13 setembro, 2011

Em 2010, a despesa pública consumiu 81,62 mil milhões de euros.


"Em 2010, a despesa pública consumiu 81,62 mil milhões de euros. Isto significa que, por cada 10 euros que a economia gerou, 4,79 euros foram gastos pelo Estado.
Caiado Guerreiro faz, contudo, questão de sublinhar que "esta engorda" do Estado se ficou também a dever ao aumento do número de organismos. "Assistimos, nas últimas duas décadas, ao aparecimento de centenas ou até milhares de novos organismos - fundações, associações, empresas -, que se alimentam do Estado e que agravaram, e muito, o peso da despesa pública no PIB.
Há casos desnecessários de duplicação de competências em alguns institutos, concorda Eugénio Rosa.
"Isto acontece porque temos todo estes institutos que dão emprego a milhares de pessoas e que simplesmente não produzem riqueza, mas que são antes uma fonte de despesa", salientou.
Tiago Caiado Guerreiro, o fiscalista recorda que, em muitos dos países em que a despesa pública tem um peso semelhante ao de Portugal, o modelo de Estado consagra mais apoios sociais, com evidente utilidade pra a população. "Em Portugal serve apenas para pagar os organismos que estão a mais", conclui." fonte




"Nos últimos 30 anos, a despesa pública aumentou de 29% para 45% do PIB.
Alimentada pela dinâmica de crescimento do peso das remunerações, com o aumento do número de funcionários, e reforçado por regimes de promoção automática.
Na despesa pública é fácil e popular subir degraus, contratar pessoas, dar mais regalias, abrir novos serviços. Mas, depois de o fazer, criam-se responsabilidades e direitos adquiridos que é difícil reverter."Fonte

Apesar destes estudos, nada parece fazer descer os valores que alimentam este monstro insaciável.
Esperam-se mesmo BATER recordes despesistas em várias áreas (2011).
- Combustíveis 47,5 milhões de euros em gasóleo ao serviço do Estado. Subida de 26,7% (mais 11,5 milhões de euros) apesar de se prever que o preço do petróleo aumente apenas 3,4%.
- Limpeza - aumentos em sete ministérios, terão os gastos mais elevados dos últimos sete anos
- Horas extras na Justiça, record de sempre, este ano: 24 milhões de euros, um aumento de 5,6 milhões de euros (23%). Aliás, feitas as contas, o valor orçamentado para horas extras este ano daria para pagar, a dez euros, 12 384 horas por dia.
- Seminários-O Executivo prevê investir MAIS em seminários ao longo dos próximos meses. O Ministério da Saúde (1 162 479), dos Negócios Estrangeiros (505 mil) e das Finanças (3 847 544) atingem o valor mais alto em eventos deste género em 2005.
- Contratações - Só neste primeiro semestre o estado já contratou mais 6.500 funcionário públicos, muitos deles para esses tais institutos inúteis.
Marques Mendes explica: "Diz-se que determinada empresa é tutelada pelo Estado, mas o Estado não tem meios para tutelar nem fiscalizar nada. As empresas estão em autogestão, por isso é que há grandes orçamentos não controlados e um grande regabofe nas empresas públicas".fonte

Devemos considerar sempre, como as mais válidas e sábias , as palavras dos que já estiveram do lado de dentro... este senhor certamente sabe do que fala.
81,62 MIL MILHÕES GASTOS EM REGABOFES E EM AUTOGESTÃO FAZEM MAL À NAÇÃO.
Contudo dou-me à liberdade de acrescentar mais algumas parcelas, despidas de eufemismos, para que a despesa tenha chegado a este ponto. Aliás este blog é precisamente isso que pretende fazer- um somatório das fugas do dinheiro público.
As parcelas estão na barra lateral direita... Para quem quiser consultar... e somar.
Deixo apenas 3 de amostra... É só somar. -- 70 milhões -- muitos milhões.

Video elucidativo dos parasitas que temos que sustentar 






Sem comentários :

Enviar um comentário