03 dezembro, 2011

A Islândia em nada se pode comparar a Portugal...

bpn roubam islandia
Não devemos iludir-nos e pensar que Portugal terá o mesmo percurso de sucesso que a Islândia tem exibido após o colapso de 2008. 
Portugal é um mundo diferente. Aqui, os responsáveis pela estrutura deficiente existente neste país, têm-se assegurado de que: 
a) nunca serão eles a pagar a factura da crise; 
b) continuarão a estruturar o país de forma a manterem a sua posição. 
Não há como negá-lo, as evidências estão aí. E pergunta-se: "E o povo pá?" Até agora temos estado mansos, mas eu, povo me confesso, já sentir uma força a crescer-me nos dedos e uma raiva a nascer-me nos dentes...
Na Islândia...
1 - A Islândia exige democracia, e estão empenhados contra a corrupção. 
2 - Os cidadãos islandeses recusaram-se a pagar os buracos feitos por banqueiros e políticos corruptos.
3 - O islandeses não deram tréguas aos corruptos do sector bancário e financeiro,  perseguiram-nos na rua e na justiça.  As pessoas apupavam-nos no teatro, atiravam-lhes bolas de neve em plena rua, lançavam bocas nos restaurantes ou deixavam "espirituosas" pinturas nas casas deles.
4 - O Ex-primeiro-ministro islandês vai ser julgado por negligência governativa. Em Portugal ninguém sabe o que isso é, em termos jurídicos, mas sentimos na pele todos os dias os seus efeitos.
5 - Na Islândia os bancos vão à ruína mas os seus dirigentes podem ir para a cadeia. 
6 - Na Islândia a imensa maioria dos executivos da banca, responsáveis pelos desfalques estão na rua, não permanecem em cargos, e alguns aguardam julgamento. 
7 - A Islândia possui uma comissão constituinte de cidadãos sem filiação partidária que agora é consultada em quase todas as decisões políticas e pela contínua busca e julgamento dos responsáveis pelo estalar da crise.
8 - O resgate da Islândia foi apenas de de 2,1 mil milhões, o de Portugal já ultrapassou em larga escala.
9 - A Islândia não pertencia à UE nem ao Euro. 

Em Portugal 
1 - A democracia já não passa de uma palavra vazia de sentido, e o povo continua a pactuar com o regime corrupto, votando sempre nos mesmos.
2 - Os cidadãos portugueses tiveram que assumir os buracos e as loucuras dos banqueiros e políticos corruptos... se o fizemos por excesso de apatia ou por ausência de democracia é um dilema de solução difícil, já que um conduz ao outro e alimentam-se mutuamente.
3 - Em Portugal ao descobrirem-se os autores dos golpes corruptos do sector bancário e financeiro, responsáveis por grande parte da crise, não se fez nada de concreto. Não os perseguiram na rua ou na justiça, As pessoas nunca os apupavam no teatro, nunca lhes atiraram objectos em plena rua,  nem lançavam bocas nos restaurantes nem deixaram "espirituosas" pinturas nas casas deles. Ainda lhes é permitido circular em cargos políticos e públicos. E se um dia se candidatarem a presidente arriscam-se a ganhar o posto.
4 - O Ex-primeiro-ministro islandês vai ser julgado por negligência governativa. Em Portugal ninguém sabe o que isso é em termos jurídicos, mas sentimos na pele todos os dias os seus efeitos. O nosso digníssimo ex-Sócrates está a viver uma vida regalada e de luxo em Paris. Com um nível de vida nunca possível pelo salário que usufruiu enquanto PM. 
5 - Os bancos caem reincidentemente em ruína mas os seus dirigentes saem sempre ilesos.
6 -  A imensa maioria dos executivos da banca, responsáveis pelos desfalques continuam a exercer cargos de responsabilidade e impunes.
7 - Os Portugueses tem um intervenção reduzida a zero nas decisões mais vitais para o país.
8 - Talvez Portugal deveria ter abandonado o Euro, a UE, a PAC, as Quotas, a Globalização e todas as regras que atrasam o crescimento nacional na Agricultura, Pesca e Indústria, que a UE nos obrigou a desmantelar. 

Noticia do crescimento exemplar dos islandeses, o povo que bateu o pé e recusou pagar os buracos dos banqueiros.
"Em 2008, quando a falência de grandes instituições financeiras dos EUA arrastou bancos e países para crises da dívida pública sem precedentes, a Islândia fazia parte desta lista. Agora, quatro anos passados, o país apresenta ao mundo um crescimento económico notável.

De acordo com estimativas do FMI, a Islândia vai fechar 2011 com um crescimento do PIB de 2,5%, prevendo-se novo crescimento de 2,5% para 2012 – números que representam quase o triplo do crescimento económico de todos os Estados-membros da União Europeia –  A taxa de desemprego no país vai ainda descer para os 6%.
"A economia da Islândia está a recuperar das falhas sistemáticas dos seus três maiores bancos e voltou a um crescimento positivo depois de dois anos de contracção severa".
Das consecutivas decisões que o país foi tomando desde 2008 que não há vítimas a registar, a não ser os banqueiros e políticos que levaram à crise da dívida pública. 
A nacionalização dos três grandes bancos islandeses no rescaldo do seu colapso por pressão popular em 2008 e a queda do governo conservador abriu caminho à recuperação. O país continua a pagar o resgate de 2,1 mil milhões do FMI mas esse valor não impede o crescimento económico, potenciado ainda por medidas como a criação de uma comissão constituinte de cidadãos sem filiação partidária que agora é consultada em quase todas as decisões políticas e pela contínua busca e julgamento dos responsáveis pelo estalar da crise." http://www.ionline.pt/dinheiro/islandia-crescimento-economico-triplica-relacao-ue-2012



3 comentários :

  1. Respostas
    1. Reinventamos Portugal, mandamos prende-los a todos, e no meio de 10 milhões de concidadãos haverá com certeza, criatividade, empenho, inteligência e dedicação bastante para nos governarmos livres de ladrões corruptos e prepotentes.

      Eliminar