29 abril, 2012

Reformas milionárias, Jardim tem reforma de 167 mil € por mês.

Um mês de pensão de Jardim Gonçalves sustentava creche durante 17 anos, em S. Tomé. 



"Jardim tem reforma de 167 mil € por mês. Pensão milionária de ex-presidente do BCP custou 34,2 milhões ao banco. O ex-presidente do BCP fez o seu contrato de reforma com o banco, que lhe garante deslocações em 'Falcon' e a protecção de 40 seguranças privados. Conselho de remunerações vai tentar mudar a regra.  DN
A banca e o luxo contrasta com a miséria da crise 
E é neste mesmo contexto que se enquadra a noticia, que chega a ser ofensiva num país onde todos os dias se divulgam noticias famílias que entram em ruptura Social.

É urgente que todos tomemos consciência que a ganancia da banca é a maior responsável pelas crises instaladas.
A banca enriquece com esquemas de usura apoiados pelas políticas. Abusam do poder sobre os cidadãos. Abusam da confiança dos que desconhecem os esquemas que os bancos ocultam, com o aval do governo  e do Banco de Portugal.
Porque se permite que a banca continue a sustentar luxos e lucros ás custas da miséria a que dotou mais de metade do país?
Todo o processo que sustenta os bancos, é descaradamente imoral e deveria ser ilegal. Como se explica neste video, eles tem todo o interesse em levar as pessoas a viver de créditos financeiros, eles tem todo o interesse em criar a falsa ideia nas pessoas, de que podem e devem endividar-se e investir na banca.
Mas afinal onde fica a defesa dos interesses dos cidadãos, neste negócio da banca?

Ganham fortunas graças ás margens de lucro acima da maioria dos negócios, emprestando dinheiro que não possuem e cobrando juros de algo que nem existe.
E ainda tem o descaramento de acusar os portugueses, que confiam na banca, no governo e no Banco de Portugal, de viverem acima do que podiam!!??
 Porque não se cobram impostos justos à banca?
Para se compreender melhor o descalabro abusivo da banca, e entender que a banca serve interesses que não são os do país nem do povo... temos o exemplo mais flagrante do Banco Central Europeu...

"O BCE de Maio a Dezembro de 2010 emprestou cerca de 72 mil milhões de euros a países do euro, a chamada dívida soberana, através de um conjunto de bancos, a 1%, e esse conjunto de bancos emprestaram ao Estado português e a outros Estados a 6 ou 7%. Neste exemplo, ganharam com o empréstimo a Portugal uns 3 ou 4 mil milhões de euros.
As pessoas têm de perceber que os bancos têm de ganhar bem, senão como é que podiam pagar os dividendos aos accionistas e aqueles ordenados aos administradores que são gente muito especializada."

Questão que se coloca. Será que é o banco que vai pagar esta reforma ou somos todos nós? Se tivermos em conta que o governo decidiu ficar responsável pelas reformas milionárias da banca, como podemos ver neste video e fê-lo sem assegurar o interesse do estado, teremos de concluir que somos todos nós que vamos pagar a reforma milionária deste em especial e outros senhores da banca, que exigiram reformas milionárias. 



Mas eles merecem tudo e mais alguma coisa... pela promiscuidade e impunidade... 

"As investigações visam averiguar eventuais ilegalidades na concessão de financiamentos pelo BCP a Filipe Jardim Gonçalves , que resultaram em créditos incobráveis de 12,4 milhões de euros para o banco e que agora o fundador da instituição se dispôs a pagar. Além disso, está ainda em causa o alegado perdão de 15 milhões de euros em juros devidos por José Goes Ferreira, accionista qualificado do BCP."DN

"Joe Berardo afirma que a administração do BCP terá perdoado dívidas no valor de 200 milhões de euros a 17 companhias offshore, a propósito do caso Somerset, um "veículo" sediado em paraíso fiscal que terá sido utilizado em 1998 pelo então BPA para enfrentar "insuficiências de balanço". DN

"O Banco Comercial Português ( BCP ) ocultou a existência de 17 entidades offshores que terão comprado acções próprias do banco. Estas não foram reportadas ao Banco de Portugal, não constam dos relatórios do BCP e nunca foram referenciadas pelos auditores externos. O governador do Banco de Portugal fez esta revelação na sua audição de ontem na comissão de Economia e Finanças, da Assembleia da República." DN

