18 novembro, 2013

Exemplo de como funciona a pressão e submissão dos governos? Corrupção Angola e Portugal.





As relações com Angola, beneficiam as elites e não Portugal.
"Que não se enganem os angolanos: a razão porque o governo português pede desculpa nada tem a ver com respeito por eles ou pelo seu governo.
É pura necessidade. Há um Portugal que precisa do dinheiro dos angolanos, que quer agradar ao seu ditador e aos que roubam o seu povo. Mas a verdade é que a maioria dos portugueses não vê um cêntimo do dinheiro do BIC ou do BES, do BPI, da GALP ou da ZON, que unem o Grupo Empresarial MPLA e o Grupo Empresarial Bloco Central.
A minha vida não melhorou com os investimentos angolanos em Portugal, a da maioria dos angolanos não melhorou com os investimentos portugueses em Angola. A elite angolana limita-se a lavar dinheiro em Portugal, a comprar o silêncio cúmplice das nossas elites e a entrar na Europa pela porta dos fundos. E a elite portuguesa limita-se a tentar sacar uns trocos do pornográfico saque aos angolanos.

(...)Não há ameaça velada de José Eduardo dos Santos (que quer comprar o silêncio de todos os portugueses através da chantagem, num tempo de necessidade), não há risco para os emigrantes portugueses em Angola, não há dinheiro de Isabel dos Santos, não há compras de grupos de comunicação social feitas por testas de ferro do governo de Luanda que possam travar o espírito livre de quem dá valor às suas convicções.
Bem sei que o meu governo, que quase todos os partidos do meu país, que os empresários e que até muitos intelectuais e jornalistas portugueses se comportam de uma forma indigna, rastejando aos pés de José Eduardo dos Santos por uns trocados. Por umas empreitadas, umas parcerias, umas encomendas, umas compras, umas vendas, uns investimentos, uns financiamentos.
Como não tenho nem quero ter negócios em Angola, para mim tudo está como estava. Com ou sem parceria estratégica, José Eduardo dos Santos é um dos mais refinados ladrões que África e o Mundo conhecem. E só terei orgulho em ser português enquanto puder escrever esta evidência livremente. E enquanto puder continuar a ser solidário com os que, em Angola, lutam pela democracia, pela justiça social e pela decência ética, arriscando a sua liberdade e a sua vida. Porque a parceria estratégica que me interessa é, antes de tudo, entre povos. Os negócios, sendo importantes, vêm depois. E sei que virá o dia em que Angola será uma democracia madura. E virá o dia que Portugal terá resgatado a sua dignidade. Quando as duas coisas acontecerem, os dois Estados terão as parcerias que os seus povos merecem.
Parte do artigo Publicado no Expresso Online, por Daniel Oliveira

Este é o exemplo de um dos métodos para pressionar os nossos governos.
São pressionados a silenciarem a justiça, a esquecerem o interesse nacional, a deixarem de esquecidas as promessas, a violarem a constituição, são ainda pressionados a manter os lobies bem alimentados, a sustentar os privilégios e luxos das corporações e da banca (empresas do costume)... etc, surgem pressões a todos os níveis e de vários sectores.
Mas Eduardo dos Santos, habituado aos métodos de Angola, mostra como é que se devem fazer as coisas... sem hipocrisia e por cima da mesa...  é mesmo à descarada, na TV, em directo e a cores... e porque não? O homem fez-se rico e intocável. E numa altura em que Portugal se coloca a investigar o que não deve... Eis que Angola reage.
Mas, Portugal aprende depressa... em breve teremos os nossos próprios manipuladores de governos, os do costume, a fazê- lo assim mesmo, "à Eduardo dos Santos". 

