23 setembro, 2011

Madeira, a ilha do Dubai? E o burro sou eu?


Tropecei nestas belas imagens, do que se tem feito e fará de obras na Madeira, e decidi partilhar.
O momento pareceu-me oportuno já que todos vamos ser chamados a pagar por obras megalómanas, desprovidas de enquadramento económico e social, no pequeno país que temos e na gigantesca divida que continuamos a alimentar.
Algumas das imagens levam-nos a pensar que estamos no Dubai e não na Madeira, aquele povo sacrificado e bafejado com regalias fiscais e subsídios de insularidade, dadas as condições de pobreza!????
Pobreza... sim, mas de espírito, é o que tem demonstrado os nossos governos permitindo que alguém abuse do povo desta forma.
É  uma ofensa gastar 3 milhões de euros em 100 metros de areal, para fazer uma praia artificial?? Isto é crime em qualquer sitio no mundo.... (à excepção do Dubai)
Mas nós não temos as riquezas naturais do Dubai... as únicas fontes de riqueza que sustentam este país desgovernado, são os impostos INUTILIDADE DAS OBRAS
"Avançam as obras na praia.  São Três milhões de euros para pouco mais de cem metros de areal dourado (Data: 2008 " fonte 
Resta-nos decidir....  ou vamos viver para o Dubai, onde os dinheiros que sustentam a excentricidade e megalomania dos governantes advêm das riquezas naturais do país...
Ou vamos viver para a Madeira onde temos um pequeno Dubai, sustentado pela riqueza advinda quase exclusivamente dos impostos do povo continental, sobrecarregado.
Passaremos a pagar menos impostos e a ter mais para usufruir... subsidio de insularidade...e estas belas infraestruturas.

Claro... 
"Tribunal de Contas detectou 3,85 mil milhões de ilegalidades nas contas da Madeira" 13 Junho 2013, por Lusa
PENA É ESTAREM QUASE TODAS AO ABANDONO E A GASTAR MAIS IMPOSTOS EM MANUTENÇÃO. E TEREM SERVIDO APENAS PARA ENRIQUECER EMPRESAS AMIGAS.



Madeira luxos obras buracoFórum Machico
Este centro cultural é composto por um auditório com capacidade para 503 pessoas, está praticamente abandonado.
(sociedade desenvolvimento metropolitano)







Madeira luxos obras
Pavilhão Multiusos do Funchal (em Projecto) 












Madeira luxos obras buraco
Madeira luxos obras buraco










Madeira luxos obras buraco
Casa da Orquestra(em projecto) 











Madeira luxos obras buraco
Promenade Camara de Lobos - Funchal (em execução)
a “promenade” da Praia Formosa, vai desenvolver-se através de várias pontes, sendo o contacto com a escarpa reduzido ao mínimo. Na preparação da obra, foram efectuados estudos de hidráulica marítima, com vista a apurar os níveis de segurança e a cota final, a que o passeio se desenvolverá. 
(sociedade desenvolvimento metropolitano)





Madeira luxos obras buraco
Centro Cívico do Estreito de C. Lobos (concluido)














Madeira luxos obras buraco
Praia artificial de 100 m2, que custou 3 milhões de euros, de areia. 













Madeira luxos obras buraco
Campo de Golfe da Ilha do Porto Santo (7 milhões de euros e muitas expropriações de agricultores)










Madeira luxos obras buraco
Estádio de Desportos de Praia do Penedo do Sono 



















Madeira luxos obras buraco
Centro Desportivo da Madeira
o ultimo pavilhão desportivo custou 5,2 milhões para um clube de 2ª divisão mas com infraestruturas de luxo; 5 milhões de euros por ano são oferecidos pelo governo aos 3 clubes profissionais. Existe 1 estádio por cada 20 mil habitantes e foram construídos 12 nos últimos anos. A falta de espaço e a paisagem muito irregular fazem com que estas obras gigantescas se tornem ainda mais despesistas.






Madeira luxos obras buraco
Marina do Lugar de Baixo, que já terá custado 105 milhões de euros, "tem capacidade para 291 embarcações" mas "está às moscas". Para agravar todos os invernos esta marina é semi destruída pelo mar, situação que não foi acautelada por incompetência, o que resulta em manutençoes anuais despesistas, para uma marina deserta... cujo único utilizador são as ondas que a destroem e os técnicos que persistentemente a reconstroem.
 E há mais... 



3 comentários :

  1. Só me pergunto, como chegamos até aqui e nada se fez para parar este estado de coisas? Por muito que nos custe a admitir, a frau Merkel tem carradas de razão e eu no lugar dos alemães também não gostaria de ver o meu dinheiro gasto desta forma disparatada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós chegamos a este ponto porque os políticos nos retiraram qualquer poder de interferir. Aquilo que eles nos vendem como uma democracia é uma ditadura descarada. E nós otários vamos lá elege-los para eles roubarem o pais e o povo.

      " "O Grande Golpe terá estado nos números 1 dos artigos 285 e 286, a seguir transcritos:
      Artigo 285.º
      1.A iniciativa da revisão compete aos Deputados.
      Artigo 286.º
      1.As alterações da Constituição são aprovadas por maioria de dois terços dos Deputados em
      efectividade de funções.
      Ou seja, o voto popular foi, afastado para sempre, das revisões constitucionais, permitindo que 2/3 dos deputados a ajeitem, como entendam conveniente, na defesa dos interesses da classe, maquilhando-os de “interesse nacional”.

      Acesse ao Artigo completo: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/05/como-e-onde-os-politicos-decidiram.html#ixzz1wGy1d4sb

      Eliminar
  2. TEMOS OS POLITICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
    UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
    Em Portugal vence sempre a abstenção e a ignorância e os corruptos.
    O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
    O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
    Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
    (…)
    Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
    Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
    Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
    ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

    ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

    ResponderEliminar