26 setembro, 2011

SLN E BPN SEMPRE METIDOS EM BURACOS FINANCEIROS. POVO PAGA


BPN SLN arruínam empresas
Mais uma empresa que representa um buraco de milhões nas contas da SLN e BPN, a Cimentos Nacionais e Estrangeiros cujos prejuízos serão herdados pelo povo/estado, como vem sendo hábito.
Não há forma de contrariar esta tendência antidemocrática e injusta que penaliza em larga escala o povo e o país.
Nós não somos consultados e, pura e simplesmente, decide-se nacionalizar ou assumir dividas de empresas que acumulam prejuízos, fruto de má gestão e falta de controle, de amigos e políticos. Que durante anos as conduzem até à ruptura e nesta altura "oferecem-se" os prejuízos, as dividas, os funcionários inúteis e os problemas ao estado /povo.
CITAÇÕES DAS NOTICIAS que atestam o acima referido.
"A Cimentos Nacionais e Estrangeiros, a chamada cimenteira da SLN, declarada insolvente em Setembro de 2010. Em cima da mesa estão os planos de insolvência da própria Cimentos Nacionais e Estrangeiros (CNE), com a CGD à cabeça de um grupo que inclui o maior credor o BPN, no sentido de recuperar o funcionamento daquela companhia, que tem um total de dívidas de 153 milhões de euros. O plano de insolvência da CGD prevê o pagamento dos créditos sobre a insolvência "até ao valor máximo de 42 milhões de euros, deduzido dos valores de amortização antecipada, até ao montante máximo de 1,3 milhões de euros" com perdão das dívidas restantes. O plano da CNE prevê o pagamento de 70 milhões de euros aos credores e a manutenção da totalidade dos trabalhadores, segundo o seu plano de insolvência. O documento da CGD refere, por outro lado, que "o plano de insolvência do devedor não será o que melhor serve os interesses dos credores, tanto porque se revela estruturalmente frágil, pouco consistente e completamente desadequado da realidade do mercado do cimento em Portugal, como por, claramente, ser economicamente inviável caso sejam corrigidos os pressupostos irrealistas em que se baseia". fonte
"BPN. Ao nacionalizar o banco, o Estado não herda apenas o "buraco" de milhões de euros. Fica também com um volume de créditos do banco relativos às empresas do grupo da SLN, que empregam mais de seis mil pessoas. Resta saber o que o Estado vai fazer: manter o financiamento às empresas, cortá-lo ou desfazer-se delas para compensar os custos. O BPN era o principal financiador destas operações que actuam em áreas que vão desde o imobiliário, até à saúde, passando pela agro-indústria, já que o banco, mesmo com os problemas financeiros e de solvabilidade, era o principal activo da SLN. Em causa está um universo de 150 participações que empregam cinco mil efectivos, excluindo os do banco. O excesso de dependência destas actividades do banco e da exposição deste às empresas da SN já tinha sido identificado por Miguel Cadilhe, que procurou limitar esta situação de duas formas . Por um lado, as empresas foram aconselhadas a procurar fontes alternativas de financiamento. Por outro, foram colocados à venda um conjunto de mais de 30 activos e participações de controlo ou minoritárias em empresas de vários sectores, onde se destacam o Grupo Português de Saúde, a Real Seguros, a Cimentos Nacional e Estrangeiros ou a OMNI." fonte
NÃO PODIA DEIXAR DE CITAR ESTA EXPLICAÇÃO DE UM CRIME DISFARÇADO DE MÁ GESTÃO, QUE NÃO FOI MAIS QUE UM GOLPE DURO E BAIXO E QUE ENQUADRA PERFEITAMENTE NO CONTEXTO. 
"Não há memória de maior roubo ao Estado Português. Feito à luz do dia, ao longo de anos, narrado nos jornais com todos os pormenores, sem que a polícia ou os tribunais lhe pusessem cobro.
O BPN/SLN foi urdido, criado e gerido, expressamente para roubar os depositantes e o Estado português. Uma associação criminosa formada por governantes do PSD, incluindo o actual Presidente da República, que, com o PS nacionalizou o banco falido, comprando só o lixo, e que agora que com o PSD o privatiza, vendendo só o que tem valor, aos mesmos apaniguados do PSD.
Um prejuízo de 10 mil milhões, para Portugal!
Um lucro de 10 mil milhões, para a gatunagem no poder!
Uma manobra de gatunos bem combinados e coordenados.
Não é o Estado que é mau gestor. São os governos do PS e do PSD que são associações criminosas dedicadas ao roubo do Estado". FONTE

2 comentários :

  1. Vamos referendar a pena de morte para os politicos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. TEMOS OS POLITICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
      UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
      Em Portugal vence sempre a abstenção e a ignorância e os corruptos.
      O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
      O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
      Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
      (…)
      Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
      Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
      Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
      ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

      Eliminar