MAIS UM CASO DO PODER DAS DITADURAS... O CRIME AO ABRIGO DOS GOVERNOS
"O general Bento dos Santos “Kangamba” (primo de Eduardo dos Santos) escapou à detenção, há dias, no principado de Mónaco, por ser portador de um passaporte diplomático.
As autoridades francesas, segundo apurou o Maka Angola, tentaram a detenção do general, que se encontrava hospedado no Hotel Metrópole, em Monte-Carlo, com um séquito de 20 amigos. A polícia local pretendia interrogar e encarcerar o general por branqueamento de capitais, crime organizado e associação de malfeitores, mas o general invocou imunidade diplomática para evitar a detenção.
Em causa está a apreensão de dinheiro, no valor de quase 3 milhões de euros (cerca de US$ 4 milhões), e da detenção de cinco indivíduos, que transportavam o dinheiro, de Portugal para a França, para pagamento do vício do general pelo jogo. O Hotel Metrópole fica a 50 metros do Casino Monte-Carlo, o local preferido para os jogos do general, que também é o secretário do comité provincial de Luanda do MPLA para organização e mobilização periférica e rural. Os cinco indivíduos encontram-se detidos por branqueamento de capitais, crime organizado e associação de malfeitores." FONTE, NO PÚBLICO

Desabafo de um Angolano...
Somos o povo especial escolhido do Sr.Engenheiro.
E como povo especial escolhido por ele, não temos água nem luz na cidade.
Temos asfalto cada dia mais esburacado .
Os que, de entre nós,vivem na periferia, não têm nada. Nem asfalto. Só miséria, lixo, mosquitos, águas paradas. Hospitais?!!! Nem pensar.
O povo especial não precisa.
Não adoece. Morre apenas sem saber porquê.
E quando se inaugura um hospital bonito e ficamos com a esperança de que as coisas vão mudar minimamente, descobre-se que as máquinas são chinesas, com manuais chineses sem tradução e que ninguém sabe operá-las...

Estas são opções especiais para um povo especial.
Educação?!! O povo especial não precisa. Cospe-se na rua ( e agora com os chineses, temos que ter cuidado para não caminharmos sobre escombros escarrados de fresco...), vandalizam-se costumes, ignoram-se tradições .
Escolas para quê e para ensinar o quê?!! Que o sr.engenheiro é um herói porque fugiu ali algures da marginal acompanhado de outros tantos magníficos?!!!
Que a Deolinda Rodrigues morreu num dia fictício que ninguém sabe qual, mas nada os impediu de transformar um dia qualquer em feriado nacional?!!!!
O embuste da história recente de Angola é tão completo e manipulado que até mesmo eles parecem acreditar nas mentiras que inventaram...
Se incomodarmos o sr.engenheiro de qualquer forma, sai a guarda pretoriana dele e nós ficamos quietos a vê-los barrar ruas anarquicamente sem nos deixar alternativas para chegarmos a casa ou aos empregos.
O povo especial nem precisa ir trabalhar se resolvem fechar as ruas.
Se saírmos para almoçar e eles bloqueiam as ruas sem qualquer explicação, só temos uma hipótese: como povo especial não precisa de comer, dá-se meia volta de barriga vazia e volta-se para o emprego.

E isto quando não ficamos horas parados à espera que o sr.engenheiro e sua comitiva recolham aos seus lares e nos deixem, finalmente circular.
Entramos em casa às escuras e saímos às escuras. Tomamos banho de caneca.
Sim, bem à moda do velho e antigo regime do MPLA-PT do século passado .
Luanda, que ainda resiste a tantos maus-tratos e insiste em conservar os vestígios da sua antiga beleza, agora é violentada pelos chineses
Sodomizada. Sistematicamente. Dia e noite. Está exaurida; de rastos, de cócoras diante dos novos "amigos" do sr.engenheiro. Eles dão-se, inclusivé, ao luxo de erguerem dois a três restaurantes chineses numa mesma rua .
A ilha do Cabo tem mais restaurantes chineses que qualquer outra rua de qualquer outra cidade ocidental ou africana: CINCO!!!! A China Town instalada em Luanda.