Em Espanha a forma como um juiz corajoso enfrentou os esquemas dos bancos para proteger o cidadão... 
Um juiz que finalmente decidiu fazer frente à exploração dos bancos. 
Quando é para pedir empréstimo ao banco, este atribui um valor à casa, quando o cidadão é obrigado a devolver a casa para pagar as dividas, afinal ela já tem um valor inferior? Claramente um abuso, de que ninguém nos defende.
"A sentença, divulgada neste sábado pelo DN, pode, fazer toda a diferença para muitas das famílias portuguesas que não conseguem pagar os empréstimos contraídos para a aquisição de habitação própria.
De acordo com o juiz de Portalegre, "há um enriquecimento injustificado" por parte dos bancos quando, após a entrega da casa ao banco (dação em pagamento), as instituições de crédito avaliam e adquirem a casa abaixo do valor dessa avaliação, exigindo, como contrapartida, a diferença entre o valor da avaliação e a venda ao próprio banco pelo preço estipulado por estes últimos.
Dito de outro modo: até aqui, quem pede um empréstimo e falha as suas obrigações era obrigado a pagar ao banco a diferença entre o valor da avaliação e o preço aplicado na venda do imóvel ao banco. E é esta regra que o juiz considerou um "enriquecimento injustificado" do banco.
O caso que está na origem desta decisão judicial é referente a um empréstimo para compra de casa – era de 129.521 euros. De acordo com oDN, o imóvel foi avaliado em 117.500 euros, correspondente ao empréstimo no momento da escritura, em 2006.
O banco acabou por comprar o imóvel por 82.250 euros. E reclamaria os restantes 46.356 euros ao casal que tinha contraído o empréstimo e que se referia à diferença entre o valor da avaliação e o valor da compra. Uma reclamação que o juiz de Portalegre não validou, contrariando o entendimento comum em Portugal.
jardim gonçalves corrupção

Em Espanha, porém, já houve decisões semelhantes que, a fazer jurisprudência em Portugal, poderá aliviar famílias com hipotecas ao banco. De acordo com os dados recentemente divulgados pela APEMIP –  no primeiro trimestre de 2012 foram entregues aos bancos 2300 imóveis, o que representa um aumento de 74% nas dações em pagamento face ao período homólogo de 2011. Nesse ano, foram entregues 6900 imóveis em dação em pagamento." Publico
São entregues 25 casas por dia ao banco. Um negócio extremamente lucrativo para a banca e deveras degradante para muitas famílias portuguesas e para todo o país.

9 comentários :

  1. A obscenidade não está no valor da reforma,talvez na imoralidade da distribuição da riqueza e dos sacrifícios na situação actual da bancarrota socialista.
    Jardim construiu o banco,é o que se pode dizer.
    O Fundo de pensões do banco foi o maior de toda a banca em Portugal.
    Foi de tal modo considerado uma mais valia,que o Estado o absorveu para mitigar o défice criado pelos gangs políticos.
    Jardim criou riqueza e foi um homem de sucesso.
    A razão da nossa pobreza não é Jardim.
    Mas a esses responsáveis,que se rodearam de regalias e luxos,ninguém parece muito disposto a tocar nem a ferir.
    Jardim é um fait divèrs.Um osso que se lança à matilha.
    Os milionários que nos empobreceram continuam a celebrar o regime em Abril ou a justificá-lo com a sua teatral ausência das cerimónias burlescas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo e subscrevo...
      Mas o que está implícito no texto em cima não é tanto uma critica à reforma do banqueiro, mas a forma como os banqueiros constroem a fortuna. Pisando pessoas que desconhecem os esquemas financeiros, políticos, jurídicos, etc. Explorando pessoas em situação frágil de falência familiar, impiedosamente.
      E a reforma é apenas uma consequência dessa fortuna conseguida através de enriquecimento injusto e que, bem visto e analisado, deveria ser ilegítimo.

      Eliminar
  2. O valor das reformas dos "senhores" deste triste país é apenas um reflexo das políticas utilizadas pelos malfeitores que nos governam! Reformas acima de dois mil euros neste país, com as sucessivas crises económico e financeiras são insultuosas, obscenas e fruto duma política sem escrúpulos nem parâmetros de construção duma NAÇÃO, que segundo a CONSTITUIÇÃO no seu Preâmbulo enuncia: "A Assembleia Constituinte afirma a decisão do povo português de defender a independência nacional, de garantir os direitos fundamentais dos cidadãos, de estabelecer os princípios basilares da democracia, de assegurar o primado do Estado de Direito democrático e de abrir
    caminho para uma sociedade socialista, no respeito da vontade do povo português, tendo em vista a construção de um país mais livre, mais justo e mais fraterno."
    Quando no nosso dia a dia os factos vividos neste triste país são a negação constante da principal Lei que deveria reger todas as leis e o comportamento cívico de todos os CIDADÃOS, em que aquele que jurou defender e fazê-la aplicar tem o comportamento que temos verificado, pergunto que tipo de "estado de direito" é este e quais são os conceitos dos "senhores governantes"??? Qualquer indígena consciente da sua insignificância sabe o que são "malfeitorias"!!!
    Resta ao POVO tomar consciência do destino que lhe está reservado e assumir o inevitável. É uma questão de tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qualquer indígena consciente da sua insignificância sabe o que são "malfeitorias"!!!
      Resta ao POVO tomar consciência do destino que lhe está reservado e assumir o inevitável. É uma questão de tempo.

      Nem mais...

