16 novembro, 2011

Justiça Social, à justa para reformados ou para delinquentes?

repressão reformados presos
UMA IDEIA A EXPLORAR?... Colocar os nossos idosos nas cadeias, e os delinquentes fechados nas casas dos velhos.

-Desta maneira, os idosos estariam permanentemente acompanhados.

-Teriam refeições quentes, e a horas.

-Teriam assistência jurídica gratuita.

- Teriam todos os dias acesso a um duche, lazer, passeios.

-Não teriam necessidade de fazer comida, fazer compras, lavar a loiça, arrumar a casa, lavar roupa etc.

-Teriam medicamentos e assistência médica regular e gratuita.

-Não teriam que pagar renda pelo seu alojamento.

-Teriam direito a vigilância permanente por vídeo, pelo que receberiam assistência imediata em caso de acidente ou emergência sem qualquer pagamento.

-As suas camas seriam mudadas duas vezes por semana, e a roupa lavada e passada com regularidade.

-Um guarda visitá-los-ia a cada 20 minutos e levar-lhes-ia a correspondência directamente em mão.

-Teriam um local para receberem a família ou outras visitas.

-Teriam acesso a uma biblioteca, sala de exercícios e terapia física / espiritual.

-Seriam encorajados a arranjar terapias ocupacionais adequadas, com formador instalações e equipamento gratuitos.

- Ser-lhes-ia fornecido gratuitamente roupa e produtos de higiene pessoal.

-Viveriam numa habitação privada e segura, com um pátio para convívio e exercícios.

-Acesso a leitura, computador, televisão, rádio e chamadas telefónicas na rede fixa.

-Teriam um secretariado de apoio, e ainda Psicólogos, Assistentes Sociais, Políticos, Televisões, Amnistia Internacional, etc., disponíveis para escutarem as suas queixas.

-O secretariado e os guardas seriam obrigados a respeitar um rigoroso código de conduta, sob pena de serem duramente penalizados.

-Ser-lhes-iam reconhecidos todos os direitos humanos internacionalmente convencionados e subscritos por Portugal.

Por outro lado, nas casas dos idosos:
-Os delinquentes viveriam com € 200 numa pequena habitação com obras feitas há mais de 50 anos.
-Teriam que confeccionar a sua comida e comê-la muitas vezes fria e fora de horas.
-Teriam que tratar da sua roupa.
-Viveriam sós e sem vigilância.
-Esquecer-se-iam de comer e de tomar os medicamentos e não teriam ninguém que os ajudasse.
-De vez em quando seriam vigarizados, assaltados ou até violados.
-Se morressem, poderiam ficar anos, até alguém os encontrar.
-As instituições e os políticos não lhes ligariam qualquer importância (?)
-Morreriam após anos à espera de uma consulta médica ou de uma operação cirúrgica.
-Não teriam ninguém a quem se queixar.
-Tomariam um banho de 15 em 15 dias, sujeitando-se a não haver água quente ou a caírem na banheira velha,
-Passariam frio no Inverno porque a pensão de € 200 não chegaria para o aquecimento.
-O entretenimento diário consistiria em ver telenovelas e o Goucha na televisão.
Digam lá se desta forma não haveria mais justiça para todos, e os contribuintes agradeceriam? 
Nos Estados Unidos, não brincam...

3 comentários :

  1. Muito bem visto. Infelizmente tambem a verdade para muitos idosos (a maioria?) Posso traduzir e meter no meu blog? insideportugal.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O FIM DO ABUSO DOS POLITICOS ESTÁ NAS NOSSAS MÃOS
      TEMOS OS POLÍTICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
      UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
      Em Portugal nas eleições, vence sempre a abstenção, a ignorância e os corruptos.
      O voto é a a nossa avaliação, o nosso concordar e discordar, a nossa forma de punir os que abusam. Mas o povo não vota
      O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
      O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
      Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
      (…)
      Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
      Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
      Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
      ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

      Eliminar
  2. Sim claro ... é sempre com prazer que goste de contribuir para a divulgação... use e abuse do que quiser para ajudar a divulgar...eles tem que perceber que o povo vai começar a saber.

    ResponderEliminar