As inscrições que colocam nos tapumes das obras em construção, admirem-se, estão escritas na língua deles. Eles são os novos senhores. Os amigos do sr.engenheiro. A par do Sr.Falcone... a este foi-lhe oferecido um cargo e passaporte diplomático.
Aos outros, que andam aos bandos, é-lhes oferecido a carne fresca das nossas meninas . Impunemente. Alegremente. Com o olhar benevolente dos canalhas de fato e gravata.
Lá fora, no mundo civilizado sem povos especiais, caçam os pedófilos. Aqui, criam e estimulam pedófilos. Acham graça.

Qualidade de vida é coisa que o povo especial nem sabe o que é. Nem quantidade de vida, uma vez que morremos cedo, assim que fazemos 40 anos.
Se vivermos mais um pouco, ficamos a dever anos à cova, pois não nos é permitida essa rebeldia.
E quem dura mais tempo, é castigado : ou tem parentes que cuidem ou vai para a rua pedir esmola!
Importam-se carros. E mais carros. De luxo. Esta é a imagem de marca deles: carros de luxo em estradas descartáveis, esburacadas. Ah... e telemóveis!!!! Qualquer Prado ou Hummer tem que levar ao volante um elemento com telemóvel.

Lá fora, no mundo civilizado sem povos especiais, é proibido o uso do telemóvel enquanto se conduz. Aqui é sinal de status, de vaidade balofa!!!!!!!!!!
Pobre povo especial. Sem transportes, sem escolas, sem hospitais. À mercê dos candongueiros, dos "dirigentes" e dos remédios que não existem. Sem perspectivas de futuro.
Os nossos "amanhãs" já amanhecem a gemer: de fome, de miséria, de subnutrição, de ignorância, de analfabetismo , de corrupção,de incompetência, de doenças antes erradicadas, de ira contida, de
revolta recalcada.
O grito está latente. Deixem-no sair : BASTA!!!!!!
Residente em Angola

Sem saneamento, sem saúde pública real, sem água potável bem distribuída, eis o país da mulher mais rica de África... que só por mero acaso, é filha do presidente de quase sempre, instalado de pedra e cal, no poder. 
18/11/2013 -"Epidemia de cólera em Angola provocou mais 19 mortes" fonte
A Saúde de Angola é classificada entre as piores do mundo. Angola está localizada na zona endêmicas de febre amarela. A incidência de cólera é elevada. Apenas uma pequena fração da população recebe atenção médica ainda rudimentar. A partir de 2004, a relação dos médicos por população foi estimada em 7.7 por 100 mil pessoas. Em 2005, a expectativa de vida foi estimada em apenas 38.43 anos, uma das mais baixas do mundo. A mortalidade infantil em 2005 foi estimada em 187.49 por 1000 nascidos vivos, as mais altas do mundo. A incidência de tuberculose em 1999 foi 271 por 100000 pessoas.
Taxas de imunização de crianças de um ano de idade em 1999 foram estimadas em 22% de tétano, difteria e tosse convulsa e 46% para sarampo.
Desnutrição afetado cerca de 53% das crianças abaixo de cinco anos de idade a partir de 1999. Desde 1975 e 1992, houve 300 mil mortes relacionadas com a guerra civil. A taxa global de morte foi estimada em 24 por 1000 em 2002.
A prevalência de HIV/SIDA foi 3.90 por 100 adultos em 2003. A partir de 2004, havia aproximadamente 240000 pessoas que vivem com HIV/SIDA no país. Estima-se que houve 21 000 mortes de SIDA em 2003.
Em 2000, 38% da população tiveram acesso à água potável e 44% tinham saneamento adequado .
É visível o rápido enriquecimento de um segmento social ligado aos detentores do poder político, administrativo e militar. Um leque de "classes médias" encontra-se em formação nas cidades onde se concentram mais de 50% da população. No país, grande parte da população vive em condições de pobreza relativa, com grandes diferenças entre as cidades e o campo: um inquérito realizado em 2008 pelo Instituto Nacional de Estatística indica que 37% da população angolana vive abaixo da linha de pobreza, especialmente no meio rural (o índice de pobreza é de 58,3%, enquanto o do meio urbano é de apenas 19%). Nas cidades grande parte das famílias, além dos classificados como pobres, está remetida para estratégias de sobrevivência . Nas área urbanas, também as desigualdades sociais são mais evidentes, especialmente em Luanda . fonte
"Os ativistas Alves Kamulingue e Isaías Sebastião Cassule, raptados a 27 e 29 de maio do ano passado, no seguimento de uma manifestação de ex-militares, veteranos e desmobilizados, que exigiam a atualização do valor das suas pensões, foram executados pelos serviços de segurança angolanos segundo um documento a que o portal angolano Club-K teve acesso."fonte