      Eliminar

  3. Cara Zita

    Este senhor não recebe a reforma de 167.000 da Seg.Social...
    o que recebe é do fundo de pensões do banco. Não há em Portugal
    reformas acima dos 10000 €. As reformas ou pensões sociais são
    calculadas em função dos descontos (e nunca maiores que o ultimo
    vencimento auferido)
    Por vezes temos de parar para pensar antes de falar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela observação, mas creio que no artigo não refiro que seja a SS a pagar, se refiro mostre-me onde?
      Uma das imagens faz referencia a isso, mas é uma citação de um video da RTP.

      O artigo apenas denuncia o abuso dos bancos sobre os clientes, para obter luxos sem que ninguém coloque um travão nisso.

      Eliminar
  4. BCP agente direto de Phishing
    Somente os bancos têm condições técnicas para monitorar, detectar e prevenir transações fraudulentas. Ninguém melhor que o fraudador (BANCO) pode remover imediatamente do sistema todas as provas após a execução do golpe.
    Sobre as denúncias e as reportagens do tema “vítimas de Phishing”, “BPN – A Fraude” é minha obrigação alertar os consumidores o meu caso.
    De análise refletida no tempo, foi evidente a utilização maléfica deste alegado esquema (phishing), estando o próprio banco diretamente ligado ao golpe.
    Aqui a invasão de Phishing é dentro do próprio banco mediante artificiosos altamente engenhosos, visivelmente posicionados de forma a interferirem diretamente no golpe fraudulento, de livre acesso ao sistema do banco, como se fossem os legítimos clientes.
    Nenhum outro intermediário da cadeia de comunicação informática está tão ligado á vítima de phishing do que o seu próprio banco.
    O meu caso está ainda a ser dirimido em Tribunal desde o ano 2000, não nos termos “BCP agente direto de Phishing” mas enquadrado em todos pressupostos criminais.
    Confirmo este designo criminal desde sempre, realistas e devidamente fundamentado tornando incompreensível a passividade do conhecimento total das mais altas Instâncias Portuguesas.
    Assim, resumo denúncia do agente direto GOLPE de PHISHING:
    1 – Fiz uma transferência de 449.979,79 € e esse dinheiro não consta em nenhum extrato de conta. Pura e simplesmente sumiu.
    2 – É junto ao processo um extrato falso do BCP suprimindo da minha conta 1.027.523,67 €.
    3 – O Senhor Juiz coadjuvado durante 4 anos pelo Sr. Perito Judicial acusado de 108 crimes de associação criminosa, cujo no entendimento do MP também entravam neste esquema criminoso alguns funcionários judiciais que tinham de influenciar os Senhores Juízes com pareceres positivos. Por coincidência o Sr. Perito tem escritório no mesmo edifício onde reside o Ex-administrador do BCP Drº. Alípio Dias, foi dado cumprimento á execução de uma calamitosa injustiça fazendo-se uma transferência da minha conta para o BCP no montante de 396.093,02 €.
    E aqui, pelas razoes expostas, não se pode permitir levar uma pessoa á mais completa destruição, “AGUENTANDO” com dois enfartes e a ser tratado no H.S.J. de uma depressão profunda, vivendo privado de qualquer fonte de sustento, isolado de tudo e de todos.
    Espero só, que a Justiça tire a venda dos olhos para poder ver o que óbvio…e só espero um dia poder retribuir tudo o que por mim possam fazer.
    Hermenegildo Ferreira
    Hermenegildof@sapo.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. SÓ LHE POSSO DAR UM CONSELHO:

      Retire seu dinheiro todo dos Bancos, deixa de alimentar parasitas, golpadas, jogadas e outras açoes menos éticas, numa sociedade portuguesa impiedosa, e nada social, só de aparência.,

      Por outro lado, além de não sustentar o sistema corrupto, ainda ficará mais sossegado.

      Os Bancos vão á falência, e o sr, ja viu isso: Naooa vê televisão?

      OU contacte A team.Eles recuperam seu dinheiro junto do sr alipio ,acidentes acontecem.



      Eliminar
    2. Anonimous Economicus25 setembro, 2016 18:14

      Eu uma vez fui ao NOVO BANCO.

      Na caixa de multibanco levantei, 200€
      Aquilo nao deu dinheiro, e pior,registou o levantamento.

      Fui lá dentro, e levantei mais 200, mas desta vez saiu dinheiro.Reclameir e eperei uma resposta e retificaçao da situação.,
      Eles fizeram uma confusao taõ grande, porpositada, que nunca me devolveram os 200 que retiraram, afirmando que eu tinha levantado duas vezes,e uma das vezes, nao contaram , para fazer uma compensação, no entato so levantei uma. OS -200, nunca teve estorno +200.no extrato.

      O extrato está falsificado, pois nunca apresenta estorno . E disseram que levantei duas vezes e que so consideraram uma.


      Sistema bancário, virou feira das barracas.
      È o dito pelo não dito.

      NOVO BANCO.

      Deixei de usar Bancos, multibancos, etc. E dinheiro no Banco retirei, ha formas de o guardar ou investir em algo seguro.Esta gente so entende assim- Vão passar mal, porque o sistema bancário, politico e judicial, resumindo as instituiçoes governamentais deste pais, andam a brincar COM A VIDA DAS PESSOAS.

      Eliminar