11 julho, 2011

Os tachos que não deixam de surpreender.


nepotismo corrupção Este governo quis primar pela mudança, mas está a seguir os mesmos passos de todos os outros, fingem que estão a higienizar o excesso de funcionários dependentes do estado para aliviar a despesa pública, mas ao mesmo tempo que despedem uns, há sempre alguém que precisa de dar emprego a outros. E o ciclo repete-se sem fim à vista. 
LISTA MAIS RECENTE CERTAMENTE MAIS UMAS DEZENAS DE TACHOS DEVEM SER COLOCADOS COM MAIOR SECRETISMO)
  • FELICIANO BARREIRAS DUARTE 
  • JOÃO GONÇALVES 
  • FILHO DE CARLOS BEATO 
  • CAROLINA ALMEIDA
    E AGORA RIA-SE UM POUCO COM AS CIRCUNSTANCIAS DÚBIAS E CÓMICAS QUE ENVOLVERAM OS JOBS FOR THIS BOYS.
    O do cargo inventado
    "Feliciano Barreiras Duarte, que foi avançado como braço-direito de Passos Coelho durante muito tempo, tinha de entrar para o Governo. Como já não havia lugar - até porque vários lugares tiveram de ser entregues ao CDS -, então inventou-se o cargo de Secretário de Estado Adjunto do Ministro Adjunto e dos Assuntos parlamentares. " FONTE


    A que foram buscar tão longe.
    O novo secretário de Estado para as Comunidades nomeou para o seu gabinete a candidata derrotada do PS pelo círculo da emigração nas eleições de 5 de Junho. "Carolina Almeida é funcionária do consulado português em S. Paulo, no Brasil, tendo concorrido como independente pelo PS.
    O convite de José Cesário foi denunciado pelo deputado do seu partido, Carlos Páscoa (eleito pelo círculo da emigração), que em carta se afirma "perplexo" com a situação, tal como as estruturas do PSD no Brasil. O presidente do PSD em S. Paulo já terá renunciado ao cargo por causa disso. Não foi possível obter um comentário por parte dos Ministério dos Negócios Estrangeiros." FONTE

    O que ridicularizou Passos Coelho e o PSD
    Há nove meses, João Gonçalves, autor de um  blogue escrevia um post com o título "A alforreca". Era sobre Passos Coelho e a sua "inoportuna proposta de revisão constitucional".
    Nove meses depois, Passos chegou a primeiro-ministro e Gonçalves chegou com a "alforreca" ao Governo - é adjunto político do ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas.
    "O que mais falta anda a fazer é emergir, como putativo líder, o sr. Passos Coelho, o delfim de Ângelo Correia e uma vacuidade absoluta", escrevia em 2008. Três semanas depois, voltava à carga: "Coelho distinguiu-se como um vulgar cacique da JSD. Por si só, esta circunstância recomenda-o imediatamente como candidato a salvador da pátria como, a seu tempo, Ângelo nos fará crer que ele é." Mais tarde, Passos, ainda candidato ao PSD, era metido no lote dos "candidatos a futuros artistas de circo", ou era descrito como "a mais recente abrótea", "formado no pior aparelhismo".  FONTE


    O que não encontrou ninguém de confiança e com competência, para alem do filho, claro.
    O autarca socialista Carlos Beato nomeou o filho para o cargo de adjunto do seu gabinete de apoio pessoal, decisão que qualifica como "consciente e responsável".
    ..."com a necessidade de "encontrar alguém com o perfil profissional e pessoal que garantisse a qualidade, a eficácia e a confiança que o desempenho destes cargos exige".
    Em declarações hoje à Lusa, Carlos Beato (PS) afirmou não ter pretendido "nomear um boy ou uma girl", mas apenas alguém para ajudá-lo e em quem "tivesse confiança pessoal e profissional".
    O autarca admitiu ter pensado "muito" antes de tomar a decisão, mas qualificou-a como "forte, consciente e responsável", acrescentando que "é preciso ter coragem e ser limpo para fazer esta nomeação".
    Rafael Rodrigues, vereador do Partido Comunista Português na Câmara de Grândola, defendeu que, no plano dos princípios, a decisão é "completamente indefensável", pois "contraria o princípio legal de que os eleitos não podem discutir e votar assuntos em que estejam relacionados familiares directos".
    Do ponto de vista ético, apresentou a nomeação de Pedro Beato como "inqualificável", demonstrando "a forma como alguns eleitos utilizam os cargos públicos para seu benefício pessoal e familiar".FONTE

    6 mil euros por mês, para boys de 23 anos? Especialistas assessores? 

