhos e netos...
      Pensemos nos filhos e netos dos políticos que vão roubar e explorar os nossos filhos e netos.

      Eliminar
    2. O poder está no Povo e não nos políticos! Os políticos nunca mudarão pois vivem noutra esfera, muito protegida e totalmente fora da realidade sofredora do país. Cabe a nós ponderarmos sériamente o que fazer em relação ao nosso futuro, o dos nossos filhos e netos. Sou contrário à violência mas casos há em que essa se torna inevitávelmente necessária para mudar o rumo da nossa medíocre história.Noto que grande parte dos portugueses, chegaram ao seu limite e não estão dispostos a submeter-se vergonhosamente ao que este governo, de forma tão vil, diáriamente, lhes impõe.Eu incluo-me também nesse grupo.
      Este macabro, cínico e lento cenário de tortura a que diáriamente estamos a ser sujeitos, tem de acabar.Ainda não chegamos a 2013 e já se nota o desespero de muita gente. A dignidade humana está acima de tudo!!!!!Jorge

      Eliminar
    3. Obrigado Jorge, pelo seu contributo.

      Eliminar
  9. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
    A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
    MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK
    http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

    ResponderEliminar