30 março, 2013

Poema dedicado aos que continuam a "tombar perante" a crise


A banca rouba. Ganha milhões emprestando dinheiro que nem existe. 




Sentimento de revolta
Mais um ano que finda, outro que começa
Toda a gente brinda e… enfim recomeça
Recomeçam todos com esperança sentida
Que o novo ano lhes traga outra vida

Gritam quase todos a uma só voz
Se o governo não cai que irá  ser de nós!
Pois que caia o governo é o povo que diz
Se o governo cair não cai o País.

Iremos lutar até á exaustão
Por trabalho, dignidade, respeito e pão
Lutaremos também pela nossa saúde
Habitação, educação e ensino
Direitos consagrados na constituição
Pró velho, novo, ou menino

Menino que chora de fome e de frio
Que dorme ao relento sem que alguém se importe
Abandonado e triste chora a sua sorte
E pede a Deus que lhe dê a morte
Não vota em ninguém pois não tem idade
Mas sofre tormentos com a austeridade.
  
"Zita.
(...)Urge por termo a isto quanto antes, e é assente neste pressuposto, que resolvi enviar-lhe este meu sentimento de revolta.
Cordialmente
José albino costa.

Explicação fácil de como se enriquecem os bancos ás custas da exploração dos cidadãos. Enriquecem sem produzir apenas explorando. A lei não coloca travão nesta usurpação sem medida.
LISTA DE SAQUES : http://goo.gl/jHVZE
LISTA DE TACHOS : http://goo.gl/f4FcW


1 comentário :

  1. SE ESTE VIDEO FOSSE VISTO
    ANTES DO SEU VOTO FAZER
    AGORA NÃO ESTAVAMOS NISTO
    QUASE SEM NADA PARA COMER
    http://www.youtube.com/watch?v=uFP9ihHDx6s



    ResponderEliminar