    9 comentários :

    1. Só haverá uma forma de combater o nepotismo:
      Os candidatos a qualquer lugar de nomeação devem ser propostos em lista, em número nunca inferior a 5, pelo interessado, e os nomes avançados votados em órgão colegial com afinidades funcionais ao cargo em causa e composto por um número de membros nunca inferior a 20...
      Complexo? Pois é. Mas o nepotismo é muito mais ...

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. Era uma solução mas todos sabemos que eles não querem soluções querem liberdade, poder e dinheiro.
        É esta a triste realidade que temos que combater.

        Eliminar
      2. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
        A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
        Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
        Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
        A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
        MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

        Eliminar
    2. Queremos salvar Portugal e a democracia? Só há uma solução: criar um novo partido político baseado no modelo da democracia participativa comprometida em prestar contas aos cidadãos de todas as decisões que o governo tomar e governar-se o país a partir das ideias propostas pelos cidadãos! Podeis pensar que a democracia participativa é uma utopia, mas é possível implementá-la! Entre várias medidas que podem ser tomadas, que me levaria muito tempo a expor, vou indicar para já uma: qualquer cidadão poderá candidatar-se a deputado, ou seja, um agricultor, um operário, um estudante, um funcionário público. etc. poderão aceder ao Parlamento e governar o país! Pois a democracia representativa, o modelo actual, está gasta no mundo ocidental: é só corrupção e prepotência! Não precisamos de "doutores da mula russa" que usam a política para tirarem vantagens pessoais e favorecerem amigos e grupos economico-financeiros, enriquecendo à custa do povo!
      Termino citando São Mateus, que diz sensivelmenmte o seguinte: "Não deis as coisas santas aos cães, nem as pérolas aos porcos, pois, de repente, podem voltar-se contra vós e devorar-vos."

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. É facil perceber o que era bom para Portugal, o problema é que os que lá estão não concordam com mais nada que não seja regimes que os enriqueçam e favoreçam e sempre abrigados na impunidade. Eles não querem perder os seus poleiros dourados, por isso jamais sairão de lá ou deixarão que alguém os retire.

        Eliminar
      2. UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA
        O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
        Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
        (…)
        Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
        Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
        Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
        ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

        ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

        Eliminar
    3. se alguém conseguir convencer o povinho a não votarem sempre nos de costume, quem sabe se não aparecem meia dúzia de gente mais séria para endireitarem isto. eu considero-me sério e jamais concorreria a eleições! parece-me que o que quem vota gosta mesmo é de votar no seu clube, verem quem ganha e criticar quem lhes fala verdade!
      Não são apenas os corruptos que nos governam, somos todos nós e a nossa mentalidade que nos levam ao fundo...

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. Só o voto massivo contra os partidos políticos da corrupção poderá iniciar o caminho da mudança que Portugal precisa.
        O fim da destruição nacional, pode ser travado por um meio rápido, pacífico e ordeiro: basta o voto massivo nas próximas eleições legislativas nos partido políticos fora do arco da governação. Apostar em partidos novos, sem vícios, sem cadastro, com garra e que sempre estiveram ligados à denuncia e combate da corrupção.
        Só o voto válido contra os partidos que há 40 anos, claramente, nos desgovernam, os pode travar. Como já se percebeu, ao fim de anos e anos com abstenção, nulos e brancos a atingir valores que rondam já os 60%, essas opções não possuem valor ou poder, são totalmente inofensivos.
        Só voto massivo contra os partidos políticos da corrupção mudará Portugal!

        ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-voto-massivo-contra-os-partidos.html#ixzz3qcYqETli

        Eliminar
    4. Leiam, é muito esclarecedor!!!

      ResponderEliminar