5 comentários :

  1. "A corrupção em Africa é muito culpa dos dirgentes dos paises desenvolvidos que tratam os dirgentes corruptos como iguais" isto dizia o pai da democracia num seminário há pouco;e fez-me lembrar que o mesmo "democrata" recebeu o presidente Mobutu na sua casa particular do Vau. Grandes Pulhas !!

    ResponderEliminar
  2. Estou agradecido por vozes activas como a desta maravilhosa Portuguesa. Temos de acreditar que em cada um de nós existe a capacidade para a mudança. Participem em blogs como este nunca deixem de dar o vosso comentário e partilhar com os vossos amigos. A Internet é onde assumimos o controlo e nos tornamos activos. Estas pessoas deixam-me orgulhoso de ser Portugues!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas suas palavras de apoio. É essa a minha luta, que os portugueses participem e se interessem pelo que se faz na politica em Portugal.

      Eliminar
  3. Que grande treta de artigo...o escritor do mesmo diz que não beneficia com "as negociatas angolanas"! Mas quem da tempo de antena e espaço para este cromo escrever???Então e os quase 300.000 portugueses que trabalham em angola? E as cerca de 4000 empresas portuguesas que por la laboram? O cromo diz que não beneficia e como não lhe chegam os trocos toca a partir a loiça! Vem com acerros patrioticos etc...Olhe caro amigo, para começar, va defender o pais desta mafia europeia! Não foi angola que roubou o pais, que lhe tirou a soberania, que o deixou indefeso perante os mercados...Não foi angola que aniquilou a frota pesqueira, nem a agricultura, tão pouco foi angola que obrigou portugal a enfiar-se de cabeça no euro! Ou será que foi? Diz voce que portugal não se interessa por angola...ok...e a alemnha, a frança ou a inglaterra preocupam-se com portugal? Olhe que não e a prova é a maneira ignobil como o estão a chupar! Va-se catar1

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro comentador, este artigo compila a opinião de várias pessoas, como pode ver ao consultar os links ou bastando analisar com alguma perspicácia.
      Possui a opinião de Paulo Morais, de Daniel Oliveira, do jornal o Público, de um Angolano e alguns dados estatisticos sobre Angola.

      Caso não tenha percebido explico que o que o sr comentou nada tem a ver com o artigo.
      Primeiro porque o eduardo dos santos não coloca em causa a estadia de portugueses, apenas ameaça com as parcerias planeadas, poderem não vir a acontecer... não ameaçou matar os 300 mil portugueses, ou fazer outra qualquer outra coisa lesiva aos emigrantes portugueses, por isso não vejo fundamento em referir isso como sendo um problema, neste contexto.

      O "escritor" apenas quer explicar tal como Paulo Morais, que quem MAIS BENEFICIA COM AS NEGOCIATAS DE ANGOLA, não são os cidadãos comuns, mas as grandes empresas favorecidas.

      Depois creio que também não percebeu que ninguém está a culpar Angola de ter arruinado Portugal... por isso não percebo mais uma vez o seu comentário nesse sentido.
      Todos sabemos que quem arruinou Portugal foi a corrupção nacional, claro que alguns internacionais deram uma ajudinha, mas se os nossos politicos fossem leais ao seu país e povo, jamais permitiriam que a corrupção nos afundasse.

      Eliminar